DIRCEU E JEFFERSON

0

O depoimento do deputado federal José Dirceu (PT) não atendeu à expectativa do Brasil, que praticamente parou para vê-lo ser inquirido como testemunha. Dirceu negou absolutamente tudo, assim como o fez Delúbio Soares, Silvio Pereira e Marcos Valério. Depois, os fatos foram sendo esclarecidos e se chegou a um quadro de indignidade, ao se descobrir que todos mentiam, dentro de uma estratégia que foi derrubada pelos fatos que foram surgindo sucessivamente, provocando todo esse lamaçal que atingiu o PT e respingou no governo. Não se pode negar que Dirceu tem uma postura convincente, mas a insistência de que não tinha conhecimento de nada que acontecia até mesmo no Planalto, onde exercia a chefia da Casa Civil e era a figura mais importante do governo. Apesar do tom convincente e da boa argumentação, José Dirceu não convence que era o “bôbo da corte” nessa história que mudou toda a direção do PT, promoveu uma reforma ministerial e já fez um deputado (Waldemar Costa Neto – PL) renunciar ao mandato, numa jogada que evita a cassação e permite uma nova candidatura no próximo ano.

 

O deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ) insistiu nas denuncias, manteve o que dissera no seu depoimento ao Conselho de Ética e trouxe um fato novo: José Dirceu, quando chefe da Casa Civil, teria autorizado que o PTB mandasse emissários para Portugal a fim de tratar com a Portugal Telecom sobre negociação para a liberação de dinheiro: “vossa excelência nos liberou para mandar emissários para que negociássemos um acordo pusesse em dia as contas do PT e do PTB”, disse Roberto Jefferson surpreendendo aos membros do Conselho de Ética com esse fato novo, que é muito grave. Pela primeira vez Jefferson envolveu o presidente Lula da Silva nas negociações de cargos, ao declarar que o acordo de Furnas foi tratado na ante-sala do presidente, no Palácio do Planalto, na presença de José Dirceu, ministro Walfrido Mares Guia e com o presidente Lula ouvindo tudo. Dirceu negou as acusações. “Não é verdade, o senhor está mentindo”, disse o ex-ministro, acrescentando que foi grave envolver o presidente Lula. Jefferson também deixou uma dúvida no ar, quando disse que o seu erro e de todo o Congresso “foi acreditar que Dirceu era todo poderoso, de acreditar que ele mandava em tudo e fazia tudo sozinho. Vossa excelência não estava sozinho, não tinha esse poder todo”.

 

Logo após a denuncia de Roberto Jefferson, a empresa Portugal Telecom negou, em comunicado emitido em São Paulo, que seus diretores tenham mantido contato com o PT e o PTB, como denunciou o deputado Roberto Jefferson. “O grupo Portugal Telecom aclara que nunca teve conhecimento ou participação em alguma negociação com o objetivo de organizar um encontro com representantes desses partidos políticos em Lisboa”, afirma a nota. O comunicado diz que, pelos grandes investimentos realizados no Brasil, a empresa possui “contatos institucionais” com o Governo, autoridades políticas, líderes empresariais, sociais e culturais do país. “A Portugal Telecom tem orgulho de ser um exemplo de cultura empresarial tanto em Portugal como nos países nos quais está presente, atuando sempre de forma ética e com absoluta transparência em suas iniciativas”, diz o comunicado.

 

Enquanto Dirceu era inquirido no Conselho de Ética, fora do Congresso corria a informação de que pelo menos sete parlamentares do PT renunciariam para disputar um novo mandato em 2006. O presidente nacional do PT, Tarso Genro, foi informado disso e avisou que defenderá, nos órgãos partidários, a tese de que não se dê legenda, nas próximas eleições, a petistas que renunciem em razão das denúncias. A posição de Genro deveria ser tomada por presidentes de outros partidos, para que a renuncia não fosse uma fuga à punição e a abertura para um retorno ao mesmo Congresso que o parlamentar denegriu. Ontem foi divulgada uma lista com novos nomes que receberam dinheiro sujo e há perspectiva de novas denuncias na próxima semana. É lamentável que se aceite este artifício para enlamear o país e voltar ao mundo parlamentar sem nenhuma punição. Nesse caso, o povo deverá julga-los, derrotando-os nas urnas.

 

MARTELO

O ex-prefeito de Lagarto, Jerônimo Reis, já teria batido o martelo para uma composição com o governador João Alves Filho. Sexta-feira, ao lado dos filhos, Jerônimo teve uma conversa com o secretário José Alves Neto, na sexta-feira à noite. É possível que participe com uma secretaria.

 

DEBATE

Está confirmado para o dia 11 de agosto um novo debate entre ministro da Integração, Ciro Gomes e o governador João Alves Filho, sobre a transposição das águas do São Francisco. Terá de quebra a ministra do Meio Ambiente, Marina Silva. O governador, que está em Brasília, considerou o confronto “altamente positivo”, quando apresentará novos fatos que comprovam a inviabilidade da transposição.

 

SUPREMO

Um dos maiores juristas do país já tem ação pronta – “uma peça belíssima”, disse João – para soterrar de vez o projeto de transposição pronta. O jurista já deveria ter entrado com essa ação no Supremo Tribunal Federal (STF), mas só o fará depois de uma decisão do Tribunal de Contas da União (TCU).

 

BOSCO

O deputado federal Bosco Costa (PSDB) disse ontem que defende que o seu partido tenha um candidato ao governo do estado. Para Bosco, não há a menor dúvida de que o nome mais forte para ser candidato do PSDB é o do ex-governador Albano Franco.

 

ALMEIDA

Sobre o senador Almeida Lima (PSDB), o deputado Bosco Costa diz que “ele não deseja compor. Ele quer o partido”. Segundo Bosco, “Almeida demonstra que não quer ser candidato a nada. Quem pretende disputar mandatos não recusa aliados”.

 

ALBANO

O ex-governador Albano Franco (PSDB) viajou ontem à tarde a Brasília para compromissos políticos junto ao seu partido. Já começam os entendimentos em relação à destinação do partido e a permanência deles sob o comando do grupo que o integra.

 

SEM NADA

Ontem, o senador José Almeida Lima declarou que ainda não havia conversado com ninguém sobre a questão do PSDB. Almeida disse que chegou a Brasília na segunda feira à tarde e com esse movimento do Conselho de Ética não deu para fazer nenhum contato.

 

ENCONTRO

O secretário Metropolitano, André Moura, terá encontro hoje com o prefeito da Barra dos Coqueiros, Airton Martins (PT) e amanhã com o de São Cristóvão, Zezinho da Everest (PTB). Quer ouvir dos prefeitos idéias e projetos de suas gestões e mostrar que o projeto da Pasta é fazer parceria e criar um elo entre municípios e governo.

 

CÂMARA

André Moura também terá um encontro hoje com o presidente da Câmara, vereador José Ramos da Silva (Zeca), do PSB. André vai colocar a Secretaria Metropolitana à disposição dos vereadores de Aracaju, já que ela terá uma atuação na capital.

 

MUDANÇA

O deputado João da Graça permanece no PMN, onde sempre esteve, e vai conversar com o novo presidente da legenda, Nelson Araújo, para ver como é que fica. João da Graça recebeu propostas do PSC e do PTdoB para filiação, mas está pensando. O deputado José Milton é que se transferiu para o PSL.

 

CANDIDATO

“Rôla” volta à cena política. Será candidato a deputado federal em 2006 pelo PSL, partido que tem o comando do deputado estadual José Milton. O partido pretende lançar candidatos a todos os níveis e vai colocar “Rôla” como a cabeça de chapa para a Câmara Federal. 

 

SUKITA

O prefeito de Capela, Sukita (PSB), confirmou que segue orientação do senador Antônio Carlos Valadares (PSB): “no palanque que ele estiver, com certeza eu estarei”, disse. “Não posso jamais abandonar o meu pai na política, porque não conseguiria dormir”, disse Sukita, desfazendo boatos que estaria trocando de legenda.

 

CONVERSA

Sukita diz, entretanto, que não se recusará a conversar com o governador João Alves Filho (PFL), toda vez que for necessário. “Acho que é natural o entendimento com o governador do estado, porque temos questões administrativas a tratar”, entende Sukita.

 

EXPLICAÇÃO

O PSB explica que o nome do filho do senador Valadares, não leva Júnior no final. È Valadares Filho e será candidato a deputado estadual. A explicação do PSB é para não confundir, porque existe um cidadão que se chama Júnior Valadares e foi candidato a vereador, sem nenhum vínculo com o partido.

 

 

Notas

 

DESAFIO

“Sempre tive vontade de ter um confronto eleitoral com a figura de Marcelo Déda, que está agora me desafiando publicamente”, disse o governador João Alves Filho, referindo-se à declaração do prefeito de que o povo hoje quer Déda versus João. Acrescenta que só vai se preocupa com o pleito em junho de 2006. Coincidentemente, João Alves diz que nunca pensou em outro candidato que não fosse Marcelo Déda. “Se tivesse de escolher com quem disputar eu não escolheria outro que não fosse ele”, concluiu João Alves.

 

E-MAIL

O bancário aposentado Gilson Costa, através de e-mail, para perguntar: “o quê tem feito o deputado federal João Fontes pelo PDT”? E continuou: “tem filiado nomes com alguma densidade eleitoral, com referência na sociedade? Tem tomado deliberações de interesse público ao assumir o partido?” Gilson ainda pergunta: “o que sobrará no PDT caso Almeida Lima consiga o comando do PSDB? Na Assembléia Legislativa o PDT vota de acordo com o programa do partido, coerente, zeloso com o patrimônio público”?

 

ASSALTOS

Ser gerente de banco se tornou uma profissão de risco. Isso tem sido comprovado pólos assaltos a agências bancárias, quando os gerentes são seqüestrados de suas casas para vir, forçosamente, ajudar aos assaltantes, como aconteceu ontem em Lagarto, em que várias pessoas foram feridas e houve alguns mortos. O gerente, a filha e a sogra foram seqüestrados e os bandidos trocaram tiros com a polícia em frente a agencia do Banco do Brasil. Os assaltantes fugiram e deixaram o gerente, mas levaram a sogra e a filha.

 

 

É fogo

 

O deputado José Milton ainda não falou com o governador João Alves Filho sobre a sua decisão de deixar o PFL.

 

José Milton assinou a ficha do Partido Social Liberal (PSL) e será o presidente regional da legenda.

 

O deputado Luiz Garibalde (PDT) desmente que esteja agindo nos bastidores para presidir o partido no estado.

 

Luiz Garibalde disse que tem um bom relacionamento com o deputado federal João Fontes e que não pretende deixar a legenda para disputar a reeleição por outro partido.

 

O deputado Francisco Gualberto (PT) espera que os trabalhos na Assembléia Legislativa sejam mais rápidos e que os projetos não demorem muito nas comissões.

 

O deputado estadual Antônio Santos (PSC) está preocupado com o caos em que se encontra a BR-101 na área em que corta Sergipe.

 

O Hospital de Socorro vai fechar por falta de pacientes. O secretário municipal de Saúde, Job Carvalho, busca uma alternativa, para que a população não tenha prejuízo.

 

O fechamento por falta de paciente é estranho, porque geralmente os hospitais fecham por falta de equipamento para atender a população.

 

O Senac realiza, em um hotel da orla, o primeiro módulo da III Oficina de Marketing que fará uma abordagem sobre o monitoramento de concorrências e técnicas de vendas.

 

O depoimento do deputado José Dirceu (PT) no Conselho de Ética da Câmara foi assistido por todo o Brasil. As vitrines das lojas nunca tiveram tantos expectadores.

 

O Itaú fechou o primeiro semestre com lucro recorde de R$ 2,475 bilhões. O montante é 35,6% superior ao dos primeiros seis meses de 2004, que somou R$ 1,825 bilhão.

 

O presidente Lula assinou o projeto de lei que prorroga até 2009 o desconto do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para taxistas e portadores de necessidades especiais.

 

brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários