Esquerda moderna

0

    Um leitor encaminhou um e-mail com a seguinte avaliação: “Tudo na vida evolui e não poderia ser diferente com as campanhas eleitorais. Eis que na década de 80, participei de diversas campanhas em Aracaju ao lado dos partidos de oposição e lembro-me muito bem de todas as dificuldades que tínhamos de enfrentar para ocupar as ruas. Lembro-me de que naquela época ninguém ousaria sequer falar em remuneração para pessoas que trabalhavam nos comitês partidários, os que ali estavam era pura e simplesmente pela espontaneidade ou por opção ideológica de ajudar aos candidatos dos partidos que representassem o seu pensamento político. Naquele tempo não existia recurso para bancar boca-de-urna e nem era prática de campanha dos partidos de esquerda, não existia essa enxovalhada de empresas confeccionando outdoors, banners e outros adereços que embelezam as campanhas, mas que torna-se acessível apenas para os candidatos bem aquinhoado”.

   Prossegue o leitor: “Esses e muitos outros artifícios de campanha eram utilizados apenas pelos partidos denominados de “direita”, que eram na verdade os partidos aliados dos governantes. Mesmo quando Jackson Barreto conquistou a administração municipal de Aracaju, onde as campanhas por ele lideradas eram produzidas através do esforço dos que acreditavam e tinham a esperança de que ele poderia representar uma mudança significativa no cenário político local. Ele continuou a fazer campanhas franciscanas e eram os amigos que saíam noite afora para pintar muros, eram os amigos que ficavam nos cruzamentos distribuindo panfletos, recebiam os panfletos na reunião à noite e no dia seguinte já saíam de casa para o local onde ia ser realizada a distribuição dos panfletos, sem receber sequer o vale-transporte, que naquela época não sei se já existia”.

  Finalizando o e-mail do leitor que parece conhecer bem as campanhas em Aracaju: “Voltando ao assunto inicial, todas essas lembranças me retornaram à memória porque ao passar na última quinta-feira no cruzamento das avenidas Nova Saneamento com Rio de Janeiro me deparei com os militantes engajados na campanha de Francisco Gualberto (PT), candidato que sempre fez campanha dizendo representar a classe operária, chamou a minha atenção que no lugar de pessoas pobres, moradores da periferia que aproveitam o período de campanha para conseguir algum trocado, estavam pessoas bem vestidas, perfumadas com camisas de mangas compridas que lhes deixavam com aspectos de ser ocupantes de cargos comissionados na administração municipal ou até mesmo na federal e toda vez que os panfletos acabavam tinha um deles que se dirigia a um corsa semi-novo de cor prata com vidros escuros e pegava uma nova quantidade para retornar à distribuição. Digam-me. Sem considerar as potentes pick-ups que carregam os candidatos nas carreatas onde cada um possui um mini-trio à sua disposição é ou não é uma campanha diferente da que o PT costumava fazer?”. Não é que faz sentido a avaliação do leitor, ou não?

 

Tentativa I

Um membro do PSB nos encaminhou e-mail, afirmando que foi frustrada a tentativa de setores ligados politicamente ao governo estadual em querer confundir a avaliação feita pelo senador Valadares relacionada ao uso de algemas, com as descabidas declarações do governador, que taxou de “arbitrária e excessiva” a ação da Polícia Federal no cumprimento da operação Fox, onde a Polícia Federal apenas cumpria seu dever, obedecendo ordens do desembargador do Tribunal Federal da 5ª Região em atendimento à promotoria pública federal.

 

Tentativa II

Ao perceber que a opinião emitida pelo governador havia sido avaliada negativamente pelos formadores de opinião, um bem montado esquema de comunicação surgiu para tentar envolver o nome do senador Valadares, tentando criar uma confusão na cabeça das pessoas menos esclarecidas. A tentativa foi frustrada primeiro por conta da matéria publicada num informativo semanário, segundo diante de uma entrevista concedida pelo senador na rádio Atalaia, onde Valadares esclareceu que o projeto que regulamenta o uso de algemas foi apresentado por ele há seis meses, não possuindo nenhuma relação direta com os fatos ocorridos em Sergipe nos últimos dias.

 

Tentativa III

O senador afirmou também que o projeto ainda sofrerá discussão no seio da sociedade onde ele pretende conhecer o posicionamento da OAB, do Ministério Público estadual e federal, das associações de policiais civis, militares e federais existentes nas demais unidades federativas e no Distrito Federal.  Valadares reafirmou ainda que o objetivo do projeto é evitar que exponham ao escárnio público, por meio da condução por algemas, indivíduos em seu pleno estado de inocência constitucional e que não oferecem resistência, periculosidade ou até espontaneamente se apresentem perante a autoridade policial.

 

Algo errado…

Um leitor esteve ontem na sede do PT situada na Avenida Ivo do Prado. Foi pedir alguns adesivos do candidato a governador Marcelo Deda, no local encontrou uma senhora com um sotaque gaúcho.  Ao pedir os adesivos foi informado que não tinha nada no local. Saiu de lá com a cabeça baixa e a certeza que algo está errado… e aí externou a revolta dele através do e-mail para esta coluna.

 

Ladeirinha

O certo é que enquanto João Alves atua como profissional, não existe ainda uma linha de direcionamento da campanha de Deda. No projeto Ladeirinha, em Japoatã, uma liderança local espera há muito tempo para montar um comitê no local.

 

E aí Renatinho…

O ex-governador e candidato a deputado federal Albano Franco, esteve em Propriá no último final de semana onde participou de uma reunião com o empresário José Américo, que foi candidato à vice-prefeito e apoiará a candidatura tucana. Américo reuniu diversas lideranças, mas a surpresa da reunião foi à presença do ex-prefeito Renato Brandão, candidato a deputado estadual pelo PTB e que apóia (ou apoiava?) Jackson Barreto para a Câmara dos Deputados.

 

Maldade

Um membro do PDT que está chateado com a condução do partido revelou a esta coluna que vai encaminhar um e-mail para a coordenação de campanha do candidato Cristovam Buarque (PDT), solicitando que evitem que a visita do presidenciável pedetista a Sergipe, coincida com a visita da candidata Heloísa Helena (PSOL), porque segundo o trabalhista se isso ocorrer, Cristovam vai correr o risco de encontrar muitos dos seus correligionários no ato promovido por Heloísa. Este colunista não acredita que isso possa ocorrer é pura maldade…

 

Intenção I

A imprensa tem noticiado com certa insistência que o publicitário Carlos Cauê está deixando o cargo comissionado de secretário municipal de Comunicação em Aracaju, para ser o coordenador de marketing da campanha do ex-prefeito Marcelo Deda. Como o marketing da campanha já está sendo visivelmente coordenado por Cauê, há quem imagine que essas informações servirão para denunciar a utilização na campanha de Deda de comissionados da Prefeitura de Aracaju.

 

Intenção II

Se for essa a intenção é preciso ter cuidado porque um membro da oposição já possui em mãos, prova de que um ex-prefeito além de utilizar servidores da prefeitura que já foi por ele comandada e que ainda funciona sob as suas ordens, está também transformando em comitê uma sala pertencente a uma secretaria de Estado. Na porta da secretaria os carros de correligionários e lideranças do interior, com vistosos adesivos do candidato chegam a engarrafar o trânsito. É preciso muito cuidado com tudo isso porque o Pelella não é mole e a Dra. Josefa Paixão não está pra brincadeira!

 

Espaço

Devido aos inúmeros e-mails recebidos com algumas opiniões, principalmente sobre a Operação Fox, esta colunista no decorrer da semana vai citar diariamente todos de acordo com a disponibilidade de espaço. O colunista agradece novamente os diversos e-mails recebidos por conta do artigo publicado ontem. O mais importante é que o leitor está interagindo, questionando e opinando sobre os assuntos levantados.

 

Compras

Um dia destes o jornalista Luiz Eduardo Costa escreveu que João Alves iria as compras em julho. Este colunista jura que não entendeu. Ontem os rumores davam conta que na Barra dos Coqueiros ocorre um verdadeiro vendaval entre dois irmãos, um com cargo eletivo e outro apenas como auxiliar, mas que está se rendendo a beleza da ponte…

 

Alô, alô…

Por telefone o governador João Alves Filho passou quase meia hora tentando convencer um ex-prefeito tucano da região serrana a aderir a sua reeleição. O prefeito por enquanto não titubeou por conta da eleição municipal que foi acirrada e com sérios problemas pessoais…

 

Matança

Inadmissível ouvir e ver a grande imprensa brasileira, principalmente a Rede Globo, com a cobertura totalmente parcial em favor de Israel, que invadiu o Líbano. Uma matança brutal por conta da subserviência da ONU as determinações dos EUA. Até quando? Os judeus estão fazendo hoje o mesmo que Hitler fizeram com eles. É mole?

 

 

Estratégia

No último final de semana a Unicred-Se, realizou um debate sobre “Planejamento Estratégico Participativo”, sob a coordenação do médico Adelson Chagas. O  evento  contou com a presença dos médicos Jorge Viana, Virginia Passos, Sérvulo Nunes, Sizenando Oliveira, Marcos Prado Dias, Roberto Gurgel entre outros, além de  funcionários da própria Instituição.

 

Frase do Dia

“Quem perde seus bens perde muito; quem perde um amigo perde mais; mas quem perde a coragem perde tudo”. Miguel de Cervantes.

 

 

 

 

Comentários