Gilmar Ternura

0

Se o objetivo de levar o deputado Gilmar Carvalho à Comissão de Ética, foi mostrar que na Assembléia Legislativa ninguém é superior, os parlamentares conseguiram. Depois que caiu na real, quando sentiu que estava só numa instituição corporativista, Gilmar foi bater nos gabinetes e conversar com os seus colegas. Continua fazendo isso, agindo politicamente, para evitar maiores danos ao seu mandato. Sentiu, enfim, que não é parlamentar acima do regimento interno da Casa e não tem mais poderes do que os seus colegas. Enfim, é um mortal comum. Desde que viu seu nome aprovado para ser submetido à Comissão de Ética, o deputado Gilmar Carvalho modificou o seu comportamento, em plenário e no radio, procurando um melhor relacionamento com os colegas e até mesmo com as demais autoridades constituídas, sem perder a força do radialista que denuncia, critica e sempre se coloca ao lado dos oprimidos. Gilmar estaria assim, pianinho, como disse um parlamentar, que tem muita coisa contra ele, mas que, ultimamente, até o considerava cortês. Gilmar Carvalho vai continuar conversando com seus pares. Buscando a paz. Vai mostrar que tem espírito de coleguismo e até pedir desculpas, se for necessário, para manter o melhor relacionamento possível dentro de casa. Evidente que Gilmar deve ter sido orientado a agir politicamente e está rezando na cartilha de quem o fez chegar a essa conclusão. Hoje ele está em Brasília e trata de assuntos relacionados ao partido e à manifestação que fará à senadora Heloisa Helena. Aproveita para conversar com a senadora Maria do Carmo Alves e continuará em seu trabalho de amenizar a situação na assembléia e até implodir a Comissão de Ética. O impressionante é que o deputado está mostrando eficiência nesse serviço de mostrar a outra face. É habilidoso e vai mostrando que não foi bem aquilo que todos ouviram o que ele quis dizer. Ontem, um parlamentar que jurava numa punição rígida, dizia que talvez ele fosse apenas advertido. Isso seria o suficiente para acalma-lo e deu como exemplo esse novo Gilmar que fascina e atrai a alguns colegas que tinham divergências com ele. A própria Comissão de Ética, que será instalada na próxima terça-feira, se esvaziou. É que, inteligente, Gilmar saiu de cena e evitou discussões com os colegas, inclusive sobre o que ele disse ou não no rádio. O certo é que, com jeito e certa humildade, ele vai encontrando colegas que até não encontram motivo para qualquer julgamento. O que não é mal, porque se deve reconhecer que Gilmar colabora muito para o fortalecimento do legislativo, mesmo que, às vezes, escorregue e tente reduzi-lo a pó. Certamente a comissão de ética abriu-lhe os olhos. Mostrou a importância da Assembléia Legislativa e deixou claro, sem o mandato ele não terá mais tanta voz. O novo jeito Gilmar de ser pode até esvaziar o que se tinha a expor na Comissão de Ética, que já existe com muito pouco entusiasmo. Gilmar já avisou que, ao retornar a Aracaju, terá uma audiência com o governador João Alves Filho. Vai conversar com ele tudo o que for necessário, em todos os ângulos e garante que sairá do palácio muito mais vinculado a ele. Esse é o novo Gilmar, delicado, amigo, uma ternura. Absolutamente enquadrado na estrutura do regimento interno da Assembléia Legislativa, para refazer o companheirismo perdido. Apenas um aparte: Gilmar só não conversará com três colegas, mas avisa que está aberto ao diálogo. É bom ver o novo Gilmar e a reação que essa postura terá entre os parlamentares. COMISSÃO O deputado Augusto Bezerra (PMDB), que preside a Comissão de Ética da Assembléia Legislativa, marcou para terça-feira a primeira reunião. Augusto Bezerra não vai indicar o relator do processo que envolve o deputado Gilmar Carvalho, o fará por consenso dos demais membros. GILMAR O deputado Gilmar Carvalho (PV) está visitando gabinetes de colegas para explicar o que disse no seu programa, quando se referiu a corja. Pede que, se alguém entendeu como se fosse ofensa pessoal, que compreenda e o desculpe. Alega que não teve essa intenção. REUNIÃO O governador João Alves Filho (PFL) reuniu-se, ontem, com empresários de Sergipe, para discutir o documento apresentado por eles sobre o “Compra/Net”. Discutiram alguns itens e o empresariado explicou a situação da classe. Uma outra reunião está agendada para amanhã. ANIMADOS Alguns empresários deixaram a reunião animados, com a perspectiva do governador João Alves Filho ceder em alguns itens do documento. Apesar da modernidade do “compra/Net”, muita coisa que está no projeto serve para Estados de um comércio bem mais forte que Sergipe. SUSANA A pré-candidata à Prefeitura pelo PPS, deputada Susana Azevedo, conversou ontem com o presidente regional do PTN, Gilton Garcia. Susana considerou a conversa muito boa e acha que dentro de mais uma ou outra reunião, fecha o entendimento para apóia-la. POLÍTICA O governador João Alves Filho (PFL) vai iniciar a tratar da sucessão municipal a partir de agora, coordenando primeiro os municípios do interior. João Alves ainda não está falando em sucessão na capital. Por enquanto, apenas a deputada Susana Azevedo está aparecendo com maior freqüência. MACHADO As declarações do deputado federal José Carlos Machado (PFL), sobre os secretários de Estado, criaram um problema político dentro do Governo. O próprio governador João Alves Filho teve que apagar o incêndio, para abrandar a irritação do seu secretariado. INTERPRETAÇÃO Na realidade o deputado José Carlos Machado não fez acusações, mas alertou que setores do Governo deveriam ter o mesmo entusiasmo, otimismo e euforia do governador. José Carlos ficou entusiasmado com a mensagem lida por João Alves na Assembléia e considerou que o documento serve de lição para levantar o ânimo do pessoal. FLÁVIO O chefe da Casa Civil, Flávio Conceição, atendeu ontem a alguns prefeitos e continua atuando normalmente em sua Pasta. As informações que surgiram em torno de mudanças do secretariado, decorreram das declarações prestadas pelo deputado federal José Carlos Machado. PRODETUR O governador João Alves Filho viaja terça-feira a Fortaleza. Ao lado dos colegas do Nordeste vai reunir-se com o presidente do BID, Enrique Iglesias. A discussão é sobre o Prodetur II e a liberação de recursos para a região. O encontro será no auditório do Banco do Nordeste. AUDIÊNCIA O prefeito de Itabaiana, Luciano Bispo (PMDB) e o deputado Arnaldo Bispo (PMDB) estiveram ontem com o governador João Alves Filho em audiência demorada. A informação é que foram conversar sobre o Governo itinerante, que será instalada naquela cidade dia 15. SUCESSOR Segundo ainda comentários, Luciano teria anunciado que o seu candidato à sucessão municipal é o vereador José Carlos Góes (Carlinhos da Atlética). Luciano já avisou que anunciaria o nome do candidato à sucessão em Itabaiana no dia do seu aniversário (13/03), mas poderá faze-lo durante o Governo itinerante. PRÓXIMO O ex-prefeito João de Zé de Dona (PFL) ainda não sentou com a deputada Maria Mendonça (PSDB), mas já se aproximou dela. João acena que se não for o candidato a prefeito pelo PFL, vai apoiar a candidatura de Maria para a Prefeitura de Itabaiana. Poucos acreditam… Notas PASSOS Advogado de profissão, o deputado estadual Antônio Passos (PFL) confessa que, às vezes, tem dificuldades em saber se uma lei não fere a outra. O Brasil tem mais de 180 mil leis federais e nem computador de boa memória pode armazenar tanta coisa. Passos tem razão, mas o legislativo é culpado. Os advogados, em algumas situações, até que gostam desse negócio, porque complicam e eles ganham dinheiro com as outras complicações. Essa preocupação deve chegar aos parlamentares para rever tudo isso. FUNDO Os prefeitos de Sergipe tomaram um susto ontem pela manhã, ao consultarem as contas bancárias das Prefeituras de seus municípios: pela primeira vez o Fundo de Participação Municipal (FPM) não havia sido depositado. Foi uma correria que só se esclareceu mais tarde, com ligações para o Tesouro Nacional. O Tesouro informou que o depósito foi feito, mas por um problema técnico no Banco do Brasil, não havia aparecido nas contas bancárias, o que só ocorreu por vol do meio dia, mesmo assim com 27% a menos. MANDADOS Um equívoco de quem atualiza o site do Tribunal de Justiça do Estado colocou na internet, para todo o mundo, o mandado de prisão de 27 pessoas envolvidas em roubo de cargas de caminhão. A sorte foi que não prejudicou o trabalho e a Secretaria de Segurança conseguiu prender todos os envolvidos. Seria insensatez não admitir que a Polícia marcou um bom tento ao desarticular uma quadrilha que roubava cargas em Sergipe, envolvendo várias pessoas, algumas delas já detidas e respondendo a processo. É fogo A senadora Heloisa Helena (sem partido) terá uma grande recepção em Aracaju, quando vier receber o título de cidadã sergipana. Se o governador João Alves Filho quiser, o secretário da Saúde, Eduardo Amorim, disputaria a Prefeitura de Itabaiana. João Alves Filho vai precisar trabalhar muito para quebrar arestas em Itabaiana, porque João de Zé de Dona ameaça apoiar candidato de oposição. Uma pessoa foi assaltada três vezes, em 72 horas, ao circular em um dos ônibus que faz a linha do subúrbio. A greve da Polícia Federal trouxe grandes transtornos a aeroportos internacionais, mas em Sergipe o pessoal tem atividade na área do tóxico e contrabando. Todo o Nordeste reconhece o trabalho que o governador João Alves Filho realizou em defesa dos interesses da região. Coincidentemente, quem mais tem brigado com o governador João Alves Filho é o ministro Ciro Gomes, que ele apoiou para presidente da República. A Prefeitura Municipal de Socorro vai promover concurso público e os adversários estão vendo isso como uma jogada eleitoral. O prefeito José Franco está tranqüilo quanto a isso, porque considera que um concurso público nada tem de político. O impasse entre médicos e plano de saúde continua, o que termina atingindo a população, que não tem nada a ver com o problema. Só hoje é que foi liberado o pagamento dos servidores contratados em regime de Cargo em Comissão. Houve a redução de 30%. A partir de amanhã, os sergipanos passarão a comprar o pão a quilo. Quem ganha com esta nova medida é o consumidor. Por Diógenes Brayner brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários