Marechal Deodoro (AL) – pelos caminhos do 1º Presidente do Brasil

0
Complexo da Ordem Franciscana com igreja de Santa Maria Madalena, restaurados e belos

Quando se escolhe como destino o litoral sul de Alagoas, logo vem em mente as estreladas praias do Francês, Barra de São Miguel, Gunga,…  Mas nos últimos anos essa ideia vem mudando e quem procura o litoral, alia também ao roteiro história, costumes e tradições locais. Prova disso é o crescente número de turistas que buscam a sede municipal de Marechal Deodoro como destino. E não é por acaso.

Convento Franciscano hoje abriga o Museu de Arte Sacra de Aalagoas

Marechal Deodoro fica a 18km de Maceió, a 6km da praia do Francês e se constitui num museu à céu aberto para se fazer um roteiro a pé pelo centrinho histórico e pela orla que margeia a maior lagoa de Alagoas: a Manguaba.

Primeira capital do Estado de Alagoas, Patrimônio Histórico do Brasil e cidade onde nasceu o Proclamador da República e primeiro presidente, andar por suas ruas é conhecer um pouco da história do Brasil, passado por Igrejas, casarios, sobrados e a regionalidade da colônia de pescadores lacustre.

Largo de Taperaguá e igreja de Bom Jesus do Bomfim

Logo na entrada da cidade, o turista tem a sensação de tranquilidade com a rodovia margeada por árvores dos dois lados. Ainda na entrada da cidade, no Largo Taperaguá, a igreja de Bom Jesus do Bomfim com o conjunto de casas multicoloridas no seu entorno dão às boas-vindas. A praça foi totalmente restaurada como no início do século quando os primeiros conglomerados urbanos da localidade se dispuseram ali. Mais adiante, uma charmosa capelinha devotada a Nossa Senhora da Boa Viagem mostra uma Marechal revitalizada até chegar ao palácio Provinciano, envolto de mais casinhas coloridas típicas do interior do Nordeste.

Largo de Taperaguá

O passeio está só começando quando o turista chega mais a frente ao complexo arquitetônico da Ordem Terceira de São Francisco, restaurado recentemente, e que abriga a Igreja da Ordem Franciscana, a Igreja de Santa Maria Madalena e o Convento Franciscano, hoje o Museu de Arte Sacra de Alagoas. Chama atenção a quantidade de obras de arte sacras dos séculos XVIII ao XX e na igreja da Ordem o Cristo Jansenista, com as mãos erguidas para os céus, olhando para o alto e com pés separados, que não se sabe ao certo como chegou à Marechal, mas com teorias cheias de intrigas e controvérsias na igreja católica.

Largo dos Franciscanos com igreja e convento da Ordem

A pracinha em frente mostra uma cidade pacata onde os moradores ainda conversam pelas janelas.

Vizinho ao complexo fica a casa onde morou Marechal Deodoro e que hoje foi transformado em memorial. São móveis de época e utensílios disponibilizados pelo Museu da República no Rio de Janeiro que conta um pouco da história do proclamador e primeiro presidente da República.

Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição

A história ainda continua viva ao conhecer a Matriz de Nossa Senhora da Conceição abrigando também uma diversidade de imagens sacras, o prédio da antiga Casa de Detenção, o conjunto arquitetônico do Carmo, mais ao longe; além das igrejas de Nossa Senhora do Rosário e do Amparo fechadas para restauros.

Complexo do Carmo

É chegada a hora de dar adeus a história, mas não de Marechal Deodoro. Um pouco de regionalidade para conhecer a bela paisagem da lagoa Manguaba na orla da cidade e que disponibiliza passeios de barcos.

Para quem quer apreciar das guloseimas regionais, no retorno à Maceió há a Associação de Doceiras no polo gastronômico da Massagueira, onde vendem doces e cocadas nas versões originais: branca e coco queimado. Sabores como banana, goiaba, maracujá, jaca e amendoim encantam os paladares dos turistas que gostam de se aventurar pelos doces nordestinos. Também no polo da Massagueira há vários restaurantes de comidas regionais.

Casa Museu de Marechal Deodoro

O dia é dedicado à Cidade Natal do Proclamador da República e seus familiares, visitar prédios históricos com arquitetura barroca, além de obras de arte sacra e no finzinho da tarde, curtir o pôr do sol na praia do Francês saboreando as cocadinhas da Massagueira. O passeio é bem alagoano ou não é?

Museu de Marechal Deodoro abriga objetos e história

Dicas de viagem

É possível um bate e volta partindo de Maceió. São cerca de 18km através do acesso à praia do Francês. O acesso é feito partindo pela rodovia litorânea AL 101, entrando no trevo à direita no Francês, seguindo pela AL – 220.

A dica de hospedagem mais próxima é no Francês que passa por uma nova onda de investimentos públicos e novos aparelhos turísticos. Com diárias que variam de R$ 160 a R$ 220, a depender da acomodação e do período, a pousada Capitães de Areia mantém o cheirinho de novo nos apartamentos com decoração aconchegante e varadas com boa vista.

Na igreja da Ordem o Cristo Jansenista

Desde o início dos anos 90 que a rede hoteleira passar por modernização. Pertinho da praia, vizinho ao Centrinho de bares e restaurantes, ou seja, bem localizada, está a pousada Capitães de Areia, uma boa opção custo/benefício, conduzida presencialmente pelo casal de paulistas, Adriana Franco e Celso Luiz Cícero. Eles escolheram o litoral alagoano para chamar de seu e montou o negócio que ostenta desde que foi aberto o título de Qualidade nos Serviços.

Detalhes

A pousada tem seguido ferrenhamente os protocolos de biossegurança no retorno do turismo, a começar desde o check-in, feito antecipadamente, ao café da manhã, oferecido em horário agendado e com um cardápio direcionado para o cliente. O telefone é (082) 3260-1477 ou  + 55 (082) 9 8856-4598  pousada@capitaesdeareia.com.br. Rua Vermelha, 13 | Praia do Francês | Marechal Deodoro | Alagoas. CEP: 57.160-000.

Detalhes

Consulte o horário de museus e igrejas, tão logo chegue na cidade. Por conta da pandemia o Museu de Arte Sacra instalado no Convento da Ordem Terceira do Carmo ainda não abriu para o público.

Paga-se uma taxa de manutenção de R$ 5 na Casa de Marechal Deodoro. Há uma visita guiada e vale a pena escutar as histórias, algumas delas bem curiosa.

A praia do Francês fica à margem da AL-101, via de trajeto das praias do Litoral Sul alagoano. Partindo de Maceió são 18km. Não tem erro. Caso queira ir de ônibus, também há condução da rodoviária de Maceió. Veículos utilitários também sabem de 15 em 15 minutos do centro da cidade, diariamente, ao preço de R$ 7.

Gastroterapia

Camarão de agua doce – fruto da lagoa Manguaba, que margeia a cidade

O ensopado de massunim ou de ostras é um dos pratos principais da culinária alagoana. Os mariscos são catados nas areias das praias ou em criatórios e retirados da carapaça ou conchas. Cozinhados com leite de coco, bastante cheiro verde e azeite, o massunim e as ostras viram iguarias em todos os bares da praia do Francês. Os caldos de sururu e até mesmo de lagostas, camarão e lagostim também são bastantes pedidos. Acompanhados de limão, os caldos são bem-vindos ao descansar em uma das espreguiçadeiras dos bares da praia.

Há bons restaurantes à beira-mar que servem os essopados, como o Mojica Praia, um restaurante que aportou na década de 90 no Francês e que hoje mantém serviço de praia na areia e bons petiscos. A comidinha é farta. Os pratos para almoço variam de R$ 38 a R$ 120, mas não pestaneje em pedir os pratos à base de frutos do mar. O peixe Cavala é bem presente na culinária da região.

No pôr do sol as opções se dividem e dois exponentes dessa nova fase do Francês se fazem presentes: o Sunset Beach e o OliBaba Beach Bar, esse segundo inicia cedo com serviço de praia acompanhado de música eletrônica e gente bonita espalhada nas espreguiçadeiras da areia. O Sunset é uma sacada com vista para coqueirais frequentado por surfistas e gente jovem que o procura pela qualidade do ambiente e música que varia da Bossa Nova ao Reggae.

A noite não pense duas vezes em procurar um lugar nos restaurantes bem frequentados da rua Carapeba e Vermelha. O Mojica é reduto de boa música, boa gastronomia, tudo isso em ambiente aconchegante entre árvores e mesas com mosaico. O serviço é bom e a decoração cheia de moais e arte alagoana transmite aconchego. Os pratos são individuais ou para duas pessoas. A indicação são as chapas para duas pessoas ou os peixes. Chapa de frutos do mar R$ 108. Peixe inteiro na palha R$ 68.

Uma outra boa dica gastrô é o Espaço Gastronômico e Cultural paralelo ao calçadão da orla com diversos restaurantes. O Sukite Sushi bar é superinteressante e vale a pena com a composição de comidas japonesas. O Shitaki Sushi Bar é uma boa pedida para quem gosta da comida japonesa. Fernando Shitaki faz as honras da casa.

Mojica Praia – Av. Verdes Mares, 240 – Praia do Francês, Mal. Deodoro – AL, 57160-000. Aberto das 9h às 16h. Telefone: (82) 3336-0000

Moai Praia do Francês – R. Carapeba – Praia do Francês, Mal. Deodoro – AL, 57160-000. Aberto das 16h às 24h. Telefone: (82) 99312-6130

Shitaki Sushi bar – Centro Gastronômico e Cultural, rua dos Corais. Praia do Francês, Mal. Deodoro – AL. Aberto das 16h às 24h. Delivery (82) 999272384.

 

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais