Estudo demorado

0

O presidente da Petrobrás, José Eduardo Dutra (PT), preferiu não fazer uma avaliação do projeto apresentado por Sergipe, para instalação da refinaria de petróleo, em relação aos demais Estados. Confidenciou apenas que todos os governadores “tentaram puxar a brasa para suas sardinhas”. Lógico que a Petrobrás vai fazer uma avaliação de todos e analisa-los, apenas como subsídio para estudos que a estatal fará, neste processo de construção de uma refinaria no Nordeste. Nada mais que isso. José Eduardo antecipou que os projetos dos Estados não definem a instalação. Na realidade eles vão servir apenas para ajudar nos estudos e avaliação, que a equipe designada pela Petrobrás dirá onde a refinaria poderá ser construída. Não quis dizer com isso que esses projetos não sejam importantes, mas a indicação do local, onde será fincada uma nova refinaria, será feita por especialistas da estatal. Tudo será levantado minuciosamente, dentro dos rigores técnicos da Petrobrás, que são extremamente exigentes. Um dado pouco animador para todos os Estados pretendentes foi revelado por José Eduardo Dutra: as análises para verificação do local de instalação da refinaria podem sofrer atraso. É que os estudos para localização deveriam começar este ano, porque o início da construção estaria previsto para 2006 e a produção em 2008. Entretanto, houve uma retração no mercado e isso pode retardar o início das obras, que será elastecido para 2008, com perspectiva de funcionamento em 2010. O organograma anterior poderá acontecer, mas se houver uma reação de mercado. Otimista, João Alves Filho tem a mais absoluta certeza que a refinaria será instalada em Sergipe. Acha que o projeto teve boa aceitação do presidente da Petrobrás, José Eduardo Dutra, embora reconheça que a definição não seja exclusivamente dele. Mas, certamente, o seu desejo político de que a refinaria seja instalada no Estado, de qualquer forma conta muito para que isso aconteça o mais breve possível. Apesar da demora numa decisão desse tipo, Sergipe credenciou-se bem, foi buscar parceiros com experiência mundial no setor e está oferecendo uma área extremamente estratégica para a construção da Refinaria. O governador João Alves Filho deseja agora somar forças políticas. Acha que um empreendimento desse porte não pode ser conquistado sem a participação de todos os segmentos da sociedade, independente de ideologias ou tendências partidárias. É necessário que o prefeito Marcelo Déda se engaje neste projeto e use de sua influência em Brasília, principalmente junto ao presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva. Que os deputados e senadores caiam em campo e todos procurem mostrar da importância do lançamento da refinaria no Estado. Será muito bom para todos, sem exceção. Mesmo diante das explicações sobre a pouca influência dos projetos na decisão da escolha, como anunciou José Eduardo Dutra, os parlamentares e técnicos do Estado, que participaram da audiência de entrega do projeto de Sergipe, sexta-feira passada, saíram satisfeitos e otimistas. O deputado federal Mendonça Prado (PFL), por exemplo, disse que, depois de ouvir a explanação do projeto, tem convicção de que a refinaria será instalada em Sergipe. É inegável que uma construção do porte não deixará de ter a participação técnica e política, mas se todos começarem a se levantar, com a força da sociedade civil, Sergipe ficará do tamanho dos demais Estado. Há necessidade dessa união de luta, desse engajamento total, para que o sonho da refinaria atinja a realidade dos estudos técnicos e chegue à viabilidade da construção. Que todos se dêem as mãos. Unido, Sergipe será muito forte… PARQ-TEC O governador João Alves Filho reclamou do presidente da Petrobrás a sua ausência na solenidade de lançamento do Parq-tec em Sergipe. Eduardo tirou uma fotografia da festa dos 50 anos da Petrobrás, com milhares de pessoas, e disse: “sou político como o senhor e não fui a esta festa porque estava em audiências”. CERIMONIAL O deputado federal João Fontes (sem partido) explicou que não compareceu à audiência para entrega do projeto da refinaria a José Eduardo Dutra, porque não foi convidado. Fontes foi informado que houve um problema do cerimonial do palácio dos Despachos, e os convites chegaram atrasados. ESCRITURA O deputado José Carlos Machado (PFL) ironizou o pedido de escrituras das casas derrubadas, feito pelo diretor geral da Defesa Civil Nacional, coronel Pimentel. Segundo Machado, “ainda bem que foram as escrituras, imagina se ele pedisse a foto das casas para ver como elas eram antes?” REUNIÃO O ministro da Integração Nacional, Ciro Gomes (PPS) se encontra amanhã com parlamentares do Nordeste, para discutir os problemas provocados pela enchente. O deputado José Carlos Machado já disse que mostrar a solicitação das escrituras de casas de taipa, feita pelo diretor nacional da Defesa Civil, coronel Pimentel. ENCONTRO A bancada federal de Sergipe deve se reunir hoje, em Brasília, para discutir a gravidade das enchentes no sertão e ver o que juntos poderão fazer. João Fontes acha que é preciso falar com o prefeito Marcelo Déda, para que ele consiga trazer o presidente Lula ou algum ministro da área, para sobrevoar a região. DINHEIRO “O deputado federal Jackson Barreto não pode falar em nome da Petrobrás”, foi o que respondeu o presidente da estatal, José Eduardo Dura (PT), quando foi perguntado se a empresa iria enviar R$ 150 mil para os três municípios sergipanos. Jackson teria dito que em Porto da Folha o dinheiro seria entregue ao padre Antônio, porque não confiavam no prefeito Júlio Santana (PMDB). ALIMENTOS O presidente da Petrobrás, José Eduardo Dutra, explicou que a empresa vai reservar R$ 2 milhões para atender aos flagelados de todo o Nordeste, com a distribuição de alimentos e água. Tudo será feito dentro de um programa vinculado ao Projeto Fome Zero. Não será repassado nada em dinheiro para nenhuma cidade. SUCESSÃO O deputado federal Jackson Barreto (PTB) disse que o prefeito de Aracaju, Marcelo Déda (PT), é inteligente demais para saber que não se faz uma chapa majoritária sem ouvir os partidos aliados. Acha que haverá participação de todos e o vice-prefeito será aquele que tiver as melhores condições e o consenso. PURO SANGUE Jackson Barreto não acredita que Marcelo Déda lançará uma chapa puro sangue. Quando indagado que ele fez isso em 1994, o deputado respondeu: “é um exemplo de que não dá certo”. Reconheceu que a chapa dele com o atual senador Almeida Lima era “sangue puro demais”. Os dois são parentes e hoje inimigos ferrenhos. CANDIDATO Almeida Lima (PDT) é de opinião que os nomes dos aliados que estão postos para disputar as eleições majoritárias em Aracaju, nenhum deles tem chance de vitória. Almeida já decidiu que em nenhuma circunstância o levaria a ser candidato, porque foi eleito para um mandato de oito anos e não pode interrompê-lo. DESANIMADO O deputado federal José Carlos Machado (PFL) notou que o secretário de Turismo, Pedrinho Valadares, está parecendo desanimado com sua candidatura a prefeito. Machado acha que já está no momento de iniciar um trabalho, para alavancar a candidatura pefelista, porque outros candidatos estão nas ruas. VISÃO Pedrinho Valadares disse que se o deputado José Carlos Machado está dizendo isso é porque retrata o pensamento do PFL. Pedrinho, quando estava na Espanha ao lado do governador João Alves Filho, lembrou que precisava conversar sobre política. IRREVERSÍVEL A deputada estadual Susana Azevedo (PPS) garantiu que é candidata à sucessão municipal em caráter irreversível. Está tão segura dos seus objetivos, que se lançará na campanha, independente ou não do apoio do governador João Alves Filho. Notas ANSIOSO O presidente da Petrobrás, José Eduardo Dutra, está ansioso para que seja definido o local de construção da refinaria, porque vem sendo acossado pelos governadores dos Estados pretendentes. Disse que quarta-feira passada em Natal, onde participou de inaugurações, todo mundo perguntava pela refinaria. Já no Rio de Janeiro, onde está a sede da Petrobrás, a governadora Rosinha Garotinho não lhe dá trégua e cobra o tempo todo a construção da refinaria em seu Estado. E assim acontece nos demais Estados. PEDRINHO O secretário de Turismo, Pedrinho Valadares (PFL), nome do partido para disputar a Prefeitura de Aracaju, continua firme em sua posição de não permitir que o PFL não se divida com relação aos seus candidatos. Acha que não tem condições de disputar sem que a legenda feche em torno do seu nome. Ele acrescentou que não vê nenhuma restrição ao seu nome e que tudo está caminhando muito bem até o momento. Admite que sua candidatura só serve se for uma coisa viável para o PFL e o próprio Governo. SERTÃO As chuvas pararam no sertão desde domingo e o pessoal começa a trabalhar para avaliar os estragos. A Chesf comunicou que se não houver chuvas em Itaparica, a vazão do rio São Francisco permanecerá nos 8 mil metros cúbicos por segundo. Há inundações na Ilha do Ouro e em cidades ribeirinhas. Segundo o prefeito de Porto da Folha, Júlio Santana, há 22 dias que as cidades decretaram estado de calamidade pública, mas que até o momento ninguém recebeu sequer um telefonema do Governo Federal. É fogo O governador João Alves Filho cancelou a entrevista que daria ontem a jornalistas, sobre a entrega do projeto à Petrobrás. Considerou que já havia falado tudo. Circulou comentários de que o prefeito de Poço Redondo, Enoque Salvador (PL) havia recebido alimentos do Governo Federal. Ontem, um dos seus assessores disse que Poço Redondo continua sem receber nada do Planalto e só vem sendo atendido pelo Governo do Estado. O prefeito de Porto da Folha, Julio Santana, considera que o Governo do Estado não terá condições de arcar com todos os problemas surgidos com as enchentes. Lembrou que quando o DER vem trabalhar em sua cidade, o prefeito de Poço Redondo Reclama. A recíproca é verdadeira. A meteorologia está anunciando que vai chover no sertão nordestino nestes próximos dois dias. Isso amedronta o pessoal. Ivan Paixão considera que o nome da deputada Susana Azevedo tem um bom respaldo para disputar a Prefeitura de Aracaju. Ivan Paixão acredita que Susana vai passar nas convenções do PPS, previstas para junho. Ivan acha natural o surgimento de novos nomes. Em razão de problemas de saúde, o ex-deputado estadual Laércio Miranda (PFL) tem dito aos amigos que não terá condições de disputar as eleições para vereador de Aracaju. O deputado estadual Adelson Barreto (PTB) tem certeza de que as pesquisas mostrarão que ele é o nome mais forte para disputar a Prefeitura de Socorro. O prefeito daquela cidade, José Franco (PPS), está tranqüilo porque considera que vem fazendo um bom trabalho e conta com o apoio da sociedade. Parlamentares, prefeitos, o governador e outras entidades devem discutir, sexta-feira, os problemas do sertão, para encontrar uma solução através do Governo Federal. Os benefícios pagos pelo INSS no regime geral de previdência podem passar a ser vinculados ao reajuste do salário mínimo. Por Diógenes Brayner brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários