LULA E A CORRUPÇÃO

0

O discurso do presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, quinta-feira passada, teve um tom de reconhecimento de que a sua administração não era invulnerável à corrupção e até admitiu que ela é um “câncer que corrói o país”. E mais: “o pesadelo para os governantes e uma grande vergonha para o povo brasileiro”. Nas entre linhas Lula confessou que o seu governo não era um convento de padres franciscanos e admitiu que as negociatas, que corrompem e se deixam corromper, é uma doença crônica no Brasil. No restante, o presidente Lula da Silva foi excessivamente repetitivo, sem novidades e, o que foi pior, não relatou nenhuma medida que afastasse os auxiliares suspeitos para responder as acusações distante do poder. Entretanto, deixou claro que está procurando melhorar as companhias e está procurando o PMDB para formar o seu bloco e ser o partido mais próximo do Planalto, talvez até em respeito ao histórico de uma legenda que acomodou a intelectualidade ideológica no período da ditadura militar. Lula não deixou dúvida: há indícios de corrupção dentro do seu governo, mas que ele vai apurar “doa em quem doer”.

 

O lamentável é que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva tenha chegado a essa conclusão próximo dos três anos de administração, um dos períodos mais perigosos para quem tenta a reeleição. Se tivesse agido com firmeza desde o escândalo do ex-assessor parlamentar da Casa Civil, Waldomiro Diniz, flagrado pedindo propina ao empresário do ramo de jogos, Carlinhos Cachoeira, a situação seria outra. É que Diniz era vinculado ao ministro chefe da Casa Civil, José Dirceu, acusado pelo deputado federal Roberto Jefferson de comandar todo o esquema de corrupção existente dentro do Planalto. Dirceu, inclusive, aparece em todas as denuncias de irregularidades dentro do governo, mas continuava sendo homem de confiança do presidente. Verdade ou não, o certo é que o presidente Lula errou ao manter suspeitos de prática de corrupção próximo a ele e exercendo o poder.

 

O Partido dos Trabalhadores tem que se conscientizar que foi o estilingue durante todo o período que esteve na oposição e não poderia se transformar em cristal quando chegasse ao poder. Aconteceu o contrário: o PT fez-se espelho e passou a refletir imagens que ele antes apedrejava… Além disso, ao ser eleito presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva não fez um projeto de governo, na tentativa de mudar a imagem de um país que tem um currículo de roubalheiras, corrupção, nepotismo, sonegação, contrabando, tráfego de drogas, autoritarismo, enriquecimento ilícito e outras desqualificações de fazer inveja a essas republiquetas de bananas, cujo presidente anda com o cheque do tesouro no bolso.

 

Para escrever outra história, Lula teria que trazer para o Planalto a intelectualidade administrativa, virgem na prática desses métodos e enfronhada da filosofia pregada pelo petismo que combatia governos anteriores. Mas não. Em nome da necessidade de coalizão para conseguir administrar o país, o PT fez um projeto de poder e rompeu com o povo que o levou ao poder, cansado de toda essa farra que se fazia com dinheiro público. O PT não escolheu a quem se unir e, utilizando os velhos métodos do “é dando que se recebe”, que distribuiu cargos – para não falar em mensalão – com quem quisesse vir se incorporar ao governo petista. Deu em tudo isso que está aí, porque é bem provável que Lula conhecia muito bem o estilo Roberto Jefferson de apoiar e foi fundo ao seu lado, a ponto de dizer que confiaria lhe passar um cheque em branco.

 

É muito possível que haja tempo de consertar, mas desde que Lula não procure impedir CPIs, decida varrer a corrupção do seu Governo e fugir das más companhias, inclusive da cúpula do seu partido, o PT, afastando-se da “camarilha dos cinco”, como denominou o líder da minoria no Senado, senador José Jorge, referindo-se a José Dirceu, José Genoíno, Delúbio Soares, Silvio Pereira e Marcelo Sereno que, para José Jorge, são os culpados pela crise que o Brasil está enfrentando.

 

EXCLUSÃO

O deputado federal José Carlos Machado (PFL) lembrou que o Plano de Expansão da UFS foi entregue ao presidente Lula quando ele esteve em Aracaju, no mês de março. Para Machado, Sergipe foi excluído do Plano de Expansão porque foi um dos primeiros estados a entregar o projeto e não foi incluído entre os 21 estados beneficiados.

 

DÉDA

No encontro com o ministro da Educação Tarso Genro, o prefeito de Aracaju Marcelo Déda disse que esteve com o presidente Lula, havia pedido para lembrar a inclusão de Sergipe. Tarso Genro disse que ia verificar se ainda poderia incluir Sergipe no Plano de Expansão da UFS, mas o deputado José Carlos Machado não acredita nisso.

 

PRESSÃO

O deputado José Carlos Machado ainda diz que, caso Sergipe seja incluído no Plano, será “por livre e espontânea pressão dos políticos”. Disse que o prefeito Marcelo Déda tem força para “arrancar” o que quiser para Sergipe e deve usar sempre esse seu prestígio junto ao governo federal.

 

DESMENTE

O deputado estadual Jorge Araújo (PSDB) respondeu, ontem, a declaração do deputado Mardoqueu Bodano (PL), sobre a questão dos “tucanos invadirem os liberais”. Mardoqueu, em aparte, desmentiu que tivesse feito declarações do tipo. Os jornalistas receberam e-mail da assessoria do deputado liberal, com ampla matéria em que ele falava sobre o assunto.

 

SOCO

O deputado federal João Fontes (PDT) de ter dado um soco no estômago do seu colega Carlito Merss (PT-SC), durante as discussões na Câmara com o discurso de José Dirceu. Fontes nega que tenha deferido o soco no deputado de Santa Catarina. “Em nenhum momento eu apareço no vídeo dando soco em alguém”.

 

INTIMIDAÇÃO
João Fontes diz que esse tipo de atitude vai lhe intimidar e diz que vai continuar exercendo seu papel de fiscalizador.
Essa fiscalização será para “desmascarar essa quadrilha montada no Palácio do Planalto para comprar deputados”, sentencia o pedetista.

 

COMISSÃO

O presidente do Senado Federal, Renan Calheiros, já anunciou os nomes dos senadores que comporão a CPI dos Bingos, determinada pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Dois senadores de Sergipe estão na Comissão: Antônio Carlos Valadares (PSB), pelo bloco do governo, e Almeida Lima (PSDB), pela oposição.

 

PMDB

O presidente do PMDB, Michel Temer anunciou, ontem, que deve convocar uma nova convenção do partido para que seus filiados decidam sobre o apoio ao governo Lula. A convenção nacional realizada em dezembro decidiu que o partido deveria entregar os cargos no governo e lançar candidato a presidente da República.

 

BENEDITO

Foi isso, inclusive, que o presidente do PMDB em Sergipe, Benedito Figueiredo, lembrou ontem, quando participava de uma cavalgada em Itaporanga D´Ajuda. Quanto ao apoio a Lula, Benedito disse que precisa conversa primeiro com Michel Temer e com o pessoal de Sergipe, para que o diretório estadual tome uma posição.

 

FECHADO

Já está praticamente fechado o entendimento entre o governador João Alves Filho e dois grupos importantes de uma cidade do interior. Uma pesquisa realizada confirma que 78% da população querem a unidade para apoio ao governo. Há resistência de uma área importante de um dos grupos.

 

FEDERAL

O vereador Elber Batalha Filho (PSB) será candidato a deputado federal, caso Valadares Filho não dispute o mandato. Elber está na expectativa para isso, mas continuará como vereador e apoiará Valadares Filho, se ele decidir candidatar-se à Câmara Federal.

