Lei protege o rio

0

Um alerta a quem deseja aterrar parte do Rio Sergipe: este corpo d’água é protegido pela Lei Estadual nº 2.825, de 25 de julho de 1990, homologada pelo então governador Antônio Carlos Valadares (PSB). A legislação considera “paisagem natural notável” e área de especial proteção ambiental o trecho do rio que serve de divisa entre Aracaju e Barra dos Coqueiros, incluindo as margens e todo o seu leito, tanto na parte permanente coberta pelas águas quanto naquela que somente o é por efeito dos movimentos de maré. Portanto, quem pensa em mutilar o rio Sergipe deve ficar sabendo que só poderá fazer se obtiver prévia autorização do Conselho Estadual do Meio Ambiente e dos demais organismos de preservação ambiental e gerenciamento de recursos hídricos.

Piso salarial

O governo está propagando reportagem da Revista Educação mostrando os estados que não cumprem a Lei do Piso Salarial do Magistério Público. A matéria jornalística revela que Sergipe paga o quinto melhor salário do país (R$ 3.196) e o primeiro do Nordeste, estando à frente de estados bem mais ricos como São Paulo (R$ 3.076) e Minas Gerais (R$ 2.018).

Atrás de grana

Os prefeitos sergipanos estarão amanhã na Barra dos Coqueiros para participar de um encontro com a ministra chefe da Secretaria de Relações Institucionais da Presidência da República, Ideli Salvatti. Marcado para o Prodigy Beach Resort & Conventions, o evento objetiva intensificar as orientações aos novos gestores sobre os programas, as ações e as linhas de financiamento federais disponíveis para os municípios.

Vapt-vupt

Quem precisa resolver problemas nos órgãos públicos deve se apressar, pois esta será uma semana bem pequenininha. Por conta das comemorações religiosas, muitas repartições só funcionarão até quarta-feira que vem. O prefeito de Aracaju, João Alves Filho (DEM), já decretou ponto facultativo na quinta-feira próxima, atitude que deve ser seguida pelo governador Marcelo Déda (PT). Portanto, resolva logo o que for preciso para depois curtir mais um feriadão.

Pré-Caju

O Ministério Público Estadual recebe hoje dossiê elaborado pelo Fórum em Defesa da Grande Aracaju sobre as ilegalidades e os transtornos causados pela realização do Pré-Caju na Avenida Beira Mar. O documento foi solicitado por representantes do MPE e pode resultar em ações judiciais visando impedir que a prévia carnavalesca continue sendo realizada naquela via pública.

Unidos

O DEM do prefeito João Alves Filho deverá manter para 2014 a aliança política consolidada no ano passado com os irmãos Amorim. Quem pensa assim é o vice-prefeito da capital, José Carlos Machado (PSDB). Entrevistado pelo Jornal da Cidade, o tucano disse que “essa aliança é bem forte. É provável que todos estejam juntos em 2014 e em outras caminhadas”. É, pode ser!

Pouca grana

O Banco do Brasil reduziu em até 70% o dinheiro disponível em seus caixas eletrônicos durante o período da noite. O novo sistema visa inibir ataques de bandidos com explosivos e aumentar a segurança dos clientes. O banco revela que não pode divulgar valores em reais dessa redução por questões de segurança.

Lata velha

Além de quebrarem com frequência, os ônibus velhos que atendem a população da Grande Aracaju também pegam fogo. Foi o que aconteceu no último final de semana com um coletivo da empresa VCA no conjunto Rosa Maria, em São Cristóvão. Segundo o motorista do veículo sinistrado, um passageiro percebeu o início do fogo a tempo, permitindo que todos saíssem ilesos do ônibus. Que horror!

Defensor

E o deputado federal pastor Marcos Feliciano (PSC) encontrou um defensor em Sergipe. É o deputado estadual Antônio Santos (PSC). Entrevistado pelo colega Joedson Telles, do Portal Universo Político, o parlamentar sergipano disse que homofóbicos e racistas são justamente aqueles que acusam Feliciano. Antônio dos Santos afirma ainda que os grupos de gays e lésbicas tentam confundir a sociedade ao sair acusando religiosos de homofóbicos. Misericórdia!

Do baú político

A imprensa sergipana teve forte influência nas eleições de 1985 para a Prefeitura de Aracaju. Apoiado pelo então governador João Alves Filho (PFL), o candidato Jackson Barreto (PMDB) direcionou suas críticas contra a família Franco, que apoiava a candidatura de Gilton Garcia (PDS). Logo no início da campanha, o peemedebista batizou de Rede Cabaú de Notícias os veículos de comunicação pertencentes aos Franco. Sempre que era entrevistado na rádio Jornal/AM, de propriedade do governador, Jackson procurava desmoralizar as televisões e rádios dos adversários, a ponto de o eleitorado desacreditar por completo dos noticiários veiculados por essas emissoras. Quando alguém dizia que ouviu determinada notícia naqueles veículos, outro se apressava em dizer que, se era da Rede Cabaú, não merecia crédito. Não há estudos mostrando até que ponto essa campanha difamante influenciou no resultado da eleição, mas o certo é que Jackson foi eleito com facilidade, enquanto Gilton Garcia ficou na terceira posição, perdendo, inclusive, para o ainda imberbe candidato do PT, Marcelo Déda.

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais