Dia Nacional da Mata Atlântica

0

Hoje é o Dia Nacional da Mata Atlântica. Um dos ecossistemas* mais importantes do planeta. O mais rico em biodiversidade** do mundo: título para encher de orgulho qualquer brasileiro. Muito mais do que o de uma copa do mundo de futebol, pois é algo único, que não pode ser igualado por nenhuma outra nação. Um patrimônio nacional gigante pela própria natureza.

A ocupação primária da Mata Atlântica abrangia cerca de 15% do território brasileiro, passando por 17 diferentes estados, do Piauí, passando por Sergipe, até o Rio Grande do Sul, onde vive 62% da população brasileira. Em um país que tem nome de árvore (e da própria Mata Atlântica), hoje deveria ser feriado nacional!

Deveria haver uma atividade didática especial (como há para o carnaval, por exemplo), mas é incrível que não se esteja na nossa cultura a valorização do que é nosso, do que nos pertence. Parece que nos esquecemos de nossa identidade biológica, que existe antes da identidade cultural. E mesmo em termos culturais, os valores nacionais estão tão confusos (pelo menos para mim) que é mais comum ver escola infantil festejar o “dia das bruxas” (?!).

A Mata Atlântica é nossa, e por direito
Está previsto na Constituição da República Federativa da Árvore, digo, do Brasil. Lá no artigo 225: “Todos temos direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e à coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações”.

Mas como vamos defender aquilo que não nos pertence? O que é nosso é “Brasil, pais do futebol e do carnaval”. Não está na nossa cultura dizer “Brasil, o país da maior biodiversidade do mundo”. Mas está na hora de se colocar, desde cedo, na pré-escola e antes que não tenhamos mais, porque esse bioma é também um dos mais ameaçados do planeta.
De sua formação original, 92,1% já foi devastada. Muitas de suas espécies de pássaros e mamíferos estão ameaçadas de extinção. Mas maior ameaça ao que ainda existe de mata atlântica é a ação humana, a pressão da sua ocupação e o impacto das suas atividades. Estima-se que ocupe hoje um território de 7,9% do original, ou seja, cerca de 1% do território brasileiro.

Humanidade: transformação da natureza
Há um argumento que defende a mata por sua quantidade de riqueza. É o mesmo que explica a necessidade de sua extração para fins econômicos. Sempre o dinheiro! Deveríamos aprender com os índios e com as populações tradicionais, para quem a natureza é uma escola. Ou, ao menos, desenvolver uma relação mais generosa, de maior troca, menos utilitária.

Desde que o mundo é mundo a humanidade se desenvolve modificando a natureza, mas nunca num ritmo tão intenso. Todas as civilizações (helênica, egípcia, assíria etc) cresceram e prosperaram extinguindo florestas. A civilização ocidental acelerou a utilização dos recursos naturais, provocando um índice crescente de destruição ambiental e de pobreza.

A escassez dos recursos naturais também influenciou o fim das mesmas civilizações e não queremos o mesmo destino. Por isso mesmo, as áreas florestais que ainda existem, como a Mata Atlântica, são as últimas do planeta e devemos defendê-las. Para isso talvez devêssemos voltar a nos sentir pertencentes à natureza, como sendo parte do mundo natural. Transformar a terra por necessidade, de forma equilibrada, mas não nos vendo separados e com poderes especiais sobre ela.

A maneira mais correta de marcar esse 27 de maio será atuar como fiscal do que resta da nossa Mata Atlântica, exigir dos poderes públicos que preservem que garantam a sua permanência para que nossos netos ainda possam ter o privilégio de vê-la de perto e, quem sabe um dia, poder dizer de boca cheia: “Brasil, o país da maior biodiversidade do mundo”.

Números
(Fonte: Fundação SOS Mata Atlântica)
Bioma com a maior diversidade de espécies de árvores do mundo: mais de 450 espécies de árvores por hectare no sul da Bahia
Espécies de animais ameaçadas de extinção: 383 (de um total de 633 no Brasil)
Flora: 20 mil espécies vegetais (8 mil endêmicas, ou seja, restrita à área)
Fauna: 1020 espécies de aves (188 endêmicas)
350 espécies de peixes (133 endêmicas)
340 espécies de anfíbios (90 endêmicas)
261 espécies de mamíferos (55 endêmicas)
197 espécies de répteis (60 endêmicas)

Populações tradicionais
Cerca de 70 povos indígenas em inúmeras aldeias
Mais de 370 comunidades quilombolas

Unidades de Conservação
Cerca de 1400 Federal e Estaduais (Parques, Reservas, Estação Ecológica, Reservas Particulares do Patrimônio Natural – RPPN)

Bacias hidrográficas
Abriga 7 das 9 grandes bacias hidrográficas do Brasil
Rios São Francisco, Paraíba do Sul, Doce, Tietê, Ribeira de Iguape e Paraná
Abastecem mais de 112 milhões de brasileiros em cerca de 3,4 mil municípios

Reserva da Biosfera da Mata Atlântica
Maior reserva da biosfera em área de floresta do mundo: 35 milhões de hectares

——————————————————————————————————————————-

*Ecossistema: conjunto de todos os animais e vegetais que interagem entre si e com o meio físico
** Biodiversidade: numero de espécies diferentes de uma determinada área.

“Se a nossa geração não mudar as coisas, nossos filhos podem não ter a opção de fazê-lo” (Worldwatch Institute)

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários