Inflação baixa no Nordeste

0

Desde 2008, a inflação registrada em junho, no acumulado dos últimos doze meses, nunca foi tão baixa no Nordeste: 3,9%. A região apresentou deflação de 0,12% o que não é ocorrida há quase 3 anos. A pesquisa é do Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste (Etene), órgão do Banco do Nordeste e aponta que o processo  inflacionário regional continua a demonstrar claro arrefecimento, e representa fato relevante para a economia regional.  “Em síntese, o cenário econômico desafiador e a recuperação da safra agrícola, em conjunto, causam o processo de desinflação em curso no Brasil e no Nordeste”, explicou o coordenador de estudos e pesquisas do Etene, Allison Marins.  Ele é um dos autores da análise econômica disponível no site do Banco do Nordeste (www.bnb.gfov.br/diário-econômico-2017). Segundo ele, os preços nos grupos Transportes (-0,98%) e Alimentação e Bebidas (-0,49) foram aqueles de maior intensidade na contração dos preços, e também em termos de impacto (-0,16 pontos percentuais), na formação do indicador inflacionário do Nordeste. Em Salvador, os preços da gasolina (-8,71%) e do etanol (-7,45%) foram os de maior retração no país. No grupo Alimentação e Bebidas, o comportamento de preços do subgrupo Alimentação no Domícilio contribuiu de maneira mais relevante para o recuo, em razão da queda dos preços em 1,23% , 1,07 e 0,20%, para Fortaleza, Recife e Salvador, respectivamente.

Cinform só existirá no mundo virtual

Quem já está acostumado, há quase 40 anos, à leitura todas as segundas-feiras, que faça sol ou chuva, quer seja feriado ou não, do semanário “Cinform” vai ter que perder o hábito de folhear o jornal em papel fino já  a partir da semana que vem. É que o jornal, embora sem aviso prévio aos leitores, seguindo uma bossa mundial, migrou para a internet. Todos os cadernos estarão por lá, a partir de 2ª., 17/6, do principal, do Olho Vivo, Traz a Conta, etc., incluindo os artigos sobejamente críticos de César Gama e a coluna de variedades de Anderson Christian. O Cinform foi lançado por uma dupla de engenheiros da Telergipe que lançaram um folheto contendo todas as ofertas de um canal telefônico em papel para uma consulta mais rápida. Mas, eles passaram o produto adiante quando o serviço começou a crescer. Depois de mais dois proprietários, o Cinform chegou às mãos do empresário Antônio Bonfim. Aí o jornal deslanchou, virou tamanho standard e deixou as apertadas instalações da rua de Laranjeiras com Simão Dias e passou a ocupar uma sede vistosa na rua Porto da Folha. O veículo viu-se, depoiis, acossado pela crise que toma conta do país: os anúncios diminuíram assustadoramente e o dólar levou o preço do papel lá prá cima. Por fim, bateu-se o martelo para a chegada à Internet, como tem feito outros veículos, aqui mesmo no Brasil e no Exterior. Portanto, o Cinform a partir de 2ª feira somente será possível se o leitor acessar a internet.

Corrida de Obstáculos

“O que virá agora?”, é o que indaga o ex-Governador Albano Franco em novo artigo, intitulado “Corrida de Obstáculos”,publicado pelo jornal “O Globo” do Rio de Janeiro. Ele analisa com uma visão peculiar o quadro atual da política brasileira.  “Diante desse quadro político de incertezas, enormes são as dificuldades para os que estão com a responsabilidade de governar os destinos do país, de estados e municípios, especialmente num momento ede graves dificuldades econômicas e financeiras, resultado de uma prolongada e brutal recessão que já contabiliza 13,5 milhões de desempregados, cerca de 13,7% da população economicamente ativa, uma das maiores taxas de desocupação que se tem noticia”, sentencia Albano num dos parágrafos  do artigo. “Reinserir essa massivo contingente no mercado de trabalho e ainda os segmentos jovens que  procuram o primeiro emprego requer, necessariamente  que o país volte a crescer economicamente, a taxas expressivas, acima de 4% ao ano, pelo menos”. O ex-Governador reconhece que que todos os brasileiros querem desenvolvimento. “Entretanto há consenso que não se conseguirá colocar o Brasil nos caminhos do crescimento se não forem realizadas as reformas modernizantes ora em tramitação no Congresso. E justiça se faça ao Presidente Michel Temer pela sua obstinação em realiza-las no seu curto mas já produtivo governo, que contabiliza inflação em firme trajetória descendente, ajuste e limitação dos gastos públicos, redução progressivas das taxas de juros, etc.” E finaliza: ”Se conseguir ultrapassar todos os embaraços e outros que certamente advirão na sua lúcida e patriótica trajetória reformista não receberá nenhuma medalha, pois o grande vencedor será o país”.

Caminhada do Clube

Mal assumiu a presidência do Rotary Club de Aracaju-Norte, o Sr. Ravison Silva de Souza convocou os associados para o que rotulou de “Caminhada do Clube”. Sábado, dia 15,  a partir das 7h da manhã, eles farão esta Caminhada no Parque da Sementeira. No dia 22, a Caminhada será no Calçadão da 13 de Julho. E finalmente, no dia 30, novamente no Parque da Sementeira. O novo Presidente estabeleceu que as reuniões semanais vão começar as 12h30

Seminário estimula compras junto as Cooperativas

A Secretaria de Estado da Mulher, Inclusão e Assistência Social, do Trabalho e dos Direitos Humanos (Seidh) , em parceria com o Sebrae e a Central de Distribuição da Agricultura Familiar promoveram na última quinta-feira, o I Seminário Estadual de Compras Institucionais da Agricultura Familiar. O evento reuniu representantes de cooperativas e órgãos das esferas municipal, estadual e federal para apresentar a legislação e as modalidades de aquisição de produtos oriundos da agricultura familiar, além de possibilitar a aproximação entre potenciais compradores e fornecedores. A ideia é ampliar os canais de mercado para os produtores rurais por meio da participação deles nas compras realizadas pelas entidades públicas.  Uma das possibilidades apresentadas durante o seminário são as compras institucionais do Programa de Aquisição de Alimentos. Essa modalidade permite a estados, municípios e órgãos da administração direta e indireta comprar alimentos da agricultura familiar por meio de chamadas públicas, com seus próprios recursos financeiros e dispensa de licitações. A legislação estabelece que um percentual mínimo de 30% desses alimentos seja adquirido junto a cooperativas de agricultores familiares.

      …e para encerrar…

Novos integrantes – A Academia Aracajuana de Letras tem dois novos integrantes, o historiador Fernando Aguiar, assume a cadeia número 15, cujo patrono é a professora Lícia Pina. E  a jornalista Susane Vidal assume a cadeira número 37, cujo patrono é o jornalista Célio Nunes.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais