Hora da fatura

0

Há quem aposte que a Assembléia colocará um ponto final na enfadonha novela Flávio Conceição, anulando o ato que o nomeou conselheiro do Tribunal de Contas do Estado. Outros, contudo, acreditam que a proposta nesse sentido será abortada antes de chegar ao plenário. Estes incrédulos argumentam que Conceição fez muitos favores à classe política, durante os mais de 20 anos atuando nos bastidores do Poder e, por isso mesmo, não vai jogar a toalha sem antes cobrar a fatura pelos serviços prestados. Aliás, Flávio não nega que sempre preferiu a sombra aos holofotes. Numa rara entrevista concedida ao jornalista Eugênio Nascimento, em 30 de agosto passado, ele afirma: “Sempre fui correto com tudo, fui político, nunca fui de falar em público, trabalhava na política no bastidor”. E completa: “Mas eu fui muito maltratado, muito mesmo, e quero limpar meu nome”. Estaria aí um recado à classe política? Só o tempo dirá. Porém, é ingênuo pensar que, como profundo conhecedor dos meandros da política sergipana, Flávio irá ao sacrifício calado como um bom cordeiro.

Fim dos boatos

O governador Marcelo Déda (PT) recebeu alta hospitalar na tarde de ontem e deixou o hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. Ele estava internado desde o último dia primeiro, quando se submeteu a uma cirurgia para retirada de um nódulo benigno do pâncreas. O governador passa bem e deverá ficar em São Paulo por mais uma ou duas semanas até o seu total restabelecimento. A decisão de manter-se na capital paulista deve-se ao aconselhamento de amigos e familiares. A alta médica destroça a sucessão de boatos dando conta que Déda estava à beira da morte. Que coisa, sô!

Ressaca das vendas

O esforço de marketing da indústria para convencer o consumidor a trocar o carro antes do aumento do IPI levou a uma exagerada antecipação de compras. Por isso, poucos dias depois de viver momentos de euforia, as concessionárias ficaram vazias. O Valor Econômico publica hoje que o número de veículos emplacados nos 11 dias úteis de outubro cresceu quase 20% na comparação com igual período de setembro. Mas, segundo os executivos do setor, os dados ainda refletem a última temporada de mercado aquecido. São carros que foram vendidos a preços mais baixos, no fim do mês, e que estão sendo licenciados agora.

Sem Twitter

O prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira (PC do B) não tem Twitter. É que surgiu um endereço que utiliza indevidamente o nome do prefeito. Edvaldo gosta e freqüenta essas novas tecnologias, mas por enquanto ainda não aderiu à onda do Twitter. Por falar nisso, a Prefeitura de Aracaju está nas redes sociais, com Facebook, Flickr, Orkut, além do Twitter. Logo, logo terá Blog, Podcast e estará no Youtube.

Prazo final

Termina amanhã o prazo para inscrição das chapas que disputarão a próxima eleição da seccional sergipana da OAB, marcada para 20 de novembro próximo. O fato de ninguém ter ainda oficializado o desejo de participar do pleito não preocupa o presidente da Ordem, Henri Clay Andrade. Segundo ele, “isso é natural. Todo mundo deixa para inscrever a chapa na última volta do ponteiro”. Tem gente apostando uma mariola como Henri Clay vai disputar o terceiro mandato. Será?

Desafio Sebrae

Os vencedores da fase estadual do Desafio Sebrae 2009 terão a responsabilidade de
representar Sergipe na semi final nacional, que acontecerá em novembro no Distrito
Federal, competindo com os vencedores dos outros estados. A equipe campeã de Sergipe será divulgada quinta-feira próxima no auditório do Sebrae. Esse ano 1.525
universitários participaram do jogo virtual no Estado, eles administraram uma empresa
virtual que fabrica brinquedos artesanais. Em 2008 foram 1.380 pessoas inscritas.

Cale a boca!

Vela essa: o diretor do FMI, Nicolás Eyzaguirre, disse que a decisão do Brasil de taxar aplicações financeiras internacionais em 2% não pode servir como um pretexto para que o governo adie reformas fiscais e estruturais fundamentais. E quem pediu “pitaco” ao famigerado Fundo Monetário Internacional, que hoje é nosso devedor? Cale a boca, “Nicolau”!

Aparelhos permitidos

Para os que não conseguem ficar livres da tecnologia até mesmo quando estão viajando, é bom que saibam que a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) permite o uso dos aparelhos durante o voo, exceto no momento do pouso e da decolagem. Dessa forma, celulares, que possuem configurações “voo” ou “avião”, notebooks, MP3, MP4 e outros aparelhos que reproduzem música e vídeo, câmeras digitais e outros estão liberados pela agência. A Anac ressalta contudo, que cabe à companhia aérea permitir ou não o uso dos aparelhos.

Imposto zero

Já está em vigor mais uma lei que beneficia as pessoas com deficiência. O deputado
federal Otavio Leite conseguiu incluir nesta lei uma emenda reduzindo a zero a alíquota
do Pis/Pasep e da Cofins cobrada na importação ou na venda no Brasil de cadeiras de
rodas, próteses, almofadas para prevenir escaras (usadas em hospitais) e plataformas
elevatórias (para facilitar o acesso de cadeiras de rodas). Para o sergipano Otavio Leite,
a redução nos impostos representa uma melhora na qualidade de vida das pessoas que
possuem algum tipo de deficiência.

Samarone no Fórum

O superintendente da SMTT, Antônio Samarone, será o palestrante desta terça-feira no
Fórum Empresarial. O auxiliar do prefeito Edvaldo Nogueira (PC do B), vai falar para os empresários sergipanos sobre as ações e os objetivos de sua administração à frente do
órgão. Será às 12h20 durante um almoço no Hotel Aquarius, na Orla de Atalaia. Sob a
presidência do empresário Geraldo Sobral, o Fórum Empresarial se reúne uma vez por mês.

Bom prêmio

O sorteio do da Mega-Sena, que será realizado amanhã, pagará R$ 7 milhões para a aposta que acertar as seis dezenas da faixa principal. O apostador tem até as 19 horas (horário de Brasília) para fazer a fezinha. A aposta mínima – seis números – custa R$ 2. Desde a criação da loteria, o maior prêmio saiu em 1999, quando um sortudo baiano ganhou R$ 64,9 milhões. Então, vai ficar aí parado? Homem, se Deus ajudar e o Diabo não atrapalhar, os R$ 7 milhões podem entrar em sua conta bancária.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários