Eleições e internet

0

A internet ainda não pegou nas eleições brasileiras. Pelo menos, não como no modelo visto nos Estados Unidos em anos recentes, com milhões de pessoas fazendo campanha e doando dinheiro para seus candidatos.

 

O Datafolha apurou que apenas 7% dos eleitores se informam a respeito de quem são os candidatos por meio da rede mundial de computadores. Como passam de 70 milhões os brasileiros conectados, é possível inferir com alta dose de acerto que as pessoas usam a internet para muitas coisas, mas só uma parcela diminuta elege essa plataforma como ferramenta para formar juízo sobre os políticos.

 

Há várias hipóteses para explicar esse cenário. Uma das mais plausíveis é a incapacidade dos próprios políticos de usar a rede com eficiência. Até este ano, trabalhar com internet em eleições restringia-se a ter um site alimentado por assessores. Há também os candidatos especializados em perder eleitores mandando toneladas de e-mails a respeito do último comício realizado no interior.

 

Essa estratégia conservadora, quase analógica, está mudando. Alguns candidatos passaram a filtrar mensagens enviadas, direcionando-as a públicos específicos. Essa tarefa é difícil. Um político pode precisar atingir no interior de São Paulo jovens de 18 a 25 anos, com faixa de renda até 10 salários mínimos. Como encontrar esse público na web? Os partidos passaram anos sem fazer nada que se aproxime de um banco relacional de dados sobre seus militantes.

 

Quem tem essas informações são algumas redes de farmácias e supermercados. As listagens não estão à venda. Políticos nos EUA como Barack Obama passaram quase dois anos montando seus bancos de dados de e-mails. Aqui, esse movimento acaba de começar. Surtirá algum efeito nas eleições municipais de 2012. Ou, mais provável, só na sucessão presidencial de 2014. (Fernando Rodrigues, na FSP, de sábado, 31).

 

Sergipe é destaque na rede

Neste início de campanha em Sergipe é preciso considerar que o candidato Marcelo Déda vem trabalhando bem na Internet, principalmente nas redes sociais. A assessoria do candidato montou uma excelente estrutura e dificilmente outro candidato vai superar o trabalho que está sendo realizado na Internet.

 

Comitê da Unesco

Na comitiva de Sergipe que encontra-se em Brasília esperando a votação do comitê da Unesco sobre a inclusão da praça São Francisco, em São Cristovão, como patrimônio histórico da humanidade, o secretário da Casa Civil, Oliveira Junior. Ele ficou admirado com o grande número de representantes de todos os países, cerca de 180. Apenas 21 têm voto no comitê. Ficou para o sábado, a votação da Praça São Francisco.

 

Apoio do Ministério das Relações Exteriores

Além do trabalho realizado pelo governo estadual, Sergipe vem contando com toda ajuda do governo brasileiro, em especial do Iphan e do Ministério das Relações Exteriores, cujo ministro, Celson Amorim, é filho de sergipanos. Hoje a diplomacia brasileira, por conta de sua posição centralizada, conquistou um grande respeito em todo mundo, tendo espaço com todas as lideranças mundiais.

 

João Alves no Shopping Riomar

Na sexta-feira, 30, às 21h20 o candidato João Alves Filho, ao lado do candidato ao senado, José Carlos Machado e do vereador Nitinho, passeavam pela praça de alimentação do shopping Riomar. Foram visitar o ex-secretário Lindemberg Lucena, que é o proprietário da “Girafas” em Sergipe.

 

João: “Nunca houve um governo tão incapaz”

Ao ser entrevistado na rádio Jornal AM (que está realizando entrevistas com todos os candidatos ao governo) o candidato do DEM, João Alves Filho disse na última sexta-feira, 30, que “nunca na história de Sergipe houve um governo tão incapaz como o atual”. Ele citou como exemplos, a falta de água, a insegurança, a saúde e outros setores.

 

Registrando propostas

João disse que pretende na próxima semana registrar em cartório suas propostas de governo e finalizou rebatendo acusações feitas pelo governador Marcelo Deda de que ele (João) era um gastador: “Sou gastador, mas bom pagador”. Acrescentou que, se não tivesse respeitado a Lei de Responsabilidade Fiscal, não conseguiria se candidatar. “Eu estaria agora respondendo a processo e não poderia sequer ser candidato. Trata-se de uma inverdade facilmente contestável”.

 

Conversa de João com prefeitos

O radialista Gilmar Carvalho publicou no site Nenoticias, matéria informando que João Alves vem se encontrando com alguns prefeitos e, entre outras coisas, vem dizendo que não fará como Déda que quase sempre se comunica com aliados por e-mails, mas sim como sempre fez através de audiências no palácio.

 

Falta de Convênios

Ainda na matéria, é informado que o ex-governador defendeu que sejam firmados convênios diretos com as prefeituras para algumas obras. Para evitar “embaraços” para os prefeitos, João sempre diz que não é preciso que eles assumam o apoio publicamente. Em alguns casos, segundo as mesmas fontes, ele pede “apenas” que o prefeito não se empenhe na campanha à reeleição do governador Marcelo Déda (PT).

 

Senador do Negão? E Cacho, murchou?

Não é só na coligação de Déda que existem problemas com as candidaturas ao senado e as lideranças, na coligação do ex-governador João Alves algumas lideranças, principalmente do PPS, estão chateadas com o slogan de Machado, que tenta isolar Emanuel Cacho da disputa. “Machado, o senador do Negão”, passa para os eleitores que João Alves só tem um candidato. E aí Cacho? Estão querendo murchar sua candidatura dentro da própria coligação.

 

A todo o vapor

A assessoria de Machado informou que a campanha do candidato ao dele engrenou e está em ritmo acelerado. Ele participou da posse do novo prefeito de Riachão, na sexta-feira, 30, e logo após, a tarde, participou de uma reunião no conjunto João Alves Filho com Antonio Rodrigues da Paixão, o Tonho da Caixa, ex-prefeito de Socorro. “Agora, nossa campanha começa a esquentar. Estamos com a agenda cheia, visitando as lideranças aliadas e indo ao encontro de nossos eleitores”, explica José Carlos Machado.

 

Praça São Francisco

 Até o dia 03 de agosto a secretária de Estado da Cultura e presidente do Fórum Nacional de Secretários e Dirigentes de Cultura, Eloísa Galdino, estará em Brasília, onde participa da 34ª sessão aberta pelo Patrimônio Mundial da Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), defendendo a candidatura da Praça São Francisco, em São Cristóvão, como Patrimônio Histórico da Humanidade. “Desde o ano de 2007, Sergipe comemora a aceitação da UNESCO na candidatura da Praça que já é considerada patrimônio sergipano. Agora, chegou o momento da decisão, vamos torcer juntos para que nossa Praça alcance a chancela e assim seja conhecida e valorizada por todo o mundo”, vibra Eloísa Galdino. 

 

Trabalhadores Rurais

Esteve em Sergipe o dirigente nacional da União Geral dos Trabalhadores – UGT, Eliseu Araújo, que visitou diversos municípios sergipanos em contato com os dirigentes dos trabalhadores rurais. A UGT pretende trazer para Sergipe cursos de formação política para os sindicatos dos trabalhadores rurais. Eliseu ficou impressionado com a mobilização existente em Sergipe e a participação ativa, principalmente de mulheres. Nas visitas aos municípios, ele esteve acompanhado do presidente da UGT em Sergipe, Raimundo Nonato.

 

Balanço dos três meses

Ao conceder entrevista ao jornalista e radialista André Barros, da FM Sergipe, na sexta-feira, 30, o secretário Especial da Articulação Política e das Relações Institucionais – SEARI, Francisco dos Santos, disse que decorridos três meses da sua posse, a prioridade foi a de aproximar ainda mais as instituições e as lideranças

políticas do Estado com o Governo, desenvolvendo um trabalho de acompanhamento das ações e serviços que estão sendo empreendidos na esfera estadual em benefício dos sergipanos. “Neste sentido a secretaria está permanentemente atuando na articulação das unidades administrativas, com o propósito de que as demandas sociais sejam cumpridas com o objetivo de aproximar cada vez mais a área administrativa da sociedade”.

 

Laços com prefeituras

O secretário disse que a assim que chegou a secretaria, promoveu encontros das lideranças políticas com o governador Marcelo Deda, para atenuar algumas reclamações que haviam por parte de algumas lideranças, principalmente de prefeitos vices e ex-prefeitos, além de vereadores baseadas no fato de que queriam conversar diretamente com o governador. E em decorrência desses encontros, considerados como uma marca positiva, a secretaria estreitou os laços com as lideranças e com as prefeituras, ficando incumbida de agilizar as demandas pendentes dos municípios com a área administrativa do Estado, principalmente no tocante aos convênios relacionados a obras para que as populações municipais não fossem prejudicas.

 

Legislação eleitoral

Sobre o procedimento da máquina administrativa nesta época de eleições, o secretário esclareceu que o governador Marcelo Déda deixou muito claro em uma reunião com todo secretariado de que todos devem cumprir integralmente a Lei Eleitoral, salientando na oportunidade, de que a administração estadual não será usada em favor de nenhuma candidatura. O secretário lembrou também que antes da reunião do secretariado com o governador, a Procuradoria Geral do Estado fez um seminário com todos os gestores estaduais para orientá-los sobre as novas regras da Lei Eleitoral.

 

Servidores e campo de atuação

O secretário Francisco dos Santos enfatizou ainda, que todos os servidores que se integraram à campanha, foram devidamente exonerados pelo governador e disse mais: “No tocante a ação do governador, a Lei permite que ele continue no cargo, mas estabeleceu também os limites de procedimento entre o chefe do executivo estadual e o candidato à reeleição. E neste sentido Marcelo Déda está plenamente consciente do seu campo de atuação”.

 

MP é que processa PM”s I

Um fato que chamou a atenção da mídia e da sociedade em 2009 volta com força total no momento. É que alguns representantes das associações da Polícia Militar de Sergipe andam fazendo coro de que estão sendo processados a mando do governo do Estado. Para dirimir as dúvidas de uma vez por todas, o secretário de Comunicação, Chiquinho Ferreira, deu uma esclarecedora entrevista no programa de Jairo Alves, na Rádio Cultura. “Esse processo, que acontece a partir de um suposto motim ocorrido em 2009, foi movido pelo próprio Ministério Público, através do promotor Jarbas Avelino. Ele pediu esclarecimentos do fato ocorrido ao então comandante da PM, Cel. Magno, que em respeito à lei, informou ao MP. O promotor, então, entrou com a ação”.

 

MP é que processa PM”s II

Chiquinho destacou ainda que pode haver um certo ranço politiqueiro na acusação ao governo. “Querer dizer que o governo ou o governador têm alguma responsabilidade sobre o processo movido a esse grupo de policiais pelo Ministério Público é tentar transferir responsabilidades. Assim como dizer que a audiência foi transferida para o dia 15 de outubro para acontecer depois das eleições é fazer uma ilação que peca, no mínimo, pela desinformação ou pela má vontade”, avaliou Chiquinho ao explicar que a transferência se deu pelo fato do juiz da 6ª Vara, Diógenes Almeida, estar entrando de férias neste momento e o promotor responsável pela ação, Jarbas Avelino, entrar de férias em setembro.

 

Esclarecimentos André Moura

Esclarecimentos do deputado André Mours: Em resposta direta a nota publicada, fui convidado pelo vereador Bruno Vieira a participar de do seu aniversário, realizado em uma chácara no povoado Brejo, Lagarto. Como estava no povoado Jenipapo, no mesmo município, em um ato de campanha organizado pelo presidente da Câmara de Vereadores, Xexéu, aceitei e fui ao referido evento particular.

 

Votos para coligação

Diante disso, informo: 1. No ato do vereador Xexéu houve discurso, e fiz campanha para os candidatos da minha coligação, exaltando principalmente, o nome dos candidatos a governador Marcelo Déda e ao senado Eduardo Amorim. Neste evento o vereador Xexéu anunciava a comunidade os nomes que iria apoiar – governador Marcelo Déda, senadores Eduardo Amorim e Albano Franco, deputado federal André Moura e deputado estadual Gustinho Ribeiro. Participou também, o prefeito Valmir da Madereira, que apóia o governador Déda e o candidato a estadual Gustinho Ribeiro.

 

Bom senso

2. Logo em seguida, com o término dos compromissos políticos, fui ao aniversário do vereador Bruno Vieira, acompanhado de Xexéu, e lhe informo que por estar em uma festa particular, com familiares e amigos do aniversariante, não fiz discurso, tão pouco me pronunciei ou fui anunciado como candidato. A boa educação estabelece o bom senso, e aquele local era totalmente inapropriado para qualquer ação política; 3. Em relação aos assessores, estranho tal acusação. Pois, minuto depois de chegarmos ao local, dispensei minha assessoria que imediatamente retornou a Aracaju.

 

Informação

O blog reafirma que um dos assessores do deputado, em conversa com um vereador de Lagarto, disse que vota em João Alves Filho para o governo. Talvez foi para agradar o vereador, que é alvista, mas a afirmação existiu sim e foi checada com mais de uma pessoa.

 

Banese  e a liquidação de um boleto

A Superlógica, uma das maiores empresas do país no fornecimento de tecnologia para gestão de condomínios, apresentou esta semana pesquisa que inclui o Banco do Estado de Sergipe (Banese) entre os bancos que cobram as menores tarifas pela liquidação de um boleto. De acordo com a pesquisa, o Banrisul – com foco de atuação apenas na região Sul do país – foi a instituição com a menor tarifa: R$ 1,50 por boleto liquidado. A segunda menor identificada foi a do Bancoob (R$ 1,60) e a terceira, do Banese (R$ 1,61).

Esclarecimentos SMTT sobre novos ônibus

Da assessoria da SMTT: “O internauta que fez uma indagação sobre os novos ônibus que entraram em circulação e que não foram direcionados para a linha do Lourival Batista, informo que a Empresa que faz essa linha é outra. Em breve, quando a Empresa que serve  a esse núcleo habitacional renovar  a frota, certamente, o conjunto será contemplado com ônibus novos.  Sobre a carga e descarga no centro da cidade no horário comercial, a Diretoria de Trânsito já está agindo, tomando as providências cabíveis, cumprindo a lei existente”.

 

Estado apresenta menores custos para abrir empresas I

Sergipe apresenta um dos menores custos para a abertura de um empreendimento dentre todas as unidades da federação. Levantamento feito pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico, da Ciência e Tecnologia e do Turismo (Sedetec), com base nos dados da Junta Comercial de Sergipe (Jucese), mostra que microempresas e empresas de pequeno porte necessitam desembolsar menos de R$ 200 para cumprir todas as exigências legais. O valor corresponde aos gastos com a Pesquisa de Viabilidade de Localização, registro na Junta Comercial de Sergipe e taxa do Departamento Nacional de Registro do Comércio (DNRC).

 

Estado apresenta menores custos para abrir empresas II

Para a empresa cadastrada como sociedade limitada é necessário acrescentar ainda o visto do advogado, que custa em média um salário mínimo, e os custos com cartório. O valor total, entretanto, não ultrapassa os R$ 800. Já os empreendedores individuais não necessitam desembolsar nenhum tipo de recurso para custear as despesas.Os dados diferem dos apresentados pela Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan), que afirmou serem necessários R$ 3.597. “Através dessa política o Governo procura estimular os pequenos empreendimentos a adotarem como princípio a formalização dos negócios. È importante ressaltar que essas empresas já contam com alguns tipos de benefícios tributários”, explica o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico, Jorge Santana

 

Lançamento

Sabe-se que no mundo contemporâneo cada vez mais as relações trabalhistas se diversificam, não mais se resumindo àquelas com carteira assinada.  Ao contrário, vê-se diversas formas de contratação através de pessoas jurídicas, cooperativas, empresas terceirizadas etc.  Esse é justamente o tema da nova obra da Juíza Flávia Moreira Guimarães Pessoa, que será lançado no Foyer do Tribunal Regional do Trabalho, na próxima sexta-feira, 06 de agosto, às 10h. O livro “Relações de Trabalho na sociedade contemporânea” é fruto da tese de doutorado da autora, que além de Juíza do Trabalho é também Professora Adjunta da Universidade Federal de Sergipe.  

 

Abrascam

Durante a realização do XXV Congresso Brasileiro de Servidores de Câmaras Municipais e do V Encontro Nacional de Vereadores, a Câmara Municipal de Aracaju (CMA) distribuiu entre os congressistas o livro “Fontes para a história de Poder Legislativo da cidade de Aracaju”, de autoria dos professores Jorge Carvalho e Ester Vilas-Bôas. A publicação, lançada em março e que faz parte das homenagens aos 155 anos da CMA, relata fatos que marcaram a primeira década de funcionamento da Casa Legislativa e dos legisladores que atuaram neste período.

 

DENUNCIE OS CRIMES ELEITORAIS

Ouvidoria do TRE/SE: (79) 2106-8777. E-mail: ouvidoria@tre-se.gov.br ou ainda por correspondência preenchendo o formulário eletrônico no site www.tre-se.gov.br.O prazo para as respostas às consultas é de 03 (três) dias. Na Procuradoria Regional Eleitoral: Enviar, por correio, a documentação endereçada à Procuradoria da República em Sergipe, situada na Avenida Beira Mar, nº 1064, Praia Treze de Julho, Aracaju/SE, CEP 49020-010: Enviar para o e-mail denuncia@prse.mpf.gov.br ou preencher  formulário site www.prse.mpf.gov.br

 

 

ARTIGOS

 

Relato de uma tragédia e a operação de reconstrução – Por Ailton Francisco da Rocha*

 

O Fórum de Secretários de Recursos Hídricos do Nordeste, reunidos na cidade de Fortaleza no último 15 de julho, discutiu entre outros temas os números referentes aos desastres ocorridos pelas fortes chuvas dos dias 17 e 18 de junho do corrente ano, nos estados de Pernambuco e Alagoas, no qual transcrevo a apresentação feita pelo Dr. João Bosco de Almeida Secretário de Recursos Hídricos de Pernambuco por considerar uma experiência vivida e uma lição a ser aprendida.

 

Os Estados de Pernambuco e Alagoas vivenciaram no último dia 17 de junho um fenômeno climático chamado “Onda de Leste”, que foi intensificado pelo aquecimento anômalo da temperatura do Oceano Atlântico juntamente com a intensificação dos ventos alísios, que provocou, em curto espaço de tempo, uma grande quantidade de chuva concentrada nas proximidades das cabeceiras de vários rios, gerando uma enorme enxurrada que atingiu cidades ribeirinhas desses dois Estados.

 

Ao contrário dos períodos invernosos típicos, quando o nível dos rios eleva-se em um ritmo relativamente lento, essas chuvas, pela sua magnitude, causaram um verdadeiro “tsunami”, com elevação muito rápida do nível dos rios e geração de ondas de grande velocidade. Somente em Pernambuco, na madrugada do dia 17 para o dia 18, choveu na região afetada o equivalente a 180 mm (o que significa 180 litros de água por m²), o que representa aproximadamente 70% do esperado para os 30 dias do mês de junho. O volume de água que normalmente precipitaria em 20 dias ocorreu em algumas horas.

 

Às 16H00 do dia 17, o Laboratório de Meteorologia de Pernambuco – LAMEPE, percebendo a gravidade do fenômeno que se avizinhava, alertou o Gabinete do Governador. Às 18H00, foi realizada uma reunião emergencial com prefeitos da Região Metropolitana do Recife e representantes de outros órgãos  no Palácio do Governo, disparando-se um alerta urgente às Defesas Civis Municipais, solicitando a desocupação imediata das áreas de risco.

 

Ao mesmo tempo, foi montado um Gabinete de Crise, com rápida articulação dos órgãos estaduais e municipais responsáveis pelo atendimento à população, para a prestação dos primeiros socorros e orientação das ações de remoção e salvamento. Em todos os municípios que seriam afetados foram dados alertas utilizando os recursos disponíveis naquele momento.

 

Em Barreiros, por exemplo, a população chegou a ser alertada até pelo toque do sino da igreja. As chuvas começaram a cair por volta das 20H00. Se o Governo do Estado não tivesse providenciado o alerta urgente, poderiam ter ocorrido centenas de mortes. Matéria veiculada em jornal local nesta data dá conta que no ano de 1969, na cidade São José da Laje, em Alagoas ocorreram quase 1.500 óbitos em fenômeno semelhante.

 

Para atendimento emergencial foi mobilizada pelo Governo do Estado uma força-tarefa composta por 19 embarcações, 09 helicópteros, 39 carros de resgate, 15 equipes do SAMU, 51 carros-pipa, 11 ambulâncias, 15 retroescavadeiras, inúmeros tratores e outras máquinas pesadas, além do reforço das equipes do Corpo de Bombeiros, Polícia Militar e Defesa Civil Estadual. Foram resgatas, apenas por via aérea, mais de 1.100 pessoas, na maior movimentação de salvamento já registrada no país.  Além disto, a CODECIPE enviou equipes especializadas e mantimentos, tais como: colchões, cestas básicas, água potável, agasalhos e cobertores.

 

Um conjunto de obras hídricas realizadas pelo Governo do Estado impediu que a tragédia assumisse proporções ainda maiores. Foram investidos, em 2009 e 2010, nove milhões de reais nas comportas e outros dispositivos das barragens de Carpina e Goitá, que não funcionavam há dez anos. A realização desses serviços evitou que fosse repetida em Recife a triste situação vivenciada em 1975. Assim, as barragens puderam operar no seu limite, contendo 250 milhões de metros cúbicos de água que alcançariam os municípios a jusante, quase toda a Região Metropolitana do Recife.

 

Da mesma forma, as obras de construção da Barragem de Garanhuns foram concluídas dias antes do desastre. Em poucas horas, a barragem, que estava completamente vazia, acumulou 12 milhões de m³, evitando que esse volume escoasse em direção as cidades a jusante, a maior parte delas em Alagoas.

 

O fenômeno deixou em Pernambuco um quadro de grande destruição: após o desastre, o Governo do Estado já decretou situação de emergência em 27 municípios e estado de calamidade em 12 municípios. Nas localidades afetadas, contabilizou-se um saldo de 20 óbitos, 26.966 desabrigados, 55.643 desalojados, 14.136 habitações destruídas ou danificadas, 07 escolas destruídas e outras 43 danificadas, 09 municípios isolados (sem acesso viário), 4.478 km de estradas comprometidas, 142 pontes/pontos críticos danificadas, 01 hospital estadual completamente destruído, 22 postos de saúde e 04 hospitais municipais danificados.

 

Equipes de obras e de supervisão, com profissionais de engenharia, encontram-se em plena atividade gerenciando a limpeza e cuidando das ações de infraestrutura das cidades e dos abrigos. A energia foi restaurada em todas as sedes dos municípios e em boa parte das áreas rurais, através de geradores, enquanto não se processa a restauração dos sistemas elétricos danificados. A COMPESA pôs em operação todos os 44 sistemas de abastecimento de água que haviam sido interrompidos.

 

Todos os municípios já tiveram as rodovias que dão acesso às suas Sedes desobstruídas, e naqueles onde o acesso é feito através de pontes, rotas alternativas já foram abertas, ou pontes metálicas foram instaladas, com a colaboração das Forças Armadas. O acesso por via terrestre já está reaberto em todos os municípios.

 

Em algumas áreas rurais dos municípios afetados, ainda existem dificuldades de acesso devido ao comprometimento de estradas vicinais e pontos críticos (pontes, passagens molhadas, etc.). Pontes de madeira estão sendo emergencialmente construídas e máquinas do DER estão trabalhando na religação dessas comunidades aos municípios. As vilas ainda isoladas estão recebendo assistência por via aérea (helicópteros).

 

Já foram iniciadas ações específicas de reconstrução das áreas afetadas em cada município. Estão sendo identificados terrenos, em áreas não propensas ao risco, para a construção de habitações para os desabrigados, através do Programa Minha Casa Minha Vida, com o aproveitamento de mão de obra local.

 

Os abrigos apropriados para manutenção das famílias, em condições dignas de habitabilidade e cidadania, no prazo necessário à construção das casas e da infraestrutura urbana, também já estão sendo providenciados.

 

Escolas, hospitais, delegacias, postos de saúde e demais equipamentos urbanos também serão recuperados. A Secretária de Educação já garantiu R$35 milhões, para reconstrução e recuperação das escolas estaduais.

 

O Governo Estadual montou, ainda no dia 18 de junho, uma sala de monitoramento no Palácio do Campo das Princesas, onde passou a funcionar o GABINETE DE GESTÃO DE CRISE, coordenado diretamente pelo Governador e integrado por 15 secretarias estaduais, que diuturnamente articulam providências e acompanham a execução das ações de recuperação, reconstrução e assistência. Já foram instalados 22 Escritórios Locais do Governo Estadual nos municípios mais afetados, que centralizam e coordenam as ações em curso. As equipes viabilizam e supervisionam in loco todas as ações emergenciais e da Operação Reconstrução.

 

O Governo Federal, desde o início da tragédia, esteve ao lado do Governo de Pernambuco, tendo sido mobilizados, desde o dia 19, muitos Ministros de Estado e o próprio Presidente da República que visitaram os municípios com o Governador do Estado para avaliar a extensão dos danos e quantificar a ajuda necessária. Foram liberados, de forma imediata, 275 milhões de reais para o enfrentamento da emergência e reconstrução dos municípios. Além disto, as Forças Armadas integram o Gabinete de Gestão da Crise e estão atuando com pessoal, equipamentos, aeronaves e hospitais diretamente no terreno.

 

*  Superintendente de Recursos hídricos da SEMARH, Diretor Regional da ABRH-SE e Presidente do Fórum Pensar Cedro.

 

DO LEITOR

 

Sobre a Iluminação da Balaustrada da Ivo do Prado

Do Leitor Toni Sacramento, cerimonislista e Acadêmico de Eventos UNIT:  “Quando será que a Prefeitura da Cidade da “Qualidade de Vida”, irá, através da EMURB, providenciar a reposição de toda iluminação da extensão da Balaustrada do Centro Comercial, das avenidas Ivo do Prado e Rio Branco? Vemos que as eleições de 2010 vêm tendo todas as atenções ao ponto de assuntos como este cai no esquecimento”.

 

Sobre Cartão Mais Aracaju

Ainda o leitor Toni Sacramento: “Após alguns anos lançado em nosso Estado, o Cartão Mais Aracaju parece que não emplacou, ou fazem de conta que sim, como gostariam os seus idealizadores uma vez que um dos pontos mais enfatizados, a diminuição do comércio clandestino de passes-escolares e de vales-transporte, a olho nú, aumentou e muito porque o que mais vemos nas entradas dos terminais são cambistas com inúmeros cartões nas mãos negociando a passagem com o valor mais barato que na catraca sem nenhuma ação contrária dos órgãos que se dizem responsáveis por tais ações idealizadas quando da criação do cartão. Não podemos esquecer do dinheiro gasto com catracas postas nos terminais as quais na maioria dos dias não funcionam. Nem sei se a facilitação prometida para a vida do usuário do transporte coletivo foi tão eficiente assim porque até dentro dos ônibus as filas pioraram com tanta lentidão, fato comprovado por aqueles que fazem uso dos transporte coletivo, não por aqueles que andam para cima e para baixo dentro de veículos locados para transportá-los”.

 

Blog no twitter: www.twitter.com/blogclaudionun

Frase do Dia

“A política deve ser uma bioquímica, fez o twitter virar merda!”. Do jornalista e profissional de marketing, Marcélio Couto, no twitter, ao analisar as brigas entre assessores de candidatos, candidatos e intrigas na rede social neste período.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários