Generalidades sobre Diabetes

0

Que graça tem um jardim em uma selva? Mas as rosas mais lindas do mundo estão no deserto. Porque é no deserto que as lágrimas e as boas sementes fazem diferença. Everton Santana

O que é Diabetes?

O diabetes é uma síndrome metabólica de origem múltipla, decorrente da falta de insulina e/ou da incapacidade de a insulina exercer adequadamente seus efeitos. A insulina é produzida pelo pâncreas e é responsável pela manutenção do metabolismo da glicose. Portanto a falta desse hormônio provoca déficit na metabolização da glicose no organismo e, consequentemente, o aparecimento do diabetes. Trata-se de um problema clinico que se caracteriza por altas taxas de açúcar no sangue (hiperglicemia) de forma permanente, quando não são adequadamente tratadas com medicamentos, atividade física e orientação alimentar ( Nutricionista ).

Tipos

Diabetes tipo 1: causado pela destruição das células produtoras de insulina, em decorrência de defeito do sistema imunológico em que os anticorpos atacam as células que produzem a esse hormônio. O diabetes tipo 1 ocorre em cerca de 5 a 10% dos pacientes com diabetes.

Diabetes tipo 2: resulta da resistência à insulina e de deficiência na secreção de insulina. O diabetes tipo 2 ocorre em cerca de 90% dos pacientes com diabetes.

Diabetes Gestacional: é a diminuição da tolerância à glicose, diagnosticada pela primeira vez na gestação, podendo – ou não – persistir após o parto. A causa exata do diabetes gestacional ainda não é devidamente conhecida, porém se estima que a resistência a produção de insulina proporcionada pela placenta, pode ser um fator causal importante!! Por isso quanto mais gestações a mulher tiver maior a probabilidade de desencadear um quadro de Diabetes gestacional e/ou clinico.

Outros tipos de diabetes: são decorrentes de defeitos genéticos associados a outras doenças ou ao uso de medicamentos. Podem ser: diabetes por defeitos genéticos da função da célula beta; por defeitos genéticos na ação da insulina; diabetes por doenças do pâncreas exócrino (pancreatite, neoplasia, hemocromatose, fibrose cística etc.); e por defeitos induzidos por drogas ou produtos químicos (diuréticos, corticoides, betabloqueadores, contraceptivos etc.).

Diabetes tipo 2 resulta da resistência à insulina e da deficiência na secreção dessa substância.

visão geral

sintomas

tratamento e cuidados

convivendo (prognóstico)

prevenção

encontre um médico

Sintomas de Diabetes

Principais sintomas do diabetes tipo 1:

vontade de urinar diversas vezes

fome frequente

sede constante

perda de peso

fraqueza

fadiga

nervosismo

mudanças de humor

náusea e vômito.

Principais sintomas do diabetes tipo 2:

infecções frequentes

alteração visual (visão embaçada)

dificuldade na cicatrização de feridas

formigamento nos pés e furúnculos.

Tratamento de Diabetes

O tratamento correto do diabetes significa manter uma vida saudável, evitando diversas complicações do diabetes que surgem em consequência do mau controle da glicemia. Os principais cuidados para tratar o diabetes incluem:

-Prática de atividade física e controle do peso

O exercício físico regular é importante para todos. É ainda mais importante se a pessoa tem diabetes tipo 2. Isso porque a atividade física melhora o fluxo sanguíneo e a pressão arterial, além de ajudar a reduzir as taxas de glicose no sangue. Exercícios também queimam calorias e gorduras extras, controlando o peso e consequentemente ajudando no controle do diabetes.

Consulte o médico antes de iniciar qualquer programa de exercícios. Pessoas com diabetes tipo 2 devem tomar precauções especiais antes, durante e depois de atividades físicas intensas.

-Controle da dieta

É importante seguir uma dieta bem balanceada. Algumas pessoas com diabetes tipo 2 podem parar de tomar medicamentos depois de perder peso (embora ainda tenham diabetes). É importante reduzir o consumo de doces e carboidratos simples, como massas e pães brancos – isso ajuda a reduzir os níveis de glicose no sangue. Caso tenha dúvidas, procure um Nutricionista.

-Insulina

Todos os portadores de diabetes tipo 1 precisam tomar insulina diariamente, porém nem todos os pacientes com diabetes tipo 2 necessitam dessas doses. No entanto, em ambos os casos é importanta fazer o autoexame para verificar sua glicose em casa.

Para fazer essa medida é necessário ter em casa um glicosímetro, dispositivo capaz de medir a concentração exata de glicose no sangue. Existem diferentes tipos de aparelhos. Normalmente, a pessoa fura o dedo com uma agulha pequena chamada lanceta. Uma pequena gota de sangue aparece na ponta do dedo. Coloca-se o sangue em uma tira reagente que é inserida no aparelho. Os resultados aparecem em cerca de 30 a 45 segundos.

O médico ou outro profissional que trabalhe com diabetes ajudará a definir um cronograma de testes feitos em casa. O médico o ajudará a definir as metas relativas às taxas de glicose do paciente, que deve se basear nos resultados dos testes para alterar as refeições, suas atividades ou os medicamentos e, assim, manter os níveis de glicose normalizados. Este procedimento pode ajudar a identificar as altas e as baixas taxas de glicose no sangue antes que causem problemas.

O prolongamento da hiperglicemia (altas taxas de açúcar no sangue) pode causar sérios danos à saúde:

As complicações do diabetes incluem:

Retinopatia diabética: lesões que aparecem na retina do olho, podendo causar pequenos sangramentos e, como consequência, a perda da acuidade visual.

Arteriosclerose: endurecimento e espessamento da parede das artérias

Nefropatia diabética:alterações nos vasos sanguíneos dos rins que fazem com que ocorra uma grande perda de proteína pela urina(microalbuminuria ).Infelizmente com a continuidade do problema renal, o órgão pode reduzir a sua função lentamente, mas de forma progressiva até a sua paralisação total, quando invariavelmente poderá necessitar fazer diálise ( peritoneal ou hemodiálise )

Neuropatia diabética: os nervos ficam incapazes de emitir e receber as mensagens do cérebro, provocando sintomas, como formigamento, dormência ou queimação das pernas, pés e mãos, dores locais e desequilíbrio, enfraquecimento muscular, traumatismo dos pelos, pressão baixa, distúrbios digestivos, excesso de transpiração e impotência.

Aprenda SEMPRE a evitar as complicações do diabetes, a Prevenção deve sempre comandar a Vida do portador de Diabetes…

Pé diabético: ocorre quando uma área machucada ou infeccionada nos pés de quem tem diabetes desenvolve uma úlcera (ferida). Seu aparecimento pode ocorrer quando a circulação sanguínea é deficiente e os níveis de glicemia são mal controlados. Qualquer ferimento nos pés deve ser tratado rapidamente para evitar complicações que podem levar à amputação do membro afetado.

Infarto do miocárdio e acidente vascular: ocorrem quando os grandes vasos sanguíneos são afetados, levando à obstrução (arteriosclerose) de órgãos vitais como o coração e o cérebro. O bom controle da glicose, a atividade física e os medicamentos que possam combater a pressão alta, o aumento do colesterol e a suspensão do tabagismo são medidas imprescindíveis de segurança. A incidência desse problema é de duas a quatro vezes maior em pessoas com diabetes.

Infecções: o excesso de glicose pode causar danos ao sistema imunológico, aumentando o risco da pessoa com diabetes contrair algum tipo de infecção. Isso ocorre porque os glóbulos brancos (responsáveis pelo combate a vírus, bactérias etc.) ficam menos eficazes com a hiperglicemia. O alto índice de açúcar no sangue é propício para que fungos e bactérias se proliferem em áreas como boca e gengiva, pulmões, pele, pés, genitais e local de incisão cirúrgica.

Convivendo/ Prognóstico

Pacientes com diabetes devem ser orientados a:

Realizar exame diário dos pés para evitar o aparecimento de lesões

Manter uma alimentação saudável

Utilizar os medicamentos prescritos

Praticar atividades físicas

Manter um bom controle da glicemia, seguindo corretamente as orientações médicas.

É possível monitorar o controle de glicemia em casa, por meio do teste de “ponta de dedo”

Prevenção

Pacientes com história familiar de diabetes devem ser orientados a:

Manter o peso normal

Não fumar

Controlar a pressão arterial

Evitar medicamentos que potencialmente possam agredir o pâncreas

Praticar atividade física regular.

Procure sempre um Médico para detectar o Diabetes em sua fase inicial, evitando complicações decorrente de uma inércia no diagnóstico e principalmente no tratamento de um problema de saúde tão importante em nossa população.

Uma semana saudável e procure diagnosticar o Diabetes antes que ele possa complicar e atrapalhar Sua Vida, Seu Trabalho e uma convivência Sadia com Sua Família.

MAKTUB!!!

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais