Imprensa precisa ser desnudada

0

 

   Caro leitor, nunca a maioria da imprensa em Sergipe foi tão subserviente. A imprensa neste caso são alguns profissionais e quase todos os meios de comunicação. Esta coluna vai publicar os contratos da Secretaria de Comunicação do Governo do Estado com estes órgãos. São contratos que vão desde os jornais diários até jornais semanários. Um deles (semanário) recebe cerca de R$ 300 mil por mês. Um verdadeiro absurdo!

  Em tão pouco tempo vários profissionais foram afastados de emissoras e jornais por conta de “pedidos” do Governo do Estado. Nos programas de rádio, durante os quatro anos foram vários. Pode-se citar, Eduardo Abril, Fernandes Dória, Chiquinho Ferreira em Aracaju. Já no interior, foram tantos, que a relação seria muito extensa.Tudo pro conta do não alinhamento editorial com o governo de plantão. Nos jornais diários a pressão é grande. Justiça seja feita, pelo menos o Correio de Sergipe, da família do governador, não esconde nada.  A mesma coisa ocorre no Jornal da Cidade. Suas linhas editoriais são bem claras. O mesmo não ocorre no outro jornal, que fez um acordo, mas tenta esconder. Alguém conhece o significado da palavra camaleão?

 Mais recentemente o jornalista Ivan Valença, do Jornal da Cidade, por ter feito um trabalho investigativo, com o caso da “presidente da Organização Mundial da Família” (que não existe na ONU), teve sua “cabeça” colocada a prêmio pelos integrantes do governo estadual (há mais de um ano, no mesmo espaço foi à vez do jornalista Luiz Eduardo Costa). Eles tentam cooptar, quando não conseguem tentam desmoralizar tentam prejudicar profissionalmente e tudo mais. Em Sergipe, infelizmente, o baixo valor do piso salarial faz com que os profissionais tenham que trabalhar em mais de um meio de comunicação. Por exemplo, caro leitor, quem acompanha esta coluna e desde o seu início, na Gazeta de Sergipe, passando pelo Jornal do Dia e agora há quase quatro meses na Infonet pode ter notado que nunca foi publicado neste espaço nada sobre a Câmara Municipal de Aracaju. Nem contra nem a favor, com aquelas notinhas piegas e tudo mais. Por uma simples razão, este jornalista é servidor efetivo municipal e trabalha lá há 10 anos. Nem mesmo uma nota sobre o presidente daquele Poder, Zeca da Silva, foi publicada neste espaço. Por uma simples razão: tentar ao máximo, garantir a autonomia do espaço sem a vinculação política. As limitações são claras, mas tanto Zeca da Silva, como o presidente anterior, Sérgio Góes, sempre respeitaram a liberdade profissional deste jornalista.

 A verdade é que cada um deve assumir sua responsabilidade. Por isso a necessidade de desnudar a imprensa e alguns profissionais. Alguns que escrevem colunas políticas montaram verdadeiras estruturas com tentáculos de polvos no poder. Outros, com poucos tentáculos têm o espaço “cedido” a alguns políticos “amigos”. Isso tudo também será desnudado.

  Não se preocupe, caro leitor. Este colunista não tem vocação para santo e nem tem a intenção de ser melhor do que os outros colegas. Mas é preciso separar o joio do trigo. Na imprensa de Sergipe, existem grandes profissionais que têm a condição de trabalhar em qualquer meio de comunicação do Brasil. São bons de verdade. A maioria está tolhida no seu dia-a-dia. Não pode exercer plenamente a profissão de jornalista. O que não se pode aceitar é que colegas estejam passando por sacrifícios financeiros e sejam até motivo de chacota de alguns poucos que vivem do “jeitinho” e dos esquemas, tanto no poder como de gabinetes de políticos.

