Grama de pedra

0

As denúncias do senador José Almeida Lima (PDT), de irregularidades na Prefeitura de Aracaju, envolvendo a Emsurb e a Secretaria Municipal da Saúde, onde se teria utilizado indevidamente recursos federais para capinagem de postos de saúde, continuam sendo o prato principal em todos os encontros políticos e junto à comunidade. Não se pode negar que Almeida Lima foi contundente e preciso nas denuncias, feitas durante pronunciamento no Senado. Já o prefeito Marcelo Deda (PT), que sempre teve explicações convincentes para a comunidade, foi tímido na defesa. Estranhamente, ao invés de falar diretamente sobre o assunto e adotar medidas decisivas para sua apuração sem subterfúgios, preferiu atacar o patrimônio do senador e o seu passado político, na tentativa de desqualificar a gravidade do fato, posta a nível nacional. Nas ruas, restaurantes e principalmente no calçadão, termômetro da ascensão e queda de um político, corre a piada de que “tirar leite de pedra, tudo bem, mas capim de pedra precisa de explicação”. Ninguém tem dúvida do passado retilíneo do prefeito Marcelo Deda e conhece o seu perfil de seriedade e honestidade. Mas Prefeitura é coisa muito ampla, onde várias pessoas se envolvem e não há como evitar que a erva daninha da corrupção ponha em transe, pessoas que jamais pensaram em ter a responsabilidade de manusear grandes volumes de recursos, com imensa facilidade de utiliza-los da forma que bem entender. As denuncias de Almeida Lima tiveram a participação direta do vereador Antônio Samarone (PDT), que foi intimo da Prefeitura e conhece os caminhos das cobras. A informação é que o problema da Emsurb vai atingir o engenheiro Oswaldo Carvalho, seu presidente, mas que, na realidade, o direcionamento é para um ex-cunhado do prefeito Marcelo Deda, que é o diretor financeiro da empresa. Para dá força à apuração dos graves fatos denunciados, o prefeito Marcelo Deda teria que fazer uma apuração absolutamente transparente, que não tivesse nenhum vínculo com a administração. Nomeasse técnicos do Tribunal de Contas e pedisse ao Ministério Público para acompanhar. Nomear servidores do Município, alguns deles com cargo em comissão, é querer jogar para a platéia e não buscar a possível podridão que pode se encontrar no fundo do poço. Nenhum servidor vai denunciar a Prefeitura, porque teme perder o emprego. No final deve terminar em pizza, que é como sempre aconteceu nas denuncias de governantes de outros partidos e com outras posturas. Marcelo Deda também deveria ter afastado, até a conclusão da auditagem, com todo o cuidado de preserva-los, o presidente da Emsurb, Oswaldo Nascimento, e o secretário da Saúde, Rogério Carvalho, para que ambos não tivessem qualquer influência no que vem sendo levantado. Com os dois em seus devidos cargos, a auditagem tem a mesma segurança de macacos tomando conta de bananas. É preciso lembrar que o prefeito Marcelo Deda se defendeu mal no Senado, através do senador Tião Viana (PT-Acre) e não foi convincente em sua entrevista em Aracaju, exatamente porque não adotou medidas duras, que fizessem a sociedade crer do seu desejo de chegar à verdade. O que resta é esperar para ver como é mesmo que se tira o tal capim das pedras ou se tudo não passou de uma criação maldosa do senador José Almeida Lima. ENCONTRO O governador João Alves Filho (PFL) teve encontro demorado com o seu colega de São Paulo, Geraldo Alckmim (PSDB) e conversaram sobre a reforma Tributária. João Alves Filho o quer como aliado na luta do Nordeste, para que a reforma sofra alterações no Senado Federal. DESCONHECIA O governador paulista revelou que não tinha conhecimento profundo da realidade social e econômica do Nordeste e que gostaria de receber informações. João Alves Filho já enviou para Geraldo Alckmim documentos, relatórios e livros de sua autoria, para que o seu colega se aprofundasse sobre o Nordeste. MACHADO O deputado federal José Carlos Machado (PFL) foi quem intermediou o encontro de João com Alckmim, através do deputado federal Walter Feldmman (PSDB). Foi exatamente Feldmman que se encarregou de levar os documentos enviados por João Alves ao governador paulista Geraldo Alckmin. ENCONTRO O deputado federal José Carlos Machado tinha agendado encontro, ontem, com o prefeito Marcelo Deda, para conversarem sobre emendas do orçamento. Não foi possível porque o prefeito não apareceu. A reunião será agenda para outra data, possivelmente na próxima semana. LOBÃO O promotor Augusto Lobão, da 9ª Vara Criminal, é que está com o processo sobre a fuga de Floro Calheiros, entregue pela Polícia Civil. Caberá agora a Lobão analisar todo o processo e se manifestar sobre ele, depois de analisar os autos. Pode requerer prisões, diligências e outra ação que considerar importante. ENTREGA A resultado do inquérito policial sobre a fuga de Floro Calheiros, que indicia seis pessoas, quando foi lido para a imprensa, não pediu a prisão preventiva de ninguém. Também não há informações de que, ao entrega-lo à Justiça, o delegado Inácio Abelardo tenha solicitado a prisão de algum dos indicados. JERÔNIMO O ex-prefeito de Lagarto, Jerônimo Reis (PTB), disse que o prefeito Marcelo Deda está esperando o resultado da sindicância, sobre as denuncias do senador Almeida Lima, para passar à sociedade. Jerônimo continua em Lagarto e é praticamente certa sua candidatura a uma vaga na Câmara Municipal daquela cidade. CONVENÇÕES O PSDB realizou, domingo, convenções em vários municípios, inclusive em Aracaju. O ex-governador Albano Franco compareceu a algumas delas, mas não se pronunciou. Albano Franco já revelou que este ano participa do fortalecimento do partido, mas em silêncio. Só vai falar sobre política em público no próximo ano. PORTAS ABERTAS O Partido, entretanto, resolveu que deixará as portas abertas para qualquer entendimento na capital e em cidades do interior. A convenção realizada em Propriá foi muito concorrida, inclusive estava lá o prefeito Renato Brandão, que ainda não definiu o partido a que vai se filiar. ALMEIDA O senador Almeida Lima (PDT) garante que não será candidato à Prefeitura de Aracaju, mas que seu partido vai apresentar um nome à sociedade. Diz que as denuncias de irregularidades na Prefeitura são obrigação de um senador que tem o dever de zelar pelo dinheiro público. SAMARONE Confirmou que o vereador Antônio Samarone é um dos nomes que pode ser indicado pelo PDT, como também o deputado estadual Luiz Garibalde. Samarone é quem vem nutrindo o senador Almeida Lima de documentos que podem comprometer a Prefeitura de Aracaju. CANINDÉ A prefeita de Canindé do São Francisco, Rosa Feitosa, mantém-se otimista quanto à disputa para a reeleição. Ela já praticamente iniciou a campanha. Rosa Feitosa está se mantendo a frente das pesquisas de opinião pública, embora Paulo de Deus já com poucos pontos de diferença. FRANCO O prefeito de Nossa Senhora do Socorro, José Franco, desde que o FPM sofreu uma queda real nestes últimos meses e que não se tratou de fantasia dos prefeitos. Mesmo assim, José Franco diz que vai entregar a ponte sobre o rio do Sal e diversas outras obras importantes para o município. Notas ACUSAÇÃO A delegada Meire Belfort, uma das acusadas de participar da fuga de Floro Calheiros, voltou a soltar o verbo, ontem, contra o secretário de Segurança, Luiz Mendonça, inclusive declarando que tem receio de ser assassinada por ele. Meire era delegada de confiança de Luiz, até acontecer o episódio Floro. Ontem, no período da tarde, um advogado que tem cliente no caso, disse que a delegada Meire Belfort disse que “por mais doida que Meire Belfort seja, certamente não inventaria tudo o que denunciou em um semanário”. CONFIANÇA O governador João Alves Filho (PFL) disse, em entrevista numa das rádios, que não conhecia bem Luiz Mendonça, mas que hoje ele tem a sua total confiança e continuará no comando da Segurança em Sergipe. O governador reconheceu que está precisando um trabalho mais firme no setor policial. Admitiu, entretanto, que com os novos veículos adquiridos, com a Polícia de Fronteira e com um trabalho ostensivo, conseguirá reduzir o índice de criminalidade no Estado, que se acentuou nos últimos dias. FONTES O deputado federal João Fonte (PT) disse que não vai se manifestar sobre as acusações de irregularidades na Prefeitura de Aracaju, denunciadas pelo senador Almeida Lima. João acha que qualquer coisa só pode ser dita quando o prefeito Marcelo Deda revelar o resultado da auditoria. João Fontes reconhece que Marcelo Deda tem um passado limpo, honesto e digno e até admite que as denuncias pode ter um endereçamento diferente do Ignácio Barbosa. Mesmo assim tudo tem que ser bem explicado. É fogo Macedo Brilho está voltando a ser candidato à Prefeitura de Nossa Senhora do Socorro e distribuiu um adesivo inteligente. O deputado estadual Adelson Barreto (PTB) também será o nome do partido para disputar a Prefeitura de Nossa Senhora do Socorro. O prefeito de Propriá, Renata Brandão, ainda não se definiu por outro partido. Está de olho no PL e PTB. Há alguns dias, Renato Brandão chegou a divulgar que estava conversando com o pessoal do PT, com o objetivo de retornar ao partido. O deputado estadual Fabiano Oliveira (PTB) esteve solidário com o prefeito Marcelo Deda diante das acusações de Almeida Lima. Até sexta-feira o promotor Augusto Lobão para oferecer denuncia contra os indicados como envolvidos pela fuga de Floro Calheiros. O secretário de Turismo, Pedrinho Valadares, é o nome do PFL para disputar a Prefeitura de Aracaju. Os tucanos não vão lançar candidato à Prefeitura de Aracaju. Apóiam a reeleição de Marcelo Deda. A deputada Susana Azevedo, como pré-candidata à Prefeitura de Aracaju, está fazendo campanha para valer. O deputado federal João Fontes está colhendo dados para fazer pronunciamento alertando para uma mudança no sistema de Segurança do Estado. João Fontes terá uma audiência com o governador João Alves Filho, até quinta-feira, para tratar do assunto. O coordenador da bancada, José Carlos Machado, falta conversar com os senadores Valadares e José Almeida, sobre emendas do orçamento. Por Diógenes Brayner brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários