Musiqualidade

0

R E S E N H A

Cantores: VÁRIOS
Box: “100 ANOS DE GONZAGÃO”
Gravadora: LUA MUSIC

País abençoado este nosso onde nasceram verdadeiros gênios musicais! De Noel Rosa a Chico Buarque, de Dorival Caymmi a Caetano Veloso, de Lupicínio Rodrigues a Djavan, de Ary Barroso a Gilberto Gil, de Cartola a João Bosco, de Dolores Duran a Rita Lee, de Pixinguinha a Milton Nascimento, de Tom Jobim a Roberto Carlos, de Braguinha a Ivan Lins, e ainda tantos outros, isso sem se esquecer do Rei do Baião, Luiz Gonzaga que, se vivo estivesse, estaria a comemorar este ano o centenário de sua existência.

Mas os verdadeiros artistas não morrem: eternizam-se. E é assim que as canções do Véio Lua ultrapassam gerações e são regravadas por artistas das mais diversas vertentes, os quais, merecidamente, o reverenciam como sendo um grande professor.

Gonzagão certamente foi o maior responsável pela divulgação da música nordestina no Brasil. Nascido em Exu (PE), ele (que precocemente nos deixou em 1989) desde criança se interessou pela sanfona de oito baixos do pai, a quem ajudava tocando zabumba e cantando em festas religiosas e forrós. Quando, após servir o Exército, resolveu morar no Rio de Janeiro, passou por muitos percalços. Começou tocando boleros, valsas e tangos, mas percebendo a carência que os migrantes nordestinos tinham de ouvir sua própria música, passou a executar xaxados, baiões e cocos, alcançando o sucesso almejado. Gravou incontáveis discos e, durante sua trajetória, nos deixou grandes legados: além do fliho (Gonzaguinha) e do neto (Daniel Gonzaga), inquestionavelmente herdeiros de seu talento, Gonzagão compôs (ao lado de parceiros como, entre outros, Humberto Teixeira, Zé Dantas, Onildo de Almeida, João Silva e Luiz Ramalho) diversas obras-primas que já se enraizaram no inconsciente coletivo nacional.

Várias foram as homenagens a ele prestadas durante este ano. Uma das mais interessantes e vigorosas foi o box “100 Anos de Gonzagão”, lançado pela gravadora Lua Music. Trata-se de um projeto idealizado pelo produtor Thiago Marques Luiz e composto por três CDs que, ao final, trazem gravações inéditas de canções gravadas por Gonzagão (a maioria delas de autoria dele mesmo) nas vozes de vários intérpretes da nossa atualidade.

Logicamente, num cenário assim, há alguns que terminam brilhando mais que outros, embora o resultado soe em geral homogêneo. Há os que se mostram à vontade pela proximidade com o cancioneiro de Gonzagão, o que faz resultar em ótimos momentos, como é o caso de Zé Ramalho (“A Morte do Vaqueiro”), Amelinha (“Légua Tirana”), Elba Ramalho (“No meu Pé de Serra”), Dominguinhos (“Daquele Jeito”) e Geraldo Azevedo (“Estrada de Canindé”) – registre-se aqui a ausência de Fagner nesse projeto. Há os que surpreendem pela qualidade impressa nas interpretações, transformando-se em destaques, a exemplo de Filipe Catto (“A Sorte É Cega”), Verônica Ferriani (“A Letra I”), Paulo Neto (“Imbalança”), Marcia Castro (“Paraíba”) e Karina Buhr (“Xanduzinha”). E há até aqueles que, fora de suas praias naturais, apresentam versões muito bacanas, tipo o que ocorre com a banda Vanguart (“Assum Preto”), Silvia Machete (“Lorota Boa”) e China (“Siri Jogando Bola”). Outras boas faixas são as que receberam o tratamento vocal de Chico César (“Pau de Arara”), Ylana Queiroga (“Orélia”), Vânia Bastos (“Olha pro Céu”), Ayrton Montarroys (“Riacho do Navio”), Zeca Baleiro (“Respeita Januário”) e do grupo 5 a Seco (“Derramaro o Gai”).

De fato, trata-se de um painel abrangente da obra de Gonzação que serve como consistente cartão de visita tanto para os fãs como para as novas gerações. Corra e ouça!

N O V I D A D E S

* Desde que explodiu nacionalmente junto com Roberto e Erasmo Carlos na Jovem Guarda, lá pelos idos dos anos sessenta do século passado, Wanderléa vem passando por altos e baixos em sua trajetória artística. Esporadicamente, conseguiu emplacar alguns sucessos como “Krioula” (de Hélio Matheus), “Menino Bonito” (de Rita Lee) e “Me Ame ou me Deixe” (de Michael Sullivan e Paulo Massadas), mas talvez por conta de opções equivocadas no tocante ao repertório, nunca chegou de fato a emplacar como o seu talento faz jus.

Dona de voz de timbre particularíssimo, bonito e exótico em proporções idênticas, e de uma extensão privilegiada, ela se arriscou em várias rotas, especialmente na década de setenta, tentando encontrar a que melhor se lhe adaptasse. Um painel do que gravou nesse período retorna ao catálogo com o box “Wanderléa Anos 70”, o qual chegou recentemente às lojas através da iniciativa do pesquisador musical Marcelo Fróes do selo Discobertas em uma salutar maneira de comemorar os cinquenta anos de carreira da Ternurinha. Foram reunidos quatro emblemáticos discos lançados pela cantora naquela já distante década (“Maravilhosa”, de 1972, “Feito Gente”, de 1975, “Vamos que Eu Já Vou”, de 1977, e “Mais que a Paixão”, de 1978) e adicionados outros dois (“Wanderléa”, lançado em 1981, e um contendo raridades: compilação de dezessete fonogramas registrados em compactos e projetos avulsos).

Dá para constatar que Wanderléa soube se apropriar de temas bem interessantes da dupla Roberto & Erasmo como “Você Vai Ser o meu Escândalo”, “Mané João” e “Na Hora da Raiva”, além de conseguir trazer a lume novas nuances para músicas de compositores de ponta da nossa MPB, caso de Caetano Veloso (“Chuva, Suor e Cerveja”), Jards Macalé (“Pula, Pula”, parceria com Capinam), Gilberto Gil (“Back in Bahia”), Jorge Mautner (“Quero Ser Locomotiva”), Gonzaguinha (“Palavras” e “Eu apenas Queria que Você Soubesse”), Luiz Melodia (“Segredo”), Sueli Costa (“Lua”), Joyce (“Carne, Osso e Coração”), Egberto Gismonti (“Café”), Assis Valente (“Uva de Caminhão”), Djavan (“O Canto da Lira”), Moraes Moreira (“Fruto Maduro”) e Fátima Guedes (“Bicho Medo”). Para quem só conhece a lado romântico de Wanderléa, vale muito a pena conhecer essas suas outras facetas!

* A cantora baiana Mariene de Castro gravou recentemente ao vivo CD e DVD objetivando prestar tributo à obra da mineira Clara Nunes. O projeto sairá com a chancela da gravadora Universal e será exibido no Canal Brasil. Será lançado em 2013, ano em que se completarão trinta anos de ausência da homenageada.

* Chegou recentemente ao mercado o novo CD de Bruna Caram. Composto por onze faixas, o álbum que se intitula “Será Bem Vindo Qualquer Sorriso”, foi produzido por Otávio de Moraes. Como já é de praxe em seus trabalhos, a boa cantora alterna regravações com temas inéditos. A própria artista assina duas canções, a melhor delas – sem sombra de dúvida – “Pode se Animar” (parceria com Pedro Luís), um dos destaques do repertório ao lado de “Peito Aberto” (de Dani Black). No terreno das releituras, vale a pena ouvir com atenção “Não Perca o Final” (de Zé Rodrix) e “Minha Teimosia, uma Arma Pra te Conquistar” (de Jorge Ben Jor). A cantora Marina de la Riva surge como convidada especial na releitura de “Segredo” (de Herivelto Martins e Marino Pinto).

* A gravadora Joia Moderna confirma para o começo de 2013 o relançamento de “Summertime”, o primeiro disco de Cida Moreira, originalmente lançado em 1981. A reedição conterá libreto com textos e fotos da artista à época. Massa!

* Chegará às no começo do próximo ano o sexto CD da cantora e compositora Vanessa da Mata, o qual terá a produção dividida entre Kassin e Liminha e trará repertório basicamente inédito e autoral. Outro que promete para breve o lançamento de seu novo álbum é Flávio Venturini. O disco contará com a participação especial de Ivan Lins na faixa “Tarde Solar”.

* A gravadora Warner Music colocou recentemente nas lojas o registro em áudio de nove edições do programa “Ensaio”, apresentado por Fernando Faro na TV Cultura. Alguns deles já datam de vários anos, o que faz com que a importância histórica supere a qualidade técnica. Os títulos lançados dizem respeito a Altamiro Carrilho, Luiz Melodia, Marcos Valle, Maysa, Milton Nascimento & Wagner Tiso, Moraes Moreira & Pepeu Gomes, Nelson Cavaquinho, Peninha e Zélia Duncan.

* E por falar em Zélia, será efetivamente lançado na próxima semana o tão aguardado CD no qual ela mergulha na obra autoral de Itamar Assumpção. O produto será disponibilizado em três versões: simples, luxo e acompanhado de livreto.

* O cantor e compositor Fábio Jr. registrou a turnê “Íntimo” durante show recentemente realizado no Credicard Hall, em São Paulo, para futuro lançamento em CD e DVD. Na ocasião, o artista contou com as participações especiais da cantora Luiza Possi e dos filhos Fiuk e Tainá.

* Com a produção a cargo de William Magalhães, responsável também pela execução da maior parte dos instrumentos e programações, está sendo lançado, através da gravadora LGK Music, “Amor Canalha”, o novo CD da cantora Karla Sabah. São quatorze faixas (três delas assinadas pela artista ao lado de parceiros) que reúnem releituras de músicas gravadas pela banda Ultraje a Rigor (“Zoraide” e “Volta Comigo”), temas de Caetano Veloso (“Mamãe Coragem” e “Baby”) e regravação de grande sucesso popular de Ronnie Von (“Pra Ser Só Minha Mulher”, dele e Tony Osanah). Entre os destaques do (irregular) repertório estão “Mulher que Não Dá Samba” (de Paulo Vanzolini), “Não me Quebro à Toa” (de Oswaldo Melodia) e “Eu Sou Melhor que Você” (de Maurício Pacheco).

* Acabou de ser lançado o quarto disco solo de Herbert Vianna. Intitulado “Victoria” (nome da inglesa Victoria Lucy Needham Vianna, mulher do artista, falecida em 2001 no acidente de ultraleve que o deixou paraplégico), o álbum foi produzido, gravado e mixado por Chico Neves e traz vinte músicas autorais, a maioria já gravada por outros artistas.

* O cantor e compositor gaúcho Filipe Catto anuncia para o próximo ano o lançamento de seu primeiro DVD, o qual resultará de registro a ser feito ao vivo. O projeto certamente também será disponibilizado no formato CD.

* Gravado no começo de setembro em São Paulo, chegará às lojas no começo de 2013 o DVD que reúne dos talentos dos rappers Emicida e Criolo. O repertório contempla canções constantes dos álbuns “Pra Quem Já Mordeu um Cachorro por Comida Até que Eu Cheguei Longe” e “Nó na Orelha”, ambos lançados em 2011. Quem viver, verá!

RUBENS LISBOA é compositor e cantor
Quaisquer críticas e/ou sugestões serão bem-vindas e poderão ser enviadas para o e-mail: rubens@infonet.com.br

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais