DISCUTE-SE PARTIDO

0

O deputado federal não reeleito Bosco Costa (sem partido) está conversando com lideranças políticas que deixaram o ninho tucano e com aqueles que vão deixar, como é o caso do deputado estadual Ulices Andrade, ainda no PSDB mas já de malas prontas para o desembarque. Muitas conversas estão acontecendo e algumas previsões sendo feitas, para que ninguém dê passo errado nessa nova definição. Uma coisa está bem delineada: o bloco se manterá unido e ingressará em uma legenda que tenha representação política expressiva, com capacidade de influenciar nas decisões e tomar atitudes respeitadas e respeitosas.

Ontem à tarde, analisando um processo em seu gabinete parlamentar, em Brasília, o deputado federal Bosco Costa foi objetivo: “estamos trabalhando para ir em bloco para um partido que pense grande. Muito grande”. O que se pode imaginar e esperar de uma legenda política que “pense grande”? Bosco Costa responde: “será o partido que tenha condições de lançar candidatos de vereador a governador”. A impressão é que o deputado ainda não esqueceu o desconforto de ter que deixar o PSDB, em junho passado, porque a sigla não topou lançar uma chapa majoritária puro sangue para as eleições de outubro. Até o momento, não há qualquer legenda à vista para o grupo que deixou o tucanato, porque o pessoal está aguardando a conclusão das fusões, para tomar uma posição.

O deputado estadual Ulices Andrade, que também comanda as conversas para manter o pessoal unido em torno de um único partido, já avisou que não entrará em qualquer sigla que contrarie a administração do governador eleito Marcelo Déda (PT). É uma decisão anunciada por ele, da qual não pretende abrir mão. Ulices manteve-se no PSDB, votou em Geraldo Alckmin para presidente da República, mas ficou com Marcelo Déda para governador do estado. No segundo turno comunicou, com naturalidade, que não votaria em Geraldo Alckmin: “não posso votar em nenhum candidato a presidente que possa ser obstáculo para o futuro governador”, disse ele durante conversa com o deputado federal eleito Albano Franco.

Ontem pela manhã, durante entrevista ao radialista Fábio Henrique, Marcelo Déda declarou que o deputado federal Bosco Costa vai integrar a sua equipe. “Não houve convites”, revelou o parlamentar, antecipando que terá uma conversa com o futuro governador, exatamente para revelar essa decisão de integrar um partido que tenha posições firmes e pense grande. Quando deixou o PSDB, o primeiro convite que recebeu, para ingressar no Partido dos Trabalhadores, foi de Marcelo Déda. O senador Antônio Carlos Valadares (PSB) também o queria na legenda e, mais recentemente, o PTB, através do deputado federal Jackson Barreto, o chamou para assinar a ficha de filiação. Conversou com todos e recusou. Agora está esperando ver como fica o quadro político, convocar todo o grupo de ex-tucanos e analisar a melhor legenda para acomodação.

Segundo o deputado estadual Jorge Araújo (sem partido e não reeleito), Bosco Costa ainda acredita na aprovação da reforma política para este ano. Poucos acham que isso aconteça. As mudanças que a sociedade reclama são profundas e cada legenda pensa traçar forma diferente para transformar a legislação partidária, acabar ou não com a reeleição, determinar um mandato de cinco anos, buscar a fidelidade, cuidar do financiamento de campanha, enfim, criar um processo menos vulnerável ao suborno e mais rigoroso na questão da corrupção. Tudo sinaliza que a reforma política – vontade de todos os partidos – seja traçada pela próxima legislatura e aprovada depois de densas discussões que cheguem a um modelo que satisfaça à sociedade.

Bosco não está com pressa, mas quem tem mandato, como Ulices Andrade, precisa se definir. Principalmente porque trabalha para disputar a presidência da Assembléia Legislativa, como deseja Marcelo Déda, que já tem 11 deputados na Casa, levando-se em consideração declarações de Valmir da Madeireira (PSC). Com isso é possível que os ex-tucanos filiem-se em uma legenda de força diferente da que pensa Bosco Costa.

 

 

CONVERSA

O governador eleito Marcelo Déda (PT) concedeu entrevista, ontem pela manhã, ao radialista Fábio Henrique, na radio Atalaia.

Ao deixar os estúdios, foi puxado pelo secretário do Esporte e Lazer, Carlos Batalha.Os dois conversaram durante 15 minutos.

 

COORDENADOR

Sobre a coordenação da bancada federal para emendas do orçamento, Marcelo Déda diz que cada governador escolhe o coordenador de sua bancada.

Ressaltou, entretanto, que o deputado José Carlos Machado (PFL) jamais criou obstáculo para ele em qualquer instância. O novo coordenador deve ser o senador Valadares.

 

KÉRCIO

O superintendente da Polícia Federal no Amazonas, Kércio Pinto, teve um encontro com o governador Eduardo Campos (PMDB) em Brasília.

Sobre a questão da Segurança Pública deve tratar na próxima segunda ou terça-feira em Manaus. Kércio está mais acessível à idéia da Segurança no Amazonas.

 

ALBANO

Na festa de aniversário do tucano Geraldo Alckmin, terça-feira, havia fila para entrar no restaurante onde aconteceu a confraternização.

“Ele não ganhou. Se tivesse ganhado a fila estaria em Pindamonhagaba”, brincou o deputado federal eleito, Albano Franco (PSDB), também na fila de entrada.

 

BOSCO

O deputado federal Bosco Costa (sem partido) será aproveitado pelo governador eleito Marcelo Déda em sua equipe de auxiliares.

Bosco foi o primeiro a deixar o PSDB, abandonando uma candidatura ao Senado, por discordar da coligação que o partido fazia naqueles momento.

 

PASSOS

O presidente da Assembléia, Antônio Passos, disse ao governador eleito Marcelo Déda, ontem, que não vota em projetos, “só aconteceu uma vez durante esses quatro anos”.

“Tem opinião que não vota, mas faz muitos votos”, respondeu Déda, que fez uma visita oficial, ontem, à Assembléia Legislativa.

 

TRANSPOSIÇÃO-1

A reunião marcada para ontem entre membros das Assembléias Legislativas de Sergipe, Bahia e Alagoas foi suspensa e será realizada em outra data.

Parlamentares dos três estados concordaram que a reunião seria melhor depois que fosse publicado o novo edital do governo.

 

TRANSPOSIÇÃO-2

O governador eleito Marcelo Déda acha que a transposição das águas do São Francisco é uma situação delicada, que tem de ser discutida amplamente.

Três estados – Sergipe, Alagoas e Minas – são contrário porque querem a revitalização. Outros seis quer a transposição: “é uma questão que vou estar empenhado”, garantiu.

 

SENADO

O senador Almeida Lima (PMDB) fez duras críticas aos meios de comunicação do Senado, que não informou sua posição decisiva para adiar o projeto investigava internautas.

Ontem pela manhã o programa “Bom Dia Brasil” colocou o senador discursando no aparte que fez contra o projeto, enquanto os órgãos do Senado não divulgaram a matéria.

 

ADIADO

O deputado José Carlos Machado (PFL) enviou comunicado aos membros da bancada federal de Sergipe, adiando a reunião para discutir emendas do orçamento.

Como alguns deputados estarão ausente a partir de hoje, ficará para a próxima semana. O senador Valadares (PSB) será o novo coordenador da bancada.

 

ALMOÇO

O deputado federal eleito Albano Franco almoçou ontem com José Pastore, especialista em sociologia do trabalho. Pastore foi assessor de Albano na CNI.

Albano Franco também teve um encontro com o jornalista Hélio Gaspari, com quem conversou sobre a conjuntura política. Depois fez uma visita a empresário Antônio Ermírio.

 

SACO

Segunda-feira passada, em Brasília, Albano Franco fez uma visita ao vice-presidente José Alencar. Quando ia saindo, encontrou-se com o ex-deputado José Dirceu.

Fez-lhe um convite: “quando quiser passar o verão em Sergipe, minha casa está às ordens”. E perguntou: “ou você só vai lá quando é para se hospedar na casa de João Fontes”?   

 

RELATOR

O deputado federal Bosco Costa (sem partido) estava ontem debruçado sobre o processo contra os deputados federais Almeida de Jesus (PL-CE) e Paulo Gouveia (PL-RS).

Bosco disse que está lendo com cuidado todo o processo para não cometer injustiça. Os dois parlamentares estão na relação dos sanguessugas.

 

ATENÇÃO

A coluna Plenário deixará de ser publicada neste portal a partir de sexta-feira próxima. Passará a ser exclusiva do “Correio de Sergipe” e do portal  www.faxaju.com.br.

Plenário esteve cinco anos usando espaço privilegiado na Infonet e deixa de ser publicada através de entendimento com a direção do portal.

 

 

Notas

 

GRACIE

A presidente do STF, ministra Ellen Gracie Northfleet, estará em Aracaju segundo feira próxima. Ela abrirá, às 18h, juntamente com a presidente do TJSE, desembargadora Marilza Maynard, a exposição STF em Brasília. A mostra será sediada no Memorial do Poder Judiciário, na praça Olímpio Campos.

O objetivo é aproximar do público com o órgão máximo da Justiça no país através de uma exposição itinerante. Aracaju é a quarta cidade a sediar a exposição, que já passou pelo Distrito Federal, Rio de Janeiro e por Vitória-ES.

 

ESPAÇO

O presidente do Senado, Renan Calheiros, determinou à Secretaria Especial de Comunicação Social que providencie o levantamento estatístico sobre o espaço ocupado pelos senadores nos veículos de comunicação da Casa, para verificar se existe desequilíbrio no espaço concedido aos senadores.

A decisão de Renan resulta da reclamação feita pelo senador Almeida Lima (PMDB), de que ele e outros senadores da oposição estariam sendo prejudicados pela edição de programas e matérias veiculadas por esses veículos.

 

ENDOSSO

Os senadores Papaléo Paes (PSDB-AP) e Heloísa Helena (PSOL-AL) endossaram a reclamação de Almeida Lima. Papaléo pediu ainda que a TV Senado reprisasse as sessões à noite, no horário habitual de 21h30, para que um número maior de pessoas possa acompanhar o trabalho dos senadores.

O senador Tião Viana (PT-AC) defendeu jornalistas da Casa. Disse que eles não podem ser responsabilizados por eventuais desequilíbrios. Almeida Lima disse que não fez críticas aos jornalistas, mas apenas a quem decide no setor.

 

 

É fogo

 

O governador João Alves Filho (PFL) retorna hoje da viagem que fez a uma praia do litoral pernambucano.

 

Os deputados estaduais conversam muito sobre a formação da nova mesa diretora, apesar do tempo que falta para a eleição da Mesa.

 

Prefeitos de todo Brasil estão chegando em Brasília para trabalhar, junto a seus parlamentares, as emendas para seus municípios.

 

O deputado eleito André Moura (PSC) está sugerindo melhorias na pista que vai da Barra dos Coqueiros até a rótula que dá acesso ao porto.

 

André Moura diz que aos domingos e feriados, depois da construção da ponte, Pirambu passou a ser muito freqüentada e estão acontecendo vários acidentes nesse trecho.

 

O vereador Fábio Henrique não vai deixar o PDT. Diz que não tem motivo para isso e vai continuar fazendo o seu trabalho dentro da legenda.

 

O secretário da Agricultura, Sérgio Reis (PFL), descarta qualquer possibilidade de disputar a Prefeitura de Lagarto. Tem projetos para 2010.

 

Na maioria das cidades do interior, as lideranças já estão falando em sucessão municipal. Depois do carnaval do próximo ano terá campanha na rua.

 

Pessoas nascidas em abril e que têm direito a receber abono salarial e rendimentos do PIS referente ao ano de 2005, podem fazê-lo a partir de hoje.

 

O deputado federal Heleno Silva (PL) continuará trabalhando no alto sertão.Pretende disputar a prefeitura de um dos municípios da região.

 

brayner@infonet.com.br

  

Comentários