 

ESPAÇO

Para o ex-vereador Elber Batalha, existe um grande espaço na eleição para deputado federal, porque não tem nomes. Ele diz que o deputado federal Jackson Barreto (PTB) perdeu o voto ideológico e o PT também. Acha que o deputado João Fontes é o único nome que se mantém.

 

LIMINAR

O Tribunal Regional Eleitoral, através de decisão da presidente Josefa Paixão, manteve a liminar que cassa o mandato do prefeito Sukita, de Capela. As novas eleições devem acontecer dentro de mais 120 dias e, pela lei eleitoral, o prefeito cassado não pode concorrer.

 

Notas

 

E-MAIL

Um e-mail enviado a milhares de pessoas mostra como vivem os parlamentares: salário: R$ 12.000,00; auxílio-moradia: R$ 3.000,00; verba para despesas com combustível: R$ 15.000,00; verba para assessores: R$ 3.800,00; para trabalhar no recesso: R$ 25.400,00; verba de gabinete mensal: R$ 35.000,00”. E tem mais: Direito a transporte aéreo: 04 passagens de ida e volta a Brasília/mês; direito de contratar até 20 servidores para cada gabinete; direito ao recebimento de 13º e 14º salários, no fim e no início de cada ano legislativo.

 

REFORMA

A CCJ aprovou o Projeto que estabelece o financiamento de campanha apenas com recursos públicos. Também cria o voto de legenda em listas partidárias preordenadas, cria as federações partidárias, abranda a cláusula de barreira e muda as regras de pesquisas eleitorais e da propaganda eleitoral. Só falta aprovar o projeto que fixa o prazo de filiação partidária. A proposta não pôde ser apreciada quinta-feira porque a CCJ encerrou os trabalhos devido ao início do período destinado à votações no plenário.

 

SECOM

Na próxima semana a Assembléia Legislativa discutir e votar o projeto de lei que reincorpora o Departamento de Administração e Finanças – Darf – à estrutura da Secretaria de Comunicação (Secom). Aliás, houve um equívoco na extinção do Darf da Secom, agora corrigido pelo governador do Estado. A Secretaria de Comunicação terá maior agilidade no pagamento dos seus gastos, além de ter maior flexibilidade para atuar diretamente na imagem do Governo. A partir do próximo mês, a Secom paga suas contas.

 

É fogo

 

A vila Chapéu de Couro, na praia de Atalaia, tem registrado um número muito grande de pessoas, inclusive turistas, surpreendendo até a segmentos do governo.

 

No pátio dos mercados também não tem sido diferente. Milhares de pessoas estão participando para valer o Forrocaju.

 

Os dois eventos, bem freqüentado pela população da capital e cidades próxima, apagam um pouco o fogo do São João no interior.

 

As cidades de Estância, Itaporanga e Areia Branca estão mais entusiasmadas com os festejos juninos deste ano.

 

O Forró Siri, no conjunto João Alves Filho, vai também atrair muita gente com uma programação que não deixa a dever aos festejos de outras cidades.

 

O prefeito de Nossa Senhora do Socorro, José Franco (PPS), vem dando maior intensidade aos festejos, assim como fez quando era prefeito de Areia Branca.

 

A oposição ao prefeito da Barra dos Coqueiros, Airton Martins (PT) está cobrando transparência da administração.

 

O deputado Augusto Bezerra (PFL) admitiu a aprovação de um fundo especial no Orçamento do Estado para revitalização dos rios sergipanos.

 

Segundo Augusto, a ajuda financeira seria direcionada aos comitês responsáveis pelos planos diretores das bacias.

 

A Campanha de Desarmamento chegou ao seu final dia 23 e Sergipe é, proporcionalmente, o Estado campeão, com o maior número de recolhimento de armas em relação à população.

 

Foi recorde o volume de tributos recolhidos pela Receita Federal, para o período de janeiro a maio.

 

Quem possui algum plano de previdência privada tem até o dia primeiro de julho para optar entre as duas formas possíveis de pagar o IR, sobre o benefício ou o regate.

brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários