Iniciando contatos

0

O prefeito Marcelo Déda (PT) começou a sua temporada de conversas. Apesar de se encontrar em uma praia a poucos minutos de Aracaju, em descanso com a família, ele teve contato político com um partido que não se imaginava aberto ao diálogo para uma composição com a oposição: o PMDB. A legenda – à exceção do deputado estadual Marcos Franco e do federal Jorge Alberto – não parece de bem com o governador João Alves Filho e ainda não assimilou a candidatura do senador José Almeida Lima, que ingressou em seus quadros. A conversa de Déda com a cúpula do PMDB começou depois de um telefonema do secretário de Governo do município, Oliveira Júnior, com o deputado federal Jorge Alberto, quando foi exposta a vontade do prefeito em fazer uma visita ao Diretório Regional dos peemedebistas, a pretexto de uma breve saudação natalina. Alberto consultou o presidente regional Benedito Figueiredo e as portas abriram-se, até mesmo por cordialidade.

 

Falou-se de tudo, principalmente política, mas esqueceram as tais mensagens natalinas e foram à sucessão estadual que era, na realidade, o motivo da visita do prefeito. Marcelo Déda disse que o PMDB indicava que tinha um candidato ao governo, mas deixou claro o interesse em um entendimento, se assim a legenda decidisse. O prefeito foi mais distante: gostaria de oficializar uma aliança com o partido e abria condições para participação da legenda na chapa proporcional e posições no governo do estado, caso fosse eleito. Benedito Figueiredo não confirmou nem descartou nada, disse apenas que todos os partidos enfrentam a questão da verticalização e uma decisão quanto a formação de aliança não poderia ser decidida em poucas palavras. Uma coisa confortou o presidente do PMDB: o partido está voltando a interessar para composições políticas, colocando-o na posição que sempre esteve nas decisões eleitorais de Sergipe.

 

Benedito Figueiredo insiste que a visita do prefeito Marcelo Déda ao diretório do PMDB foi sui generis, porque nem todo dia se tem um fato desse dentro da legenda e até mesmo na política do estado. Emblemática, porque criou uma certa apreensão e polêmica, tanto que ainda se discute as razões do encontro. E gratificante porque mostra que o PMDB está inserido nas discussões para a sucessão estadual e coloca ao partido opções de escolha, inclusive de ter seu candidato próprio.

 

Independente da visita do prefeito Marcelo Déda, ontem, no final da noite, foi citada a anunciada candidatura do senador Almeida Lima (PMDB) ao governo do estado: o presidente regional Benedito Figueiredo foi claro: “ele (Almeida) veio para o PMDB como soldado e não pela proposta de disputar a sucessão estadual em 2006”. Admitiu que o senador Almeida Lima não pode ser um nome descartado dessa possibilidade, “mas é ele que tem de construir sua candidatura dentro do PMDB, junto a outras legendas e no diálogo com prefeitos e lideranças do interior”. Acha que se isso convencer aos membros do partido da viabilidade de uma candidatura própria a governador, não há dúvida que acontecerá. Quanto ao bom relacionamento com o governador João Alves Filho (PFL), onde o PMDB participa do governo e integra o bloco da situação no legislativo, Benedito Figueiredo disse que o partido nunca foi procurado pelo governador do estado e acrescentou, aparentando ressentimento, que “o PMDB não tem nenhum prestígio na atual administração”.

 

Durante uma conversa com o prefeito Marcelo Déda, ele disse que o seu relacionamento com o deputado federal Jorge Alberto estava melhor e havia um princípio de abertura. É verdade. Tanto que Oliveira Júnior procurou o parlamentar para promover o encontro de Déda com a cúpula peemedebista. Não se sabe como será o relacionamento de Benedito Figueiredo e Jackson Barreto, caso aconteça algum entendimento, mas com Almeida Lima a situação fica difícil: “se eu fosse convidado para sentar com Marcelo Déda, me sentiria agredido”, disse ele.

 

 

TELEFONEMA

O presidente do PSDB, Tasso Jereissati conversou ontem, por telefone, com o senador Albano Franco e perguntou: “como é, vamos ter candidato próprio?”

Albano respondeu que ainda precisava analisar com o pessoal e acrescentou que dependia do apoio que tivesse do Diretório Nacional.

 

SITUAÇÃO

Tasso insistiu que o PSDB está em situação boa para disputar a Presidência da República e que precisa ter candidatos nos estados.

Albano não se manifesta sobre a candidatura, mas o seu filho, Ricardo Franco mantém a disposição de ser candidato a governador pelo PSDB.

 

ACORDO

Quanto a uma aliança com o PFL, Albano Franco diz que vem se tornando muito difícil, porque não é de interesse da senadora Maria do Carmo Alves.

Disse que o secretário José Alves Neto tem tido encontros rápidos com ele e, em seu aniversário, recebeu telefonema de José Alves e do empresário João Neto.

 

ESTRANHOU

O senador Almeida Lima, candidato a governador pelo PMDB, estranhou o PT ter procurado o seu partido: “na minha avaliação nós não temos nada a ver com o PT”, disse.

“Não sei o que houve e se fosse convidado para sentar com o prefeito Marcelo Déda, seria uma agressão”, considerou.

 

GENTILEZA

Quanto a participação da direção do partido no encontro, Almeida Lima viu como um gesto de educação e gentileza do presidente Benedito Figueiredo (PMDB).

Admitiu que Benedito Figueiredo é um gentleman e não tinha porque recusar um pedido de visita do prefeito de Aracaju.

 

BENEDITO

O presidente regional do PMDB, Benedito Figueiredo, disse que o prefeito Marcelo Déda foi comunicar a candidatura, “se assim o partido decidisse”, apoio de seus membros.

Benedito achou a visita de Déda sui generis, por não acontece sempre, e emblemática pela repercussão que provocou no estado.

 

PRÉVIA

O PMDB vai promover uma prévia para escolha do candidato a presidente, dia 3 de março, em todo o Brasil, para escolha do presidente.

Até o momento tem como pré-candidato o ex-governador Antony Garotinho e agora o Germano Rigoto ensaia pretensão. Segundo Benedito, “já falam em adiar a prévia”.

 

ANIMADO

O secretário da Justiça, Manoel Cacho, com a criação do fundo penitenciário, promoção de 98 agentes, convocação de 60 e gratificação especial para eles.

Disse que está treinando o pessoal para inauguração de 200 vagas em Areia Branca e até março haverá a ampliação do presídio Carvalho Neto, que ganhará mais 360 vagas.

 

CÉSAR

O advogado César Britto, atual secretário geral da OAB, está entre os três nomes mais fortes para suceder a Roberto Busato na presidência nacional da OAB.

Em fevereiro, começa a disputa pela sucessão de Roberto Busato e os outros dois cotados são o vice-presidente Aristóteles Atheniense e Octávio Gomes, da OAB do rio de Janeiro.

 

CONSELHO

A eleição para presidente da OAB se realiza em 2007, mas será definida no final de 2006 com a formação do conselho. Cada estado tem três conselheiros.

César Britto tem viajado muito e participado diretamente de reuniões e encontro da OAB. Segundo uma fonte, ele hoje contaria com 11 estados, o que já é muito bom.

 

VIAGEM

O governador João Alves Filho (PFL) definiu sua viagem para o dia 3 de janeiro. Vai para a Espanha, onde descansa alguns dias.

Antes de viajar, entretanto, é possível que o governador já assine o contrato de empréstimo de R$ 8o milhões com o BNDES, para a construção da ponte.

 

SALÁRIOS

Os deputados federais (oito de Sergipe) recebem hoje a primeira parcela da ajuda de custo extra para a convocação do mês de janeiro.

São R$ 12.847,00 a mais no bolso de cada parlamentar.

Em fevereiro, no fim da convocação, os deputados recebem mais R$ 12.847,00. Isso sem falar no salário regular do mesmo valor que cada um receberá no mês que vem.

 

AEROPORTO

O presidente da Infraero, Carlos Wilson, comunicou ontem ao prefeito Marcelo Déda que a licitação para as obras de ampliação do Aeroporto de Aracaju começam em janeiro.

O primeiro aparelho dessa ampliação já chegou a Aracaju: uma das duas passagens que ligarão as aeronaves ao terminal de embarque e desembarque.

 

VERTICALIZAÇÃO

A verticalização pode cair em fevereiro e não ser utilizada durante as eleições de 2006, o que vai frustrar o desejo do Planalto e do ninho tucano.

O STJ vai julgar o mérito do dispositivo e o relator, ministro Marco Aurélio, acha a verticalização “uma camisa de força que deve ser banida”.

 

 

Notas

 

CONVOCAÇÃO

A convocação extraordinária do Congresso Nacional vai custar ao contribuinte cerca de R$ 100 milhões, somando-se os salários extras dos congressistas, dos funcionários das duas Casas e as despesas administrativas. Até 16 de janeiro, a presença dos parlamentares em Brasília não será registrada.

Dos 513 deputados da Câmara Federal, apenas 24 abriram mão até agora dos R$ 25 mil extras a que terão direito a receber na convocação extraordinária do Congresso. Não tem ninguém de Sergipe.

SALÁRIOS
Com a convocação, os parlamentares vão receber oito salários (de R$ 12.847) por apenas três meses de trabalho. Além dos vencimentos normais de dezembro, 13º, janeiro e fevereiro, eles têm direito a um salário extra no fim do ano legislativo e a outro, no início do ano legislativo, a título de ajuda de custa.

Pela suspensão do recesso, deputados e senadores vão receber mais duas ajudas de custa: uma no início e outra no fim da convocação, as informações estão publicadas no site Congresso em Foco.

INOVAÇÃO

Em 2005, o Congresso aprovou uma das mais inovadoras leis orçamentárias dos últimos anos. Resultado de quatro meses de debates e negociações, a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) definiu os limites para despesa e arrecadação, e criou uma política específica para o chamado superávit primário.
De acordo com o texto aprovado em agosto – que se transformou na Lei 11178/05 -, a arrecadação tributária da União, administrada pela Receita Federal, não poderá exceder 16% do
Produto Interno Bruto (PIB).

 

É fogo

 

O deputado federal João Fontes (PDT) embarcou ontem para passar o reveillon no Chile e só retorna direto para a sessão ordinária da Câmara Federal.

 

O prefeito Marcelo Déda está descansando em uma praia próxima a Aracaju e desligou o celular para evitar contatos.

 

Já está tudo sendo preparado para o reveillon. Na praia de Atalaia as primeiras movimentações para instalação dos fogos pirotécnicos.

 

O embalo das vendas foi reduzido nesta última semana do ano. A maior procura é por confecções, onde predominam o branco e amarelo.

 

O governador João Alves Filho (PFL) permanece em Aracaju e está despachando normalmente com os secretários.

 

A deputada Susana Azevedo (PSC) também não viajou este ano, mas passou o Natal visitando amigos na capital e interior.

 

A maioria dos membros do PFL torce por um entendimento entre João Alves Filho e Albano Franco para as eleições de 2006.

 

A senadora Maria do Carmo Alves (PFL) continua contrária a essa vinculação e deixa bem claro que não acredita em um acordo com Albano Franco.

 

Os deputados estaduais já se desenganaram de uma convocação extraordinária, embora continuem em estado de alerta.

 

Parecer da PGE à Secretaria da Educação considerou impossível a concessão de 45 dias de férias aos professores readaptados que se encontram fora da sala de aula.

 

Os cantores Kleber Melo e Joésia Ramos se apresentaram sexta-feira passada em Pirambu, no projeto Assaim de Música.

 

O Bradesco e o Banco Espírito Santo, de Portugal, assinaram um acordo com o objetivo de facilitar o envio de dinheiro por parte de imigrantes brasileiros.

 

brayner@infonet.com.br 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários