Mar de saco cheio

0

Quando a burguesia de Sergipe resolveu destruir dunas e aterrar lagoas naturais para construir mansões na Praia do Saco, em Estância, não informou ao poder público sobre o crime ecológico que pretendia cometer. Agora, que o mar está cobrando seu espaço invadido, os fidalgos veranistas cobram do governo uma solução para conter a força das águas, impedir a destruição de seus patrimônios. Antes de acenar com soluções caras para barrar a fúria do mar, o governo deveria indagar quem os autorizou a afrontar a natureza por anos a fio. Ademais, seria um desrespeito ao contribuinte gastar rios de dinheiro público para “salvar” uma praia usada por alguns poucos endinheirados, enquanto milhares de sergipanos clamam por saúde, educação, segurança, etc. O que está acontecendo naquele aprazível trecho do Oceano Atlântico é simples: o mar encheu o saco e resolveu chutar o pau da barraca. Tentar contê-lo seria o mesmo que nadar contra a maré.

Contra o mangue

Em recente evento social de Aracaju, alguns convidados defenderam que o mangue em frente aos edifícios do bairro 13 de Julho deve ser podado porque está impedindo a circulação do ar que vem da costa. Outros foram mais radicais e propuseram o corte puro e simples do frondoso mangue. Felizmente, a Administração Estadual do Meio Ambiente (Adema) pensa diferente. A instituição desenvolveu um projeto que irá permitir que o manguezal sergipano seja monitorado e enumerado. A natureza agradece.

Interinidade

Para descansar com a família por 10 dias nas praias do Nordeste, o governador Marcelo Déda (PT) passou o cargo ontem ao vice Jackson Barreto. “Estou me ausentando para um período de descanso para recuperar as forças porque este ano exigirá massa cinzenta para pensar, coração disposto para compreender e músculos fortes para agir”, disse Déda. Jackson está assumindo o governo pela terceira vez em um ano.

Sergipe fora

Sergipe está fora da relação dos 184 municípios indicados pelo Ministério do Turismo como destinos turísticos durante a Copa do Mundo de 2014. Foram relacionadas as cidades que estão distantes até três horas por via terrestre, ou até duas horas por via aérea, das 12 cidades-sede da Copa. A pergunta que se faz é: se Aracaju está a menos de uma hora de Recife e Salvador, por que então não foi incluída na relação do Ministério? Será falta de prestígio político?

Imposto sobe

Com o aumento do salário mínimo, a contribuição para a Previdência Social do empreendedor individual ficará em R$ 31,10. A contribuição paga pelo empreendedor corresponde a 5% do salário mínimo, que desde o último dia 1º está fixado em R$ 622.O empreendedor individual é o trabalhador que atua por conta própria no comércio, na indústria e na prestação de serviços, e que tem limite bruto de faturamento de R$ 60 mil ao ano.

Reprovado

Enquete feita ontem no centro de Aracaju pelo Sindicato dos Professores da Rede Estadual mostrou que a população não anda lá muito satisfeita com a educação pública de Sergipe. Apuradas as notas dos 349 votantes, chegou-se à média 1,4. Levantamento idêntico feito anteriormente pelo Sindicato com os professores deu ao governo estadual a média 3,0.

Urubuzada

Aracaju vai sediar a primeira Confraternização da Nação Rubro-Negra de Sergipe. Será no próximo dia 14, no Clube de Engenharia de Sergipe. A organização espera reunir cerca de 800 torcedores flamenguistas. Devem participar da festa os ex-jogadores Adílio, Andrade e Júlio César, campeões da Taça Libertadores e do Mundial de 81. Os ingressos são limitados e estão à venda em vários pontos comerciais de Aracaju.

Espeto de pau

Um carro da Companhia de Policiamento de Radiopatrulha da Polícia Militar foi apreendido por uma equipe do Batalhão de Polícia de Trânsito porque o licenciamento de 2011 está atrasado. Segundo o comando da PM, o carro é locado a uma empresa particular que não o licenciou no tempo certo. Este fato lembra o dito popular “casa de ferreiro, espero de pau”. É mole, ou quer mais?

Lula antenado

E quem visitou o ex-presidente Lula (PT) ontem em São Paulo foi o ex-presidente da Petrobras, Zé Eduardo Dutra (PT). Após o encontro com o amigo, Dutra postou no twitter que “Lula está bastante animado. É um exemplo para todos os que enfrentam o câncer. Como não podia deixar de ser, conversamos um pouco sobre política. Ele está antenado com tudo que está acontecendo”.

Do baú político

No início da década de 80, os estudantes da Universidade Federal de Sergipe ficaram frente a frente com a arrogância do então ministro da Educação e Cultura, general Carlos Ludwig. Ele era um dos homens de confiança do presidente de plantão, general João Batista Figueiredo. Em visita a Aracaju para participar de eventos oficiais, o ministro concordou em receber os estudantes durante um café da manhã no Hotel Palace. A turma chegou no horário marcado e a mesa já estava posta, com o general sentado à cabeceira. Quando Marcelo Déda, então presidente do Diretório Central dos Estudantes, começou a apresentar as reivindicações, Ludwig passou a discordar dos argumentos, além de alegar dificuldades para atender às cobranças. Aos poucos, foi levantando a voz, até que o estudante de direito Diógenes Barreto interveio: “O senhor está aqui como ministro ou como general?”. O clima ficou ruim e Carlos Ludwig incorporou o militar linha dura: “Aqui não tem mais conversa!” Os estudantes levantaram e foram embora sem tomar o café que, àquela altura, já estava frio.

Resumo dos jornais 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários