MOMENTO POLÍTICO

0

As conversas estão ocorrendo. Cada vez com maior intensidade. Até de forma um tanto quanto abertas. As lideranças partidárias não têm mais muita coisa a esconder. O quadro não está pronto para ser exposto, mas faltam apenas algumas poucas pinceladas para que se dê contorno à paisagem eleitoral de Sergipe. Não há nada complicado na formação de blocos, mas se encontra alguns furos que precisam de remendo para se levar adiante as bandeiras. A situação da disputa eleitoral é clara e objetiva: João Alves Filho (PFL) e Marcelo Déda (PT) estarão em palanques opostos pelo governo do estado. O que resta de imbróglio é a dificuldade na questão de alianças que obedeçam às coligações que estão sendo feitas a nível nacional, mas que em Sergipe se transformou em problema de parca solução. PFL e PSDB, que naturalmente estariam juntos para enfrentar o bloco oposicionista liderado pelo Partido dos Trabalhadores, se contrapõem na formação de uma aliança.

Seja talvez um dos poucos impasses para a direção nacional dos dois partidos. Até mesmo a Bahia, onde a situação carecia de maiores cuidados – lá é uma briga de cristais – está sob controle. O presidenciável Geraldo Alckmin fechou o apoio do PFL da Bahia. Ele tomou café da manhã com o governador Paulo Souto, candidato à reeleição, e confirmou sua primeira visita à Bahia nos dias 12 e 13. Mas o apoio ao PFL trincou o relacionamento com o PSDB baiano. O líder do partido na Câmara, Jutahy Júnior (BA), inimigo do PFL baiano, avisou: “não estarei com o PFL e quem quiser apoiar Paulo Souto será dissidente”. Em Sergipe pode acontecer o mesmo, levando em consideração que os tucanos do estado divergem naturalmente do PFL e, ainda, querem fechar uma “aliança branca” para eleger um governador do PT. Não será bom para Alckmin caso consiga chegar ao Planalto como presidente da República.

O governador João Alves Filho teve uma conversa reservada com Geraldo Alckmin, quarta-feira passada, no apartamento do senador Heráclito Fortes (PFL-PI). Ficaram a sós por bons minutos. Retornou a Sergipe mais animado e revelou para alguns aliados que o encontro foi “muito bom”. Alckmin também conversou com o ex-governador Albano Franco e lhe fez um único pedido: “não feche uma aliança branca com o PT”. O ex-governador teria lhe dito que vem sofrendo pressão da maioria dos parlamentares e candidatos proporcionais, que deseja a aliança, além dos afagos do ex-prefeito Marcelo Déda e do senador Antônio Carlos Valadares (PSB). Partiu de Albano a sugestão para uma reunião com o grupo de candidatos do PSDB de Sergipe. Já foi marcada para terça-feira. Alckmin vai sentir o clima e oferecer solução. Albano chegou a reconhecer que o partido terá dificuldade de eleger uma bancada estadual (federal nem se fala) porque a aliança branca pode favorecer ao majoritário, mas bloqueia a formação de um chapão proporcional.

Como essa questão do PSDB está sendo tratada a nível nacional, com interferência das Executivas dos dois partidos, o governador João Alves Filho deve conversar na próxima semana com o PSC e, certamente, chegará a um caminho que concilie interesses. Só há uma questão para coligação: que seja aceito um chapão em todos os níveis na proporcional. Se isso não for possível, o partido poderá procurar outra composição que aceite sua proposta. O ex-presidente do PSC, José Amorim, mantém a decisão de apoiar o governador João Alves Filho. Qualquer desvio desse posicionamento só acontecerá se for recusado o chapão, que passou a ser uma exigência dos candidatos proporcionais. Quanto ao PMDB há dúvidas, porque ainda não se decidiu quanto à candidatura própria a presidente da República. Apesar da indecisão, o deputado federal Jorge Alberto trabalha para ser o candidato a vice na chapa de Marcelo Déda, o que provocará uma divisão dentro do partido. PDT, PV e partidos pequenos buscam uma alternativa diferente, através da terceira via, mas na impossibilidade tendem a um entendimento com legendas maiores. Nesse caso o Partido dos Trabalhadores está fora de cogitação…

 

 

CONTATOS

O PFL vai reiniciar os contatos políticos e um dos primeiros será com o PSC, que já anunciou prioridade para uma coligação com a legenda.

O único entrave era a formação de um chapão para proporcional, mas isso já está sendo bem aceito por candidatos que integram as duas legendas.

 

COM PSDB

Haverá outros contatos entre PFL e PSDB, mas acontecerá depois do encontro com Geraldo Alckmin e a direção nacional do tucanato.

O PFL vai sustentar a candidatura de Maria do Carmo ao Senado Federal, mas a próxima conversa também pode girar em torno de outras propostas para os tucanos.

 

MACHADO

O deputado federal José Carlos Machado (PFL) obstruiu alterações que o governo pretende fazer no Plano Plurianual de Investimento (PPA), que mexe com o Orçamento de 2006.

Machado disse que só votaria caso fosse resolvido o problema da liberação das certidões negativas que foi negociado com o governador João Alves Filho (PFL).

 

GILMAR

Quando estava na discussão, Machado recebeu telefonema do secretário Gilmar Mendes, dizendo que fora chama ao Ministério da Fazenda.

O deputado acompanhou o secretário, mas nada foi resolvido: “não há boa vontade por parte dos técnicos da Fazenda”, disse Machado.

 

GENRO

Depois de deixar o Gilmar Mendes no escritório de Sergipe em Brasília, Machado recebeu telefonema do ministro Tarso Genro, que lhe falou sobre o assunto.

O deputado não revelou o que lhe disse o ministro mais se declarou um cético em relação a acordos com o Planalto: “Mas, depois da conversa com o ministro, estou esperançoso”.

 

JANTAR

O ex-governador Albano Franco (PSDB) continuou conversando sobre composição em Sergipe, mesmo depois que esteve com Geraldo Alckmin, na quinta-feira.

No mesmo dia, à noite, Albano jantava “aliança branca” com Marcelo Déda e Sigmaringa Seixas (PT), ao lado de Bosco Costa (PSDB), no restaurante Piantella.

 

ALMOÇO

Ontem, em Aracaju, Albano Franco repetiu o mesmo prato (aliança branca) em almoço com os deputados Jorge Araújo e Fabiano Oliveira (ambos do PSDB).

Revelou todos os passos que deu neste período que teve em Brasília e marcou para terça feira a reunião decisiva com Alckmin.

 

CÚPULA

Terça-feira a cúpula do PSDB em Sergipe terá um encontro em Brasília com o presidenciável Geraldo Alckmin, e senadores Tasso Jereissati e Sérgio Guerra.

Vão tratar do problema que se criou em Sergipe para coligação com o PFL: “não dá para sair desse encontro sem uma decisão definitiva”, disse ontem um tucano.

 

PROPORCIONAL

O deputado Fabiano Oliveira almoçou quinta-feira com José Eduardo (PT) e jantou com o prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB). O assunto foi coligação proporcional.

Fabiano disse aos dois que todos têm que encontrar uma alternativa para a composição proporcional. E avisou: “eu não vou para o suicídio”.

 

CÁLCULOS

Segundo cálculos de um político experiente, o PSDB não terá candidato a deputado federal caso feche uma aliança branca com o PT.

O deputado federal Bosco Costa disputaria uma vaga na Assembléia Legislativa. O PSDB fará quociente eleitoral para eleger apenas dois deputados estaduais.

 

FONTES

O deputado federal João Fontes jantou ontem com o presidente regional do Partido Verde, Armando Batalha. Conversaram sobre o lançamento de uma terceira via.

João Fontes e Armando Batalha vão trabalhar por uma aliança com partidos de pequeno e médio porte, com objetivo de lançar candidato a governador.

 

NÃO CRÊ

João Fontes disse, ontem, que, pelo que tem ouvido em Brasília, não acredita na formação de uma aliança branca entre PSDB e PT.

Segundo Fontes, membros da direção nacional do PSDB não vai permitir que isso aconteça, porque não aceitar quebrar a composição nacional.

 

BOSCO

O deputado federal Bosco Costa (PSDB) também estaria se declarando contra uma aliança com o PT em Sergipe.

Bosco conversou com o seu colega João Fontes e marcaram um novo encontro. O assunto é a formação de uma terceira via em Sergipe.

 

 

Notas

 

CAMPANHA

A Câmara analisa o projeto de lei que obriga candidatos a cargos eletivos enviar semanalmente à Justiça Eleitoral e aos comitês financeiros de campanhas relatórios das contribuições recebidas, com os nomes dos financiadores. O aviso deve ser feito a partir do registro da candidatura.
A proposta determina ainda que os dados sejam mantidos em sigilo até a realização das eleições. Após a
diplomação dos candidatos eleitos, a Justiça Eleitoral encaminhará ao Ministério Público as prestações de contas.

 

CAIXA DOIS

O projeto ainda aumenta ou torna mais efetivas as penalidades existentes para infrações como doações irregulares e descumprimento do prazo para prestação de contas. O texto amplia, por exemplo, a pena aplicada em caso de caixa dois ou não-registro das doações e contribuições de campanha.

Pela proposta, a pena passará a ser de cinco a dez anos de reclusão e pagamento de multa no valor de R$ 40 mil a R$ 100 mil. Atualmente, a pena máxima prevista, é de cinco anos de reclusão e pagamento de até 15 dias-multa.

PRERROGATIVA

A Comissão de Legislação Participativa aprovou no último dia 26 a sugestão do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de estender a qualquer cidadão brasileiro a prerrogativa para propor ação civil contra os responsáveis por atos de improbidade administrativa.

Ao pedir a alteração, a OAB lembrou que, apesar de o cidadão não poder agir contra os agentes responsáveis por atos de improbidade administrativa, ele pode anular os atos lesivos ao patrimônio público.

 

 

É fogo

 

O deputado federal Mendonça Prado (PFL) quer a instituição do voto facultativo no Brasil, assim como acontece em vários outros países.

 

Mendonça Prado apresentou uma PEC, subscrita por 217 parlamentares, instituindo o voto facultativo. Acha importante que o cidadão vá às urnas consciente da importância do voto.

 

A ex-prefeita de Ribeirópolis, Regina Passos, tomou posse ontem na Secretaria Especial de Política para Mulheres. Aconteceu no Palácio dos Despachos.

 

O deputado Jorge Araújo (PSDB) solidarizou-se com o prefeito Elber Filho que apresentou projeto contra estacionamentos em supermercados e universidades.

 

Por determinação judicial, o projeto sequer pode ser votado na Câmara. Isso prejudica estudantes da Unit.

 

A Prefeitura de Aracaju está sendo acusada por vereadores de oposição de conivência com a Unit, na cobrança pelo estacionamento da universidade.

 

A Prefeitura teria proibido que eles estacionassem em frente ao espaço da Unit que é cobrado e ainda colocou guardas para multá-los.

 

O deputado estadual Luiz Garibalde está em campanha para a redução do preço do cimento vendido em Sergipe.

 

O Ballet Nacional de Cuba e a diva Alícia Alonso chegam ao Brasil na próxima segunda-feira, para dar início à turnê do espetáculo “A Magia da Dança”.

 

A operadora de telefonia móvel Vivo encerrou o primeiro trimestre deste ano com prejuízo de R$ 179,3 milhões.

 

Já estão se intensificando as compras no comércio e nos shoppings de presentes para os dias das Mães. Depois do natal, esse é o período de melhores vendas.

 

A maior parte do empresariado brasileiro do comércio espera repetir no dia das Mães o volume de vendas registrados em 2005.

 

brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais