Mulheres perfeitas não transam

0

Ela levantou cedo, fez um coque no cabelo, lavou o rosto, conferiu a pele (ainda amassada de sono), tomou uma rápida ducha fria, enxugou o corpo esbelto, pegou a malha novinha-em-folha, colocou as meias combinando com o conjunto da obra, o Adidas ideal e partiu para a academia. Contrariando os nutricionistas, ela é adepta do HIIT: High Intensive Interval Trainingou ou Treinamentos Intervalados de Alta Intensidade – para exercícios aeróbicos. É perfeita? Sim! Dentro do que convenhamos ser perfeito hoje em dia. É assediada por onde passa? Sim, não apenas pela malha colada no corpo-objeto, mas pelo total da espécie (cabelo cuidado, pele macia, sabe ler e escrever corretamente, boa dicção, emprego bom, com pagamento em dia, uma mulher classe-média de sucesso e antenada com o habitat carnívoro da dedicação ao corpo). Tanta dedicação semanalmente e, às vezes, com uma funcional aos sábados, a colocou no pedestal das punhetas obrigatórias da grande maioria dos malhadinhos de plantão. Só tem um problema, ela não sabe transar!

Desconfie sempre quando a pessoa é muito perfeita no Instagram. Não falo de filtros ou outras artimanhas, mas daquela perfeição em que 90% dos outros mortais não conseguirão nunca alcançar. Gente assim, muito "regrada" quase sempre não sabe ou não gosta de sexo. Não precisa fazer uma pesquisa profunda para descobrir que a posição preferida das mulheres perfeitas é o agachamento de pernas, mas do que adianta ter os glúteos perfeitos se a pessoa não dá o cu?

Quando o sexo é o X da questão é preciso vontade e, principalmente, tempo para se dedicar em dar prazer ao outro e descobrir o próprio prazer. Como uma pessoa que geralmente gasta duas horas numa academia vai ter condições para aguentar meia hora, que seja, de sexo com o parceiro? Esses seres perfeitos malham tanto que ao subirem em seus pedestais deixaram os prazeres da carne em troca de um shake de suplemento alimentar balanceado. E quer saber, nem devemos cobrar, pois algumas coisas não foram feitas para serem usadas, mas sim para colecionarmos!

Em contrapartida…

A outra já acorda meio atrasa, pois passou a noite cavalgando. Descontou a dieta, que breca o chocolate e as frituras, fazendo sexo para amenizar a ansiedade por comer. Preferiu ser comida! O corpo está uns cinco ou sete quilos acima do "ideal", mas ela não liga, pois, "mulher de verdade tem que ter culote pro cara segurar". O ficante, nada fixo claro, adora vê-la de quatro, penetrar sua vagina por trás mesmo. Ela enquanto mulher, solteira e responsável por suas contas, sabe o que lhe dá prazer e também o que o faz gozar logo. Então se é de quarto, ok, fica de quatro sem neuras. No sexo, o feminismo (defendido por ela) morre. Ele enlouquece, goza logo já pensando numa segunda rodada. Como se encontram duas vezes por semana, combinaram dele acumular o esperma nestes intervalos (ela acha que assim a transa será sempre quente). Ele não sabe, mas ela tem outros paqueras que suprem suas vontades em dias intercalados também. Ele não é o único na vida dela e isto não vai gerar D.R. Ela tem uma ótima cabeça.

Como as mulheres normais, ela controla a comida aqui, substitui ali, tudo para equilibrar o McDonald's do final de semana, mas não vai deixar de dar pra correr uma hora na esteira. Se os especialistas vão criticá-la por matar uns dias de academia, problema deles, ela já superou os olhares alheios. É livre para não ir à academia, como é livre pra marcar um esquema rápido com um paquerinha que conheceu no último sábado. Ela sabe viver! E eu? Tenho muito orgulho de conhecê-la!

Comentários