 Por isso, em nome dos verdadeiros profissionais, daqueles que trabalham conscientemente sabendo que o seu órgão de comunicação cedeu a linha editorial, mas, bravamente, faz a sua parte, é preciso que alguém desnude para o leitor o que ocorre nos bastidores da imprensa. Esta mesma imprensa que não mede palavras na hora de denunciar. Está na hora de sabem “quem é quem” na imprensa de Sergipe. Este colunista tem a certeza que a grande maioria dos jornalistas e radialistas ficará satisfeita. Quanto aos outros, que vista a carapuça, se couber na cabeça tão comprometida…

 

MP fecha os olhos para propaganda governamental  I

Alguns jornais diários estão publicando propaganda governamental mesmo no período eleitoral, quando é proibido. Na edição dos últimos dias 7 e 8, o Correio de Sergipe , teve várias páginas inteiras, coloridas, de localização privilegiada (capas e contra-capas de cadernos) com publicidade que merece a cuidadosa atenção. A Fundação Aperipê tem dois anúncios, a Hemolacen um de página inteira, a Secretaria de Estado da Saúde outra e o Detran outro.

 

MP fecha os olhos para propaganda governamental II

Já no domingo, além do Correio repetir a publicação das mesmas páginas foi a vez do Jornal do Dia  publicar várias páginas do Governo do Estado, até mesmo uma da SSP em forma de matéria, sem a identificação publicitária. Claro que uma parte pelo menos desses anúncios deve ter sido autorizada pelo Ministério Público, afinal propaganda do Governo do Estado é proibida em tempo de eleição. Mas será que essa autorização levou em conta tamanho excesso? Cadê a Procuradoria Regional Eleitoral? Fechou os olhos?

 

Espaço está vermelho

Um leitor indignado entende que o espaço desta coluna ‘avermelhou” nos últimos dias. Este colunista já escreveu e vai repetir, aqui não terá mudança na linha opinativa independente de quem for o governador. Diferente de outros espaços, que de acordo com o resultado de primeiro de outubro mudarão completamente. Talvez o espaço que esteja sendo usado para denuncias é porque na grande maioria dos meios de comunicação, o leitor é cerceado e as denúncias, só são publicadas contra um lado só, das “verdinhas”, em todos os sentidos.

 

  Boss I

  Os boss pernambucanos  de uma campanha majoritária estão na maior saia justa, como tem larga experiência em campanhas políticas sabem que não devem bater como estão batendo, mas a coordenação geral acha que é a ultima gota de esperança e tentam salvar pelo menos a senadora, que já despenca vertiginosamente nas próximas pesquisa.

 

Boss II

  Um dos pernambucanos teve informações seguras que pelo andar da campanha a agencia será responsabilizada pela diferença muito grande que já separa o primeiro para o segundo colocado, se essa diferença ultrapassar os 15 pontos como já se espera, o cano total pode ultrapassar a casa do milhão… de dólares. Arrepare!.

 

 Laranjeiras

 A segunda colocada na ultima eleição municipal em Laranjeiras e que quer assumir o cargo, era a primeira dama na época da eleição do ex-prefeito ACF apoiado pelo então prefeito Zé Sobral, a diferença foi de 135 votos ganhando o Sr. Antonio Carlos. Falaram muito aquela época, que o abuso do poder econômico e da maquina municipal, foi a maior já vista em toda a história política de Sergipe-

 

Aliado de Jerônimo pedirá impugnação I

Embora tenha circulado informações de que o candidato a deputado federal Jerônimo Reis (PFL) já estaria livre da impugnação, um membro da classe política sergipana informou que um candidato que compõe a mesma coligação que Jerônimo, vai aguardar apenas o resultado da eleição para solicitar a anulação dos votos dados a Reis.

 

Aliado de Jerônimo pedirá impugnação II

Segundo o informante, o candidato que pretende anular a votação de Jerônimo, afirma que o novo entendimento do TSE exige de candidatos que tiveram contas rejeitas quando administradores públicos a apresentação de liminar suspendendo a tramitação do processo de julgamento do recurso interposto na Justiça e observa que se o recurso foi interposto para a esfera federal, a  liminar exigida é de um juiz federal e não de um juiz local. Ele entende que dessa forma a liminar concedida a Jerônimo pelo juiz Osório Ramos, não é suficiente para suprir a exigência do TSE. Faltam 19 dias para a eleição e o clima de impugnação de várias candidaturas ainda pode criar surpresa no pleito desse ano.

 

Farinha pouca, meu pirão primeiro…

Questionamentos lúcidos de um leitor: “Se João Fontes (presidente estadual do PDT) pode votar em Heloisa Helena (PSOL), por que Fábio Henrique (presidente municipal do PDT)  não pode votar em Deda (PT)? Neste caso quem destitui Fontes da presidência do PDT?”.

 

Ainda sobre o forasteiro I

Do leitor  sobre o termo “forasteiro” usado no programa do PFL contra Dutra: “Gostaria de fazer algumas considerações sobre pessoas que vieram de fora de Sergipe e que deram” muito certo” e até” muito bem” sem jamais terem prestado os serviços e colaborado tanto para melhoria da vida do povo do nosso querido Estado,como fez o  senador de verdade. Isto sem juntar patrimônio incompatível com a renda pessoal,ou fazer renda pessoal superior ao faturamento de muita empresa de médio porte, tudo isto as custas do dinheiro publico e veja bem jornalista estamos falando de gente grande, que hoje, transformados por obra e graça do executivo com a complacência do legislativo submisso e o pior, no caso de um dos forasteiros,nem condições mínimas tinha para assumir cargos de tanta relevância, que muitas vezes julga politicamente fazendo um verdadeiro estrago na vida de gente muito mais correta e decente”.

 

Ainda sobre o forasteiro II

Continua o leitor: “é realmente o fim dos tempos, a degradação total de uma espécie que deu uma semana de trabalho ao criador, que asco me dão estas criaturas.Caro jornalista poderia passar a noite falando dessas megeras humanas, mas o espaço está acabando, voltarei a te falar sobre os sergipanos que sabiamente vazaram cedo daqui, para brilharem no mundo todo, abrindo espaço para essa canalha, desumana, roubarem barbaramente o parco dinheiro do povo pobre, deste nosso pobre, mas altaneiro “Serjaipe”, capital  Aracastanha, terra das possibilidades impossíveis, mas realizáveis”.

 

Abuso eleitoral em Itabaianinha

“Sou da cidade de Itabaianinha, quero através da sua coluna fazer uma denuncia de arbitrariedades que estão acontecendo nesta cidade. Há duas semanas o prefeito Renildo Santana junto do seu candidato Walker Carvalho reuniram em um clube da cidade

pessoas humildes que recebem o programa do leite para, segundo eles, entregarem um novo cartão. Primeiro o carro de som que avisava a população do evento era o mesmo carro de som que faz a campanha do candidato à reeleição. Entre um aviso e outro um jingle do candidato, chegando ao clube todas as pessoas antes de receberem o cartão tiveram de ouvir um discurso de Walker, do prefeito e companhia e todos tiveram de sair com adesivos colados no peito. Um desrespeito com a população”. A leitora denunciou, será vai ficar por isso mesmo? É fácil comprovar, é só chamar as pessoas que participam do programa.

 

 

Coluna Painel da FSP do sábado

Deu na Folha de São Paulo: “Vale tudo. Panfleto apócrifo distribuído em Sergipe afirma que Marcelo Déda, líder nas pesquisas de intenção de voto, vai “secar” o rio São Francisco, uma vez que Lula, aliado do petista, defende a obra de transposição do rio. O folheto assegura, ainda, que Aracaju terá de ser esvaziada em razão da seca”.

 

Marqueteiro de João Alves repete Susana

Quem lembra da campanha para prefeitura em 2004 quando numa onda de sensacionalismo barato o marqueteiro da então candidata Susana Azevedo exibiu cenas de um caixão com uma criança ao lado de um posto de saúde da Prefeitura. O sensacionalismo foi tão grande que o eleitorado repudiou. Agora, o marqueteiro de João fez quase a mesma coisa com uma criança que morreu no pronto socorro da Prefeitura. Já pensou se fizessem sensacionalismo com as pessoas que morrem diariamente no Hospital João Alves? As pessoas não medem escrúpulos para conseguirem votos.

 

Frase do Dia

“O Brasil cada vez mais amadurece politicamente. São tirados todos os véus. Ou será que o primeiro mensalão foi este? Fala sério, né! Nós sabemos que não. Só espero que isso, pela última vez, seja lavado. Apostou-se no PT, numa postura que o PT foi incorporando de vestal, da santa no bordel: “Estamos aqui, mas isso jamais nos contaminará”. E o que se provou é que não”. Da cantora Fafá de Belém, em entrevista a Folha de São Paulo.

 

 

 

 

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários