Fidelidade: 3 na berlinda em SE

0

Em Sergipe, três parlamentares, respectivamente nas esferas federal, estadual e municipal tentam passar a ideia que a fidelidade partidária ainda não está em prática no Brasil. Vão quebrar literalmente a cara, se realmente mudarem de partido como vem sendo divulgado pela imprensa.

São eles: Almeida Lima, deputado federal do PMDB, que deseja ser candidato a prefeito de Aracaju e deve ir para o PPS; capitão Samuel, deputado estadual do PSL, que do inicio disse que iria para o PDT e agora deseja ir para o PTB por conta do empresário Edvan Amorim ter assumido a legenda em Sergipe e por último o vereador de Aracaju, Robson Viana, do PT que deseja ir para uma outra legenda reclamando da falta de atenção das lideranças do partido.

Esquecem que já existem vários casos no país de políticos com mandatos que mudaram de partidos pensando que não seriam prejudicados. A única abertura que existe hoje, sem problemas para quem tem mandato é para as novas siglas que foram criadas recentemente. É uma brecha com prazo de um mês a partir do registro da nova sigla.

E não duvide caro leitor, assim que os três mudarem de sigla, se os partidos não reivindicarem os mandatos, os seus suplentes, respectivamente, Fábio Reis (Almeida Lima), Daniel Fortes (Capitão Samuel) e Chico Buchinho (Robson Viana), tomarão as devidas providencias junto a Justiça Eleitoral. E o próprio Ministério Público Eleitoral pode tomar as providencias cabíveis para cumprir a lei independente do partido pedir ou n

A fidelidade partidária chegou para colocar um pouco de ordem no processo político brasileiro. O melhor é uma reforma político-eleitoral com regras mais duras e claras para os eleitores. É preciso que se crie um instrumento de maior controle do eleitor do mandado dos políticos.

É bom para o fortalecimento da democracia.

Aterro do Ibura
Quem não lembra há alguns anos quando a empresa Torre tentou a autorização para instalar um aterro sanitário na região do Ibura e o MPF e o MPE, através da atuação decisiva do procurador Paulo Jacobina e do promotor Rony Almeida não deixaram que os aqüíferos da região fossem atingidos com o aterro. Será que alguém terá  coragem de querer ressuscitar a ideia de instalar o aterro no local? Seria um absurdo!

Defesa Civil
É bom que a Defesa Civil do Estado explique porque em pleno sábado, a tarde, às 16hs, a caminhonete do órgão, de placa NVI 02-84, se deslocava de Aracaju para a Barra dos Coqueiros com a cabine cheia de gente e transportando uma geladeira branca. Com a palavra os responsáveis pelo órgão.

Shopping em Lagarto
Um assessor do governador Marcelo Déda disse ontem que ele não gostou da informação de que o prefeito de Lagarto, Valmir Monteiro, está tentando colocar problemas para a construção de um moderno shopping em Lagarto, pelo empresário Zezé Rocha, só porque ele é seu adversário político. O investimento será de R$ 80 milhões com a geração de 2,7 mil empregos. Uma grande rede de supermercados vai gerar 500 empregos.

Apoio ao projeto
O governo do Estado, através da Seinfra já viu o projeto e gostou, principalmente porque o Estado não terá despesas, já que o empreendimento será construído próximo ao Campus de Medicina da UFS, que terá um sistema viário novo.

Rompimento
Segundo o assessor, o prefeito está querendo doar a um empresário de fora do Estado uma área que não é da Prefeitura, mas do governo estadual onde funciona a sede da Deagro regional e o parque de exposições. Será que Valmir está pensando em romper com o governo estadual?

W1-eMcampo comemora 1 ano! I
Num cenário onde, segundo o SEBRAE, 27% das novas empresas no Brasil fecham as portas antes de completar um ano, a w1-eMcampo comemora, neste mês de agosto (28), o primeiro aniversário desde a constituição da empresa.Para Oscar Wagner, Diretor da empresa: “mais do que um motivo de alegria, o que queremos é compartilhar esse momento com todos aqueles que de alguma forma, direta ou indiretamente, fazem parte desta conquista!”

W1-eMcampo comemora 1 ano! II
Atuando no segmento de informação para marketing, a w1-eMcampo (http://www.w1emcampo.com.br) vem se estruturando para se tornar referência no mercado local.“Sabemos das dificuldades, mas o primeiro passo já foi dado. Que venham agora os próximos 5 anos para quebrarmos mais uma estatística(*)!”, conclui Oscar Wagner.(*) Ainda segundo o SEBRAE, a taxa de mortalidade nos cinco primeiros anos de atividade desse segmento empresarial está em 58%.

Imprudências dos motoboys
É preciso que a SMTT tome uma providência para as imprudências, verdadeiras loucuras, praticas por vários motoboys nos finais de semana por conta do aumento da entrega de comidas nas residências. Além da alta velocidade, a maioria sai cortando os veículos, ultrapassando sinais vermelhos e passando pelos canteiros sem medo de nada. Somente a multa por passar por cima de um canteiro é considerada gravíssima e é mais de R$ 500,00.

Uma pergunta não quer calar I
Se emprestar aeronaves do governo para uso dos chefes de estado, é legítimo, como afirmou Sarney, qual teria sido a desculpa para o empréstimo do mesmíssimo helicóptero ao ex-governador João Alves, que não é chefe de Estado? A imprensa nacional continua destacando o fato, e agora Cid Gomes cometeu a gafe de afirmar que, enquanto governador, também emprestou aeronaves.

Uma pergunta não quer calar II
Cid Gomes: governador não vê problema no empréstimo de veículos do Estado para lazer, como fez José Sarney.O governador do Ceará, Cid Gomes (PSB), afirmou que já cedeu aeronaves do Estado para autoridades – a serviço ou a passeio – e não considera antiético ou abusivo o episódio envolvendo o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP).Durante dois fins de semana, entre o fim de junho e começo de julho, Sarney utilizou um helicóptero da Polícia Militar do Maranhão, governado por sua filha, Roseana Sarney (PMDB), para viagens particulares até sua mansão na Ilha de Curupu (MA). Leia matéria completa: http://www.valor.com.br/politica/988866/cid-gomes-diz-que-ja-emprestou-aeronaves-para-passeio-de-autoridades

Reuniões em Malhador e Salgado I
O fim de semana foi de muito trabalho para o deputado federal Rogério Carvalho  (PT). Ele visitou eleitores nos municípios de Salgado e Malhador. Nesta cidade, ele foi recebido peço vereador Jailton  do Alecrim e Paulinho do Gás em um jantar no povoado Alecrim “ Vim agradecer os votos e colocar o mandato a disposição para esta comunidade. Estou disposto a trabalhar muito para o povo  de Malhador, através de emendas para obras e o que tiver ao nosso alcance”, comentou o deputado.

Reuniões em Malhador e Salgado II
Depois da visita a capital sergipana do inhame, Rogério foi a cidade de Salgado onde participou da posse do presidente local do PHS, Ribeiro da Estação. Na ocasião, o deputado mostrou-se disponível para ouvir os anseios da  comunidade “Sou muito grato por esta atenção, carinho e respeito que  população de Salgado demonstra ter por mim.Sempre que puder estarei nas  cidades sergipanas, nos povoados, nos bairros para ouvir os anseios dos eleitores e com certeza atende-los no que for possível” ,  concluiu Rogério.

Projeto estimula formação técnico-profissional
Criar novos mecanismos de estímulo à formação técnico-profissional de estudantes de escolas públicas, visando ao mercado de trabalho. É com este objetivo que o deputado federal Márcio Macêdo (PT) apresentou um projeto de lei que articula a oferta de 30% das vagas dos cursos de formação técnico-profissionalizante das instituições do sistema S para estudantes de nível médio de escolas públicas gratuitamente.

Entidades privadas
A proposta parte do princípio de que as entidades privadas de serviço social e de formação profissional vinculadas ao sistema sindical são reconhecidas pela qualidade dos cursos profissionalizantes que oferece. São elas: o Sesi/Senai (da indústria), o Senac/Sesc (do comércio), o Sest/Senat (do transporte), o Senar (da agricultura), o Sebrae (da micro e pequena empresa), dentre outros.

Centenário de Menelito Franco I
Esta segunda-feira, 29, é uma data muito especial para toda a família Franco, em especial para o deputado Zé Franco (PDT). Seu pai, Manoel do Prado Franco, mais conhecido como Manelito Franco, estará completando 100 anos de vida. Manelito é o único filho vivo do coronel Albano do Prado Pimentel Franco. Homem simples, humilde, amigo, fiel, tem uma história de respeito ao próximo e trabalho, em especial na Usina Pinheiro. Na política, foi levado pelo seu irmão Augusto do Prado Franco e acabou se elegendo prefeito de Laranjeiras por duas vezes. Uma das suas principais realizações foi a chegada da energia elétrica no município. Também foi diretor da Caixa Econômica Federal.

Centenário de Menelito Franco II
O deputado Zé Franco falou sobre o centenário do pai. "Falar do meu pai é a melhor coisa do mundo, principalmente ele que, junto com a minha mãe, me trouxe à vida. Um homem bondoso e muito dedicado ao trabalho e um pai exemplar. Transformando tudo isso em amor, eu só posso dizer que tenho o privilégio de chamá-lo de 'Seu Manelito', esse pequeno grande homem que é um exemplo de dignidade para toda a sua família". Manelito Franco é casado com Maria de Oliveira Ribeiro e, além de Zé Franco, é pai Da ex-deputada estadual, Célia Ribeiro Franco.

Reunião do PMN sobre as Eleições Municipais de 2012
Com a presença de várias lideranças do Estado,no último dia 27 de agosto, o PMN  (Partido da Mobilização Nacional) sob o comando do Presidente Estadual  Diogo da Graça, do Vice Estadual Professor Clovis Lapa, do Presidente Municipal de Aracaju Antônio Luiz  e várias lideranças de todo o Estado, na sua primeira reunião ficou definido que o Partido terá Pré candidatos em todo o Estado de Sergipe tanto com Vereadores como também para Prefeitos, inclusive em Aracaju onde o Partido conta hoje com nomes como Diogo da Graça, Antônio Luiz e o Juiz aposentado José Rivaldo.

Filiados
Segundo seu Presidente Diogo da Graça, o Partido já conta  hoje com 48 diretórios, mais de 400 novos filiados e acredita que até o dia 07 de outubro, terá diretório em todos os 75 municípios, tarefa que será celebrada próximo mês no Encontro Estadual do Partido que contará com a presença da Presidente Nacional.

Explosão de sons
Um dos grupos mais bem sucedidos do rock brasileiro, que bateu todos os recordes de vendas nos anos 80 com mais de cinco milhos de discos vendidos, estará em Aracaju para animar a festa “RPM Revoluções por minuto”. Isso mesmo! O grupo RPM vai reunir os seus milhares de fãs sergipanos para um revival. O show será no dia 23 de setembro, no Espaço Emes, a partir das 22 horas.

Noite para relembrar os bons tempos
Além de Paulo Ricardo e toda trupe, também sobem ao palco nessa noite que promete ser especialíssima, como participação especial, a banda A Fábrica e o cantor Fábio Ribeiro. Realizado pelo Augustu`s Produções, o evento conta com o patrocínio da Cerveja Devassa e Banese Card e o apoio da Auto Peças Macedo e impacto. Mesas e ingressos individuais à venda na Central do Pré-Caju, localizada no Shopping Riomar. Sem dúvida, será uma noite para reunir os amigos e lembrar os bons tempos.

Campo de futebol do Governo é ocupado
A arena de esportes Jorgival Francisco dos Santos, um campo de futebol construído pelo Governo do Estado de Sergipe para o uso dos times de futebol amador do povoado Robalo, foi ocupado recentemente por uma suposta ONG.Segundo representantes dos times a ONG teria plantado mudas de árvores dentro do campo e feito uma reforma, adaptando os vestiários para transformá-los em uma residência.

Movimentação
Contam os desportistas que notaram a movimentação em torno da reforma dos vestiários, mas pensavam tratar-se de uma família de desabrigados e por isso não procuraram logo evitar a ocupação.Somente há poucos dias, quando tentavam realizar um mutirão para limpeza do campo, se depararam com as mudas de árvores plantas dentro do campo e foram informados pelos ocupantes que se tratava de uma ONG e que eles, os desportistas não mais poderiam usar o campo.

Cehop doou campo para ONG
A informação dada pelos dirigentes da ONG foi que a Cehop teria doado toda a área interna e externa ao campo para um projeto ecológico. “Fomos surpreendidos com mudas plantadas dentro do campo e com a informação de que o Governo do Estado teria doado o campo para esse pessoal.” Reclama José Firmo, presidente da Associação Desportiva, Cultural e Ambiental do Robalo – ADCAR.

Segundo SEEL, doação não foi concretizada
Segundo Firmo, a representante da ONG não apresentou nenhum documento que comprovasse a doação. “Ela alegou que os documentos estavam com os advogados dela. Aí nós não quisemos por dúvida no que ela estava dizendo”.A Direção da ADCAR procurou logo em seguida a Secretaria de Estado do Esporte e do Lazer-SEEL e tudo foi esclarecido: a suposta ONG havia feito um pedido junto à Cehop para uso da Arena Esportiva, alegando que estaria abandonada pela Comunidade, mas a Direção da Cehop informou à SEEL que não havia concretizado a doação.

Maurício Pimentel disse que a ocupação foi irregular
Na semana passada o Secretário de Esportes, Maurício Pimentel, esteve no local, acompanhado de técnicos e assessores e constatou a ocupação irregular e determinou a saída da ONG. Além disso, reafirmou para os representantes dos times dos povoados de Aracaju, que fará de imediato um paliativo no campo e que no próximo ano a Arena Jorgival Santos entrará no cronograma de reformas de praças esportivas.“A determinação do Secretário Maurício Pimentel foi tranqüilizadora para todos os representantes de times desses povoados, pois nos deu garantias de que teremos nosso campo de volta.”

Histórico
Os chamados “donos de times” dos povoados da Zona de Expansão foram unânimes em afirmarem que só podiam esperam aquela atitude do Governo do Estado, pois o campo tem sua utilidade e sua função, assim como a ONG pode ter também, mas não destruindo o campo de futebol. A Direção da ADCAR entregou aos representantes da Secretaria de Esportes um dossiê, com o histórico dos últimos vinte anos da história de luta dos times da região.

      
PELO TWITTER

Bomba relógio
www.twitter.com/SergipeMax Mto bom dia a todos…da amazonia, uma vitamina de xarope de guarana+casanha do para+amendoim+catuaba+ovodecodorna+gelo para começar o dia.

Respeito as diferenças
www.twitter.com/SauloAragao Os twitteiros cada vez mais mostram sua intolerância. Querido/as  diferenças são inerentes aos seres e as ofensas dos fracos. #força.

Conselho experiente
www.twitter.com/EloisaGaldino Versículo do dia: Não respondas ao tolo segundo a sua estultícia; para que também não te faças semelhante a ele. Pv 26:4.

Caminho da humildade
www.twitter.com/AllyssonProshow Nunca ache que ninguém é melhor que você, e nunca se ache melhor que ninguém. Cada um tem um caminho a seguir e uma lição para APRENDER.”

Vivendo plenamente
www.twitter.com/Gilbertotv O sol nascendo e eu pensando na lua, a lua nascendo e eu pensando no sol. Pra vida ter sentido, curta cada coisa no seu momento. Não atropele.

Quem cala, consente
www.twitter.com/marcos_rm Quem tem medo de abrir a boca não tem o direito de falar.

Choro de pó de arroz
www.twitter.com/marciorocha1 Ser desportista é saber respeitar as diferenças, saber tirar sarro e ser sarreado e acima de tudo respeitar o torcedor adversário.

PARA DEBATE

Sobre os preços da gasolina em Sergipe
O blog pede hoje o apoio dos colegas da imprensa para alertarem a sociedade para iniciarem um movimento em defesa do preço justo dos combustíveis em Sergipe. O  certo é que nos últimos dias houve um aumento de R$ 0,10 na aquisição dos combustíveis pelos postos, mas como os preços são livres tem gente se aproveitando para aumentar bem mais, da forma que melhor entende. Hoje tem posto vendendo de 2,649, 2,689, 2,699, 2,719, 2,729, 2,739, 2,759 e 2,799.

Com a ajuda de alguns amigos e leitores o blog fez um levantamento e relacionou alguns postos que vendiam gasolina pelo preço normal com margem de lucro considerada ideal.

POSTO APERIPE 2 – 2,699
POSTO APERIPE 1 – 2,659
POSTO PRESIDENTE (COELHO E CAMPOS) – 2,699
POSTO PALESTINA – 2,699
POSTO PETROX (BEIRA MAR)- 2,799
POSTO PETROX (ATALAIA)- 2,799
POSTO VALADARES (ATALAIA) – 2,799
POSTO RIOMAR – 2,689
POSTO TRAMAINDAI – 2,668 (BAIXOU O PREÇO 2,499 NO DIA 20/08)
POSTO JARDINS – 2,668 (BAIXOU O PREÇO 2,499 NO DIA 20/08)
POSTO TYRESOLES – 2,689
POSTO MEPS (FRANCISCO PORTO) – 2,799
POSTO COTINGUIBA – 2,899
POSTO PIRANEMA (MELICIO MACHADO) – 2,799
POSTO ALPHA (ATALAIA) – 2,799
POSTO 14 BIS (HERACLITO ROLEMBERG) – 2,799
POSTO PETROX (13 DE JULHO) – 2,799
POSTO VB (JARDINS) – 2,799
POSTO POXIM (TANCREDO NEVES) – 2,799
POSTO TREVO – 2,599

A maioria dos postos acima reajustaram seus preços entre 4 ou 5 centavos na ultima semana. Já os postos que vendiam por 2,45, 2,47 e 2,49 estavam com margem de lucro bruto de 6,5%.

O blog foi informado que em Aracaju, 4 postos estão fechados e outros 4 em situação financeira precária. E mais 7 postos estão a venda em Aracaju.

O certo é que o consumidor quer transparência. Que o sindicato da categoria mostre a real margem de lucro e que o Procon divulgue uma margem percentual que seria o ideal de venda dos combustíveis. Seria uma espécie de orientação para o consumidor procurar os postos que realmente estejam praticando preços justos. E no caso de cartel é só punir. Fazendo este diagnóstico, ganharia não só o consumidor, mas também os postos que trabalham corretamente, sem a ambição do lucro extorsivo.

A corrida dos shoppings no interior – O Estado de S. Paulo – 29/08/2011

Cortada por dois rios que dão à cidade um formato de Y, Marabá, no sudeste do Pará, tem 233 mil habitantes, 11 agências bancárias, quatro bons hotéis, 40 farmácias, 15 restaurantes, 5 supermercados, um Mc Donald"s em construção. O prédio mais alto tem dez andares. Casas Bahia, Renner, Marisa, Magazine Luiza, Lojas Americanas… nada disso existe lá. Até pouco tempo, o shopping mais próximo ficava a 500 km, na capital Belém. Mas apesar das poucas opções, Marabá não pode ser subestimada.

Com projetos de siderurgia e de infraestrutura em andamento, a cidade espera receber R$ 7 bilhões só de investimentos privados até 2015, ano em que, segundo estimativas, já terá o dobro da população. Esse cenário fez brilhar os olhos de quem trabalha com shoppings e colocou a cidade paraense no centro de uma disputa entre empresas do segmento – situação que tem se tornado comum em cidades brasileiras de porte médio, com grande potencial de expansão.

Ao chamar a atenção e despertar o apetite de investidores regionais e nacionais, elas acabaram atraindo mais projetos do que são capazes de comportar. É o caso de Lages (SC), Limeira (SP), Várzea Grande (MT), Sinop (MT), Linhares (ES), Blumenau (SC), Três Lagoas (MS), Ananindeua (PA) e Araguaína (TO). Todas têm dois ou mais projetos em andamento. A maioria deles ainda não aparece na lista de lançamentos futuros da Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce).

Até agora, por enquanto, tem havido uma "seleção natural". As empresas chegam ao lugar, anunciam suas intenções de erguer um shopping e correm para viabilizá-las: vence quem for mais ágil. Isso significa sair na frente e comprar o melhor terreno, conseguir autorização da Prefeitura, levantar recursos e atrair grandes varejistas, as chamadas "âncoras", antes de seu competidor.

Na maioria dos casos, o shopping ganha site na internet e propaganda em outdoor sem ter alvará de construção ou a garantia de que haverá dinheiro para colocá-lo de pé. O terreno às vezes não chega a ser comprado no início do processo. Pode-se combinar com o proprietário que a área será adquirida quando todo o resto estiver encaminhado. O mesmo acontece com as "âncoras": as redes varejistas que toparem fazer parte do empreendimento se comprometem antecipadamente com o empreendedor.

Corrida

Comparando essa disputa com uma maratona, é como se os investidores corressem até a linha de chegada com um "shopping de papel" debaixo do braço e só levassem o negócio adiante depois de terem certeza de que fizeram o melhor tempo. "Ninguém quer dividir um bolo que não pode ser dividido", diz o diretor de relações institucionais da Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (Alshop), Luís Augusto Ildefonso da Silva. "Quem fica para trás, precisa rever seus planos."

Foi o que acabou de acontecer em Marabá. Desde o ano passado, a imprensa local e a prefeitura vêm anunciando a construção de dois empreendimentos na cidade. Um era da paulista Urbia, que recentemente inaugurou um shopping na região, em Parauapebas. O outro é de um empresário local em parceria com a também paulista AD Shopping.

Na semana passada, a Urbia jogou a toalha. A empresa não conseguiu financiamento para execução da obra. "Isso significa que vamos ter de reavaliar nossa estratégia", diz o diretor presidente da empresa, André Agostinho, que estava em Marabá para definir o que fazer com o terreno comprado há dois anos.

Já em obras, o empreendimento da AD Shopping terá 33 mil m² de área bruta locável (ABL), sete lojas âncoras e 170 "satélites", como são chamadas as lojas menores. O projeto também prevê um parque de diversões, uma torre de escritórios e um hotel. "Mapeamos 70 cidades brasileiras durante dois anos e, em cima disso, fomos atrás de alguns negócios", diz Robson Santos, diretor executivo da companhia, com mais de R$ 4,1 bilhões em ativos.

O problema é que o mapa de oportunidades é o mesmo para muitas empresas do setor. "A gente acaba se encontrando por acaso e trombando em terrenos e na prefeitura", conta Agostinho, da Urbia. Derrotado, ele diz que se tivesse esbarrado antes no concorrente, teria proposto uma parceria.

Dois atores têm participação decisiva na definição desse jogo – as prefeituras e as âncoras. Os municípios adotam o discurso de "quanto mais melhor". De olho na geração de empregos e nos investimentos que o empreendimento levará para a cidade, oferecem benefícios fiscais e até terrenos. Em Lages, cidade de 156,7 mil habitantes e dois projetos em andamento, uma das empresas ganhou a área da administração pública.

Empenho municipal

Em Limeira – que, na falta de shoppings até quatro anos atrás, agora terá três empreendimentos – o prefeito determinou a desapropriação do antigo prédio de uma faculdade e o levou à leilão para a construção de um grande centro comercial. "Na verdade, a Prefeitura tem de investir em educação, no social, e não se meter em shopping", diz Silvio Félix da Silva, prefeito da cidade, localizada a 150 quilômetros de São Paulo. "Mas somos um município com 300 mil habitantes e não fazia sentido não ter essa opção aqui. Por isso, atirei para todos os lados."

A cidade já tem um pequeno shopping na região central. O Pateo Limeira começou como uma galeria comercial e foi comprado por um dos sócios da rede mineira de hortifruti Oba! em 2006 – só então ganhou sua primeira âncora e começou a expansão. Com apenas um pavimento de lojas e sem praça de alimentação (interditada em janeiro porque o teto desabou), o shopping tem pouco movimento. "Estamos pagando para trabalhar", diz uma lojista. "Quando inaugurarem os outros dois, ninguém sabe o que vai acontecer com esse aqui."

Aos fins de semana, os limeirenses continuam frequentando os shoppings nas vizinhas Piracicaba e Campinas. "Quando eu quero comer Pizza Hut numa sexta-feira à noite, por exemplo, sou obrigada a sair da cidade e dirigir 40 minutos", conta a pedagoga Renata Gomes. "E eu não sou a única: o estacionamento fica cheio de carros com placa de Limeira". Como ela, a maioria dos moradores quer um empreendimento novo na cidade. Mas dois, avaliam executivos do setor, pode ser um risco. Por enquanto, Vértico e AK Realty, desenvolvedoras dos novos projetos, dizem que não desistirão do negócio.

As redes varejistas, responsáveis muitas vezes por desempatar a disputa, olham para esse cenário com preocupação. "É o mercado que dita a demanda", diz Boris Timoner, diretor de expansão da rede varejista Avenida, âncora que tem concentrado seu crescimento no interior. "Daqui a pouco, começaremos a ter shoppings fantasmas nessas cidades." Duas coisas podem acontecer: as grandes lojas de departamento vão rejeitar um dos empreendimentos e não haverá lojistas regionais suficientes para compor o mix dos centros comerciais. "Isso pode gerar um efeito contrário na economia local, causando prejuízo para pequenos empresários da cidade."

A Renner já adiantou que, em Limeira, não quer ter mais do que uma unidade. "A abertura de outras lojas dependerá de estudos mais aprofundados e avaliação de desempenho da primeira operação", diz Paulo Soares, diretor de operação da companhia.

Para fisgar âncoras como a Renner no interior, empresários de shoppings têm oferecido jantares pomposos aos diretores de expansão das redes e pacotes casados, com espaços mais baratos em empreendimentos de cidades maiores.

Embora o crescimento populacional e de renda no interior do País salte aos olhos em alguns municípios, fazer shoppings nesses lugares exige paciência. Ao contrário do que parece, o sucesso não é instantâneo. "Os moradores são acostumados, por exemplo, a almoçar em casa ou a sair à noite só depois da novela", diz o publicitário Sérgio Molina, especializado em campanhas para shoppings. " O maior desafio é tornar uma ida ao shopping um hábito do interior."

DO LEITOR

TV Sergipe e o jornalismo
Do leitor Valdir Neto: “Tenho lido no seu blog comentários negativos sobre a TV Sergipe e comecei a reparar bem direitinho o comportamento do jornalismo, pude perceber que o senhor tem toda razão. Na sexta-feira passada eles mostraram o jornal da noite direto da cidade de Itabaiana e pasme, no lugar de um repórter para a apresentar o programa eles colocaram um ator, que por não ser do ramo, acabou, de forma atabalhoada, não passando aquilo que eles queriam passar. Certamente o diretor do departamento não conhece do ramo. Será que o sindicato dos jornalistas que tanto luta pela exigência do diploma para alguém exercer a profissão não enxerga essa situação ou fecha os olhos de propósito só porque é uma afiliada da “poderosa” rede globo?”

Blog no twitter: www.twitter.com/BlogClaudioNun

Frase do Dia
“As pessoas perguntam qual é a diferença entre um líder e um chefe. O líder trabalha a descoberto, o chefe trabalha encapotado. O líder lidera, o chefe guia”. Franklin Roosevelt.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários