Discurso de vítima

0

É voz corrente em Sergipe que a exoneração do superintendente da Caixa Econômica Federal, Luciano Pimentel, foi a gota d´água que faltava para o PSB sair da coligação PT/PMDB e iniciar carreira solo. Desconfortável na base governista desde a pré-candidatura a presidente do pernambucano Eduardo Campos, o senador Antônio Carlos Valadares teria encontrado o discurso certo para abandonar o barco comandado agora pelo governador Jackson Barreto (PMDB). Alegando ter sido traído pelo PT, o líder do PSB sergipano tenta vestir o figurino de vítima para, caso encontre apoio de setores da oposição, colocar seu nome na disputa pelo governo de Sergipe. A estratégia resultaria na perda de alguns cargos federais e estaduais, mas o deixaria bem com o PSB por montar o palanque para o presidenciável e, de quebra, arriscaria se eleger governador.

PT nega

Em nota de esclarecimento, o PT sergipano nega ter solicitado à ministra Ideli Salvatti a exoneração do superintendente da Caixa, Luciano Pimentel. A executiva petista lembra os compromissos com a aliança que elegeu em 2010 o governador Marcelo Déda (PT), o vice Jackson Barreto (PMDB) e o senador Antônio Carlos Valadares (PSB). Também cita o apoio à candidatura de Valadares Filho a prefeito de Aracaju e reafirma o desejo de “manter o projeto de unidade que tem ajudado a transformar Sergipe e o Brasil”.

Muito estranho

Os três jornais de Aracaju publicam hoje “reportagens” idênticas sobre o criminoso aterro do rio Sergipe. Embora poucas pessoas tenham sido ouvidas, as “matérias” informam que a população defende o crime ecológico patrocinado pela Prefeitura. Um dos “entrevistados” chega ao cúmulo de afirmar que o estudo de impacto ambiental é desnecessário. Como perguntar não ofende, quanto teria custado aos cofres públicos as “reportagens” gêmeas, feitas com o objetivo para ludibriar o Judiciário?

Bola da vez

São fortes os comentários nos corredores da Prefeitura que o médico Antônio Samarone (PPS) substituirá a secretária da Saúde, Goretti Reis (DEM). Há quem garanta que, desde a recente filiação ao PPS, o ex-petista Samarone vem sendo sondado para ocupar cargo importante na Prefeitura. Caso ele não aceite a Saúde, pode ir para a SMTT, posto que ocupou na administração do comunista Edvaldo Nogueira.

E aí, MP?

Quando será que o Ministério Público vai se manifestar sobre o Pré-Caju? Estranho que até agora o MPE não tenha dito nada sobre a documentação entregue pelo Movimento Participe Aju denunciando irregularidades da prévia carnavalesca. Caso demore mais um pouco, será tarde demais, pois o Pré-Caju acontecerá nos próximos dias.

Pente fino

E o Ministério Público Estadual vai passar por uma inspeção processual, administrativa e financeira já no início de fevereiro de 2014. Durante uma semana, técnicos do Conselho Nacional do Ministério Público farão um verdadeiro pente fino no MPE.

Excomungados

Nos últimos dias, marginais têm elegido templos religiosos como alvo para seus ataques. Montado em um cavalo branco, um safado invadiu a Igreja Presbiteriana, no bairro Sol Nascente, em Aracaju, e roubou o teclado. Os fiéis ainda tentaram contê-lo, mas o bandido conseguiu fugir à galope. Ontem, a Polícia apreendeu um menor acusado de furtar vários objetos na casa paroquial de Socorro. Os dois deviam estar com o diabo no corpo. Credo em cruz!

Exigência

Os diretórios dos partidos políticos que quiserem receber doações eleitorais devem abrir conta bancária específica para essa finalidade. Para solicitar a abertura da conta, a legenda precisa gerar no Portal do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) um requerimento. Após a abertura da conta, o partido poderá arrecadar recursos para a campanha, devendo emitir recibo eleitoral referente a cada doação.

Briga suja

As empresas Estre Ambiental e Torre estão brigando pelo lixo de Aracaju. Na licitação aberta pela Prefeitura, a primeira fez melhor oferta financeira, mas a Torre recorreu à Justiça para impedir a vitória da concorrente. No mandado de segurança, a reclamante argumenta que a licitação foi restritiva visando beneficiar a Estre, que já recebe em seu aterro sanitário o lixo produzido em Aracaju. Taí uma briga suja e fedorenta!

Do baú político

A eleição de Antônio Carlos Valadares para o governo de Sergipe em 1986 deve-se muito ao rompimento de Jackson Barreto com o PMDB. Contrariado porque a convenção peemedebista homologou a candidatura de José Carlos Teixeira, e alegando ter que retribuir o apoio do governador João Alves Filho à sua eleição para a Prefeitura de Aracaju, Jackson decidiu apoiar o candidato do PFL. Até então patinando nas pesquisas, superando apenas a pouco conhecida petista Tânia Mágno, Valadares ganhou musculatura depois do apoio de Jackson. É claro que contou muito a força da máquina estatal pilotada por João Alves Filho. Numa das campanhas mais disputadas de Sergipe, Valadares derrotou o favorito José Carlos Teixeira, tendo sido o único governador eleito pelo PFL em todo o país. Dois anos depois da eleição, Jackson e Valadares brigaram feio por causa da intervenção na Prefeitura da capital.

Resumo dos jornais

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais