ELEIÇÕES: CAMPANHA NAS RUAS

0

As três chapas que disputam as eleições da OAB/SE já estão nas ruas, nos rádios, jornais, televisão e internet. A “praguinha” grudada na gravata e/ou na lapela do paletó demonstra a simpatia dos advogados. Observamos também diversos carros com adesivos que colorem o circuito jurídico do Estado. Na capital e no interior os advogados se multiplicam, falam dos seus candidatos, das propostas e distribuem simpatia como ninguém. Podemos dizer que a advocacia vive momentos de amor com os colegas que nestes 13 dias que antecedem as eleições esquecem o “sarcerdócio” diário e procuram interagir com seus pares esquecendo que nos processos são partes adversas. Advogar seria melhor se todos os anos tivessem eleição na Ordem. Os desembargadores, juízes, promotores e a população em geral também discutem a sucessão opinando sobre o feito.

 

Entretanto, com tantas pétalas jogadas estas duas últimas semanas serão decisivas para as três chapas. Carlos Augusto, Eduardo Macedo e Emília Correia já estão na mídia e precisam difundir suas propostas e, é neste momento que não se furtarão em trocar acusações. É preciso ter muita serenidade, como também, poder de persuasão para com os colegas.

 

Carlos Augusto. Panfletou na Gumercindo Beça, fez algumas visitas, mas ainda sua campanha não decolou. O lançamento da sua candidatura, realizada, quarta-feira, dia 04, em um dos bares mais freqüentados da noite sergipana, com banda de música, cerveja, refrigerante e outros atrativos gratuitos pôde-se notar que havia mais estudantes de direito, que não votam, do que advogados. Os mais apaixonados por Henri Clay, e, hoje, amantes de Carlos Augusto, garantem que ele tem hoje entre 55 a 65 por cento da preferência dos eleitores. Talvez, não estejam contando que o candidato é Carlos Augusto e não Henri Clay que sem dúvidas teria este patamar.

 

Emília Correia. Girenta por natureza, visita os órgãos públicos, fóruns da capital e interior sempre acompanhada por Dílson Lima, o ícone do exame de ordem no Brasil, mas em compensação o grupo ainda continua disperso. O fato é que o desânimo é reinante no seio de sua Chapa. Na panfletagem no Gumercindo, apenas quatro heróis a acompanhava. É algo desanimador, mas que não abala o moral da candidata que distribui simpatia a todos e acredita muito em sua vitória.

 

Eduardo Macedo. Realizou uma série de entrevistas com serenidade nas rádios da capital e interior, lançou um blog e visitou escritórios. Na próxima semana Macedo vai faculdades e órgãos públicos em busca de apoio dos advogados. Por outro lado sua vice, Aída Campos, faz campanha direta com outro grupo para arregimentar votos.

 

NOVOS ADVOGADOS. A eleição da seccional da Ordem será decidida por advogados com menos de cinco anos de formados, que representam 40% dos aptos a votar. É preciso que os candidatos trabalhem bem esse público e concentraram suas propostas no jovem advogado, parecidas para essa importante parcela do eleitorado. Essa informação é guardada a sete chaves e precisar ser mais difundida. Projetos como a abertura de linhas de crédito com juros baixos para montar o primeiro escritório; banco de currículos no site da OAB; incentivo para participar de comissões temáticas da OAB; e campanha junto ao Congresso Nacional para derrubar a cláusula de barreiras que impede advogados com menos de cinco anos de formados de participar de eleições da Ordem. Prestem atenção neste filão.

 

POSSE NO TRE. O juiz de direito Anselmo Oliveira tomou posse no Tribunal Regional Eleitoral, ontem, dia 05, em uma solenidade simples, mas marcada por emoções. O discurso de boas vindas foi feito pelo juiz eleitoral Álvaro Fraga, sendo depois acompanhado pelos juízes Napeão, Gilson Feliz, desembargardor Luís Mendonça e do procurador eleitoral Paulo Guedes. Estiveram presentes o deputado Armando Batalha, o secretário de Saúde Rogério Carvalho dentre outras autoridades.

 

Dica de livros

Editora Saraiva: AUDIOLIVRO: INGLÊS JURÍDICO PARA PROFISSIONAIS, de Marina Bevilacqua De La Touloubre, o inglês é o idioma eleito pela grande maioria dos profissionais da área jurídica e de negócios para servir à sua comunicação no ambiente internacional, com 80 min, custa R$ 24. /// O livro CONDOMÍNIO EDILÍCIO, de Carlos Alberto Dabus Maluf e Márcio Antero Motta Ramos Marques, com linguagem clara e didática, esta obra trata do condomínio edilício, que foi regulamentado pelo Código Civil de 2002, com 248 páginas. Custa R$ 53,00. /// A obra EXECUÇÃO DE BENS DOS SÓCIOS – OBRIGAÇÕES MERCANTIS, TRIBUTÁRIAS, TRABALHISTAS, de Amador Paes De Almeida, encontra-se de acordo com o novo Código Civil – Lei n. 10.406/2002 – e trata das sociedades comerciais, obrigações mercantis, tributárias, previdenciárias e trabalhistas, destacando a desconsideração da personalidade jurídica e a responsabilidade dos sócios e dos administradores, com 296 páginas, custa R$ 68. /// O NOVO COSTITUCIONALISMO NA ERA PÓS-POSITIVISTA, Homenagem a Paulo Bonavides de Lenice S. Moreira de Moura (Org.), trata-se de uma obra reúne as contribuições dos conferencistas, palestrantes e coordenadores científicos presentes no I Congresso Brasileiro de Direito e Processo Constitucional, com 456 páginas, custa R$ 88.

 

 

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários