Impondo estilo

0

Aos pouco, o governador Jackson Barreto (PMDB) vai impondo seu estilo de administrar. Bem diferente do antecessor, o falecido Marcelo Déda (PT), o peemedebista privilegia a política e faz questão de participar de todos os eventos, por menores que sejam eles. Este perfil de político forjado nas ruas já começa a contrariar os adversários. Por outro lado, anima os aliados. Exemplo disso foi dado pelo prefeito de Canindé, Heleno Silva (PSC). Segundo ele, "antes, ninguém queria ser o vice de Jackson. Agora, vai ser uma luta". Ao contrário de Déda, que cultivava o tratamento republicano, o governador não é de passar a mão nas cabeças dos opositores. Com ele, não existe meio termo: ou é aliado ou adversário e pronto. E é com esta disposição que o peemedebista vai disputar a reeleição. E para vencer o pleito, Jackson é capaz de se transformar um trator de esteira e passar por cima dos adversários. Alguém duvida?

Não houve

A Caixa Econômica Federal não realizou qualquer auditoria interna em sua superintendência da Sergipe. Quem garante é Luciano Pimentel, ex-superintendente do banco no estado. Ele deixou o cargo na semana passada, após ter sido denunciado pelo deputado estadual João Daniel (PT) de fazer uso eleitoreiro dos programas sociais da Caixa.

Calma, gente!

A assessoria de comunicação do governador Jackson Barreto (PMDB) distribuiu nota onde ele pede calma ao PSB e PT, partidos que travam uma briga de foice desde a exoneração do superintendente da Caixa Econômica. Na nota, o peemedebista apela “para que questões secundárias não se sobreponham ao objetivo principal do grupo, que é continuar a trabalhar para Sergipe”. Resta saber se os brigões vão atendê-lo!

Haja fumo

Nos últimos 12 meses, a Polícia Federal apreendeu em Sergipe quase 6 toneladas e meia de maconha e colocou atrás das grades 76 traficantes. Também tirou do mercado negro 444 quilos de cocaína e crack, volume 4% a mais do que o apreendido em 2012. É droga suficiente para endoidar um batalhão. Credo em cruz, vixe Maria!

Líder fica

O deputado estadual Gustinho Ribeiro (PSD) não será substituído na liderança do governo. A ideia do governador Jackson Barreto é mantê-lo na liderança no próximo período legislativo que se inicia no dia 15 de fevereiro. Ano passado, Gustinho foi muito criticado por chegar atrasado às sessões e conhecer muito pouco os assuntos debatidos em plenário. É, quem não tem cão caça com gato!

Mudança no TRE

Está marcada para as 10h de amanhã a posse do desembargador Cezário Siqueira Neto na presidência do Tribunal Regional Eleitoral de Sergipe. Vai substituir a também desembargadora Aparecida Gama, que encerra sua gestão durante evento marcado para as 17h desta quinta-feira. Na oportunidade, a magistrada homenageará o governador Jackson Barreto com a comenda da Ordem do Mérito Eleitoral no grau “Grã-Cruz”.

Leve melhora

O ex-deputado estadual e ex-prefeito de Lagarto, Artur Reis, segue internado no Hospital São Lucas, em Aracaju. Segundo a filha, deputada estadual Goretti Reis (DEM), ele teve uma leve melhora em seu estado de saúde, mas continua sem previsão de alta médica. Artur Reis também é pai do líder político Jerônimo Reis e avô do deputado federal Fábio Reis (PMDB).

Minirrefinaria

Será assinado na próxima segunda-feira o protocolo de intenções para a construção de uma minirrefinaria de petróleo em Carmópolis. Orçado em R$ 120 milhões, o empreendimento deve começar a operar em 18 meses. Inicialmente, serão processados 10 mil barris de petróleo/dia para a produção de gasolina, diesel, óleo combustível e combustível de navio. O protocolo será assinado pelo governador Jackson Barreto e o empresário Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobras.

Imundice

É deplorável a falta de higiene na Companhia de Trânsito da Polícia Militar. A denúncia é do deputado estadual capitão Samuel (PSL). Segundo ele, a sujeita existente nas proximidades da cozinha tem sido um atrativo para todo tipo de insetos. O parlamentar promete solicitar à Vigilância Sanitária que faça uma inspeção no local para, se for o caso, interditá-lo. Que horror!

Do baú político

O rompimento político ocorrido em 1985 entre a família Franco e o então governador João Alves Filho (PFL) sobrou de imediato para a diretora da Legião Brasileira de Assistência (LBA) em Sergipe, Leonor Franco, esposa do senador à época Albano Franco (PDS). Unido a Jackson Barreto (PMDB), João moveu paus e pedras para exonerar Leonor. No livro ‘História Política de Sergipe’, o professor Ariosvaldo Figueiredo conta que, em telegrama ao presidente da República, José Sarney, o peemedebista e candidato a prefeito de Aracaju reclamou que “a Nova República estivesse mantendo em cargos chaves pessoas que serviram ao governo repressor”. Numa viagem de Sarney ao exterior, o presidente em exercício Ulisses Guimarães (PMDB) exonerou Leonor. O Jornal O Globo disse que foi vingança contra o ex-governador Augusto Franco (PDS), que teria pedido ao ex-presidente João Figueiredo a exoneração do diretor da Caixa Econômica, Jorge Murad, genro de Sarney. A família Franco ficou ainda mais irritada porque a substituta de Leonor na LBA foi justamente a primeira dama de Sergipe, Maria do Carmo Alves.

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais