Eleição cara

0

As eleições deste ano em Sergipe talvez sejam as mais caras da história. Pelo menos é o que garantem alguns pré-candidatos a cargos proporcionais. Segundo eles, quem não tiver muito dinheiro para gastar vai desistir da empreitada, pois, se insistir, não se elege e fica endividado. E por que será tão caro para se eleger deputado estadual ou federal? Porque os ‘donos’ dos votos estão cobrando uma fortuna pelo ‘curral’ de porteira fechada e, assim mesmo, muitos os vendem para mais de um candidato. A inflação é provocada por pré-candidatos endinheirados, que estão botando preço nos ‘currais’ já apalavrados. Naturalmente, vender votos é crime, porém jamais essa prática deixou de acontecer, principalmente nos grotões do Nordeste, onde a classe política ainda enxerga os eleitores como bois à disposição de quem pagar mais. Uma lástima!

Chapão assusta

A colunista Rita Oliveira publica hoje no Jornal do Dia que o deputado estadual Antônio dos Santos (PSC) teria desistido de disputar a reeleição. Assim como o ex-prefeito de Glória, Serginho Oliveira, o parlamentar cristão teme não se reeleger por conta da formação de um “chapão” com os candidatos de todos os partidos liderados pelos irmãos Amorim.

Dia do Rádio

Comemora-se nesta 13 de fevereiro o Dia Mundial do Rádio, meio de comunicação que ultrapassa todas as outras tecnologias e chega a 95% da população mundial. Embora os chamados ‘pistoleiros da palavra’ o enxerguem como uma ferramenta para tirar proveito político eleitoreiro, o rádio foi concebido para educar e informar. Como bem disse Roquete Pinto, “só existe um meio de ser grato ao rádio: respeitá-lo”.

Maria da Penha

O Superior Tribunal de Justiça decidiu que as medidas protetivas, definidas pela Lei Maria de Penha, podem ser aplicadas em processo cíveis, sem necessidade de inquérito policial. De acordo com o novo entendimento do tribunal, os juízes poderão conceder medidas urgentes para preservar vítimas de violência doméstica, como proibição de ter contato com a vítima. Antes da decisão, as medidas eram válidas apenas em processos criminais.

Injuriado

E o deputado estadual Zé Franco (PDT) não gostou nadica de nada da informação divulgada pelo vereador Jony Marcos (PRB) de que ele teria desistido de disputar a reeleição. “Cuide da sua vida, porque da minha cuido eu”, bradou o parlamentar pedetista. Zé Franco ainda não decidiu se tenta a reeleição ou se arriscar se eleger deputado federal.

Carnalita

O presidente da Vale, Murilo Ferreira, prometeu participar, dia 19 próximo, da audiência pública organizada pela Comissão de Desenvolvimento Regional do Senado para discutir o Projeto Carnalita. A mineradora pode desistir do investimento de R$ 4 bilhões porque o prefeito de Capela, Ezequiel Leite (PR), ameaça negar licença para uso do solo se a usina de beneficiamento do minério for instalada em Japaratuba.

Cervejaria

A Schincariol pretende instalar uma fábrica em Carmópolis. A boa notícia foi dada ontem pelo governador Jackson Barreto (PMDB). Segundo ele, a cervejaria já solicitou à prefeita Esmeralda França (PT) um terreno de 150 mil m² para instalar a fábrica. O peemedebista disse que o governo vai fazer de tudo para que a Schincariol implante uma unidade em Sergipe.

Pedindo apoio

O líder do PSC na Câmara Federal, deputado André Moura, recebeu a visita de dirigentes do Fórum do Setor Produtivo. Foram solicitar o apoio da bancada do PSC aos diversos pleitos preteridos na Câmara dos Deputados. André disse aos empresários que o partido é favorável a todos os pleitos que promovam o desenvolvimento do setor produtivo, a geração de emprego e renda, e impulsione da economia.

Na telinha

Os caçulas dos partidos políticos, Solidariedade e PROS, vão exibir suas propagandas políticas no rádio e na televisão, respectivamente, nos dias 29 de abril e 24 de junho. Segundo definiu a Justiça Eleitoral, os programas das duas novas legendas terão duração de 10 minutos cada.

Do baú político

As brigas políticas travadas entre os líderes itabaianenses Euclides Paes Mendonça (UDN) e Manoel Teles (PSD) assustaram o Estado entre 1945 e 1963. Uma pequena mostra de como era o clima entre os dois, é dada em uma longa carta enviada em 1957 por Manoel Teles ao governador Leandro Maciel (UDN). Entre outras coisas, ele denunciou que “as senhoras amigas de minha esposa são proibidas de freqüentar minha residência, face a ameaça de que, se assim fizeram serão presas”. Em seguida, o queixoso revela que “o suplente de vereador Vital José da Lapa (PSD) foi preso e teve seu rosto cuspido e queimado com charuto pelo próprio deputado Euclides Paes Mendonça”. Mais adiante, Manoel Teles denuncia que “centenas de pessoas, entre mulheres e homens, têm sido presas e humilhadas, a ponto de serem obrigadas a carregar água em latas furadas para a faxina do quartel, tudo a mando do meu adversário”. Em 1963, Euclides foi fuzilado pela Polícia Militar e, anos depois, Manoel Teles foi morto por pistoleiros.

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais