MUDANÇAS, LIDERANÇA E CRIATIVIDADE (*)

0

MUDANÇAS, LIDERANÇA E CRIATIVIDADE (*)

 

“Somente aqueles que são capazes que ver o que está invisível podem fazer o impossível”

Anônimo

 

Mudanças, Liderança e Criatividade são palavras da ordem do dia. Mas, qual a relação entre as três? Existe alguma correlação entre mudança e liderança? E entre liderança e criatividade é possível fazer conexões? Imagine um líder à frente de um processo de mudança. O que acontecerá se este líder não for um indivíduo criativo?

Agora é só imaginar o corpo humano. Você sabia que a cada seis semanas todas as células do fígado foram substituídas? E que a cada três meses temos um novo esqueleto? Mas, será que apenas existem esses tipos de mudanças? Claro que não! Podemos afirmar que existem dois tipos clássicos de processos de mudança: 1 – o processo contínuo e cíclico. Como um exemplo desse processo temos a renovação das células do corpo humano ou o nascer e o por do sol que se repete todo dia; 2 – O processo de mudança por que passam as pessoas por conta do que elas provocam ou em resposta ao que acontece em torno delas.

Sempre que falamos sobre de mudanças entendemos que algo de novo ou diferente está acontecendo, seja de forma contínua, tipo uma mudança incremental ou abruptamente, tipo uma mudança de paradigma. Vale considerar também que nem sempre o processo de mudança tem um conteúdo criativo envolvido. Por exemplo, poderemos trocar um pneu do carro, trocar de roupa, mas esses não são considerados atos criativos.

Agora se considerarmos o conceito de liderança como poderemos fazer a conexão com a criatividade?  Para compreendermos e entendermos o significado da liderança vamos precisar compará-lo com o conceito de gerente. De um modo geral, no mundo organizacional há uma confusão clara entre os dois termos. As pessoas na maioria das organizações sempre denominam os seus gerentes como líderes. Há uma definição bastante interessante de Bennis e Nanus (1985) que afirma que gerenciar significa gerir os meios para fazer, acompanhar, ter a preocupação ou a responsabilidade para conduzir; ao passo que liderar  significa influenciar, guiar na direção de um curso, opinião ou ação. Daí podemos perceber que a diferença é brutal porque o que está sendo dito é que os gerentes são pessoas que fazem as coisas certas, ou seja, são indivíduos que estão no comando seguindo regras e orientação, ao passo que os verdadeiros líderes são pessoas que são capazes de ver o invisível e fazer acontecer o impossível.

Se considerarmos que uma definição clássica que diz que a “criatividade é a capacidade de olhar para o ordinário e enxergar o extraordinário”, fica evidente que, essa é também uma habilidade esperada de uma liderança. E há milhares de exemplos de grandes líderes e inventores em todo o mundo que conseguiram enxergar o invisível e fazer acontecer o impossível, tais como: Santos Dumont, Madre Tereza de Calcutá, Ghandi e milhares de outros.

Todas essas pessoas conseguiram trabalhar com processos de mudança, atuaram como líderes exemplares e tiveram a criatividade como uma das suas competências essenciais.

Portanto, por mais que queiramos não é possível deixar de separar a habilidade de gerenciar da habilidade de liderar porque os líderes são indivíduos que são capazes de fazer conexões não pensadas, e até consideradas impossíveis para que os seus objetivos, para que o seu sonho possa acontecer verdadeiramente.

Por esse motivo há uma conexão profunda entre criatividade e liderança. Quando um indivíduo resgata e desenvolve o seu processo criativo, naturalmente, há uma alteração no seu comportamento atitudinal e, a partir daí, o seu comportamento se modifica totalmente. Ele passa a ser um indivíduo ativo, um agente de transformação, ou em outras palavras um líder que através da sua força interior faz o seu sonho se tornar realidade.

Mas, a pergunta para você que está sendo esse pequeno artigo é: “E você? Em que cenário você quer se manter? Como um líder que sonha, se arrisca e faz acontecer? Ou prefere, seguir planos bem estabelecidos, agir corretamente, mas permanecer sob o comando ou sob a ordem de alguém?

Na verdade a escolha é sua!  

 

 

(*) Fernando Viana

www.fbcriativo.org.br

 

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais