Esterilidade das eleições

0

Numa democracia ideal, que talvez tenha existido um dia em algum lugar da terra, os candidatos (a qualquer cargo que seja) seriam todos cidadãos comuns. Eles deixariam suas ocupações, temporariamente e a contragosto, aceitando sacrificar alguns anos de vida para defender sua profissão ou sua categoria e para promover projetos nos quais eles acreditam.

 

Esses cidadãos, impelidos a se candidatar por quem compartilha suas aspirações ou seus interesses, uma vez eleitos, preencheriam seu mandato sabendo que logo voltariam para sua vida anterior, aliás, não desejando nada tão ardentemente quanto essa volta à sua vida anterior.

 

Na contramão desse ideal, cedo na história da democracia moderna, a política se tornou uma profissão, com esta consequência banal: para o político, ser eleito e reeleito se tornou desejável em si.De uma situação em que alguém era escolhido por seus pares e por eles era empurrado a representá-los, passamos a uma situação em que alguém quer ser eleito e deve, portanto, seduzir os eleitores.

 

Para seduzir, os candidatos poderiam elaborar propostas e projetos que cairiam ou não no agrado dos outros cidadãos. Mas esse caminho é, sobretudo, pouco previsível: será que eles gostarão? Mais seguro é recorrer a um marqueteiro, sondar os cidadãos, descobrir o que eles pensam e propor ao eleitorado logo o que a sua maioria deseja. For a as poucas exceções de alguns candidatos outsiders, que se apresentam sem máscara, é difícil saber o que um candidato pensa. Em geral, ele nos apresenta, digamos assim, sua máxima aproximação possível do que, segundo as pesquisas de merca do, é a opinião d os eleitores.

 

Ou seja, o que escutamos de um candidato é o que ele pode dizer sem contradizer a expectativa da maioria. Evidentemente, essa necessidade de oferecer ao eleitor o que ele deseja ouvir pode ser limitada por vários escrúpulos: o candidato evitará deturpar totalmente a sua história ou contradizer as suas convicções fundamentais.

Mesmo assim, quando o candidato discorda radicalmente do que pensa a maioria dos cidadãos, ele se expressa por omissão, cala-se, suspende seu juízo para não afastar os eleitores. O mesmo acontece quando se trata de questões em que é difícil determinar o que os eleitores gostariam de ouvir.

 

Minha simpatia vai, espontaneamente, para os políticos que não parecem se importar com o que pensam os eleitores. E meu discurso político ideal é a breve fala de Churchill, aceitando o cargo de primeiro ministro, em 13 de maio 1940: “Não tenho nada para lhes propor, se não sangue, esforço, lágrimas e suor”. Claro, não era um discurso para ser eleito; além disso, era o começo da Segunda Guerra Mundial, e, naquela situação, não era preciso seduzir: o consenso era quase garantido. Mesmo assim, a grandeza da alocução, a razão pela qual ela ainda é lembrada, está no fato de que Churchill tratou os cidadãos como gente grande.

 

Ora, nas campanhas eleitorais atuais (não só nesta e não só no aqui no Brasil), é fácil ter a impressão de que somos tratados como idiotas. Não é surpreendente, pois, muitas vezes, que o que os candidatos propõem à nossa apreciação é uma espécie de mínimo denominador comum de nossa própria “inteligência”.A experiência de escutar a propaganda eleitoral é consternadora, não pela suposta “miséria” do discurso dos candidatos, mas porque a propaganda tenta nos seduzir com a miséria de nosso próprio pensamento em seu mínimo denominador comum, que é próximo da idiotice.

 

Nos casos piores (mais raros, por sorte), os candidatos competem pelos cantos mais escuros de nossa estupidez coletiva e individual. É o truque do político fascista: ele me permite votar no que eu tinha vergonha de pensar. De qualquer forma, no jogo eleitoral moderno, ninguém cresce: nem os candidatos (que não precisam pensar nada de novo), nem nós eleitores (que apenas ouvimos o que já estava em nossa “inteligência” mínima comum).

 

Em suma, o que deveria ser o grande momento da vida democrática dá prova de uma extraordinária esterilidade: nenhuma invenção, mas, ao contrário, uma condenação de todos, eleitores e candidatos, à mediocridade. Como diz o Tiririca, mestre em nos seduzir com nossa própria estultice, pior que tá não fica.  (Texto de Contardo Calligaris, psicanalista italiano radicado no Brasil e colunista da Folha de S. Paulo)

 

Carlos Alberto Menezes no STJ I

Em seu twitter, no dia 29 de agosto, o advogado sergipano Cezar Britto, ex-presidente da OAB-SE e ex-presidente da OAB nacional, escreveu: “Uma vaga aberta para o STF. No STJ, são três. Espero que os escolhidos tenham na pessoa humana o seu rumo”. Essas três vagas, no STJ, pertencem à advocacia. Portanto, advogados deixarão a militância e passarão a vestir a toga de magistrado. Daí, ter vindo a calhar a expectativa de Cezar Britto, quanto ao humanismo dos selecionados. E isso porque tal expectativa traz uma pergunta: que tipo de advogado militante teria na pessoa humana seu rumo? Aquele que, apenas a título de exemplo, pôs a vida em perigo, durante a ditadura militar, enfrentado, inclusive, a violência policial direta, ou aquele que, pugnando valores neoliberais, defenderia o grande-capital, que enche a pança de banqueiros e multinacionais?

 

Carlos Alberto Menezes no STJ II

Desde o início, este jornalista esperava que, dentre os quase cinqüenta advogados inscritos, os intelectuais de esquerda do nosso país, neles incluídas importantes lideranças sergipanas (que sofreram as agruras do regime de exceção), apoiassem aqueles que, nos porões do exército, foram vítimas de sevícias, como afogamentos, choques elétricos (nas mãos e nos genitais), socos, pontapés etc. Nossa expectativa foi materializada ontem, domingo 12, quando os 81 conselheiros federais dos 27 estados-membros, mais seis ex-presidentes da entidade (membros honorários vitalícios, dentre os quais Hermann Assis Baeta, José Roberto Batocchio, o ex-ministro da justiça Márcio Tomás Bastos etc.), escolheram o sergipano Carlos Alberto Menezes, de 54 anos, para compor uma das três listas que será entregue ao presidente do STJ, Ari Pargendler.

 

Carlos Alberto Menezes no STJ III

Sobre Carlos Alberto Menezes, mais especificamente, o blog redigirá um editorial especial para a coluna de amanhã, 14. Por enquanto, basta que o leitor saiba que, dos 33 votos possíveis no conselho federal da OAB, ele obteve 29, uma vitória esmagadora para Sergipe. Por conta dessa destacada votação, Carlos Alberto ficou como o 2º colocado da 1ª das três listas que irão ao STJ, ou seja, a lista que contém os nomes mais bem posicionados. Aliás, Carlos Alberto é o único ex-presidente da OAB a figurar nas listas (ele foi o presidente da OAB-SE que assinou as carteiras de advogado de Cezar Britto e do governador Marcelo Déda). Poderá, também, ser o primeiro preso político (torturado) a alçar a cadeira de ministro do STJ. Muitos não sabem, mas, por causa de suas origens ligadas ao PDT (agremiação política que Dilma Rousseff, antes de ir para o PT, integrou), Carlos Alberto foi preso, em 1976, na famigerada Operação Cajueiro. Sobre a prisão de Carlos Alberto, este jornalista sugere a leitura do artigo que Milton Coelho publicou no Jornal do Dia, de 21 de fevereiro deste ano, escrito em “comemoração” à passagem dos 34 anos dessa repugnante ação do governo militar (ver http://br4.in/foZAD).

 

Eduardo Ribeiro: parabéns pela disputa e excelente exposição

Também merece realce a relevante participação do valoroso advogado Eduardo Ribeiro, que obteve 06 votos e contou com o apoio logístico do grande Clóvis Barbosa, conselheiro do TCE-SE, o qual, inclusive, estava ontem, 12, no conselho federal da OAB, acompanhando de perto a formação das listas sêxtuplas. Este jornalista viu, pela TV OAB, a sabatina de Eduardo Ribeiro, achando-a de altíssimo nível. Se o STJ, todavia, perdeu a possibilidade de ter, em Eduardo Ribeiro, um dignificante ministro, ganhou a advocacia sergipana, que permanecerá testemunhando o brilho de sua destacada atuação.

 

OAB divulga três listas

Depois de dois dias em sessão extraordinária neste fim de semana, o Pleno do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil, conduzido por seu presidente, Ophir Cavalcante, concluiu hoje ontem, às 22h15, a formação das três listas sêxtuplas para o preenchimento de vagas de ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) destinadas à advocacia, dentro do chamado Quinto Constitucional. As três listas de nomes, escolhidas numa eleição à qual concorreram 41 candidatos, se destinam a preencher vagas abertas em decorrência das aposentadorias dos ministros Antônio de Pádua Ribeiro, Humberto Gomes de Barros e Nilson Naves. Elas serão agora encaminhadas ao STJ, que, por sua vez, as reduzirá para três listas tríplices, enviando-as em seguida ao presidente da República, que é o responsável pela indicação final dos três nomes de  ministros do STJ. Os indicados serão sabatinados pelo Senado Federal, que precisará aprová-los para que sejam nomeados pelo presidente da República.

 

Primeira lista

Seguem as listas sêxtuplas escolhidas hoje pelo Conselho Federal da OAB, por ordem de votação: 1ª Lista – para a vaga decorrente da aposentadoria do ministro Antônio de Pádua Ribeiro: Edson Vieira Abdala (PR), Carlos Alberto Menezes (SE), Márcio Kayatt (SP), Alexandre Honoré Marie Thiollier Filho (SP), Ovídio Martins de Araújo (GO) e Antonio Carlos Ferreira (SP).

 

Segunda lista

Para a vaga decorrente da aposentadoria do ministro Humberto Gomes de Barros: Fábio Costa Ferrario de Almeida (AL), Rodrigo Lins e Silva Cândido de Oliveira (RJ), Aniello Miranda Aufiero (AM), Sebastião Alves dos Reis Junior (DF), Rogério Magnus Varela Gonçalves (PB) e Alde da Costa Santos Júnior (DF).

 

Terceira lista

Para vaga decorrente da aposentadoria do ministro Nilson Naves: Bruno Espiñeira Lemos (BA), Reynaldo Andrade da Silveira (PA), Mário Roberto Pereira de Araújo (PI), Elarmin Miranda (MT), Esdras Dantas de Souza (DF), Ricardo Villas Bôas Cueva (SP).

 

Clareza do texto do petista

O texto publicado no blog, no último sábado, de um militante petista, com o título  Desafio de raciocínio lógico para o PT”, mostrando a situação dos filiados do partido nesta eleição foi alvo de elogios através de e-mails, comentários e telefonemas. Muitos petistas elogiaram a clareza do texto ao expor o momento atual da política sergipana. “É de uma serenidade e clareza incomum e retrata a situação dos petistas da base, que levaram Deda e seus companheiros a posição atual e, hoje, estão colocados a margem de todo processo em função do poder pelo poder. Bravo Companheiro!”, disse uma importante liderança do partido, que também pediu a preservação do seu nome por conta das cismas, não só infantis, mas também antidemocráticas.

 

Almeida “brinca” com a Justiça Eleitoral

Quem percorre as avenidas de Aracaju diariamente já percebeu que o candidato a deputado federal Almeida Lima insiste em colocar nas principais vias cavaletes que são proibidos pela legislação. Ele já foi punido, mas continua porque, com certeza, entende que o custo benefício lhe é favorável. Ontem, 12, no mercado central ele colocou dezenas de cavaletes com a imagem dele nas calçadas.

 

Impugnação de candidatura

Um membro da Justiça eleitoral questionado por este blog disse que Almeida Lima pode ter a candidatura impugnada porque insiste em descumprir a legislação. O pensamento dele: “Eu descumpro a lei, depois vem uma ordem para que o material seja retirado. Depois descumpro de novo, agora em outro local. Faço isso várias vezes e a penalidade é a perda do material. E só. Bom né não?”

 

AI-5 em Sergipe I

O advogado Gilton Garcia, lança hoje, 13, à partir das 18h, na sede da OAB-SE, o livro “AI-5 em Sergipe – 40 anos Depois – A História passada a Limpo”. O livro tem prefácio do governador Marcelo Déda e depoimento do jornalista Luiz Eduardo Costa. O livro é o resultado das memórias de Gilton Garcia e um resgate histórico da perda do mandato dele como deputado estadual. Gilton, mostra que não foi cassado por corrupção – como o regime militar passou para a sociedade – mas porque era um líder político em ascensão, com 21 anos já era deputado e presidente da Assembleia.

 

AI-5 em Sergipe II

“O advogado Gilton Garcia pagou um alto preço por ser político, jovem, que acumulava sucessos na vida pública. Naquele tempo, as exclusões sociais, cultivadas e admitidas por uma boa parte das nossas elites, carregavam insuspeitos preconceitos. Uma família saída da pobreza do interior, que tivera ascensão social por meio da luta política, da qualificação acadêmica, e que transitava no poder, era algo incomum. Além do mais, Gilton tinha dois tios militantes, comunistas. Na visão dos meticulosos guardiões da segurança nacional, ele seria, geneticamente, propenso à subversão. Assim deixam explícito, as fichas agora finalmente devassadas nos arquivos dos órgãos de segurança”. Eis um trecho do prefácio de Marcelo Déda no livro. Vale a pena conferir é um relato histórico que serve para que os jovens de hoje entendam como uma ditadura pode manipular os fatos e mudar a história.

 

Do Correio de Sergipe e as pesquisas

Se fosse outro meio de comunicação o leitor poderia, pelo menos, aceitar e avaliar. Mas o  jornal Correio de Sergipe – aquele cujo blog relembrou na semana passada com diversas pesquisas publicadas – através dos seus colunistas políticos, questionar as pesquisas eleitorais é falta de respeito com o leitor. Aliás, por pura coincidência, com a exceção de Brayner, os outros colunistas são assessores da campanha de João Alves ou de candidatos do DEM. É pura batalha eleitoral…

 

Pesquisa Única

E a pesquisa do instituto Única divulgada no último domingo, 12, no Jornal do Dia, confirmou os índices de diferença de Déda para João Alves, de outras pesquisas divulgadas recentemente (Ibope e Dataform) com 12% de diferença. A margem de erro é 3 pontos para mais ou para menos.

 

Senado Federal

A pesquisa mostrou a consolidação de Valadares em primeiro lugar (43,1%) para o Senado, com uma margem de diferença de 8% para os segundo e terceiro colocados, Amorim e Albano, que estão empatados tecnicamente (35,3% e 34,8%). Desta vez o jornal do Dia publicou corretamente os quadros com as intenções de voto na primeira e na segunda opção e o resultado estimulado nas duas opções.  Já para presidente, Dilma tem 50,1% dos votos e José Serra, 31,5%.

 

Sobrou para o careca

Nos bastidores de uma campanha, um candidato à reeleição de deputado estadual diz que não agüenta mais a pressão do chefe maior, que chama de “Capo”, diminutivo de Al Capone. Ele disse que presenciou, o Capo dando uma bronca num dos auxiliares, que chama de “El careca”, e que neste período eleitoral, viaja mais do que caixeiro viajante pelo interior de Sergipe. De semelhança com o caixeiro viajante de antigamente somente a grande mala, mas o produto – segundo o desabafo do parlamentar – é outro. Na semana passada “El careca” comprou muitos produtos na região do Baixo São Francisco, principalmente em Propriá.

 

Outro caixeiro viajante

Mas não é só “El careca” denunciado pelo deputado que anda como caixeiro viajante pelo interior. Segundo informações, dentro do PT, tem um candidato que tenta pela primeira vez um mandato que arranjou um profissional liberal importante para fazer o serviço para ele em alguns municípios.

 

Comissão de Ética

O profissional de primeira viagem chega meio sem jeito e já arranjou confusão em vários municípios porque está “assediando” as lideranças do próprio PT que votam em outro candidato do partido. O assunto, depois da eleição, deve chegar a Comissão de Ética do PT e com certeza se tornará público.

 

Manejo Integrado de Águas Urbanas de Aracaju

Nos próximos dias 13 e 14 de setembro, no auditório da CODISE, o Banco Mundial em parceria com a SEMARH, estará realizando o Encontro sobre  Manejo Integrado de Águas Urbanas de Aracaju. Participem. Esta é uma discussão técnica muito importante para a capital sergipana. Presente ao encontro, entre outros, o Dr. Carlos Tucci, um dos maiores especialistas em drenagem urbana do mundo.

 

Albano e Amorim disputam espaço na orla

Ontem, 12, o que se viu na orla de Atalaia é como campanhas para o Senado Federal estão “estruturalmente” montadas. Albano e Amorim disputaram palmo a palmo a orla da Atalaia, com bandeiras, carros de som, carreatas e tudo mais. Bem que alguém disse essa semana que a campanha para o senado está começando agora em termo de volume. Parece que até agora o que funcionou mesmo foi a parte comercial.

 

Ibope aponta liderança da candidata do DEM no RN

Pesquisa Ibope apontou a liderança da senadora Rosalba Ciarlini (DEM) na preferência para o governo do Rio Grande do Norte. Ela está com 50% dos votos. Já o governador Iberê Ferreira (PSB) está com 23%. O ex-prefeito de Natal Carlos Eduardo (PDT) surge na terceira colocação com 12%. O candidato do DEM em Sergipe, João Alves, precisa avisar a correligionária que as pesquisas do Ibope não valem.

 

Missa de 7º Dia – Vera Lúcia Costa

A família de Vera Lúcia Costa, ex-funcionária da Petrobras em Sergipe, vem de público informar que nesta  segunda-feira, 13/09, às 19:30 horas, na paróquia  do Conjunto Santa Lúcia, no bairro Jabotiana, em Aracaju, estará sendo celebrada a missa de 7º Dia em sufrágio de sua alma e, aproveitando o ensejo,  agradece a todos que comparecerem a este ato, de fé e piedade cristã.

 

Erros sucessíveis

Deu na coluna Painel da FSP: Alta ansiedade O presidente do PT, José Eduardo Dutra, define o estado de espírito no comando da campanha de Dilma diante da perspectiva de vitória no primeiro turno: “Parece até que o Natal está chegando, mas o dia 3 de outubro não”.

 

Mário Cabral – Vida e Obra

Na sexta-feira, a partir das 19h, no Palácio-Museu Olímpio Campos, Ana Maria Fonseca Medina entrega aos leitores, em noite de autografo, o livro “Mário Cabral – Vida e Obra”, que tem o apoio do Sebrae, Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas e a Fecomércio. Mário Cabral foi um dos mais importantes intelectuais sergipanos, autor de um inigualável “Roteiro de Aracaju” e crítico de cinema. Viveu os últimos anos de sua vida em Salvador, onde era muito querido do mundo intelectual. Leitura obrigatória, portanto.

 

Quanto despeito I

Uma situação muito constrangedora aconteceu semana passada em Itabaiana. Na última quinta-feira, 9, data da inauguração de mais um sistema de abastecimento de água que beneficia a população, obra fruto da parceria entre o Governo Federal e o Governo do Estado, a comitiva do vice-governador Belivaldo Chagas se deparou com uma patrol e uma caçamba, em nome da prefeitura da cidade, realizando ‘obras’ de recuperação da estrada que dá acesso ao povoado Mangabeira, um dos sete beneficiados pela obra governamental e onde vivem algumas das quase 1000 famílias que agora terão água encanada de qualidade.

 

Quanto desrespeito II

Com o serviço feito de forma lenta, propositalmente, a comitiva ficou presa na estrada quando saía

do povoado Mangabeira para o São José, outra comunidade beneficiada. Tudo bem que é preciso manter bem conservadas as estradas vicinais. Mas fazer a manutenção justo no momento em que o vice-governador vai fazer uma inauguração é um tremendo sinal de despeito por parte da administração municipal. Mas o vexame dos vexames foi o fato de que a patrol (foto) nem da prefeitura da cidade era, na verdade estava emprestada da administração de Areia Branca, município vizinho da capital do agreste, já que as máquinas da prefeitura de Itabaiana estão ‘em conserto’ há muito tempo. É uma pena que uma cidade tão grande e forte como Itabaiana veja acontecer gestos tão pequenos e mesquinhos por parte de sua administração.

 

Ato cultural

Hoje, 13, às 17h, no Iate Clube, os artistas sergipanos preparam o Ato Cultural. Foram várias reuniões, um único objetivo: construir um pacto pela cultura sergipana. Uma teia cultural com vários sentidos e um sonho coletivo de ver, no final, o sucesso. O resultado disso tudo é um documento com as 13 propostas para a área cultural nos próximos 4 anos. Trata-se de um pacto que quer ver cada vez mais viva a cena cultural sergipana.

 

Campanha do PCB empolga

A Campanha do PCB Sergipe no Século 21 vem empolgando os filiados e simpatizantes do Partidão. Prova disso é o crescimento de adesões que vem recebendo o candidato Leonardo Dias. Já se pode ver nos carros cujos donos livremente adotam a prática de divulgar os candidatos do Partidão, bem como nos lugares onde Leonardo visita. E a campanha tomou tanto fôlego que agora as investidas estão concentradas no interior, com esse objetivo Leonardo tem visitado diversas cidades como Estância, Pirambú, Itabaiana, Japaratuba, Arauá, Socorro, São Cristóvão, Laranjeiras etc. E ainda passará por mais cidades. 

 

Acollhida

Além disso, o Candidato do Partidão vem recebendo excelente acolhida por parte dos profissionais da Imprensa sergipana, em entrevistas para rádios, TVs, sites, blogs etc. Segundo muita gente, essa atitude receptiva é devido ao preparo que Leonardo vem mostrando durante toda a Campanha, sobretudo, quando pode ser testado em debate com todos os candidatos, como foi o da TV Cidade.

 

Umbaúba promove Expomandioca na próxima quinta-feira

Na próxima quinta (16), o município de Umbaúba, na região sul do estado, será a capital da mandioca de Sergipe. Neste dia, a prefeitura estará realizando a 1ª Expo Mandioca, no povoado Pau Amarelo, a partir das 8h. O evento contará com palestras, exposições, degustação de produtos à base de mandioca, além da inauguração do Centro Técnico Especializado em Farinha e Derivados da Mandioca (CTE) “Padre Joaquim Antunes de Almeida”.

 

Referência para Umbaúba

A Expo Mandioca é mais uma ação do Projeto Municipal da Cadeia Produtiva da Mandioca, lançado em dezembro de 2009 pela prefeitura, e que está inserido na programação do APL – Arranjo Produtivo Local da Região Sul do Estado, sob a responsabilidade da Gerência Regional do SEBRAE.A ideia, segundo o secretário municipal de Agricultura, Edgar Cerqueira, é a de transformar o município em uma referência na produção da raiz e de seus derivados. “A iniciativa conseguiu parceiros importantes que até hoje financiam o projeto”, informa.

 

Papel reciclado

O Sindicato dos Bancários dá mais um passo positivo na área da comunicação. Depois da criação da Rádio WEB, passou a editar o jornal “Resistência” em papel reciclado que, embora mais caro, responde de forma destacada em termos de contribuição ao meio ambiente. Mesmo com a política de reflorestamento, a produção do papel comum não é sustentável. A tendência é ficar cada vez mais escasso. O uso do papel reciclado é, pois, apoiar a luta por um mundo mais sustentável. O informativo do Sindicato dos Bancários de Sergipe é semanal e cada edição tem 4.000 exemplares. De parabéns, mais uma vez, o presidente José Souza e toda sua equipe de colaboradores.

 

Escolas rurais

Recente estudo aponta que há mais escolas rurais do que urbanas, em nosso país. É nelas que reside a maior parte dos problemas com a educação, principalmente no chamado ensino fundamental.

 

Evasão bancária

Os bancários estão, cada vez mais, pedindo para sair dos bancos. Em 2009, 4.922 funcionários do sistema bancário solicitaram demissão, sendo que este número praticamente dobrou, no segundo semestre: 9.119. Os motivos: não suportam as metas impostas pelos banqueiros e nem a redução dos salários, ou seja, a falta de reposição de seu poder aquisitivo. O salário médio de aposentadoria de um bancário é 2.772,78 reais, bem abaixo do salário da ativa. Fonte: MTE/CAGED – DIEESE.

 

Homenagem a Fernando Barbosa

O médico Dr. Fernando Barbosa foi homenageado durante o XVIII Congresso de Perícia Médica, realizado no período de 08 a 11 do corrente mês, no Hotel Parque dos Coqueiros em Aracaju. Fernando Barbosa foi Presidente da Sociedade Brasileira de Médico Perito, nos Biênios 91/93 e 93/95 onde bem representou os médicos peritos brasileiros, pois neste período promoveu a entidade, crescendo o número de filiados. Realizou também três grandes Congressos, sendo eles em Florianópolis, Porto Velho e Recife. Dr. Fernando Barbosa na época da sua presidência, era Médico Perito da Secretaria ds Administração do Estado de Sergipe, do Instituto de Previdência do Estado de Sergipe e Presidente da Sociedade Médica de Sergipe.

Funcionamento do Cinemark I

É preciso registrar que  rede de cinemas Cinemark que marca presença nos dois shoppings de Aracaju tem apresentado algumas falhas em seu funcionamento. Destaque especial para o atendimento das lanchonetes, bastante lento e o repertório de sua rádio “Trama”, do qual fazem parte, sempre, as mesmas músicas, há vários meses. Os frequentadores mais assíduos já não aguentam mais. E o pior é que as citadas músicas são praticamente desconhecidas.

 

Funcionamento do Cinemark II

De outra parte, não há uma uniformidade na exibição de traillers. Às vezes, são exibidos 5 e até 6. De vez em quando, só temos mensagens publicitárias e em seguida começa o filme. E para completar, cite-se a tentativa de substituir o troco por chicletes, chocolate e outros itens, sendo que todos eles têm valor de troca superior ao preço normal dos produtos oferecidos. E nós que pensávamos que o ESCAMBO era coisa do passado. Por fim, cabe uma pergunta: por que Aracaju ficou de fora das praças que passaram a ter equipamentos para projeção de filmes em 3D? Com a palavra, o Cinermark.

 

Colégio Castelo Branco não terá eleição

Devido a reforma do Colégio Castelo Branco o TRE, deslocou várias seções para o CAIC – localizado na Rua São João, s/n – Santo Antônio. Porém, é melhor que o eleitor mantenha contato telefônico com a Ouvidoria – 2106 8777 – ou pelo e-mail – ouvidoria@tre-se.gov.br – para que possa ser informado onde votará. Há a possibilidade da seção do eleitor/consulente funcionar em outro local.

 

DENUNCIE OS CRIMES ELEITORAIS

Ouvidoria do TRE/SE: (79) 2106-8777. E-mail: ouvidoria@tre-se.gov.br ou ainda por correspondência preenchendo o formulário eletrônico no site www.tre-se.gov.br.O prazo para as respostas às consultas é de 03 (três) dias. Na Procuradoria Regional Eleitoral: Enviar, por correio, a documentação endereçada à Procuradoria da República em Sergipe, situada na Avenida Beira Mar, nº 1064, Praia Treze de Julho, Aracaju/SE, CEP 49020-010: Enviar para o e-mail denuncia@prse.mpf.gov.br ou preencher  formulário site www.prse.mpf.gov.br

 

SOBRE ELEIÇÕES

 

Memória política I

 Como o blog vem destacando frequentemente  é importante rememorar os principais fatos da história política do Brasil e de Sergipe, vez que não se pode construir o futuro sem as experiências do passado. Pensando nos jovens de hoje, é que o blog publicado acontecimentos das últimas décadas que contribuíram decisivamente para a consolidação da democracia, ainda carente de novas forças para robustecê-la, mas, sem dúvida, o melhor regime político já formulado e colocado em prática, desde seus primórdios, na Grécia antiga.

 

Memória política II

Em 1983, nos estertores da ditadura militar, ocorre a primeira manifestação a favor de eleições diretas para a presidência da República, convocada pelo Partido dos Trabalhadores. Desse primeiro ato público participaram cerca de 15 mil pessoas. A partir daí, sob o lema “Diretas Já”, o movimento popular cresce. Grandes comícios são realizados nas principais cidades do país. Mas a emenda constitucional que estabelecia o retorno de eleições diretas para presidente não foi aprovada, por falta de quórum mínimo, que era de 320 votos. Houve maioria. Contudo, os votos a favor foram 298. Apenas 22 votos faltaram para que a emenda apresentada pelo deputado federal Dante de Oliveira, do PMDB do Mato Grosso fosse aprovada pelo Congresso Nacional. No ano seguinte – 1985, Tancredo Neves era eleito presidente, mas ainda por via indireta, pelo chamado Colégio Eleitoral. Tancredo Neves obteve 480 votos, contra 180 dados a Paulo Maluf. Começava, então, a “Nova República”.

 

Memória política em Sergipe I

Antes do golpe de Estado de 1964, o último governador eleito pelo povo foi Seixas Dória, em 1962 e deposto pelo regime militar, em abril de 64. Um pouco antes do fim da ditadura, que durou 21 anos – 1964/1985, foram realizadas, em 1982, eleições gerais, exceto para presidente da República, dentro da política de abertura lenta e gradual, iniciada no governo de Ernesto Geisel. Foram os seguintes os governadores de Sergipe eleitos a partir desse período: 1982 – João Alves Filho: 1986 – Antonio Carlos Valadares; 1990 – João Alves Filho; 1994 – Albano Franco; 1998 – Albano Franco; 2002 – João Alves Filho e 2006 – Marcelo Déda.

 

Memória política em Sergipe II

Vale destacar que, em 1986, alavancado pelo Plano Cruzado, o PMDB elegeu os governadores de todos os Estados, à exceção de Sergipe, em que a vitória nas urnas pertenceu a Antonio Carlos Valadares, do PFL. Outra observação importante é a de que Albano Franco foi o único governador reeleito em Sergipe até hoje. O instituto da reeleição começou a vigorar, apenas, a partir de 1998. Com o grande êxito obtido pelo Plano Real, Fernando Henrique Cardoso reelegeu-se, com o mesmo acontecendo com vários governadores pertencentes aos quadros do PSDB.

 

ESPORTE

 

Salesiano é destaque no karatê nos JEPS

Nos Jogos das Escolas Particulares o Colégio Salesiano foi destaque no karatê com a equipe comandada pelo professor Yoakan Jocelis. Foram 12 medalhas de outro, 1 de prata e 3 de prata, graças a motivação dos alunos e pelo apoio recebido dentro da escola. Os campeões: : Givaldo Neta,  campeão de kata e campeão de kumite na categoria 8 e 9 anos de amarela a verde; Rafael Teles,  campeão de kata e kumite 14 e 15 anos de faixa roxa a preta; Thiago Loeser campeão de kata e kumite de faixa amarela a verde 10 e 11 anos; Yonara Yasmim, campeã de kata de kumite e na categoria sub 15 campeã de kata com 3 med. Ouro; Yara Yane campeã de kata na cat. amarela a verde 8 e 9 anos;  Carolinna campeã de kumite de faixa amarela a verde; Luis Felipe campeão de kata de faixa roxa a preta 12 e 13 anos; Brenda Silva vice campeã de kata 12 e 13 anos de amarela a verde; Pablo Victor, 3 lugar em kata de faixa branca a amarela 10 e 11 anos; Jean 3 lugar de kata 16 e 17 anos faixa branca a amarela e Fernadis Nunes, 3 lugar de kata e kumite. Os atletas agradecem também aos patrocinadores.

 

Blog no twitter: www.twitter.com/BlogClaudioNun

 

Frase do Dia

“Uma vaga aberta para o STF. No STJ, são três. Espero que os escolhidos tenham na pessoa humana o seu rumo”. Cezar Britto, ex-presidente da OAB-SE e ex-presidente da OAB nacional, escreveu no twitter em 29 de agosto deste ano.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários