Encontro refinaria

0

O governador João Alves Filho (PFL) e o presidente da Petrobrás, José Eduardo Dutra (PT) se encontram hoje. Vão discutir a proposta de Sergipe para instalação da disputada refinaria de petróleo. Que bom que isso esteja acontecendo e que seja em tom de superação do que ocorreu antes. Havia um clima de desconforto, porque o governador denunciou o presidente de ter marcado encontros com ele e não comparecer. Isso provocou uma reação, porque o presidente Dutra fez questão de marcar a audiência através dos jornais, o que apressou a viagem de João Alves Filho a Madrid, para fechar o protocolo com a holding que estará associada a Sergipe nesta empreitada. Que a audiência tenha o tom cordial e harmonioso, como sempre aconteceu quando dois homens públicos, responsáveis e conscientes dos seus deveres, se encontram. Principalmente para discutir um assunto tão importante quanto à instalação de uma refinaria de petróleo para Sergipe, empreendimento que pode representar a redenção econômica do Estado. Embora estejam em campos absolutamente opostos, em termos políticos partidários, seria aconselhável que isso fosse deixado de lado. Nenhum dos dois está em palanque defendendo posições, mas sobre uma mesa de entendimento para o desenvolvimento de Sergipe. Certamente isso interessa tanto a José Eduardo Dutra, quanto a João Alves Filho, que é o governador do Estado e arregaçou as mangas e está brigando pela refinaria. O Partido dos Trabalhadores e as demais legendas que formam o bloco da oposição no Estado temiam que a pressão de setores do Governo, para instalação da refinaria de petróleo em Sergipe, fosse uma armadilha contra o presidente da Petrobrás, José Eduardo Dutra, para desestabilizá-lo politicamente no Estado. O argumento era que estavam forçando a barra para que o empreendimento fosse feito em Sergipe, porque sabiam que havia todo um levantamento técnico para isso e se não fosse possível trazê-la para o Estado, serviria de mote para críticas futuras, e acusação de que Dutra fora eleito senador pelo povo sergipano, mas na hora dos benefícios teria servido a outro Estado. Todos sabem da preferência do presidente Luiz Inácio Lula da Silva em instalar a refinaria em Pernambuco. Sabem também da necessidade de um estudo técnico rigoroso para que uma refinaria seja implantada em qualquer Estado. A Petrobrás leva em consideração as questões de escoamento, facilidade de distribuição, área portuária e outras exigências naturais para um empreendimento de grande dimensão. Inclusive que o Estado apresente um parceiro para entrar como sócio na empreitada. E tudo isso é absolutamente correto, porque a Petrobrás precisa da garantia de que não está entrando em um barco furado. O governador João Alves Filho não mediu esforços para isso e hoje leva todo o projeto pronto. Além de um sócio extremamente forte e reconhecido no mercado internacional, João vai apresentar um amplo e profundo estudo sobre as viabilidades para implantação de uma refinaria em Sergipe: “Em termos de condições técnicas e das exigências financeiras, não estamos devendo nada a Pernambuco”, disse o governador João Alves Filho com a euforia que lhe é natural. Mas isso não basta. É preciso que técnicos da Petrobrás façam as análises necessárias e aprovem a viabilidade da instalação no Estado. Só com isso é que o presidente da estatal, José Eduardo Dutra, poderá se manifestar, assim mesmo através da ministra das Minas e Energia, Dilma Rosset, e com o aval do presidente Lula. Não depende só de José Eduardo, mas ele pode fazer opção e demonstrar interesse pelo Estado que o colocou na posição que está. Que João e Dutra sentem à mesa, despojados dos episódios que aconteceram e abertos ao bom diálogo e com vontade de colocar Sergipe como prioridade. Afinal, esta é uma luta em favor do povo sergipano. UTOPIA O governador João Alves Filho telefona da Espanha, para dizer que o Governo Federal, de Dutra e Déda, fica muito na utopia: “quer escrituras para casas de taipa”, indignou-se. Acusou que o tratamento que o Planalto está dando à enchente é o mesmo que deu à seca: até o final do ano o Estado gastou mais de R$ 2 milhões em carros pipas e o Governo Federal cruzou os braços. AUTORIDADE João Alves disse que fala com a autoridade de um ex-ministro do Interior, que agia com rapidez e objetividade em momentos como estes. “Muitas vezes estava na fazenda descansando e o então presidente Sarney telefonava para resolver problemas de enchentes em qualquer lugar do Brasil. Viajava imediatamente e chegava no local já com medidas tomadas”, relembrou. SOBRADINHO A Hidrelétrica de Sobradinho já está liberando 4.500 metros cúbicos de água por segundo, do rio São Francisco. Até 2 de fevereiro vai chegar a 6.000 metros cúbicos. A Chesf já enviou ofícios para os prefeitos de cidades ribeirinhas, anunciando que também vai começar a liberar águas represadas do São Francisco. Será o caos. DRAMÁTICA O prefeito de Porto da Folha, Júlio Santana (PMDB), disse que a situação está ficando dramática, porque há casos de leptospirose e começou a faltar antibióticos. Acrescentou que em 15 dias já choveu cerca de 400 milímetros nos povoados: “isso equivale a seis meses de chuvas torrenciais no sertão”. COBRANÇA O senador Antônio Carlos Valadares (PSB) vem cobrando, do Governo Federal, agilidade na liberação de recursos para as cidades afetadas pelas enchentes no sertão sergipano. Valadares mostra que é um aliado, mas não submisso e faz críticas ao Governo por atraso no socorro às vítimas. RECURSOS A Petrobrás acabou com a expectativa dos prefeitos em enviar R$ 150 mil para Poço Redondo, Porto da Folha e Monte Alegre, num total de R$ 450 mil. Na realidade, a Petrobrás vai enviar os R$ 150 mil em alimentos destinados aos três municípios. Até agora não ninguém recebeu nada. PONTE A reconstrução da ponte que liga Monte Alegre a Poço Redondo está bem acelerada e a expectativa do diretor do DER, Lindemberg Lucena, é que esteja pronta amanhã. Isso só não acontecerá se houver algum problema, como as chuvas. Ontem, ao meio dia, estava chovendo muito na região. ACESSO Mesmo que a ponte esteja em condições de tráfego amanhã, a viagem até Poço Redondo e Canindé do São Francisco não será cômoda. Os desvios feitos nas estradas provocam uma série de problemas aos veículos, que atolam nos lamaçais e têm dificuldade para ultrapassar os obstáculos. GLÓRIA A Câmara Municipal de Nossa Senhora da Glória elegeu ontem, por 10 votos, em pleito indireto, o vereador Anselmo Correia (PTB), para a Prefeitura daquele município. Dos 13 vereadores, dois faltaram e, quem ficou, foi favorável a Correia. Ele é candidato à reeleição em outubro próximo. PARTIDO O deputado João Fontes (sem partido) anunciou, ontem, que nos dias 5 e 6 de junho, no Rio de Janeiro, será realizado um fórum para criação de um novo partido. Será uma legenda plural, aberta, de tendência esquerdista, com o mesmo perfil que o PT tinha antigamente. PLANEJAMENTO João Fontes disse que o Governo Lula não tem um planejamento administrativo e vem fazendo uma reforma no ministério, trocando seis por meia dúzia. Acrescenta que não há dinheiro para resolver o problema das enchentes, porque tudo está contingenciado. Admite que há uma desorganização administrativa. PODRE Um procurador aposentado revelou, ontem, que ainda há muita coisa de podre por trás do assassinato de ex-deputado Joaldo Barbosa. No seu entender a Polícia está silenciosa em relação a isso, mas que o Governo deve uma explicação à sociedade, inclusive sobre a fuga de Floro Calheiros. INDIGNAÇÃO Indignado, o procurador diz que todo esse silêncio policial é conivente, porque ninguém dá uma única sinalização do que está fazendo para mostrar a verdadeira face do mandante. Acha que a sociedade não esquece isso e reconhece que o desgaste da Segurança se mantém. Falta satisfação para uma fuga que deixou no ar suspeita de suborno. Notas EMENDA O deputado federal Jackson Barreto (PTB) quer vincular os recursos da Cide para infra-estrutura de serviços de transporte público e aglomerados urbanos. Com isso, Jackson pretende ampliar as ações visando o barateamento das tarifas e dá condições aos municípios para investirem na infra-estrutura urbana. Foi com esse objetivo que o deputado Jackson Barreto apresentou emenda à MP 161, que trata da destinação da Cide, incidente sobre a importação e comercialização de petróleo e seus derivados e álcool etílico combustível. CORONEL Sábado passado, o governador João Alves Filho ficou irritado com um telefonema do coordenador da Defesa Civil Nacional, coronel Pimentel, que estava exigindo uma série de documentos das casas destruídas, inclusive as escrituras. João tentou explicar que as casas de taipa não tinham documentação. A conversa durou 40 minutos e o governador reclamou da burocratização do Governo Federal. O coronel Pimentel ficou nervoso e começou a tratar João também por coronel: “não sou coronel, sou engenheiro”, disse-lhe. SEM NADA O prefeito de Porto da Folha, Júlio Santana, disse que até o momento o Governo Federal não entrou com nada para ajudar os municípios atingidos pelas enchentes. Há informação que foi enviado 20 mil quilos de alimentos: “isso dá apenas para um município e acaba em uma semana. É muito pouco”. O Governo Federal estaria liberando R$ 23 milhões para todos os municípios atingidos. Só para recuperar o que está estragado em Porto da Folha, os técnicos calcularam que serão necessários R$ 6 milhões. É fogo O secretário da Indústria e Comércio, Tácito Faro, viajou ao Rio de Janeiro, onde se encontra com o governador João Alves Filho. Participa da audiência na Petrobrás… O governador João Alves Filho desembarca hoje pela manhã no Rio de Janeiro e segue direto para audiência com José Eduardo Dutra. João Alves está trazendo, na bagagem, todo o projeto que viabiliza a instalação da refinaria em Sergipe. O secretário da Fazenda, Max Andrade, viajou a Brasília para participar de reunião do Confaz. A procissão do Bom Jesus dos Navegantes, em Gararu, teve que ser adiada, domingo passado, em razão das fortes chuvas que caiam na região. O deputado Gilmar Carvalho (PV) insiste que a Secretaria da Segurança Pública esclareça o crime de Joaldo Barbosa, definitivamente. O prefeito de Itabaiana, Luciano Bispo (PMDB) ainda não anunciou o nome do candidato que vai apoiar para sucedê-lo. Já o PSDB tem certo o nome da deputada estadual Maria Mendonça para disputar o lugar de Luciano Bispo. Já em Lagarto o nome de Zezé Rocha (PTB) não é da simpatia nem mesmo do seu grupo político, mesmo com o apoio do ex-prefeito Jerônimo Reis. A questão do prefeito Zezé Rocha é que ele não é político e prejudicou alguns aliados ao assumir o mandato. O advogado Gilton Garcia (PTN) está otimista com a aceitação da legenda no interior. Deve participar das eleições em 60 municípios. Lauro Rocha (PFL) ex-prefeito de São Cristóvão, espera que as pesquisas mostrem que ele é o preferido do eleitorado. O secretário da Justiça, Manuel Cacho, solicitou audiência com o prefeito Marcelo Déda, para discutir a construção de um presídio de segurança máxima na Terra Dura. Por Diógenes Brayner brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários