Musiqualidade

0

R E S E N H A

 

Cantora: MARIANA BALTAR

CD: “MARIANA BALTAR”

Gravadora: BISCOITO FINO

 

Quando lançou, em 2006, o seu CD de estreia no mercado fonográfico, a cantora carioca Mariana Baltar mereceu da crítica especializada vários e merecidos elogios. É que, naquele primeiro trabalho, já se delineava uma intérprete com potencial acima da média e uma cantora de afinação irrepreensível. E, ao costurar um repertório que reunia composições aparentemente díspares de Jorge Ben Jor (“Zumbi”), Vander Lee (“Seção 32”) e Joyce (“Samba da Zona”), entre outros, ela já se mostrava uma artista louvavelmente corajosa.

Também atriz e bailarina por formação (ela estuda dança desde os três anos de idade), lançou-se na música com o projeto “Gafieira Dance Brasil”, ao lado de Paulo Moura e Cliff Korman com o qual rodou o mundo. Foi também uma das idealizadoras do Centro Cultural Carioca (inaugurado em 2001) e através de suas apresentações nesse espaço tem deixado sempre clara a sua vontade de, ao lado de revelar novos talentos, resgatar grandes nomes do nosso cancioneiro.    

Seguindo na estrada, Mariana acaba de fazer chegar às lojas, através da gravadora Biscoito Fino, o segundo álbum, o qual leva unicamente o seu nome como título. Composto por uma dúzia de faixas e produzido com competência pelo violonista Josimar Carneiro, o trabalho traz nomes como o bandolinista Marcílio Lopes e o cavaquinista Jayme Vignolli assinando alguns dos arranjos. Com bom trânsito entre os compositores da nova geração, Mariana desta feita priorizou canções assinadas por esses talentos emergentes em detrimento de obras de bambambãs, opção abraçada no disco anterior.

Trata-se de um CD agradabilíssimo de se ouvir. Ela está cantando cada vez melhor e nota-se uma entrega inteira à emoção que cada canção requer. Dona de um belo timbre e dotada de uma extensão vocal considerável, Mariana passeia pelas canções com invejável conforto. O disco é aberto e fechado com dois ótimos jongos de Nei Lopes, um dos maiores sambistas de todos os tempos da MPB. O primeiro, “Tia Eulália na Xiba”, é uma parceria com Cláudio Jorge. Já “Jongo do Irmão Café” foi feita ao lado do frequente parceiro Wilson Moreira (essas duas músicas foram pinçadas do antológico disco “Negro Mesmo”).

Entre as regravações mais conhecidas, há uma deliciosa revisita ao choro “Teco Teco” (de Pereira da Costa e Milton Villela, originalmente gravado por Ademilde Fonseca, mas que se notabilizou com a versão feita por Gal Costa em 1975) e o resgate de “Uva de Caminhão” (de Assis Valente, pérola que já havia ganhado anteriormente um belíssimo registro na voz de Olívia Byington).

Compositores da nova safra, tais como Thiago Amud, Luiz Flavio Alcofra, Edu Kneip, Zé Paulo Becker e Mauro Aguiar se fazem presentes no repertório que encontra grandes momentos no bonito baião “Sertão do Vale” (apropriada homenagem feita a João do Vale), na delicada valsa “Tudo à Toa” (com passagens jobinianas) e na poesia singela da toada “Maldita Cancela” (esta uma parceria de Delcio Carvalho e Osório Peixoto). Mariana ainda ganhou uma canção inédita de Paulo César Pinheiro composta com o filho Julião Pinheiro, a dolente “Tanto Samba”.

Ratificando a leveza e a brejeirice ímpares de Mariana Baltar e trazendo uma sonoridade acústica (porém jamais soando datado), esse novo CD merece ser ouvido com atenção e serve como um importante passo para a consolidação da carreira de uma grande artista.   

 

 

N O V I D A D E S

 

·                     O cantor e compositor Pantera, um dos mais queridos e admirados de Sergipe, estará (enfim) lançando o seu primeiro (esperadíssimo) CD em show oficial que se realizará amanhã (terça-feira), dia 30 de março,  no Teatro Tobias Barreto, a partir das 21 horas. O álbum (que se intitula “Belas Imagens”) traz na produção a assinatura de  um dos mais importantes músicos  brasileiros, o mineiro Toninho Horta. Todo o repertório é autoral, com exceção da faixa “Velhas Serenatas”, sincera homenagem aos saudosos João Melo e Ismar Barreto. Imperdível!

 

·                     Radicado há alguns anos em terras cariocas, nosso Sergival passa a apresentar na Rádio Nacional do Rio de Janeiro um programa dedicado exclusivamente ao forró. Intitulado “Puxa o Fole”, será ao vivo e irá ao ar todos os domingos das 11:00 às 13:00 horas. O artista promete que a música sergipana terá espaço cativo no repertório.

 

·                     Enfim, estará chegando às lojas, ainda que primeiramente somente no formato de dois DVD’s vendidos separadamente, o registro dos shows realizados pela cantora Zizi Possi dentro do projeto pessoal “Cantos & Contos”. O produto, um lançamento da gravadora Biscoito Fino, serve para celebrar (mesmo tardiamente) os trinta anos de carreira da artista, completados em 2008, e traz várias participações especiais, dentre as quais: Alcione, Ana Carolina, Alceu Valença, Edu Lobo, João Bosco, Ivan Lins e Eduardo Dussek.

 

·                     O irrequieto Maurício Pereira selecionou vinte marchinhas pra lá de conhecidas e formou assim o repertório de “Carnaval Turbilhão”, seu novo CD que já se encontra nas lojas. Estão lá, entre outros, hits momescos como “Máscara Negra”, “Mamãe Eu Quero” e “Touradas em Madrid”.

 

·                     Martinho da Vila promete para seus fãs um 2010 repleto de novidades. É que já estão no prelo dois novos CD’s, os quais chegarão em breve às lojas. Em um deles, Martinho revisitará o repertório de Noel Rosa, o qual, se vivo fosse, estaria a completar cem anos. O outro (intitulado “Lambendo a Cria”) terá clima eminentemente familiar, uma vez que contará com as presenças de cinco de seus oito filhos (Analimar, Juliana, Maíra, Mart”nália e Tunico Ferreira).

 

·                     Outra que está cheia de gás é a cantora Mona Gadelha. Nem bem lançou seu quarto CD (“Salve a Beleza”), ela já anuncia para muito em breve a chegada ao mercado de “Praia Lírica”, um álbum dedicado à produção autoral de compositores cearenses que despontaram na década de setenta. Acompanhada unicamente pelo piano de Fernando Moura, Mona pinçou para o seleto repertório canções atemporais assinadas por Belchior, Fagner e Ednardo.

 

·                     Como já é de praxe, logo após o lançamento de um novo CD (no caso mais específico, foram dois: “Encanteria” e “Tua”), Maria Bethânia engata em seguida um DVD, via de regra gravado ao vivo durante a realização da turnê de show congênere. Assim, as três apresentações de “Amor, Festa, Devoção” a serem feitas este mês na casa Vivo Rio serão devidamente registradas e até o final do ano aportarão no mercado através da gravadora Biscoito Fino.

 

·                     A gravadora Biscoito Fino lançará no próximo mês o novo CD do cantor e compositor Antonio Villeroy. Artista de talento inquestionável, ele (que até agora se tornou mais conhecido por ser o principal parceiro musical da cantora Ana Carolina) mostrará várias canções de sua safra mais recente. A produção do álbum ficou a cargo de Torcuato Mariano e entre parcerias com Jorge Vercillo e Francisco Bosco, há as participações especiais de Maria Gadu na bossa “Recomeço” e de Teresa Cristina no samba-canção “A Flor que Eu te Dei”. Vem coisa muito boa por aí!

 

 

RUBENS LISBOA é compositor e cantor

Quaisquer críticas e/ou sugestões serão bem-vindas e poderão ser enviadas para o e-mail: rubens@infonet.com.br   

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais