Musiqualidade

0

R E S E N H A

Cantora: ELIANA PRINTES
CD: “TUDO EM MOVIMENTO”
Gravadora: INDIE RECORDS/UNIVERSAL

Foi em sua terra natal, Manaus (AM), onde cresceu escutando rádio que a cantora Eliana Printes iniciou sua carreira ainda na adolescência. Sentindo, no entanto, que sua arte necessitava de um suporte maior para conquistar o Brasil, mudou-se para o Rio de Janeiro onde reside há algum tempo ao lado do marido, o compositor Adonay Pereira.
Em 1994, ao lançar seu CD de estreia, ela recebeu uma indicação ao Prêmio Sharp de música na categoria "MPB revelação". Seguiram-se a isso apresentações dentro e fora do país e outros seis discos até o lançamento do oitavo álbum, o qual aportou recentemente no mercado através de uma parceria entre as gravadoras Indie Records e Universal.
Ancorada numa enxuta e competente banda-base formada por Júlio Teixeira ao piano e acordeão, Francisco Falcon no baixo e violoncelo e Sérgio Nacife na bateria, Eliana, sem apelar para exibicionismos vocais, passeia com a segurança e a elegância de sempre por um repertório de dez faixas. Dona de belíssima voz de timbre grave de contralto (que a distingue em meio a tantas novas vozes femininas tão parecidas entre si), afinada e muito bem colocada, ela é, de fato, uma artista bastante especial.
Assinando a produção do novo projeto ao lado do já citado Adonay e de Orlando Veloso, ela, que vem galgando passo a passo sua carreira de forma tranquila e coerente, confirma ser uma das grandes intérpretes do nosso cancioneiro atual. Portadora de sensibilidade aguçada, não por acaso escolheu “Tudo em Movimento” como o título do recém-lançado álbum: assim como todas as coisas no mundo, a artista, de fato, está em constante evolução, lançando discos com uma (cada vez mais necessária haja vista o mercado tão competitivo) frequência invejável.
Embora, durante sua trajetória, venha emprestando sua bela voz a vários temas, é sobre o amor que ela mais gosta de cantar. E tanto faz se esse sentimento vem expresso em versos que denotam sofrimento (a balada “A Medida da Paixão”, de Lenine e Dudu Falcão) ou através do relato de uma separação feito de forma espirituosa e bem-humorada (o pseudo-tango “Pra Começar”, de Kléber Albuquerque, um dos destaques do repertório). Aliás, o sempre inspirado Kléber (um compositor recorrente na discografia de Eliana) faz-se presente no disco também com a obra-prima “Ai”, ora regravada em andamento um pouco mais acelerado que o ouvido em outras versões. E se do ainda pouco conhecido Walter Fernandes a cantora se permitiu selecionar três músicas (“Gêmeos de Nome”, “Pra te Falar” e “Chão de Ninguém” esta indubitavelmente a melhor delas), do ascendente compositor e cantor baiano Péri ela escolheu “Seita” para abrir o set list com chave-de-ouro.
O CD conta com as participações especiais de Luiz Melodia (em “Congênito”, de autoria do próprio) e de Isabella Taviani (em “Se Tudo Pode Acontecer”, de Arnaldo Antunes, Paulo Tatit, Alice Ruiz e João Bandeira) e traz, em alguns momentos, os auxílios luxuosos de Milton Guedes (na gaita) e de Tavinho Menezes (na guitarra).
Para completar, acompanhada de um quarteto de Cordas formado por músicos da Orquestra Sinfônica de Potsdam (Alemanha), Eliana revisitou a interessante “La Condessa” (de Ricardo Bezerra, Ribamar Vaiz e Soares Brandão).
Trata-se de um álbum que desce redondo e dá vontade de ficar ouvindo repetidas vezes. Um feito e tanto se for levado em conta que hoje em dia isso vem se tornando cada vez mais raro… Vale, então, super a pena conhecê-lo!

N O V I D A D E S

* E o ápice das comemorações do centenário de nascimento de Vinicius de Moraes acontece com o CD intitulado “A Vida Tem Sempre Razão”, um lançamento da gravadora Sony Music. Produzido pelo sempre competente José Milton, seu repertório se fez escolhido por ele ao lado de Georgiana de Moraes, uma das filhas de Vinicius (que também se faz presente cantando “Cartão de Visita”). Foram arregimentados dezenove artistas, os quais emprestaram suas vozes a dezesseis faixas, regravações inéditas de sucessos que vão de “Eu Sei que Vou te Amar” (com Ana Carolina) a “Você e Eu” (com Carlos Lyra), passando por “Medo de Amar” (com João Bosco), “Chora Coração” (com Fagner), “Canto Triste” (com Edu Lobo) e “Sei Lá” (com Toquinho, o derradeiro parceiro). Cantoras que trabalharam diretamente com Vinicius estão lá, caso de Miúcha (em “Samba em Prelúdio”, ao lado de Renato Braz) e Maria Creuza (em “Onde Anda Você”), bem como nomes que sempre explicitaram grande admiração pelo Poetinha, tais como Chico Buarque (em “O Amor em Paz”), Nana Caymmi (em “Janelas Abertas”) e Joyce (em “A Felicidade”, ao lado de Roberta Sá), mas há ainda outros de uma geração mais recente que também se saem com desenvoltura na missão a que lhes foi confiada, a exemplo de Seu Jorge (em “Canto de Ossanha”) e Mônica Salmaso (em “Sem Mais Adeus”). Sambistas da mais alta estirpe também contribuem para um resultado que soa acima da média (levando em conta projetos coletivos desse tipo), e tanto Zeca Pagodinho (em “Chega de Saudade”) como Arlindo Cruz com Moyseis Marques (no medley que reúne “Consolação”, “Formosa” e “Pra Que Chorar”) se mostram à vontade em suas incursões pelo terreno da MPB mais tradicional. Completam o set list dois fonogramas pinçados de discos de Emílio Santiago (“Garota de Ipanema”) e de Tom Jobim com Miúcha (“Pela Luz dos Olhos Teus”). Um projeto muito bacana que merece fazer parte de toda e qualquer cedeteca que se preze!

* A sambista Dorina está lançando o CD “Sambas de Luiz” através do qual homenageia o carioca Luiz Carlos da Vila. O projeto foi gravado ao vivo durante apresentação realizada no Centro Municipal de Referência da Música Carioca, no Rio de Janeiro, e teve a produção dividida entre Alessandro Cardozo e Claudio Jorge. O repertório contém os sucessos “Por um Dia de Graça”, “Morro Molhado” e “Graça do Mundo”, entre outros.

* Cantor e compositor mineiro com fortes influências do Clube da Esquina, Flávio Venturini acaba de pôr nas lojas mais um trabalho. Trata-se de “Venturini”, um lançamento resultante da parceria entre o selo MP,B e a gravadora Universal, o qual se faz composto por treze faixas, nove delas assinadas pelo próprio artista (solitariamente ou com parceiros). Egresso do lendário grupo 14 Bis, Flávio construiu um álbum gostoso de ouvir que conta com a participação especial de Ivan Lins na faixa “Tarde Solar” (parceria de Flávio com Alexandre Blasifera). A canção de maior apelo popular é indubitavelmente a abaianada “Um Dia de Verão” que, se bem divulgada, tem tudo para pegar fácil. Entre regravações dos hits “Todo Azul do Mar” (de Flávio e Ronaldo Bastos) e “Leãozinho” (de Caetano Veloso), o repertório, que é majoritariamente inédito, se abre para a agradável “Saiba” (parceria de Maurício Oliveira e Bárbara Mendes) e para a apropriada releitura de “Hino ao Amor” (de Margarite Monoot e Edith Piaf com letra em português de Odayr Masano). Outros dos destaques do set list apresentado ficam por conta da simples e inspirada “Fotografia de um Amor” e do suave samba-reggae “Idos Janeiros” (parcerias de Flávio com Murilo Antunes e Vander Lee, respectivamente).

* “Casual Solo” é o título do quarto CD de Moyseis Marques que, calcado na voz e no violão do cantor e compositor carioca, possui participações dos músicos norte-americanos Brian Morin (violão de sete cordas), Brian Rice (percussão) e Harvey Wainapel (clarone). Entre temas alheios de autoria de Jards Macalé, Toninho Horta e Bob Marley, Moyseis apresenta novas parcerias com João Callado, Mauro Aguiar, e Moacyr Luz. Em breve, nas melhores lojas do ramo!

* Ela é da trupe de Maria Gadú, tanto que esta é a única convidada especial de “Diário de Bordo”, o seu CD de estreia, um produto resultante da parceira entre as gravadoras Kuarup e Sony Music. Está-se a falar da cantora e compositora Camila Wittmann que, confiando a produção e a direção musical de seu primeiro álbum a Pedro Baldanza, se apresenta ao público com o pé direito. Cantora de timbre bonito e com considerável alcance vocal, ela também se mostra uma compositora versátil, assinando sozinha sete das onze faixas do CD. Entre suas criações, destacam-se “Castelos” (já gravada anteriormente por Gadú), “O Trem” e “Buquê”. E se a foto da capa com a artista portando uma guitarra pode sugerir que se trata de um disco voltado para o pop rock, o miolo do trabalho mostra que isso não se faz verdade. Há bons sambas autorais (“Pro teu Governo” e “Aos teus Segredos”), incursão em terreno nordestino (a contagiante a aforrozada releitura de “O Coco do Coco”, de Guinga e Aldir Blanc) e parada na seara mais genuína da MPB (a deliciosa “Trilhos Urbanos”, de Caetano Veloso). Camila ainda se arrisca cantando em inglês em duas faixas e cria versos em francês para a autoral “Meia-Noite em Paris”. No todo, uma agradável surpresa!

* A gravadora Universal prossegue com a série “Tons”. Desta feita, porá nas lojas muito em breve um box que conterá três discos gravados por Emílio Santiago no final da década de setenta do século passado: “Comigo É Assim”, “O Canto Crescente de Emílio Santiago” e “Guerreiro Coração”. O cantor recentemente falecido ainda possui títulos nunca reeditados em CD, os quais também merecem ser relançados para esmaecer a saudade que deixou em seus inúmeros fãs.

* A gravadora Sony Music está pondo no mercado um box que reúne, em três CDs, fonogramas originais gravados pela grande cantora Isaurinha Garcia entre 1943 a 1961. Entre as quarenta e quatro músicas selecionadas estão “Mensagem” (de Cícero Nunes e Aldo Cabral), “Duas Mulheres e um Homem” (de Ciro de Souza e Jorge de Castro), “Pretinho” (de Custódio Mesquita e Evaldo Ruy), “Último Desejo” (de Noel Rosa), “Carinhoso” (de Pixinguinha e João de Barro), “No Rancho Fundo” (de Ary Barroso e Lamartine Babo), “Cicatrizes” (de Herivelto Martins e Marino Pinto), “Nunca” (de Lupicínio Rodrigues), “Escuta” (de Ivon Curi), “Mocinho Bonito” (de Billy Blanco), “Deixa Pra Lá” (de Vinicius de Moraes) e “Meditação” (de Newton Mendonça e Tom Jobim). Imperdível!

RUBENS LISBOA é compositor e cantor.
Apresenta o quadro "Musiqualidade" dentro do programa "Canta Brasil”, veiculado pela Aperipê FM todas as sextas-feiras, às 10 horas.
Quaisquer críticas e/ou sugestões a este blog serão bem-vindas e poderão ser enviadas para o e-mail: rubens@infonet.com.br

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais