E o salário, ó!

0

Enquanto distribui gordos cargos comissionados com políticos e apadrinhados, o governo de Sergipe insiste em afirmar não ter recursos para reajustar os salários dos servidores. O secretário da Fazenda, Jeferson Passos, voltou a repetir ontem que as despesas com pessoal estão acima do limite prudencial e que, portanto, só pode falar em reajuste lá pra junho. Em outras palavras, quem realmente toca a máquina estatal continuará ganhando miséria, apertando o cinto, passando fome. Não há dinheiro para melhorar a vida dos coitados dos servidores justamente porque o governo desperdiça para agradar quem nada faz, como ex-prefeitos, que embolsam uma grana preta apenas para integrar a claque de puxa saco encarregada de aplaudir o chefe. Um absurdo!

Abra o olho

Comenta-se nos corredores da Assembleia que tem gente de olho no cargo do radialista Marco Aurélio (PPS), diretor de comunicação do Legislativo. Segundo o disse-me-disse, padrinhos do interessado no posto estariam tentando convencer o presidente do Legislativo, Luciano Bispo (PMDB), a trocar de diretor. Será?

Boa nova

O Senado aprovou ontem, a Proposta de Emenda à Constituição que fixa novas regras para a incidência do ICMS nas operações de venda de produtos pela internet ou por telefone. O texto estabelece que os estados de destino da mercadoria terão direito a uma parte maior do imposto se o consumidor final for pessoa física. Isso beneficia estados como Sergipe, que não produzem, mas consomem mercadorias. A PEC deve vigorar a partir de 2016.

Recados do PSC

O grupo liderado pelos irmãos Amorim tem mandado insistentes recados ao prefeito de Aracaju, João Alves Filho (DEM). Depois de o deputado estadual capitão Samuel (PSL) dizer que não vota mais no demista, ontem foi a vez do também deputado Valmir Monteiro (PSC) negar apoio à reeleição de João. Será que vão deixar o prefeito sozinho? Que horror!

Homenageado

O ex-governador e empresário Albano Franco (PSDB) foi o grande homenageado pelo Supervendas, aberto ontem no Centro de Convenções de Sergipe. Promovida pela Federação do Comércio de Sergipe, Sindicato de Distribuidores Atacadistas e Associação Sergipana de Supermercados, a feira de negócios deve movimentar cerca de R$ 20 milhões até amanhã.

No prego

Depois dos empresários da construção civil, que acusam a Prefeitura de atrasar pagamentos, agora é a vez da Estre Ambiental confirmar que não recebe há meses pelos serviços prestados. A empresa é contratada para receber o lixo urbano da capital no Centro de Gerenciamento de Resíduos do Rosário do Catete. Em nota, a Estre afirma que “se mantém aberta e tem negociado com a Prefeitura de Aracaju um novo cronograma de pagamentos”.

Pré-requisito

A deputada estadual Ana Lúcia Menezes (PT) só aceita disputar a Prefeitura de Aracaju se a campanha não for financiada pela classe empresarial. Entrevistada pelo jornalista Walter Lima, a petista se disse favorável ao financiamento público das campanhas: “Estou no quarto mandato de deputada e sempre fui eleita com apoio da militância, sem qualquer ajuda de empresas privadas”, explica.

Sukita denunciado

E o prefeito de Capela, Ezequiel Leite (PSC), foi ao Tribunal de Contas do Estado denunciar o ex-prefeito Manoel Messias Sukita (PMDB). Um farto dossiê, com denúncia sobre abertura de empresas fantasmas e desvio de recurso, foi entregue por Ezequiel à conselheira Suzana Azevedo. “Espero que ainda na minha gestão este dinheiro seja devolvido; o prejuízo para o povo de Capela é enorme”, afirma o prefeito. Que tal esperar sentado?

Boa safra

Os empresários do setor sucroalcooleiro sergipano estão satisfeitos com a última safra de cana. Somente a Usina São José do Pinheiro, em Laranjeiras, chegou a moer 1 milhão e 32 mil toneladas de cana de açúcar, algo em torno de 15% a mais do que foi moído na safra anterior. Segundo o empresário Osvaldo Franco, pela primeira vez a São José do Pinheiro ultrapassou casa de 1 milhão de toneladas de cana moídas numa única colheita. Legal!

Mínimo maior

O salário mínimo no próximo ano deve chegar a R$ 854. O valor consta do projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2016. Pela proposta, o mínimo terá aumento de 8,37% a partir de 1º de janeiro. Desde 2011, o salário mínimo é reajustado pela inflação do ano anterior, de acordo com o INPC mais a variação do PIB de dois anos antes. A fórmula, no entanto, só vale até este ano.

Recorte de jornal

Publicado na Folha de Sergipe em 6 de agosto de 1908

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais