Musiqualidade

0

RESENHA

Cantor: Carlos Careqa
CD: “Made In China”
Gravadora: Independente

Cantando bem melhor, ainda que sua voz charmosamente rouca possa causar certo desconforto em alguns ouvintes mais conservadores, Carlos Careqa está lançando o oitavo título de sua trajetória musical: trata-se de “Made in China”, CD composto por quatorze faixas inéditas e autorais, produzido de maneira independente por ele próprio ao lado do multi-instrumentista Marcio Nigro e que ora chega ao mercado através do selo BED (Barbearia Espiritual Discos).

Natural de Santa Catarina, o cantor e compositor vem construindo uma carreira coerente, embora transite à margem da mídia que infelizmente teima em valorizar mais a barulheira oportunista do que canções de qualidade. Foi no Estado vizinho, Paraná, que ele estudou música e teatro. Há anos, no entanto, reside em São Paulo aonde vem atuando com frequência no mercado publicitário, além de ser o responsável por várias trilhas para peças teatrais. O primeiro disco foi lançado em 1993 e contou com o aval de Tetê Espíndola, presente como convidada especial. Careqa, que possui canções gravadas, entre outros, por Vânia Abreu, Rita Ribeiro e Cris Aflalo, teve também a honra de poder contar com a adesão de Chico Buarque em seu álbum anterior, lançado em 2011. E tal participação deu frutos: Chico já disse que foi ela que lhe trouxe a inspiração para compor “Rubato” (parceria com Jorge Helder que faz parte do repertório de seu mais recente CD). Em contrapartida, Careqa agora apresenta “Ladro” e a dedica a Chico. É uma música com um refrão melódico bastante agradável que, em seus versos, alinha os nomes de Aurora, Amora e Teodora, as três musas também constantes da construção buarquiana – muito legal!

Além do próprio Careqa e das múltiplas intervenções do já citado Nigro, toda a sonoridade do recém-lançado trabalho conta a mais tão somente com a presença do baterista Thiago “Big” Rabello. Os arranjos foram nitidamente construídos para acompanhar os sentimentos expostos através das letras, quase todas elas extremamente inspiradas. E é por aí que Careqa tanto se permite tocar em assuntos corriqueiros da atualidade (a exemplo do que acontece em “Mídia” e na canção-título que brinca com a globalização) como se deixa penetrar em seus questionamentos mais íntimos (caso de “Crise de Identidade” e “Existir”).

Entre as boas faixas de abertura e de término do CD (“Calma Alma” e “Passarinho Quando Pia”), surgem alguns grandes momentos. São músicas que denotam a criatividade de um compositor que merece ver o seu talento reconhecido por um público bem maior. Talvez o ápice desse trabalho fique por conta de “O Q Q Cê Tem na Cabeça” (parceria com Marcelo Quintanilha), criação inteligente e simples nas medidas certas (em tempo: só há mais uma parceria que é o samba “Botão de Futebol”, feita ao lado de Adriano Sátiro; as demais Careqa assina sozinho). Mas o fato é que não dá mesmo para deixar de destacar outros temas como a deliciosa “Sou um Moinho”, a bela e delicada “Feito Pra Continuar”, a contundente “Estrepolia”, a poética “44 (Quarenta e Quatro)” e a também confessional “Gohan de Dois”.

Com esse lançamento que já se consubstancia como o melhor título de sua discografia e decerto um dos melhores do ano em curso (embora este praticamente ainda no começo), Carlos Careqa ratifica ser um legítimo representante de uma safra de compositores que tem muito a dizer. Basta que os ouvidos se abram… Corra pra conhecer!

NOVIDADES

* Mesmo tendo chegado às lojas praticamente às vésperas do Carnaval deste ano (em uma inaceitável estratégia de marketing da gravadora Biscoito Fino), o CD “Carnavalança” merece efusivos elogios não apenas pelo conceito em si, mas também pelo agradabilíssimo resultado final. Vendido como um projeto infantil (tanto que distribuído pelo selo Biscoitinho), mas na verdade muito mais que isso (embora conte com a presença maciça de um coro de crianças para chancelar a que veio), é composto por dezesseis faixas (no encarte, descuidadamente estão constando dezessete) que albergam trinta e quatro canções recolhidas entre grandes sucessos momescos do nosso cancioneiro (algumas delas surgem sozinhas e outras reunidas em medleys), tendo sido idealizado por Mirna Brasil Portella e produzido por três dos filhos de Martinho da Vila, quais sejam: Martinho Filho, Maíra Freitas e Mart’nália. Aliás, as duas (especialmente a última) praticamente conduzem o álbum que conta, nos vocais, com as participações especialíssimas de Chico Buarque, Maria Rita, Luiz Melodia Evandro Mesquita, Paula Lima e Moyseis Marques, além do já citado Martinho. Adornado com arranjos arejados assinados pelo violonista Alfredo Doca Machado e por Maíra, uma exímia pianista, o disco desce redondinho e se torna de fato difícil selecionar os melhores momentos. Estão lá, por exemplo, saborosas marchinhas e sambas como “Touradas de Madrid”, “Mamãe Eu Quero”, “Índio Quer Apito”, “Saca Rolha”, “Máscara Negra”, “Pierrot Apaixonado”, “Aurora”, “As Pastorinhas”, “A Jardineira” e “Bandeira Branca”, resultando em um vigoroso painel que faz constatar que a criatividade de outrora parece inexistente nos dias atuais. Como fazem falta compositores como Lamartine Babo, Noel Rosa, Braguinha, Mirabeau, Zé Kéti, Heitor dos Prazeres, Joubert de Carvalho e Nássara, dentre outros, verdadeiras feras na arte de criar com inteligência! Um CD de fato obrigatório para quem gosta de música de eterna qualidade.

* A cantora e compositora Monique Kessous encontra-se prestes a entrar em estúdio para começar a gravar seu quarto álbum, o qual contará com várias canções inéditas e autorais, além de “Por Causa de seu Pensamento”, tema que ela ganhou de presente de Moska.

* Segundo a Associação Brasileira de Produtores de Discos (ABPD), Roberto Carlos foi o campeão de vendas de CDs no ano passado. Alavancado pelo mega sucesso nacional da balada “Esse Cara Sou Eu”, o Rei vendeu, sozinho, 1,7 milhão de cópias, mais do que todos os outros artistas brasileiros juntos, é mole? E como, então, não se curvar a ele?

* O cantor e compositor Guilherme Arantes anuncia para breve o lançamento de um novo CD de inéditas, o qual já está sendo gravado em seu estúdio particular em Salvador (BA). Intitulado “Condição Humana”, os arranjos do álbum serão executados por uma banda formada pelos músicos Alexandre Blanc, Gabriel Frejat, Luiz Carlini e Willy Verdaguer.

* Definida a trilha sonora da nova telenovela global, “Flor do Caribe”, que estreia hoje às dezoito horas. Foram selecionados, entre outros fonogramas, “Canção da Terra” (com o grupo Teatro Mágico), “Minha Vida É Te Amar” (com Elba Ramalho), “Sorriso de Luz” (com Djavan), “Face de Narciso” (com Jorge Vercillo), “A Canção que Faltava” (com Isabella Taviani), “Miragem” (com Dani Black), “O Xote das Meninas” (com Alinne Rosa) e “Dona de Sete Colinas” (com Alceu Valença). Em breve nas lojas!

* Foi recentemente lançado o livro “Marlene – A Incomparável”, o qual narra a trajetória artística e de vida daquela que foi a primeira grande intérprete da nossa MPB. O fato é que, unindo música e teatro, Marlene abriu portas para muitas divas que viriam depois. Integrante da coleção “Aplauso Música”, o livro resultou de fartas entrevistas concedidas à jornalista carioca Diana Aragão e traz, entre diversas belas fotos, muitas histórias impagáveis da carreira dessa insuperável artista que, em novembro do ano passado, completou nove décadas de vida. Escrito na primeira pessoa, tem como mérito maior o de resgatar as várias fases de Marlene, desde a infância vivida sem a figura paterna até a batalha enfrentada para conseguir o seu espaço. Um título realmente obrigatório!

* Filho do compositor Reginaldo Bessa, o cantor e compositor carioca Leonardo Bessa está lançando, através da gravadora Sala de Som Records, o seu primeiro disco solo intitulado “Parece um Sonho' cujo repertório prioriza pagodes românticos.

* Três meses após o nascimento da filha Alice, a cantora Maria Rita está retornando aos palcos com um show no formato piano e voz no qual revisita seus maiores sucessos (ficou de fora do repertório somente o CD “Samba Meu”), além de algumas das canções que registrou em seu último projeto através do qual homenageou a mãe Elis Regina. Bacana, mas tomara que não saia mais um registro ao vivo disso senão vira mais do mesmo…!

* O quinto CD da carreira do guitarrista Lanny Gordon será lançado neste primeiro semestre e alternará, no repertório, canções inéditas com sucessos da MPB da década de setenta. Intitulado “Lanny's Quartet”, revelará o encontro do artista com o tecladista Fernando Moura, o baterista Ricardo Mosca e o baixista Ronaldo Diamante. E contará com as participações especiais de cinco feras da guitarra nacional: Edgard Scandurra, Frejat, Luiz Carlini, Pepeu Gomes e Sérgio Dias.

* No próximo sábado, 16 de março, véspera do dia em que a nossa querida Aracaju completará seus 158 anos, estará se realizando à noite, na Colina do Santo Antônio, um show especial do qual participarão grandes nomes da música sergipana. Trata-se de uma super louvável iniciativa que merece ser prestigiada por todos. A gente se encontra por lá nessa merecida comemoração!

RUBENS LISBOA é compositor e cantor
Quaisquer críticas e/ou sugestões serão bem-vindas e poderão ser enviadas para o e-mail: rubens@infonet.com.br

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais