Deso: uma herança maldita?

0

 

  As noticias que chegam da Companhia de Saneamento de Sergipe – Deso, não são boas para o futuro governo. Apesar da abnegação do corpo técnico competente a empresa está desorganizada e endividada. Por conta disso presta um serviço de péssima qualidade, acumulando problemas que,  em sua grande parte,  vão aflorar nesse verão em Aracaju e em várias cidades do interior, principalmente na região sertaneja.

   Para se ter uma idéia,  alguns técnicos da empresa entendem que o tão propalado programa estruturante “Água em Toda Casa”,  foi na verdade uma jogada política do atual governo na tentativa de reconquistar a simpatia do povo de vários municípios. É bom lembrar que este programa foi abandonado nos três anos anteriores por conta do projeto gigantesco de construção da ponte Aracaju/Barra. Com isso, este ano, o governador João Alves Filho (PFL) utilizou-se de um diagnóstico, segundo alguns técnicos, equivocado e feito às pressas pela Enpro, que há mais de 15 anos desenvolve projetos para a Deso, apesar da estatal possuir nos seus quadros engenheiros com competência para realizar este tipo de projeto.

   Além de um contrato milionário com a multinacional Fuad Rassi, que pode executar  desde uma simples ligação de água até a construção de barragens, a Deso realizou mais de 70 (setenta) cartas convites para construção de obras e serviços de engenharia no flagrante desrespeito à Lei das Licitações. Todas essas cartas convites, com valores abaixo de R$ 150 mil, chegam (olhe o cúmulo do absurdo) a ter pequenas variações entre uma e outra para o mesmo tipo de serviço. Tudo com aval da assessoria jurídica da empresa.

  Um exemplo concreto: uma empresa, por nome de Hidrosolo, ganhou entre 07 de junho e 26 de julho, quatro cartas convites com o mesmo objetivo: serviços de perfuração de poços tubulares, através dos contratos 204, 231, 232, e 250 todos assinados este ano. Os poços estão localizados em vários municípios, mas fica a pergunta, por que não reunir todos em um só processo e fazer uma tomada de preços? É bom lembrar que neste período já estava em vigor o contrato com a multinacional Fuad Rassi, para estes serviços também. Ou seja, como fazer mais quatro cartas convites para o mesmo objetivo?

  Por fim, a coluna já ia esquecer. Imagine, caro leitor, que a Deso continua com uma divida com a Energipe, beirando os R$ 3 milhões. O pior acontecerá se a Energipe começar a cortar o fornecimento de energia em alguns municípios. O governo está acabando, e todas as dividas estão sendo empurradas com a barriga. É por isso, que quando é pedida uma auditoria na empresa tem gente que fica com o cabelo em pé e só dorme a base de lexotan. Uma pergunta: a quem cabe apura possíveis irregularidades na Deso?

 

 

 

Retrato da policia civil em Sergipe I

Um dos problemas que o futuro governador vai enfrentar é  o retrato atual da segurança pública. A reclamação é grande em todos os segmentos dessa área. Por exemplo, na policia civil, os policiais têm uma gratificação – concedida no governo Albano Franco – que era sempre na forma de um percentual, cerca de 3,48 sobre o salário mínimo que serve de referencia para todas as funções de nível médio do Estado. Com isso a gratificação que deveria estar em torno de R$ 1.200,00 permanece congelada entre R$ 700,00 e R$ 722,00.

 

Retrato da policia civil em Sergipe II

Em agosto deste ano – às vésperas das eleições – o governador João Alves determinou que a Secretaria da Segurança Pública pagasse a todos os policias civis e demais servidores da área, uma gratificação por serviço extraordinário com valores diferenciados entre R$ 700,00 e R$ 150,00, através de “horas extras”. O pior de tudo é que os policiais e servidores não tiveram a menor informação sobre o critério adotado para dar as gratificações com valores diferenciados.   Logo após o resultado das eleições no primeiro turno, e a conseqüente derrota do candidato João Alves Filho, a determinação foi para que fosse retirado dos contra cheques de todos os beneficiados a gratificação que surgiu às vésperas eleitoral. Porém, alguns privilegiados e os que trabalham no serviço de captura continuaram com a gratificação.

 

Retrato da policia civil em Sergipe III

A pergunta que fica no ar: Será que não seria o caso de uma denúncia ou de uma investigação do Ministério Público Federal, através da Procuradoria Eleitoral, já que essa gratificação foi dada dois meses antes do pleito eleitoral, com o pagamento coletivo de horas extras?

 

Procuradoria da República vai contratar assessor de comunicação I

Um bom exemplo que deveria ser seguido por outros órgãos federais em Sergipe. A Procuradoria da República no Estado de Sergipe abriu inscrições para processo seletivo para o cargo de Assessor de Comunicação. Para participar do processo seletivo o candidato deverá cumprir as exigências do edital, além de possuir diploma de curso superior em Comunicação Social, devidamente registrado no Ministério da Educação. A seleção será realizada em três fases: análise curricular, dissertação e entrevista.

 

Procuradoria dá exemplo contratar assessor de comunicação  II

Os candidatos interessados em participar do processo seletivo deverão apresentar Currículum Vitae, que deverá conter dados de identificação, formação escolar, participação em cursos/congressos/simpósios, estágios e demais experiências profissionais na área de comunicação social, todos devidamente comprovados.A entrega da documentação deverá ser efetuada no período de 13 a 17 de novembro de 2006, na Seção de Recursos Humanos da Procuradoria da República em Sergipe, situada na rua Capitão Benedito Teófilo Otoni, 204, Praia Treze de Julho, no horário das 8h às 11h e das 13h às 18h.A remuneração do cargo de Assessor de Comunicação é de R$ 4.235,40 (quatro mil, duzentos e trinta e cinco reais e quarenta centavos), nos termos do art. 7º da Lei nº 10.476, de 27 de junho de 2002, para uma jornada de quarenta horas semanais.

 

OAB chamada para acompanhar concurso público

A OAB vai ser chamada por alguns candidatos para acompanhar o concurso que será realizado pela Secretaria de Estado da Administração, através da Fanese, para alguns cargos no Governo do Estado. Vários candidatos inscritos estão fazendo questionamentos que, no mínimo, merece uma verificação. Alguns destes questionamentos: “Qual é a lei que determina que a cédula de identidade é válida por dez anos?”. O que fazer então, já que o concurso da Sead só aceita como único documento a cédula de identidade que tenha no máximo dez anos de expedida? E o pior, os detentores de cargo em comissão do governo só precisam apresentar o contra-cheque e terem sua inscrição efetivada? Para que foi criada tanta dificuldade para os mortais comuns se inscreverem nesse concurso? Isto não é suspeito, já que as filas para retirar a 2ª via do documento estão enormes e o governo não disponibiliza este serviço de forma suficiente a atender a demanda? Para que tantos documentos só p/ fazer uma inscrição? Por que não se abriu  inscrições via Internet, já que 99,9% dos  concursos públicos desse país assim o fazem? E mais, por que é que ninguém vê o Ministério Público, a OAB e a imprensa importar-se com este descaso?

 

Justa homenagem a Acrisio Cruz

O prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira, fará hoje pela manhã, às 9h30, uma justa homenagem ao professor Acrisio Cruz, com o descerramento do busto em bronze do mesmo na Praça da Imprensa, localizada na avenida Acrísio Cruz. A indicação que chegou à Câmara de Vereadores partiu do vereador Evando Franca, como uma forma de homenagear o professor Acrísio Cruz, que notabilizou-se pelos seus trabalhos como professor, jornalista e homem público em Sergipe.

 

Carlos Lessa participa de palestra na UFS

O economista Carlos Lessa, ex-presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), participa nesta terça-feira, às 19h, de palestra e debate no auditório da Reitoria da Universidade Federal de Sergipe (UFS), tendo por tema “Os desafios do Novo Governo”. O evento é uma ,promoção do Departamento de Economia da instituição de ensino em parceria com o Instituto Euvaldo Lodi, da Federação das Indústria de Sergipe (IEL/FIES).

 

Paralisação de 24 horas na saúde municipal

Amanhã, dia primeiro, todos os profissionais da área de saúde da Prefeitura de Aracaju farão uma paralisação de 24 horas. Ou seja, desde o agente comunitário até o nível superior. Os profissionais querem negociar cinco pontos com a PMA, são eles: fim do teto salarial que foi imposto para os servidores; pagamento integral do vencimento durante licença médica e licença maternidade; agentes comunitários que não são contratados diretamente pela Prefeitura e sim por uma associação; o avanço horizontal automático e retroativo a maio deste ano e cumprimento da portaria 648/2006 do Ministério da Saúde que libera os profissionais do PSF oito horas por semana para fazerem aperfeiçoamento ou qualquer atividade acadêmica.

 

PV estuda  possíveis fusões

O Presidente do PV em Sergipe e membro da Executiva Nacional, Reynaldo Nunes, participa hoje, de reunião em Brasília com o Presidente Nacional José Luiz Penna e outros dirigentes nacionais, quando serão discutidos os caminhos para superar a cláusula de barreira. O PV estuda três possibilidades: A fusão com o PPS, PMN e PHS no MD (Movimento Democrático); a fusão com o PSC formando o PVSC (Partido Social Cristão) e a formação de um bloco parlamentar com o PCdoB e PSOL, procurando meios legais para resistir aos efeitos da cláusula de barreira.

 

Frase do Dia

“Minha obsessão é ser um bom governador e quem lutou comigo governará comigo”. Do governador eleito, Marcelo Deda ao discursar no último domingo.

 

Comentários