Há um bom número de projetos na AL

0

A Assembleia Legislativa tem na Casa uma “montanha” de mensagens do governo para apreciar nas comissões técnicas e depois votar no plenário. Mas, as comissões sequer foram convocadas ainda. É como se os deputados ainda estivessem no período pré-eleitoral: há sempre poucos parlamentares em plenário e poucos usando a tribuna para produzir discursos. Na próxima semana serão quatro sessões ordinárias, mas na outra semana o feriado da Proclamação da República vai interromper as sessões ordinárias numa terça-feira. O momento de reunir as comissões é na próxima semana. Entre os projetos que estão parados à espera da reunião das comissões está o de reajuste do sistema policial do Estado. Entre os projetos que estão parados nas comissão, estão: a) o que dispõe sobre o sistema remuneratório dos membros da carreira de Agente Auxiliar de Polícia Judiciária do Estado de Sergipe; b) a transformação de 3 cargos de analista judiciário, sem especialidade, em 5 cargos em comissão de assessor de juiz, símbolo CC5-1; c) o Orçamento do Estado para o exercício de 2017, com déficit de 500 milhões de reais; d) a modificação da competência e a denominação do 6º juizado especial cível da Comarca de Aracaju, alterando a divisão judiciária do Estado; e) o que dispõe sobre a transformação de cargos em comissão e funções de confiança do Quadro de Pessoal dos Serviços Auxiliares do Ministério Público do Estado de Sergipe; f) o que estabelece a tabela de emolumentos para os serviços notariais e de registro do Estado de Sergipe. Há muito mais projetos na Assembleia aguardando apreciação pelas comissões técnicas e depois aprovação no plenário.

Unidade de Criação Mata do Cipó
A deputada Ana Lúcia apresentou indicação à Assembleia pedindo que seja encaminhada propositura ao governador Jackson Barreto solicitando a assinatura de decreto que crie a Unidade de Conservação Mata do Cipó, local onde nasce o Rio Siriri, afluente da Bacia Hidrográfica do rio Japaratuba, “por se tratar de uma área de relevante interesse ecológico para o Estado”. “Os impactos na Bacia do Rio Japaratuba, a exemplo da erosão, uso do solo de maneira indevida, a falta de tratamento de esgotos sanitários, uso de fertilizantes e agrotóxicos, além da erosão vêm destruindo com o passar do tempo esse ecossistema”, frisa a indicação aprovado pelo Legislativo.

Dívidas do primeiro turno
Levantamento feito pelo jornal “Folha de São Paulo”, entre os candidatos do primeiro turno da eleição para Prefeito, mostra aquele que ficou mais endividado: Fernano Haddad, atual prefeito de São Paulo, que herdou uma dívida de 8 milhões e 500 mil reais. Na lista, em nono lugar, está o Prefeito de Aracaju, Sr. João Alves Filho, com um “pendura” de 850 mil e 300 reais.

Como pagar a este mundão de gente?
Suplentes de vereadores que bateram as portas da Justiça conseguiram sua vaguinha na Câmara, para ocuparem as cadeiras dos dez parlamentares afastados pela Operação Indenizar-SE. Serão menos de sessenta dias de mandatos. Mesmo assim vão inchar a folha de pagamentos da Casa, de modo tão absurdo que o presidente Vinicius Porto já se mostrava preocupado onde conseguir a grana extra para pagar a todo mundo. Não adianta pedir à Prefeitura para aumentar o duodécimo. O Prefeito João Alves tem lá seus problemas próprios, devendo a deus e ao mundo e não seria sensível a atender ao pedido. É o caso de se perguntar: por que a Justiça concede o direito da substituição, faltando poucos dias para o término da legislatura? E por que afastar os vereadores envolvidos na Indenizar-SE se faltam tão poucos dias para eles irem embora em definitivo?

Família Odebrecht sente a Lava Jato
A família Odebrecht começou a sentir no bolso o peso da Operação Lava Jato e da recessão econômica. Segundo o balanço da empresa que controla o grupo, a crise que ele atravessa tirou no ano passado R$ 1,1 bilhão das suas reservas de lucro, dinheiro separado pelos controladores para futuros investimentos. É o equivalente a oito por cento da fortuna pessoal dos controladores do grupo, estimada em R$ 13 bilhões pela revista americana Forbes. As perdas devem aumentar neste ano, segundo o balanço. A situação levou os acionistas a se reunirem Salvador, onde fica a sede do grupo, para discutir o futuro dos negócios. A família está preocupada com os rumos da economia e a Lava Jato, que tem a Odebrecht como um dos seus alvos principais. A empresa decidiu colaborar com a investigação do vasto esquema de corrupção neste ano e negocia há meses com o Ministério Público Federal, um acordo de delação premiada, para fornecer informações sobre seus crimes em troca da redução das penas impostas a seus executivos.

    …e para encerrar…
PROMESSA
– O Prefeito eleito de São Pulo, o almofadinha João Dóiria, passou todo o tempo de campanha, prometendo congelamento dos preços das passagens de ônibus da Capital paulista. Não imaginou as consequências dessa medida. O metrô de lá já anunciou sua preocupação pois vai ter queda no faturamento. Mas, a Prefeitura da capital paulista tem dinheiro para bancar tal promessa? Não, tanto que ele acaba de pedir nada menos que 500 milhões de reais ao governo federal para poder cumprir a promessa. Ele congela as passagens em São Paulo e o resto do País paga.
     ***

PARADOS – Os servidores públicos do município de Laranjeiras cruzaram os braços na quinta-feira, em protesto pelo atraso nos salários. O Prefeito limitou-se a dizer que tem feito esforços para atualizar os salários.
     ***
NA ACADEMIA – O Economista Edmar Bacha vem de ser eleito para a Academia Brasileira de Letras na cadeira ocupada até julho por Evandro Lins e Silva.
      ***
MENOS SESSÕES
– A partir desta semana, o Cine Vitória terá menos sessões para frequência dos seus espectadores. O cinema vai funcionar apenas de quinta-feira a domingo. Entre segunda e quarta-feira, não mais haverá sessões no Cine Vitória.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários