Flor do recesso

0

Sem muito o que fazer neste período de férias parlamentares, a classe política corre atrás de suposições para conseguir se manter na mídia. Portanto, o disse-me-disse sobre possíveis alianças com vistas às eleições gerais deste ano não passa de uma flor do recesso, que vem a ser o estardalhaço dado à informação sem muita relevância. Agora mesmo, petistas têm ocupado espaços na imprensa para contestar uma possível aproximação com os partidos mais à direita, como se isso fosse coisa do outro mundo. Não é. Em 1996, o então candidato a prefeito de Aracaju, Ismael Silva (PT), solicitou e conseguiu o apoio da senadora Maria do Carmo Alves (DEM). Em 2012, o PP de Paulo Maluf ajudou a eleger o petista Fernando Haddad prefeito de São Paulo. Portanto, enquanto durar o recesso parlamentar, o tom da prosa será o mesmo, embora todos saibam que esse zunzunzum não passa de blá-blá-blá.

Troca de ideias

O governador Jackson Barreto (PMDB) visitou ontem em São Paulo o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Segundo a assessoria do peemedebista, os dois discutiram sobre a conjuntura nacional e política sergipana. Naturalmente, trataram sobre o recente arranca rabo ocorrido entre o PT e o PSB sergipanos, que quase explode a coligação governista.

Quer espaço

E o senador Antônio Carlos Valadares postou o seguinte no twitter: “No projeto político que ajudamos a construir desde 1994, o PSB nunca foi excluído da chapa majoritária em Sergipe. Este é o único espaço que queremos manter”. Pelo visto, Valadares desconfia que o governador Jackson Barreto pensa em reservar para o PSB uma posição secundária na disputa eleitoral deste ano. Será?

Engenharia

O deputado federal Laércio Oliveira (SDD) voltou a defender a instalação em Estância de um campus de engenharia da Universidade Federal de Sergipe. Segundo ele, aquele município se destaca pelo grande número de indústrias. “Por sua potencialidade, Estância possui os requisitos para sediar um campus de engenharia, que formará profissionais para atuar nas empresas da região sul de Sergipe”, discursou.

Não pago

O Movimento Não Pago realiza amanhã (29) um ato de protesto contra um possível reajuste da passagem de ônibus da Grande Aracaju. A concentração está marcada para as 16h30, na Praça General Valadão, devendo a manifestação seguir até o terminal de integração localizado no centro da cidade. Os organizadores do protesto acham que o preço atual da tarifa já é muito caro, pois o serviço oferecido pelas empresas de ônibus é de péssima qualidade. Estão certíssimos!

Mãos ao alto

Levantamento do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiro revela que em 2013 ocorreram mais de 800 assaltos aos cobradores e usuários de ônibus da Grande Aracaju. Os ataques foram mais frequentes às linhas para os povoados Piabeta, Parque dos Faróis, conjunto Jardins e bairro Santa Maria. Segundo o Sindicato, a saída para reduzir os assaltos é ampliar a bilhetagem eletrônico, que reduz o uso de dinheiro no interior dos ônibus.

Novo adjunto

O médico Lúcio Prado Dias foi empossado ontem como adjunto da Secretaria da Saúde de Aracaju. Substitui o também médico Petrônio Gomes, que atuou na gestão da ex-secretária e deputada estadual Goretti Reis (DEM). O novo adjunto disse estar confiante em poder realizar um bom trabalho, pois conhece a competência da nova secretária da Saúde, Leane de Carvalho.

Portas fechadas

As prefeituras vão fechas as portas no dia 11 de abril visando chamar a atenção para o caos financeiro em que vivem. A decisão foi tomada ontem pela Confederação Nacional dos Municípios. Pelo que ficou acertado, além do fechamento das prefeituras, os servidores se deslocarão para Aracaju, onde participarão de uma manifestação no centro da cidade. Os prefeitos exigem que o governo federal abra as torneiras para irrigar os cofres municipais.

Faca no gogó

O ainda líder do governo na Assembleia, deputado Gustinho Ribeiro (PSD), defende que seu partido seja ouvido na formação da chapa majoritária: “Temos 12 prefeitos, três deputados estaduais e vereadores”, disse ele ao jornalista Joedson Telles, do Universo Político. Sobre o desejo do ex-prefeito Edvaldo Nogueira (PC do B) de disputar o Senado, Gustinho acha normal, porém manda uma indireta ao comunista: “Diferente de outros, o PSD não discute política com a faca no pescoço de nossos líderes”.

Do baú político

Não convidem o deputado estadual Francisco Gualberto (PT) e o sindicalista Nivaldo Fernandes para a mesma reunião. Os dois não se suportam desde 2008, quando o petista sacou um facão para Nivaldo. Foi na periferia de Aracaju, durante a disputa pela direção do Sindicato dos Professores Municipais. Quando chegou ao local, Gualberto foi criticado pelo sindicalista, que discursava. Irritado com as insinuações contra ele, o deputado dirigiu-se ao carro, pegou um facão novinho em folha e partiu pra briga. Ao ver que a situação era feia, Nivaldo correu desesperadamente e entrou debaixo de um caminhão estacionado. Controlado pelos professores, Gualberto disse que não queria ferir o desafeto, mas surrá-lo com o ‘pano’ do facão, como se fazia antigamente nas feiras do interior. Levado a julgamento, o deputado aceitou doar R$ 1 mil em latas de leite em pó para uma instituição de caridade e o caso foi encerrado.

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários