Indústria da locação

0

Sem receio de cometer qualquer tipo de equívoco, qualquer cidadão envolvido no dia a dia da economia sergipana, pode muito bem perceber que a indústria que mais cresceu em Sergipe, nestes últimos dez anos, foi a de locação de veículos. Não por parte de empresários ou turistas, que utilizam esse tipo de serviço para facilitar a locomoção na cidade, mas exclusivamente pelo Governo do Estado e prefeituras. São centenas de carros locados que servem às autoridades e seus familiares, num suspeito relacionamento entre locador e locatário. Essa farra precisa ser urgentemente apurada pelo próprio Governo, pelo Tribunal de Contas ou, se possível, pelo Ministério Público, porque é um escândalo que vai fisgar muitos figurões que se colocam acima de quaisquer suspeitas. Há um relacionamento “incestuoso” extremamente corrupto nesse mercado, que não pode permanecer impune e sem qualquer explicação. O dinheiro público rola solto… A maioria das secretarias utiliza o sistema de carros locados, com chapas frias, para que sejam entregues a parentes e até amigos. Funciona, também, essa indústria de placas frias, que é para evitar pagamentos de multas. Esses carros estão em mãos de pessoas que não têm absolutamente nada com órgãos de segurança. Um delegado, que preferiu manter o nome em sigilo para evitar problemas, denunciou que alguns veículos, principalmente “Santana” (WV), enviados a Sergipe pelo Fundo de Segurança Nacional, estão em mãos de pessoas que não pertencem à Polícia. Esses carros foram descaracterizados, com a retirada do nome da Secretaria de Segurança, e repintados, para uso particular. O luminoso de alarme é retirado, duas borrachas vedam o teto e os “Santanas” deixam de integrar a Polícia Ostensiva e se transformam em carros comuns, para uso da família. Um delegado, por exemplo, dá recepções em sua casa e o carro serve para pegar pitus no interior. Outro está construindo uma casa no saco. O carro leva pedreiros. Enfim, é um abuso que precisa ser apurado de qualquer maneira. As placas brancas sumiram e, com isso, só quem conhece sabe que se trata de um veículo que serve ao Estado ou prefeituras. Claro que não se pode generalizar e nem dizer que é uma coisa que se pratica em todos os setores, mas tem pessoas de escalões diversos do Estado e municípios que deixam seus carros nas garagens e usam os locados pelo Executivo. Levam crianças para os colégios, mulheres para os supermercados e salões de beleza, vão às fazendas nos finais de semana e freqüentam bares, restaurantes e todos os ambientes que uma chapa branca denunciaria, mas que se escondem por trás das placas frias. Essa prática tem que se acabar, porque é dessa forma que o dinheiro sai pelo ralo, porque é a somação de várias irregularidades que provocam um rombo nos cofres públicos. Porque não se trata apenas de carros, mas de telefones celulares, que estão em mãos de pessoas oficiais desde quando esse tipo de aparelho invadiu o mundo. E é preciso que se dê um basta nisso, que se evite o excesso de abuso e que se puna quem se empanturra nas mordomias, que saem dos bolsos miseráveis de um povo que não sabe a quem apelar, até porque no judiciário também se pratica esse tipo de ação, fato já denunciado por Plenário. As prefeituras do interior, com exceções honrosas, também entraram no mercado dominante das locadoras. Nos meios políticos se comentam que alguns prefeitos são obrigados a locar veículos de uma determinada empresa, sob pena de terem sua contabilidade vasculhada ou de se por para fora processos que podem penalizar os titulares dessas Prefeituras. Evidente que não se fala em nomes, porque a coisa é bem feita e não há provas, mas se o Ministério Público quiser levantar isso, inclusive os pagamentos feitos pela localização dos veículos, vai chegar exatamente a quem pode estar por trás desse absurdo. É fundamental que se vasculhe esse tipo de corrupção branca, porque todos estão carecas de saber o que existe por trás de uma economia paralela, robustecida às custas da complacência dos poderes… CASSAÇÃO Está certa a expulsão do deputado federal João Fontes do Partido dos Trabalhadores, pelo Diretório Nacional, sem passar pela Comissão de Ética. Ontem, João Fontes recebeu sugestão de colegas para se desligar do partido, mas recusou. “Quero que o PT banque a expulsão”. ACUSAÇÃO O deputado João Fontes acusou o ministro José Dirceu, o presidente do PT José Genoino e o prefeito Marcelo Déda, de arquitetarem sua expulsão. João Fontes disse que lamenta a participação de Déda no processo. “Ele age sempre às escondidas”. Acrescentou que não “voto mais em Déda para nada”. ZOMBANDO O prefeito Marcelo Déda, que se encontra em Brasília, disse que João Fontes está querendo zombar da inteligência do povo. Considerou que João Fontes está aumentando ao cubo “minha influência no partido”. Déda repetiu que é solidário ao presidente Lula e ao PT. ALMOÇO O prefeito Marcelo Déda participou do lançamento de um programa de crédito no Planalto. Depois o presidente Lula lhe puxou pelo braço para uma conversa no gabinete. A conversa durou 30 minutos e os dois saíram para almoçar no Palácio da Alvorada: “em nenhum momento Lula falou sobre João Fontes”. POSSE A posse de Carlos Britto foi muito concorrida. Lá estava presente o mundo político, empresarial e jurídico de Sergipe. O prefeito Marcelo Déda subiu a rampa do STF em companhia do ministro José Dirceu, da Casa Civil. À noite houve recepção no Clube do Ministério Público. JUSTIÇA O jornalista Luiz Eduardo Costa (PL) disse ontem que não se envolve com a política de Canindé do São Francisco. Acrescenta que a única política que prega para Canindé é a Justiça. Luiz participou de reunião em Poço Redondo, semana passada com frei Enoque, Jackson Barreto e Jerônimo Reis (PTB). CANDIDATURA A declaração de Luiz Eduardo é um esclarecimento publicado por Plenário, de que ele defendia a candidatura de frei Enoque a prefeito de Canindé do São Francisco há tempo. Luiz ainda esclareceu que em nenhum momento foi aventada a possibilidade de frei Enoque disputar a Prefeitura de Canindé do São Francisco. INFORMAÇÃO Segundo informação prestada a Plenário, durante a reunião teria sido sugerido que o prefeito de Poço Redondo, frei Enoque, renunciasse ao mandato para candidatar-se por Canindé. O pessoal acha que frei Enoque tem boa popularidade em toda a região e, pela administração que fez em Poço Redondo, teria condições de ganhar em Canindé. POSIÇÃO A posição da oposição no interior é que todos os partidos da coligação se unam em torno do melhor nome para disputar as prefeituras do interior. O pessoal acha que essa é a melhor forma de fortalecer a oposição em Sergipe, embora seja difícil manter esse tipo de proposta, em razão da diversificação de composições no interior. PARTIDO O prefeito de Poço Redondo, frei Enoque, está para decidir sua filiação e três partidos estão sendo analisado: PTB, PSB e PL. Caso filie-se ao PSB, frei Enoque fica impedido de disputar a Prefeitura de Canindé porque a prefeita de lá, Rosa Feitosa, já se filiou aos socialistas brasileiros. REVITALIZA O Diretório Regional do PMDB avisa que está revitalizando todos os Diretórios Municipais e vai lançar candidatos a prefeito em todo o Estado. Em São Cristóvão, por exemplo, o ex-prefeito Horácio e seu grupo estão no partido e pode ser candidato à prefeitura daquela cidade. GRAÇA Alguns deputados acham que João da Graça terá apenas uma suspensão: “Já viu deputado do Governo ser cassado?” Indagou um deles. Além disso, o deputado João da Graça teria feito uma amizade muito boa com os colegas e todo mundo gosta dele. VOTOS Um parlamentar garante, entretanto, que hoje tem dez votos certos em favor da cassação do deputado João da Graça. Esses deputados não abrem mão de que o Ministério Público seja ouvido “e quando Luiz Valter declarar que pediu o indiciamento do deputado por tentativa de homicídio, a coisa fica muito difícil”. CÓDIGO Um detalhe: o Código de Ética da Assembléia Legislativa impõe cassação para quem for indiciado por tentativa de homicídio. Um parlamentar acha que seus colegas devem ler o Código de Ética e lembrou que a penalidade de suspensão é de apenas 30 dias. Notas ALERTA O governador João Alves Filho (PFL) faz um alerta, em seu livro “Matriz Energética Brasileira – da Crise à Grande Esperança”, muito importante: o petróleo está se acabando no mundo e dentro de mais 25 ou 30 anos será um dos produtos caríssimo. João sugere pesquisas para se chegar a um novo produto que substitua o petróleo. João Alves Filho traça um panorama das conseqüências da crise energética do país mergulhando nas razões que provocaram o racionamento de energia em 2001 e seus efeitos para a sociedade brasileira. INTERIOR O São João nas cidades que tradicionalmente concentrava o maior número de pessoas, com Estância e Areia Branca, este ano foi um verdadeiro fracasso. Quem passou pela rodovia que liga Aracaju a Itabaiana, percebeu que havia um vazio absoluto em Areia Branca. Já na cidade de Estância, nem bandeirolas havia no forródromo. Itaporanga D`Ajuda, pelo contrario, melhorou muito os festejos juninos e passa a ser referência dos festejos. Um detalhe: os festejos foram feitos com recursos próprios e participação de empresas instaladas no município. CONSEGUIU Já os festejos juninos de Aracaju conseguiram ultrapassar as barreiras de Sergipe e penetrou na mídia nacional, merecendo alguns destaques nos noticiários da Rede Globo de Televisão. O prefeito Marcelo Deda mostrou que realmente estava disputando turistas com Campina Grande e Caruaru. O Forrocaju é um sucesso. Mesmo com a chuva, a área do evento sempre esteve superlotada e se calcula uma média de 80 mil pessoas por noite, chegando a atingir, principalmente na segunda-feira, mais de 120 mil pessoas, numa festa anima e bem organizada. É fogo Políticos, empresários e magistrados viajaram ontem, a Brasília, para participar da posse de Carlos Ayres Brito como ministro do Supremo Tribunal Federal. A TV-Caju fez um bom trabalho na cobertura do Forrocaju. Transmitiu ao vivo todas as atrações. Pena que seja alcançada apenas na capital. A deputada Ana Lúcia Menezes (PT) continua batendo na tecla de um melhor salário para os servidores estaduais. Quer 16,5% no mínimo. Este porcentual foi o mesmo concedido membros do Judiciário e outros segmentos da cúpula administrativa do Estado. O Governo, no próximo ano, vai ajudar o São João do interior, mas efetuando o pagamento diretamente às bandas contratadas. Quem anda sorridente é o setor hoteleiro e de restaurantes que faturaram alto com os festejos juninos. A divulgação do São João, feita pela Emsetur em várias capitais, inclusive em Brasília, foi importante para a vinda de turista a Aracaju. O deputado federal Jackson Barreto bateu recorde em visitas ao interior. Também não perdeu uma única noite no Forrocaju. O vereador Antônio Góis (PT) vai insistir para que a administração municipal cumpra uma série de leis, principalmente no que diz respeito ao Procom Municipal. O governador João Alves Filho visitou algumas cidades do interior e participou moderadamente dos festejos juninos. O ex-governador Albano Franco evitou participação nos festejos, mesmo assim não resistiu a convites de alguns aliados e visitou alguns amigos. Albano Franco também viajou a Brasília para participar da posse do ministro Carlos Ayres Britto no STF. A deputada estadual Susana Azevedo está animada para disputar a Prefeitura de Aracaju. É um nome de boa penetração na capital. brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais