ESTATIZAR NOVAMENTE?

0

Mac-Gregot, dispõe sobre a Teoria X e Teoria Y na gerência e/ou supervisão dos negócios. Sua teoria se baseia em observações efetuadas num país super-desenvolvido, ou seja, analisou uma teoria gerencial de um país que face ao seu desenvolvimento e pelo grau de atendimento às necessidades do seu povo, pode discutir se é válida a aplicação de uma ou outra teoria.

 

Ocorre, porém, que aquela sociedade atingiu o grau de desenvolvimento que hoje permite optar por modelos gerenciais que demandam do governo, maior ou menos poder coercitivo, porque utilizou na base do seu desenvolvimento e no início de sua ascensão econômica e social um modelo econômico em que a filosofia era discutida ou democrática e a execução era imperativa ou autocrática.

 

Podemos ainda observar que desde a década de oitenta, a economia mundial caminhou para a desestatização, principalmente na, então, União Soviética e na América Latina, onde prevalece até hoje a lei do mercado.

 

Na América Latina, em função da democratização e desestatização não levarem uma melhor qualidade de vida para a maioria da população, o socialismo e a conseqüente estatização começam ganhar relevo, é o que esta acontecendo, principalmente, na Venezuela e na Bolívia.

 

No Brasil, até alguns anos atrás, em função da necessidade de crescer, de ter carência de recursos,

de não ser de interesse da economia mundial vistos os riscos serem imensos, coube ao governo suprir alguns setores da economia, através das empresas estatais, deixando à iniciativa privada aqueles setores onde a necessidade de investimentos eram menores, onde praticamente não existiam riscos.

 

E hoje? Vale a pena mudar o modelo econômico adotado desde a década de noventa?

É preciso analisar friamente o que ocorreu nos setores que foram privatizados. No setor de mineração temos a Vale do Rio Doce, a Companhia Siderúrgica Nacional, principalmente, tornando-se empresas de grande porte mundial. Muitos empregos criados e maior volume de impostos pagos. No Setor de Telefonia, o momento que vivemos seria o mesmo se não houvesse privatização? No setor de geração de energia elétrica, a construção de usinas da Eletrosul, Empresa subsidiária de Eletrobrás, foi privatizada e a empresa que a substituiu é uma das de maior desenvolvimento no setor.

 

Em função disto, tem razão a pregação de grupos, como o MST, do Brasil seguir o caminho da Venezuela e Bolívia?

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários