Musiqualidade

0

R E S E N H A

Cantora: JUSSARA SILVEIRA
CD: “ÁGUA LUSA”
Gravadora: DUBAS / UNIVERSAL

Jussara Silveira é cantora correta que vem lançando discos com constância, alguns deles temáticos como os que dedicou à obra de Dorival Caymmi (“Canções de Caymmi”, lançado em 1998) e ao cancioneiro angolano (“Flor Bailarina”, que chegou ao mercado no ano passado). Embora não veja seu nome reconhecido de imediato pelo público em geral, seu talento é admirado por aqueles que pertencem ao meio musical e é fato que ela vem construindo sua carreira de forma coerente e equilibrada.
Nascida em Nanuque (MG), Jussara foi criada em Salvador (BA), tendo sido influenciada por João Gilberto, Paulinho da Viola, Chet Baker, Billie Holiday e Nana Caymmi. É intérprete de estilo cool, muito embora tenha chegado a cantar no Bloco Eva, em sua formação pré-Ivete Sangalo. Antes de lançar seu primeiro CD, o que ocorreu em 1997, ela gravou com Caetano Veloso (no disco “Outras Palavras”, em 1981) e para Caetano Veloso (a faixa “Dama do Cassino”, de autoria dele, na coletânea “Elas Cantam Caetano”, em 1995).
Cantora sempre aberta a várias possbilidades, ela confessa admirar o fado desde criança quando lhe foi apresentado através do canto de Amália Rodrigues. Caiu-lhe como uma luva, então, o convite do poeta português Tiago Torres da Silva para que registrasse alguns de seus temas  em um álbum cuja proposta foi encampada pela gravadora Dubas, a qual, em parceria com a Universal, fez com que o mesmo chegasse às lojas no finalzinho do ano passado.
Intitulado “Água Lusa”, o CD se faz composto por onze faixas criadas por Tiago ao lado de dez parceiros, dentre eles Pedro Jóia em duas delas, este o violonista também responsável pela produção musical. Tiago é poeta dos grandes, daqueles que dizem a beleza em versos diretos e inspirados nos quais sentimentos vários se misturam, equlibrando-se com maestria num fino cordão de sensibilidade ímpar.
Jussara, por seu turno, está cantando melhor que nunca. Mais solta, parece que perdeu certo receio de se jogar e se entregou às canções de forma inteira.
Nunca foi intérprete de grandes arroubos, mas especialmente nesse recém-lançado trabalho ela se arrisca bem mais e sua voz de timbre agudo e cristalino ressoa super apropriada, atingindo o ápice nos dois maiores momentos do repertório, as belas músicas “O Mar Fala de Ti” e “Uma Canção por Acaso”. Entre outros merecidos destaques tais como “Sereia” e “Na Companhia de Fadistas” (composta especialmente para ela), Jussara faz da incursão pela seara lusitana um dos pontos altos de sua discografia. Altamente recomendável!

N O V I D A D E S

* Quando foi convidado para se apresentar no Rock in Rio 2013, o cantor e compositor Nando Reis resolveu convidar o trio de metais The Freakyboys Horns (formado por sax barítono, sax tenor e trompete), o qual havia conhecido tempos antes em Seattle (Washington, EUA) quando da gravação da faixa “Coração Vago” que integra “Sei”, seu mais recente álbum de estúdio. O repertório apresentado parcialmente no aludido evento foi executado na íntegra um dia antes, em show realizado em Belo Horizonte (MG) e, devidamente captado em áudio e vídeo, se transformou no DVD “Sei – Como Foi em BH” que chegou recentemente ao mercado em embalagem que acondiciona também um CD gravado em estúdio logo em seguida. Ambos os produtos são abertos com a quilométrica “Pré Sal” e, enquanto o DVD traz dezoito números, o CD acondiciona quatorze faixas, entre as quais parcerias de Nando com Marisa Monte (“Onde Você Mora”, um dos maiores hits da banda Cidade Negra) e Samuel Rosa (“Ali”). Gravado inteirinho com a presença de metais, o projeto contempla, no repertório, músicas criadas por Nando e gravadas por Cássia Eller (“O Segundo Sol” e “All Star”) e Titãs (“Marvin” e “Família”, esta presente só no DVD) e com Ana Cañas (“Pra Você Guardei o meu Amor”). O artista abrigou também um único tema não autoral, a bonita “De Janeiro a Janeiro” (de Roberta Campos), a qual se transforma em um dos destaques do set list ao lado das inspiradas autorais “N”, “Sei” e “Sou Dela”. É fato que Nando está cantando cada vez melhor e dá para notar um entusiasmo bastante salutar com o seu momento musical atual, o que se faz explicitado, inclusive, no texto de apresentação contido no encarte. Bem legal!

* Ainda neste primeiro trimestre estará chegando às lojas o novo CD da cantora Maria Rita. Será o segundo álbum de sua carreira voltado somente para o samba (o primeiro nestes moldes foi “Samba Meu”, lançado em 2007). O repertório será majoritariamente inédito e foi selecionado pela artista entre criadores atuais do gênero mais popular do Brasil.

* O cantor e compositor paulista Flavio Tris iniciou sua relação com a música aos cinco anos de idade através de aulas de piano, mas terminou optando pelo violão na adolescência. Mergulhou no mundo da música de forma efetiva em 2009 e, no ano seguinte, já lançou o primeiro EP.  No ano passado, chegou às lojas o seu primeiro e homônimo CD, o qual tem a produção assinada por Alê Siqueira e conta com as participações especiais de Tulipa Ruiz, Celso Sim, Leo Cavalcanti, Filipe Catto, Juliana Perdigão e Luiz Gabriel Lopes. Ótimo cantor, como autor as influências na obra de Tris são várias, desde a MPB tradicional até a música indiana, passando ainda pelo frevo, pela seara nordestina e pela música clássica ocidental, tanto que entre seus maiores ídolos estão Gilberto Gil, Miles Davis, Claude Debussy, Beatles, Astor Piazzolla, Baden Powell e Bob Dylan. O álbum apresenta treze faixas inéditas e autorais, delas se destacando “Sereia da Noite”, “Sejas Tu”, “Asa de São João”, “Pandora” e “Tudo”.

* O cantor e compositor Dani Black disponibilizou recentemente para download gratuito, em seu site oficial, o EP “SP Dani Black Ao Vivo”. São oito canções, mas apenas uma é inédita, a interessante “Encontros Carnais”, embora “Só Sorriso” nunca tenha sido gravada por ele (quem a registrou anteriormente foi Maria Gadú). Há parceria do artista (que é filho de Tetê Espíndola) com o pai Arnaldo Black (“Deixar o Barco Ir”) e incursão pelo universo do paraibano Chico César (“Comer na Mão”, a única faixa não autoral do repertório apresentado).

* Por conta da considerável vendagem do CD “The Voice Brasil” referente à segunda temporada do programa levado ao ar no ano passado pela Rede Globo, a gravadora Universal põe agora nas lojas “As Batalhas do The Voice Brasil”, um registro de quinze encontros entre alguns dos melhores participantes. Mediano em sua essência, o disco já vale pela arrebatadora faixa “Eleanor Rigby” (de John Lennon e Paul McCartney), defendida com garra e competência raras por Rafael Furtado e Nando Motta, excepcionais intérpretes que infelizmente não conseguiram chegar à final.

* A gravadora Universal dá continuidade à série Tons, reeditando num mesmo box três títulos do cantor e compositor carioca Jorge Mautner, os quais foram originalmente lançados pela extinta gravadora Philips durante a década de setenta do século passado. São eles: “Para Iluminar a Cidade”, “Jorge Mautner” e “Mil e Uma Noites de Bagdá”.

* O pernambucano Michael Sullivan certamente foi o compositor, ao lado do parceiro Paulo Massadas, que mais frequentou as paradas de sucesso na década de oitenta do século passado. Suas canções foram gravadas por nomes como Fafá de Belém, Alcione, Gal Costa, Tim Maia e Sandra de Sá, entre vários outros, e se transformavam em hits instantâneos com letras desbragadamente românticas e melodias que grudavam na cabeça do ouvinte. Para rememorar aquele período, ele está lançando o CD intitulado “Mais Forte que o Tempo”, o qual acabou de chegar ao mercado através da gravadora Sony Music. Também um bom cantor, Michael solta sua voz somente na faixa “Entre Nós”, que conta também com a participação de Anayle Lima. As outras dezesseis canções que compõem o repertório do projeto são interpretadas por nomes que vão de Ney Matogrosso (“Amor Perfeito”) a Negra Li (“Não Vá”), passando por Adriana Calcanhotto ("Me Dê Motivo”) e Arnaldo Antunes (“Vou Fazer Você Mulher”). Os melhores momentos ficam por conta dos registros feitos por Zélia Duncan (“Meu Dilema”), Sandy (“My Life”), Alice Caymmi (“Abandonada”), Moska (“Retratos e Canções”) e Carlinhos Brown (“Whisky a Go Go”). Roberta Sá divide “Um Sonho a Dois” com Pedro Mariano e Fagner abre espaço para Monique Kessous em “Talismã”.

* O grupo pernambucano Nação Zumbi se encontra em estúdio gravando um novo CD que terá a produção assinada por Berna Ceppas, Kassin e Mario Caldato. O produto será viabilizado com patrocínio do projeto Natura Musical e servirá para festejar os vinte anos do lançamento do primeiro álbum do grupo, o aclamado “Da Lama ao Caos”.

* Bernardo Bravo é um cantor e compositor que vem atuando com desenvoltura na cena musical de Curitiba (PR). Integrante do premiado projeto Felixbravo, duo de composição de música brasileira que tem como principal foco a criação de temas que mesclam o universo erudito e popular, ele também desenvolve paralelamente uma promissora carreira solo. Nesta seara, lançou o ótimo CD intitulado “Arlequim”, uma produção independente composta por quatorze faixas (seis delas autorais) nas quais ele se faz somente acompanhado pelo piano (que é alternativamente executado por Bruno Piazza, Fábio Cardoso e Vinicius Nisi). E quem acha que o resultado soou monocórdio por conta dessa formação, engana-se redondamente. Bernardo consegue a façanha de apresentar um álbum bem eclético que, de fato, não cansa o ouvinte. Ao contrário, a vontade que dá é de repetir incontáveis vezes algumas faixas, a exemplo de “Cangote”, “Carnaval em Curitiba”, “Beijador” e “Santa Maria”, os melhores momentos do set list. Em duas canções, “Coisado” e “Zepelin”, ele conta com as participações especiais das cantoras Amanda Pacífico e Lívia Lakomy, respectivamente. Bernardo, que canta muito bonito e se mostra um autor inspirado, ressalta nesse muito bem-vindo disco características como o lirismo e a delicadeza, ambas tão necessárias nesse mundo hodierno infelizmente tão recheado de produtos descartáveis. Vale a pena conhecer!

 

RUBENS LISBOA é compositor e cantor.
Apresenta o quadro "Musiqualidade" dentro do programa "Canta Brasil”, veiculado pela Aperipê FM todas as sextas-feiras, às 10 horas.
Quaisquer críticas e/ou sugestões a este blog serão bem-vindas e poderão ser enviadas para o e-mail: rubens@infonet.com.br

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais