ELEIÇÃO PARA CÂMARA

0

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O analista político Antônio Augusto de Queiroz, antevê, através de matéria inserida no site Congresso em Foco, a renovação dos deputados será superior a 60%. Prevê também redução da bancada do PT e crescimento do PMDB, PFL e PSDB. A crise de imagem do Congresso, particularmente da Câmara dos Deputados, tem desafiado os analistas políticos a antecipar os cenários de renovação e composição partidária da próxima legislatura, a ser eleita em 1º de outubro próximo. Nos prognósticos do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap), da Arko Advice e do cientista político David Fleischer, que fazem um verdadeiro exercício de futurologia, há três consensos: a renovação será grande, o PT será o principal perdedor e o PMDB terá a maior bancada. Sempre com a ressalva de que os prognósticos podem sofrer ajustes, dependendo da política de alianças e da prioridade que as legendas atribuam à eleição proporcional, que deverá considerar a verticalização e a cláusula de barreira, os analistas fizeram suas projeções partindo da premissa de que os partidos serão pragmáticos, inclusive no recrutamento dos candidatos nas convenções. Exceto as divergências sobre a grande redução da bancada do PT, não há nada de espetacular na performance dos grandes partidos, que devem crescer moderadamente em relação à composição atual.

Em relação aos partidos médios (PP, PTB, PL, PDT, PSB), há acordo entre os analistas sobre a tendência de redução das bancadas de direita e centro-direita (PL, PP e PTB) e de crescimento das de centro-esquerda (PDT e PSB) Os primeiros, que se beneficiaram da adesão dos dissidentes dos partidos de oposição, notadamente PFL e PSDB, cresceram artificialmente nesta legislatura e terão dificuldades, em outubro próximo, até para eleger o mesmo número de parlamentares que sufragaram em 2002. Estima-se que o PDT passe de 20 para algo entre 25 e 35 e o PSB de 28 para algo entre 30 e 40 deputados. Uma das razões para esse crescimento do PDT e do PSB seria a migração de votos do PT, que perde eleitores em razão de seu envolvimento com o escândalo do mensalão.

Quanto aos pequenos partidos de orientação ideológica, a avaliação quase unânime é de que PCdoB e PPS crescem, mas o PSol e o PV terão dificuldades para manter suas atuais bancadas, respectivamente de sete e oito deputados cada. Estima-se que o PCdoB passe de 12 para algo entre 14 e 16, e o PPS de 16 para entre 20 e 25. A superação da cláusula de barreira está fora do horizonte desses partidos.

Sobre o índice de renovação, igualmente, é consenso entre os analistas que será muito próximo do da eleição de 1990, que chegou a 62%. Historicamente, os índices de renovação oscilam entre 40% e 60%. Em 1994, foi de 54%; em 1998, de 43%, e em 2002, de 46%. A explicação para uma renovação superior a 50% está associada à decepção de parcela do eleitorado com o envolvimento de muitos parlamentares nos escândalos, tanto do mensalão quanto nas fraudes na aquisição de ambulâncias.

Em conclusão, pode-se afirmar, salvo mudança drástica do cenário, que: a) haverá uma grande renovação, b) o crescimento do PMDB, PFL e PSDB será decorrente da perda de vagas no Parlamento do PTB, PP e PL, e c) o aumento de bancada do PSB, PDT e PPS se dará por herança de parte dos votos do PT.

 

 

FABIANO

O deputado estadual Fabiano Oliveira (PSDB) declarou, ontem, que se sente feliz e lisonjeado com o seu nome aparecendo para ser o vice na chapa de João Alves Filho (PFL).

Adiantou, entretanto, que é candidato a deputado estadual (reeleição): “tenho noção de onde os meus pés alcançam”.

 

ORIENTAÇÃO

Fabiano Oliveira deixou claro que segue orientação do ex-governador Albano Franco (PSDB) e o acompanhará em qualquer decisão.

Fabiano evitou adiantar decisões e antecipou que não participaria da reunião de membros do PSDB de Sergipe com a Direção Nacional, que aconteceu ontem.

 

CONFIANÇA

A questão do empresário Ricardo Franco (PSDB), em procurar indicar um nome para vice que seja inteiramente ligada ao grupo, é de confiabilidade.

A experiência também é importante, mas alguns candidatos à vice não tinham isso quando iniciaram. Ricardo quer participar da escolha.

 

JORGE

O deputado Jorge Araújo (PSDB) considerou ontem de interpretação equivocada a declaração, atribuída a ele, de que tinha uma reeleição difícil.
“Em nenhum momento falei que não me reelejo”, disse e avaliou que precisa de 22 mil votos para reeleger-se. (Plenário mantém a informação anterior).

 

HELENO

O deputado federal Heleno Silva (PL) tem sido sondado pelo PFL para uma composição. Avisou que não poderia falar desse assunto agora.

O Partido Liberal está mantendo uma posição de avaliação e os seus membros gostariam de decidir quando tiver chegando ao final.

 

CONVERSA

O ex-governador Albano Franco (PSDB) informou que não teve encontro com a cúpula do seu partido. Segundo Albano, Geraldo Alckmin esteve em Brasília na terça-feira.

Por telefone, Albano conversou com Tasso e voltou a ouvir dele que o PSDB não permite uma aliança branca com o Partido dos Trabalhadores.

 

COM DÉDA

No final da tarde o ex-governador Albano Franco teve um encontro com o pré-candidato a governador Marcelo Déda (PT) e com o ex-senador José Eduardo Dutra.

Albano Franco relatou para os dois a dificuldade de fechar uma aliança branca com o PT e a impossibilidade de disputar o Senado nessas condições.

 

PREVIA

Em Aracaju um aliado de Albano Franco já havia previsto que a conversa com Marcelo Déda seria para mostrar a dificuldade da aliança.

O mesmo aliado chegou a fazer uma pergunta: “Quem já viu uma chapa majoritária com cada um dos candidatos em palanques diferentes?”

 

JANTAR

Ontem à noite, ainda em Brasília, o ex-governador Albano Franco jantou com o senador Valadares e os deputados Jackson Barreto (PTB) e Heleno Silva (PL).

Plenário não conseguiu apurar o que fora conversado, mas sugere que Albano comunicou a impossibilidade da aliança branca.

 

VOTAÇÃO

O governador João Alves Filho (PFL) já está em Brasília para participar da eleição do nome do seu partido para ser o indicado à vice na chapa de Alckmin (PSDB).

O PFL de Sergipe está fechado com o senador José Agripino (RN), que tem mais afinidade com o estado. O páreo será duro.

 

ALMEIDA

O senador Almeida Lima (PMDB) foi um dos que iniciaram o movimento para lançamento do seu colega Pedro Simon a presidente da República.

Na segunda-feira, depois da convenção que derrubou a candidatura própria, Almeida fez um pool de telefonemas, para iniciar o movimento pró-Simon.

 

ROTEIRO

Almeida Lima fez um roteiro por telefone, a começar pelo ex-governador Antony Garotinho, que lançou o nome de Simon, para presidente, em seu discurso na convenção.

Depois, Almeida falou com Germano Rigoto e com o próprio Simon, sobre sua candidatura. Daí foi para frente a possibilidade do PMDB apresentar candidato.

 

CONTRÁRIO

O Diretório Regional de Sergipe é contra a indicação de candidato a presidente, porque acha que o melhor é ficar livre para fazer composições nos estados.

Em Sergipe, por exemplo, os candidatos proporcionais já estão conversando para composição com outras legendas.

 

 

Notas

 

DÍVIDAS-1

O plenário da Câmara Federal aprovou ontem, por 238 votos a 165, a emenda substitutiva do deputado Nélio Dias (PP-RN) à Medida Provisória 285/06. Com a aprovação da medida fica viabilizada a renegociação de financiamentos de até R$ 50 mil, contratados por produtores rurais do Nordeste.
A emenda recupera a redação final do Projeto de Lei 4514/04, que foi vetado pelo Poder Executivo e permite a renegociação de dívidas dos agricultores de qualquer valor com juros diferenciados, de 1,5% a 5%.

 

DÍVIDA-2

O líder do governo, deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP), defendeu a aprovação do projeto de lei de conversão apresentado à Medida Provisória MP 285/06. A MP abre renegociação de dívidas de até R$ 50 mil de agricultores do Nordeste. Mas a bancada da região se uniu e votou na emenda substitutiva.
Chinaglia criticou duramente a emenda do deputado Nélio Dias, votada ontem como alternativa ao projeto. Segundo ele, o texto dá preferência a 519 grandes agricultores e usineiros e gera um gasto de R$ 7 bilhões.  

 

PROIBIÇÃO

A Comissão de Defesa do Consumidor aprovou ontem o projeto de lei, do deputado Fernando Coruja (PPS-SC), que proíbe as instituições de ensino fundamental, médio e superior de cobrar dos alunos e de seus responsáveis qualquer taxa pelo uso dos estacionamentos, mesmo que arrendados.
O projeto obriga as instituições a contratar seguro contra furto, roubo, incêndio e colisão de veículos em suas dependências. Sem o seguro, as instituições serão obriga das a indenizar o proprietário por danos causados no veículo.

 

É fogo

 

Alguns políticos começam a se agitar para fechamento de alianças, já que se aproxima o junho e as convenções devem ser realizadas até o dia 30.

 

Aliás, políticamente, junho se transforma no mês mais longo em período de eleição. Passa a ter 36 dias.

 

A questão é que as atas das convenções partidárias, que se realizam até o dia 30, podem ser registradas no TRE cinco dias depois, quando ainda ocorrem algumas mudanças.

 

O ex-governador Albano Franco (PSDB) passou a terça-feira no Rio de Janeiro e ontem, depois do meio-dia, viajou a Brasília.

 

Auditores da Controladoria Geral da União estão em Gararu analisando os repasses de verbas federais feitas na gestão anterior.

 

O deputado Walmir da Madereira (PSC) está magoado com o governador João Alves Filho, porque abriu as portas para os Reis.

 

Um grupo de deputados sergipanos participa da 10ª Conferência Nacional dos Legislativos Estaduais, promovida pela Unale.

 

Desse encontro sairá a Carta da Amazônia, para ser entregue aos candidatos a presidente da República, com as idéias que forem discutidas na Unale.

 

Segundo dados preliminares da Receita Federal, 1,136 milhão de contribuintes já caíram na malha fina do Imposto de Renda Pessoa Física, com 85% das ações processadas.

 

Com a operação Branca de Neve, a Polícia Federal deve prender integrantes de uma quadrilha especializada em lavagem de dinheiro.

 

O Ministério da Previdência publicou os nomes das 70.029 pessoas que tiveram os benefícios suspensos por não terem participado do recadastramento.

 

brayner@infonete.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários