Discussões sucessórias

0

O prefeito de Aracaju, Marcelo Déda (PT) está começando a conversar sobre o que ele chama de pré-candidatura à reeleição. Está procurando primeiramente a militância, para colocar o seu nome à disposição do partido. Evidente que se trata apenas de praxe que o Partido dos Trabalhadores sempre adotou para a escolha de candidatos, porque o nome de Déda, para continuar à frente da Prefeitura, é uma unanimidade dentro do partido. É possível, entretanto, que ele encontre uma certa resistência em relação ao companheiro de chapa majoritária, porque há um grupo dentro do PT que resiste a qualquer tentativa de uma mistura partidária. A defesa do puro sangue decorre da certeza de que Déda deixará a Prefeitura seis meses antes do pleito de 2004, para disputar o Governo do Estado e os mais radicais acham que não adianta Marcelo Déda manter o PT à frente da Capital, para entrega-la a qualquer outra legenda. O prefeito Marcelo Déda disse que já está bem preparado para isso. Sabe da existência do movimento de um grupo que não gostaria de ver o PT entregar a Prefeitura a outro partido e que deve conversar com o pessoal para mostrar que a sigla hoje convive com um bloco coeso, confiável e que defende os mesmos princípios petistas. Déda vai levar isso aos seus companheiros e deixar claro que não vai aceitar, de nenhum dos membros que forma a coligação, disputar 2004 pensando exclusivamente em 2006. Deixa bem claro que vai conversar com todos os segmentos que formam o grupo de oposição e deixará absolutamente acertado que poderá até recuar de disputar a reeleição, caso os interesses do pleito deste ano resvale para a perspectiva de uma candidatura ao Governo e a ânsia de administrar Aracaju por 2 anos e seis meses. Tudo será feito com relação a 2004, sem qualquer vinculação com 2006. O objetivo de Marcelo Déda, a princípio, é fazer uma campanha de mais quatro anos de administração. Uma disputa pelo Governo do Estado será uma outra história que precisa ser decidida com calma e dentro de outra orientação partidária. Quem tiver antecipando 2006 através da disputa de 2004 pode sofrer alguma frustração. Ontem, por exemplo, um político influente estava consultando algumas pessoas, para saber se o ex-prefeito João Augusto Gama (PTB) estava conversando com os presidente dos demais partidos que integram a coligação, para que todos propusessem o seu nome como vice na chapa de Marcelo Déda. O presidente regional do Partido Liberal, deputado federal Heleno Silva, disse que em nenhum momento recebeu qualquer apelo do ex-prefeito Gama para ser indicado como vice. A curiosidade demonstra que haverá uma disputa, interpartidária, para buscar o lugar que hoje é ocupado por Edvaldo Nogueira (PCdoB), a quem o prefeito Marcelo Déda dá demonstrações de que gostaria de continuar tendo-o no lugar que está. Evidente que desta vez será muito mais difícil, porque se trata de uma composição bem mais ampla do que a de 2000. Mas todos podem ficar certos: quem vai escolher o vice será o prefeito que disputará a reeleição. O motivo é simples: só Marcelo Déda terá condições de chegar à Prefeitura pela oposição, esnobando uma certa tranqüilidade. Agora chegou a vez do PMDB. Semana passada, Marcelo Déda demonstrou interesse em conversar com o presidente regional do partido, Benedito Figueiredo, que está animado a ter um candidato na disputa pela Prefeitura de Aracaju. Na visão de Déda, o PMDB agora é aliado do Planalto, inclusive com uma boa fatia no Governo Federal. Ganhou Ministérios e também poderá administrar algumas repartições públicas em Sergipe. O deputado federal Jorge Alberto, por exemplo, está atrás de sua parte nesta divisão que vem de Brasília. Ontem, no final da tarde, Benedito Figueiredo considerou boa essa intenção do prefeito de Aracaju e já disse que o receberá de braços abertos: “serei todo ouvidos”. Benedito também deixou claro que não faz restrição a ninguém, mas que não poderá definir sozinho, porque tudo depende da cúpula. Ao mesmo tempo lembra que o seu partido em Sergipe integrou, e ainda integra, o grupo de apoio ao Governo João Alves Filho. Marcelo Déda sabe bem disso, mas na sua avaliação não custa nada conversar, afinal essa é a essência para qualquer entendimento político. REUNIÃO O presidente regional do PMDB, Benedito Figueiredo, o secretário geral Augusto Bezerra e o deputado federal Jorge Alberto vão se reunir amanhã para discutir a sucessão de Aracaju. O encontro estava marcado para ontem, mas Jorge Alberto chegou com dor de cabeça. Jorge pode ser candidato à Prefeitura. POSIÇÃO O deputado Augusto Bezerra (PMDB) diz que têm uma posição definida em termos políticos. Acha que o partido deve lançar candidato, mas que seja atrelado ao governador João Alves Filho. “Fui para João Alves como projeto de Governo e não tenho o menor interesse em quebrar isso”, disse Augusto Bezerra. COMISSÃO Amanhã será realizada a primeira reunião da Comissão de Ética da Assembléia Legislativa, para julgar o caso Gilmar Carvalho. O presidente da Comissão, Augusto Bezerra, vai expor as razões da abertura e deve indicar o relator para iniciar os trabalhos: deputados Antônio dos Santos ou Arnaldo Bispo são os mais cotados. OPOSIÇÃO Os deputados da oposição que integram a Comissão de Ética não estão querendo participar como relatores, porque consideram que não foram atingidos pelas declarações do deputado Gilmar Carvalho. Mesmo assim, Augusto Bezerra poderá tentar convencer a Ulices Andrade a ser o relator, já que ele se saiu muito bem no caso João das Graças. PREFEITOS O governador João Alves Filho reuniu-se, ontem à noite, com os prefeitos de municípios de regiões atingidas pelas enchentes. Estavam presentes parlamentares e a vice-governadora. O objetivo foi relatar a reunião que teve com o ministro da Integração Regional, Ciro Gomes, e adotar providências em relação aos municípios atingidos pelas chuvas. REUNIÃO O encontro do governador João Alves Filho com o ministro Ciro Gomes não foi fácil e houve discussões que provocaram um clima muito tenso. Como as decisões vão passar apenas pelo Governo Federal e a demora nisso é vital, João Alves vai explicar tudo isso aos prefeitos. EDUARDO O secretário da Saúde, Eduardo Amorim (PFL), considerou que o povo de Itabaiana, sua cidade, está cansado e deseja mudanças na estrutura política. Disse que não pode andar pelas ruas de lá que o povo lhe pede, “pede amor de Deus, que seja o candidato”. Acha que a população está querendo mudar. DECISÃO O secretário José Amorim acha que não será o escolhido pelo governador João Alves Filho para disputar a Prefeitura de Itabaiana, porque se trata de uma decisão política. Indiretamente, Eduardo demonstra vontade, mas evidente que a escolha caberá exclusivamente ao governador: “se ele me convocar eu vou”, disse. GAGAU Um delegado influente na cúpula da Secretaria da Administração, disse que Gagau não conhece nada sobre o crime de Joaldo Barbosa, até porque estava preso quando do deputado foi assassinado. Garante que será uma decepção o seu depoimento, porque todo que ele sabe do crime de Joaldo foi contado pelo detendo “Compadre”. SILÊNCIO O governador Albano Franco (PMDB) veio do Recife para participar do sepultamento de Luiz Passos e está evitando falar sobre política. Não quis fazer nenhum comentário sobre o discurso de Almeida Lima, mas disse que teria sido prudente que ele ouvisse o líder do PDT e mostrasse o que tinha. DIVISÃO O ex-prefeito Jerônimo Reis (PTB) disse ontem que desconhece qualquer divisão em seu grupo político e que o nome mais cotado é o de Zezé Rocha para a reeleição. Segundo Jerônimo, se Zezé Rocha não for candidato é que se complica. Acrescenta que só Jorge Prata está discordando da candidatura, “mas ainda espero que ele entenda”. Notas SUSANA A deputada estadual Susana Azevedo (PPS) mantém firme sua pré-candidatura à Prefeitura de Aracaju e deixa claro que pretende o apoio do Governo do Estado, por considerar que é um dos nomes que tem melhor condição de enfrentar a oposição. Ela acha que chegou a vez a vez de uma mulher administrar Aracaju. Em relação ao Candidato a vice de sua chapa, Susana Azevedo vai ter que esperar as definições de apoio. Se for candidata de consenso do grupo, o companheiro de chapa sairá de um dos partidos aliados. PEDRNHO O secretário de Turismo, Pedrinho Valadares (PFL) já está arrumando as gavetas para deixar a Pasta dia 3 de abril, data limite para a desincompatibilização, que lhe dá direito a disputar a Prefeitura de Aracaju. No dia 2, entretanto, Pedrinho participa da inauguração da primeira etapa da orla. Pedrinho Valadares anda em silêncio com relação a sua candidatura, porque deseja que o governador João Alves Filho anuncie o nome que disputará pelo PFL e que demonstre como serão feitas as composições. FABIANO O deputado estadual Fabiano Oliveira (PTB) diz que a questão da sucessão municipal deve ser discutida pelo presidente regional do partido, deputado federal Jackson Barreto. Adianta que não está na luta para ser o vice, mas que deseja espaço político e ver o partido presente na disputa. Esta semana, Fabiano e Jackson conversam. Como presidente municipal do PTB, Fabiano Oliveira disse que vai reunir os candidatos à Câmara Municipal para discutir composições. Ele também vai a Brasília para uma reunião com o ministro do Turismo. É fogo Em comparação a fevereiro do ano passado, este ano, o Estado deixou de arrecadar menos 24 milhões de reais do Fundo de Participação dos Municípios. Os feriados, fechamento de trechos da BR-101, foram alguns problemas que afetaram seriamente o FPM. O deputado estadual José Milton quer que o irmão, João de Zé de Dona (PFL) como candidato a prefeito, com o apoio de Luciano Bispo (PMDB). José Milton já disse que se o PFL não indicar o irmão a família não deixará de participar das eleições majoritárias e pode até apoiar a deputada estadual Maria Mendonça (PSDB). O prefeito de Itabaiana, Luciano Bispo, tem evitado comentar declarações do deputado José Nilton (PFL) de que não apóia sua candidatura. A deputada Ana Lúcia (PT) vem fazendo de tudo para convocar o secretário da Educação, Gilmar Mendes, para a Comissão do setor na Assembléia Legislativa. A deputada Ana Lúcia quer que o secretário da Educação explique as razões de várias escolas não terem professores para o ano letivo. Está havendo um retardamento nas discussões sobre sucessão municipal, em razão dos problemas ocorridos no Estado. Só amanhã é que os funcionários contratados a Cargo em Comissão é que vão receber salário referente ao mês de fevereiro. O atraso ocorreu por determinação do governador João Alves Filho, para forçar a redução de 30% no pagamento desse pessoal. A Receita Federal liberou ontem, às 15 horas, a consulta ao terceiro lote residual do Imposto de Renda Pessoa Física 2003, ano base 2002. A produção de grãos no Nordeste deverá crescer 30% deste ano, o maior salto da agricultura brasileira, segundo projeções do IBGE. O Nordeste representa hoje a quarta maior produção agrícola do país, com 10,4 milhões de toneladas de grãos. Por Diógenes Brayner brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais