Luiz na CPI

0

O presidente da CPI da Pistolagem, deputado federal Bosco Costa, do PSDB, disse ontem, no café da manhã, que a disposição do secretário de Segurança, Luiz Mendonça, em atender o convite para vir a Brasília, falar sobre os problemas de Sergipe, é fundamental para esclarecer fatos. Ele foi o principal acusado pela delegada Meire Mansueto no processo de fuga e projeto de assassinato do bandido Floro Calheiros. Terá oportunidade de se defender e mostrar a sua verdade.Ao deputado Bosco Costa, o secretário Luiz Mendonça disse que não compareceu ontem porque já tinha compromissos pautados. Acertou tudo para atender ao convite na próxima quarta-feira. Luiz Mendonça é um procurador de Justiça e sabe perfeitamente que uma Comissão Parlamentar de Inquérito tem força para convocar qualquer cidadão a depor. Não iria passar por esse constrangimento e preferiu atender ao convite e ter um tratamento diferenciado de quem é convocado. A CPI da Pistolagem ganha um outro membro de Sergipe. O Partido Liberal decidiu indicar o deputado federal Heleno Silva para integrá-la. Terça feira, o parlamentar já teve um encontro com o relator da Comissão, deputado Luiz Couto (PT-PB), para alguns esclarecimentos. Disse-lhe que Sergipe não tem grupos de extermínios. O relator respondeu, com certa segurança: “você que pensa”. E lhe comunicou que recebeu várias denuncias e correspondências de pessoas em Sergipe, que indicam a ação de grupos de extermínio no Estado. O superintendente da Polícia Federal, Kércio Pinto, também confirmou ao deputado Heleno Silva, em um vôo entre Aracaju/Brasília, que não existem grupos de extermínio funcionando em Sergipe. Revelou que havia focos de extermínios na cidade de Itabaiana, mas que isso já foi devidamente solucionado. O deputado federal Heleno Silva diz que, o medo que faz uma CPI, é porque ela pode destruir a reputação e imagem de um cidadão, já que pode penetrar na sua vida particular, quebrar sigilos bancários e ir fundo na vida íntima da pessoa. Para Heleno, a CPI tem que apurar a existência de grupos de extermínios e a formação de milícias privadas nos Estados do Nordeste: “E isso posso garantir que Sergipe não tem”. Heleno Silva admite, entretanto, que são visíveis os problemas graves na área da Segurança Pública. Que o setor não tem a credibilidade da sociedade. E que o governador João Alves Filho tem o dever, porque assumiu compromissos, de resgatar a confiança da população ao sistema de Segurança do Estado. Para Heleno, as mortes do vereador Carlos Gatto e do deputado Joaldo Barbosa, não têm nada a ver com grupo de extermínio. Foram crimes políticos e é assim que tem que ser tratado. O deputado diz que ouvir ameaça de membros da CPI vir a Sergipe pegar depoimentos, é muito ruim para o Estado. Chega a ser horrível, porque atinge a sua imagem. Sergipe não tem essa tradição de grupos de extermínios e milícias privadas. Defender a vinda da CPI é querer macular a fisionomia de um Estado tranqüilo e que ainda é um dos melhores lugares para se viver.De qualquer forma, Luiz Mendonça vai preparado para responder exclusivamente sobre a fuga de Floro Calheiros e a propalada tentativa de assassinato. Ele foi duramente acusado disso pela delegada Meire Mansueto, nesta mesma CPI, e certamente vai se defender. De qualquer forma, será um depoimento que vai interessar muito a Sergipe. Embora o Estado já tenha conhecimento da posição de Mendonça neste episódio. EXTERMÍNIO Uma figura importante de Itabaiana disse, ontem, que é um equívoco do superintendente da PF, Kércio Pinto, dizer que não existe mais grupo de extermínio naquela cidade. Garantiu que esses grupos se mantêm em Itabaiana e trabalham para segmentos locais e até de outros estados. JOÃO ALVES O governador João Alves Filho passou a manhã de ontem em Brasília e esteve no STJ, com alguns ministros e reuniu-se com senadores. João Alves Filho manteve contatos sobre a reforma Tributária e no período da tarde viajou a São Paulo, de onde partiu para a Espanha. RECURSOS João Fontes (PT) telefonou, terça-feira, para o chefe da Casa Civil, Flavio Conceição, e informou a liberação de recursos para a duplicação da adutora do São Francisco. O ministro da Cidade, Olívio Dutra (PT), liberou os R$ 94 milhões para conclusão da obra. Flávio imediatamente avisou da liberação ao governador, que estava em São Paulo. PETIÇÃO O promotor de Estância, Rony Almeida, entrou com uma petição para anular a comissão que foi formada pelo judiciário, para coordenar as contas da Prefeitura. Acha que o objetivo da ação impetrada pelo Ministério Público não está sendo cumprido. À frente da comissão está o juiz, que deverá acatar ou não a petição. MARCÉLIO O vereador Marcélio Bomfim (PDT) defende que o voto no parlamento seja aberto: “o voto secreto é um instituto que tem que se acabar”. Segundo Bomfim, “quem tem que votar secreto é o povo, mas o parlamentar deve ter o seu voto aberto, porque o eleitor quer saber como é que ele vota”. CONTAS Quanto ao voto das contas do então prefeito José Almeida Lima, Marcélio Bomfim disse que foi a favor, baseado em parecer prévio do Tribunal de Contas que a aprovou. Marcélio Bomfim responde a e-mail enviado a esta coluna por Gilson Costa, que pergunta como ele votou: “Gilson parece ser bem informado, que apareça e denuncie com provas”. FONTES O deputado federal João Fontes esclareceu, ontem, que quando falou que não se envolvia em discussões paroquiais, se referiu à briga entre Jackson Barreto e Almeida Lima. Entretanto, segundo João Fontes, sobre as denuncias públicas feitas pelo senador Almeida Lima, “eu como parlamentar me interessa e quero ver todo o processo”. GRAVES Desde o começo que João Fontes disse que as denuncias eram graves e que iria esperar o resultado das investigações para se pronunciar. O deputado garante que não será omisso em relação a isso e diz que a marca de sua luta foi sempre contra a impunidade e a corrupção. APURADO O senador Almeida Lima (PDT) garante que o deputado João Fontes não vai apurar nada, porque tudo já foi muito bem apurado: “mostrei todo resultado da investigação”, disse. Almeida Lima acrescenta que “mesmo que se tratasse de fato paroquial, João Fontes já deveria ter pegado as fotos e pesquisado tudo o que foi dito”. REUNIÃO O deputado federal Heleno Silva anunciou, para o dia 29, reunião em Canindé, sobre a questão da candidatura de frei Enoque à Prefeitura daquela cidade. Enoque ainda não adquiriu a transferência do título. Mas, segundo Heleno Silva, ele anunciou que era homem de projetos e pode ser o candidato. PODER O deputado federal Bosco Costa (PSDB) reconhece que as Assembléia precisam de mais poder para legislar: “o poder que têm é muito pequeno”. Segundo o parlamentar, que já foi presidente da Assembléia Legislativa, “aparece um projeto de vez em quando. No mais é titulo de cidadão”. CAMPANHA Na Câmara Federal já existem alguns parlamentares plenamente envolvidos na pré-campanha das eleições municipais do próximo ano. O deputado Bosco Costa diz que não está pensando ainda nisso, mas pode sair candidato a prefeito por Ribeirópolis, nas eleições de 2004. TRANSPORTE O deputado Jackson Barreto (PTB) acha que está havendo um conflito de posições no Governo em relação ao setor de transporte público. Explica que os Ministérios da Cidade e das Minas e Energia querem desonerar os transportes, mas o Ministério da Fazenda cria problemas com o aumento do Confins. REFORMA Jackson Barreto acha que a reforma da Previdência será aprovada no Senado Federal pela fora do PFL: “A briga de ACM com Bornhausen favoreceu ao Governo”. Explica: “como Jorge Bornhausen está trabalhando contra a reforma, o grupo de ACM vai votar a favor só para derrota-lo”. Notas VIOLÊNCIA A ONG Bem Querer realiza, hoje, a partir das 19 horas, na CDL o Workshop “Mulher Cidadã”. O objetivo é comemorar os dois anos de atendimento às mulheres vítimas da violência doméstica e do estupro em Sergipe. A deputada Susana Azevedo é a patrona da ONG Bem Querer. Segundo informação da deputada Susana Azevedo (PPS), o evento marcará o sucesso do trabalho realizado em defesa da população feminina, com o oferecimento de serviços de assistência social, psicológica e jurídica. REFORMA O projeto de reforma política começou com muita discussão, anteontem, e o parecer do deputado Ronaldo Caiado (PFL-GO) só será votado na próxima quarta-feira. O grande problema é a colocação da lista pré-ordenada, que a maioria dos deputados não aceita, porque dar muita força aos chefes políticos. Segundo o deputado João Fontes (PT), a lista pré-ordenada facilita a barganha e acaba com os partidos pequenos, além de impossibilitar que o cidadão comum participe das eleições estaduais, com chances de ganhar. APROVAÇÃO Caso seja aprovada, essa lista pré-ordenada só vai valer para o pleito de 2006, quando serão escolhidos presidente, governadores, senadores e deputados (estaduais e federais). Qualquer cidadão que tenha um certo potencial de votos, só apoiará o majoritário se algum familiar for colocado na lista pré-ordenada. Um exemplo ilustrativo: Caso Marcelo Deda (PT) seja candidato a governador, só terá apoio de um partido como o PL, caso coloque Heleno Silva como um dos primeiros da lista para deputado federal. Assim, serão os demais… É fogo A deputada estadual Ana Lúcia, líder do PT na Assembléia Legislativa, recebeu dois prêmios por sua atuação parlamentar este ano. A psicanalista Débora Pimentel profere palestra, às 20 horas, no auditório da CDL, sobre “Conquistas das Mulheres”. O deputado Francisco Gualberto não acredita que haverá geração de empregos e melhor distribuição de renda com a construção do Shopping Aracaju. O governador João Alves Filho viajou, ontem à tarde, de Brasília a São Paulo, de onde viajou para Madri, na Espanha. Quem também estará viajando à Espanha é o presidente da Assembléia Legislativa, deputado Antônio Passos (PFL). O Governo Federal poderá recuar em alguns itens da reforma da Previdência, para aprova-la no Senado. O mesmo acontecerá em relação à Reforma Tributária. A parte que o Governo Federal pretende mexer na reforma da Previdência é exatamente na questão do limite salarial. O ex-governador Albano Franco garante que no jantar que lhe foi oferecido por amigo, não se tocou em política. O delegado do Ministério da Agricultura, Jorge Araújo, não compareceu mas enviou um telegrama ao chefe e amigo. Fabiano Oliveira está estranhando a razão do Governo querer construir uma casa de forro na orla de Atalaia. Segundo Fabiano Oliveira, já existe uma casa de forró da iniciativa privada e o Governo deveria incentiva-la para que ela não fechasse. A deputada Celinha Franco (PPS) está aprendendo o caminho da tribuna. Terça-feira ela fez um pronunciamento destacando o Dia Internacional da Mulher. O deputado Bosco Costa diz que continua estarrecido com a violência e impunidade no Nordeste. Acha que o assunto é muito sério. Por Diógenes Brayner brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários