ESCOLHAS

0

                                                  

 

“Não importa o que fazem com você, importa o que você faz do que fazem a você”.

             Jean-Paul Sartre

 

As coisas mais certas que temos na vida de um ser humano são as escolhas. Digo isso porque outras são certas, porém independem de nossas vontades, por exemplo: nascer e morrer. Sem dúvida que estas são as certezas universais, mas, pouco podemos fazer, não há a menor condição de interferir, de saber onde, como e quando estes eventos podem acontecer. Não podemos escolher o local, a data nem os motivos.

 

Estes dois fenômenos, muito significantes nas nossas vidas, cingem-se ao desconhecido, ao mistério, só Deus sabe onde, quando e com quem vai acontecer. Nada podemos fazer, a não ser nos entregar ao acaso e torcer muito para que o melhor aconteça.

 

Por sorte, existem outras coisas que temos toda a liberdade do mundo para fazer, que são as escolhas. Desde que abrimos os olhos pela manhã até deitarmos à noite, estamos fazendo escolhas.

 

Dizem alguns psicólogos que durante o período de 24 horas uma pessoa faz, em média, entre cinco mil e dez mil escolhas, isso incluindo as mais elementares, como por exemplo: a que hora acordar, quando levantar, que pé colocar no chão por primeiro, o que vestir, o que calçar, o que comer, para onde ir, por onde ir, etc; até as mais complexas: sobre a vida e o futuro:

 

  • Onde quero chegar?
  • Como quero chegar?
  • O que terei de fazer para chegar onde quero? 
  • Quem posso ter como referência?

 

Dizem que dois irmãos, nascidos gêmeos, quando cresceram, seguiram caminhos totalmente diferentes: um transformou-se no maior bandido, assassino sanguinário, assaltante perigoso e maior traficante da cidade; já o outro se tornou o maior empresário e benfeitor da mesma cidade.

 

Os componentes de um grupo de estudiosos do comportamento humano, achando aquela situação muito curiosa, resolveram investigar o porquê daqueles comportamentos tão díspares entre dois irmãos univitelinos.

 

Na investigação, descobriram que o pai dos gêmeos, havia morrido em combate com a polícia, pois era, quando vivo, o maior bandido da redondeza.

 

Diante desta constatação, ficaram ainda mais curiosos e, em contato com os dois, formularam a seguinte pergunta, a mesma para os dois:

 

O que levou você a ser o que você é? 

Assim respondeu o bandido:

“O que você queria que eu fosse, tendo um pai como o meu?”

 

Eis a resposta do outro irmão, aquele que seguiu o caminho contrário, o honesto e benfeitor, o empresário de sucesso:

 “O que você queria que eu fosse, tendo um pai como o meu?” 

 

Atenção, não houve engano não. Os dois responderam exatamente iguais.

A única diferença que houve foi na escolha. Um escolheu o caminho do pai e o outro, vendo que aquele não era um bom caminho, enveredou exatamente ao contrário.

Tudo o que aconteceu entre os dois foi apenas uma questão de escolha.

 

“Quer você acredite que pode, quer você acredite que não pode, você está certo.”

 

No final, o que vai valer mesmo é a escolha. Por mais que possam parecer absurdos, os objetivos sempre serão atingidos.

 

Às vezes se escuta alguém dizer que não era bem aquilo que ele esperava para o final de sua vida. E, convenhamos, realmente se constatam, com muita freqüência, verdadeiras situações de abandono, humilhação e desamor praticados, por incrível que pareça, pelos próprios filhos que jogam os velhos num asilo e os deixam lá, abandonados.

 

Contudo, se for feita uma retrospectiva honesta, vai-se perceber que o amor que falta naquele momento é exatamente o que foi negado no passado. Quer dizer, o que está acontecendo é resultado de uma escolha, feita no passado. Talvez não seja aquela que você queria, mas, com certeza, foi aquela que você fez.

 

Uns preparam o futuro com esforços, estudos e perseverança, enquanto outros preferem o prazer passageiro da brincadeira, da bebida, das farras e seguem sem muita preocupação rumo aos dias que virão.

 

Só que, independente do que for escolhido, no tempo próprio, o futuro chega. Se a escolha foi acertada, ou não, é com ela que a pessoa vai viver para o resto da vida.

 

É TUDO UMA QUESTÃO DE ESCOLHA.

 

Amigo, o seu comentário e as suas sugestões serão muito importantes para que eu possa desenvolver outros temas. Aguardo a sua participação.

 

 

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais