Nordeste:85% energia eólica Brasil.506 parques,SE, último, apenas 1

0

“O jornalismo é o exercício diário da inteligência e a prática cotidiana do caráter.” Cláudio Abramo.

Matéria divulgada pelo site Letras Ambientais (projeto sem fins lucrativos) mostra que o Nordeste é referência na produção de energia eólica no Brasil. No último dia 26 de agosto de 2019, cerca de 89% da energia consumida na região veio dos ventos, com geração média diária de 8.650 MW. Este é o dado mais recente de recorde histórico de abastecimento energético atendido pela fonte eólica.

Segundo a Associação Brasileira de Energia Eólica (ABEEólica), que reúne empresas do setor, o Nordeste aparece à frente na capacidade de produção de energia eólica no Brasil. Dados atualizados, em maio de 2019, indicavam o Brasil possuir 602 parques eólicos, totalizando 7.500 aerogeradores em operação, em 12 estados. A geração de energia eólica é predominante nas regiões Nordeste (506 parques) e Sul do País (95 parques). Nas demais regiões brasileiras, há apenas mais um parque no Rio de Janeiro.

O Rio Grande do Norte é o estado brasileiro que mais produz energia com a força dos ventos. Em maio de 2019, o estado contava com 151 parques, mantendo a liderança nacional com 4 GW de capacidade instalada. Em seguida, vem a Bahia, com 154 parques e 3,9 GW de potência instalada. Em terceiro lugar, está o Ceará, que conta com 79 parques e um total de 2 GW de capacidade instalada.

Apesar dos ventos e as condições favoráveis, o estado de Sergipe perde feio. É o último do Nordeste apenas com um parque eólico inaugurado por Déda em 2013. Na época a ideia era mais projetos de parques eólicos, mas Sergipe parou no tempo e no espaço com os últimos governos.

O Maranhão é o estado do Nordeste que tem menos parques e ganha de Sergipe: tem 12. A Paraíba tem 15; Pernambuco, 34; Piauí, 60; Ceará, 79; Rio Grande do Norte, o que mais produz energia, 151 e Bahia, 154 parques.

Déda iniciou em 2013, mas a dupla que acabou com Sergipe, Jackson e Belivaldo, não deu continuidade.

 

 Quase sempre os voos Aracaju/Brasília estão lotados de deputados estaduais que dizem ir à capital federal em busca de recursos Na verdade, a impressão que fica é a de que eles vão  a passeio, ou em busca de resolver problemas pessoais junto a partidos políticos ou em esferas judiciais superiores.

Viagens dispensáveis Isso porque essas viagens são necessariamente dispensáveis, visto que todos os deputados estaduais possuem relacionamento com algum dos 11 parlamentares federais, que possuem gabinetes estruturados para atender os pleitos de qualquer liderança do Estado de Sergipe. E por outro lado, esses parlamentares federais estão semanalmente em Sergipe.

Prefeitos A única situação aceitável é a de prefeitos que vão tentar destravar algum recurso bloqueado por longo tempo ou cumprir alguma outra demanda que exija explicação pessoal.

No 3º leilão, prédio do  Cinform foi arrematado Desta vez, o prédio foi arrematado por Prado Patrimonial Ltda, inscrita no CNPJ: 14.325.098/0001-61, localizada na Avenida Rio Branco, n° 186, 6° andar, no Centro de Aracaju. O comprador é o mesmo dono do grupo de crédito Deocred. A expectativa agora é que se faça justiça e os ex-funcionários recebam as verbas rescisórias. Será que o Sindijor vai se posicionar agora? Seria importante a participação do Sindijor na pressão para que o recurso arrecadado seja utilizado para pagar os ex-funcionários levando em conta que a empresa tem inúmeros credores.

Perguntar não ofende….. Viagem para o Leilão do Haras de Wesley Safadão no Ceará, a passagem foi paga pela Câmara ou saiu do bolso daquele deputado?

Desfile 7 de Setembro: locutor desrespeita coordenadora pedagógica da LBV ironizando sobrenome “Prejuízo”. Solidariedade do blog Com certeza o locutor do desfile de 7 de Setembro em Aracaju vai enfrentar um processo judicial pelo desrespeito com o sobrenome da coordenadora pedagógica da LBV, Jane Cláudia Prejuízo. Não citou o nome da coordenadora pedagógica da LBV, citou de todos os outros e quando era para falar o nome dela dizia “juízo.” Uma  falta de respeito e profissionalismo. Profissionais da LBV perceberam e acharam um absurdo. O sobrenome Prejuízo vem do Século XIX quando o negro sofria preconceito quando registrava seus filhos. Numa sociedade civilizada a Justiça é o melhor caminho para o preconceito.

Palmas para os procuradores federais de Sergipe E o blog parabeniza os procuradores Ramiro Rockenbach – que seria o procurador-chefe, e Flávio Pereira da Costa Matias  – que seria o chefe substituto, que renunciaram ao comando do MPF/SE em protesto contra a indicação de Augusto Aras para a PGR. Ele não ficou na lista tríplice e mesmo assim Bolsonaro o indicou. “Mais grave que ignorar a lista tríplice, restou indicado um nome sob a justificativa de ‘alinhamento’” e que um PGR indicado dessa forma “não tem legitimidade para comandar o MPF”, escreveu Rockenbach no ofício anunciando a renúncia.

Nota de Falecimento – Ribeirinho Maria Augusta Ribeiro, Esposa; Angélica, Luiz Augusto, Angela, Demar, Marcos, Acácia, Gustinha e Luiza, filhos; netos, Bisnetos, irmãos, sobrinhos e demais parentes e amigos, comunicam com pesar o falecimento do ex-prefeito de lagarto e ex-deputado: Rosendo Ribeiro Filho, conhecido como Ribeirinho. O Corpo foi velado na Assembleia Legislativa de Sergipe em Aracaju e depois foi encaminhado a residência dele (Praça da Piedade, 32) em Lagarto onde acontecerá o sepultamento, hoje, 09, às 10h, no Cemitério Senhor do Bonfim.

91 Anos  O ex-deputado Ribeirinho tinha 91 anos e estava internado no Hospital São Lucas em Aracaju com problemas respiratórios. Ele sofria de mal de Parkinson há vários anos..

GAECO investiga “funcionária fantasma” no governo de Sergipe Num inquérito que tramita sigilosamente, o blog foi informado que o GAECO investiga há muito tempo uma mulher que tinha (ou tem) vínculos com a Secretaria de Estado da Educação (ingressou sem concurso público em 2004) e recebe seus salários normalmente mesmo morando em São Paulo. A investigação minuciosa detectou pelas redes sociais dezenas de viagem da “professora”, inclusive com dados solicitados à empresa Azul Linhas Aéreas. Segundo informações a investigação envolve também uma comissionada da Alese, inclusive que foi candidata em 2018.                                   

Bens públicos: comunidade precisa denunciar vândalos A foto ao lado é de um banco totalmente destruído  na Avenida Canal 5, no conjunto Augusto Franco, quase em frente a filial da corretora Banese. Dá para notar que o banco não destruído pelo tempo, mas por vândalos. Lamentável!  É preciso que a comunidade comece a denunciar estes meliantes para que sejam responsabilizados criminalmente. Só assim pensarão duas vezes…

Missa de Sétimo Dia Sr. Nilton Rodrigues. Quarta-feira, 11 A família de Nilton Rodrigues convida familiares e amigos para a Missa de Sétimo Dia em memória do seu falecimento.  Ele era natural do Rio Janeiro, construiu uma história profissional dedicada ao ramo do transporte de cargas, e desde os seus  31 anos em Aracaju, contribuiu ao lado de sua família para com o setor de transporte em geral. A cerimônia será no próximo dia 11, às 19h, na paróquia Jesus Cristo Ressuscitado.

Breve biografia Nilton Rodrigues é natural do Rio Janeiro, tem 74 anos e uma história profissional dedicada ao ramo do transporte de cargas. Aos 31 anos, o carioca, mas com raízes sergipanas, foi transferido para Aracaju, pela empresa de mudanças e cargas pesadas, Preferidas Transportes, para implantá-la na nova cidade. Para a capital sergipana trouxe esposa e filhos (ainda crianças) e construiu uma história de sucesso. Em 1980, criou seu próprio empreendimento, a Nilmar Mudanças e Transportes Ltda.

Breve biografia II Participou do movimento de fundação do SEST SENAT. Também fundou em fevereiro de 1995 o – Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas de Sergipe – SETCESE -, além de ser filiado, diretor e vice-presidente do setor de cargas da Federação das Empresas de Transporte dos Estados da Bahia e Sergipe (FETRABASE) e conselheiro do Conselho Regional Nordeste IV do SEST SENAT BAHIA e Sergipe. Nilton Rodrigues é pai de Danielle Queiroz, supervisora regional do SestSenat das unidade de Alagoas e Sergipe.

ESPECIAL/CONFIANÇA NA SÉRIE B 

Confiança na Série B. Confiança ficou por algumas horas no sábado no trending topic do twitter, ou seja, um dos assuntos mais comentados através dos hashtags mais tuitados do país.

Parabéns  a Desportiva Confiança pela realização do sonho em subir para a Série B do Campeonato Brasileiro. O titular deste espaço não é sergipano, mas tem uma admiração especial pelo Confiança e a história de sua fundação.  É preciso agora profissionalizar o futebol sergipano e que clubes como o Sergipe e o Itabaiana sigam o mesmo caminho.   Confira a excelente cobertura feita pela Infonet da chegada do time ontem, 08, em Aracaju aqui.

Abaixo a homenagem do compositor e cantor Gilson Nascimento a ascensão da Associação Desportiva Confiança – O Dragão do Bairro Industrial – a série B do Campeonato Brasileiro:

 

 

 

 

PELO ZAP DO BLOG CLÁUDIO NUNES – (79) 99890 2018

Sucesso presença de Nobuaki Kanazawa em Aracaju Pela primeira vez no Brasil, o “’kancho” Nobuaki Kanazawa marcou presença também no nordeste e na capital sergipana. Foram mais de 100 participantes, entre crianças e adultos, que tiveram a oportunidade de receber conhecimento diretamente do atual presidente da SKIF, no curso realizado no Colégio Master na última quinta-feira, 05. Além dos atletas e professores, os meninos do Lar Esmeralda –atendidos pelo projeto social do  Clube União – tiveram a oportunidade de participarem do nosso curso internacional com o Mestre Nobuaki Kanazawa. Segundo Yoakan Jocelis, idealizador do projeto, uma das missões do CK União é promover a inclusão utilizando a ferramenta do esporte. “Ficamos felizes de oferecer esse caminho aos jovens e crianças, e agora uma experiência única, vivida por poucos, diretamente com o Mestre Kanazawa”, disse ao agradecer a presença de todos e o sucesso. “O karatê é um grande família.”

Felicidade, realização e gratidão! Para o sensei Yoakan Jócelis, são essas três palavras que resumem o que aconteceu no último final de semana. O Seminário Internacional de Karatê foi um sucesso. O desafio de trazer o kancho Nobuaki Kanazawa para o Nordeste, já que inicialmente o projeto incluía apenas quatro estados do Sudeste, Norte e Centro-Oeste, foi lançado no campeonato mundial da SKIF, em julho, na República Tcheca. Foram quarenta dias de trabalho intenso, organização, contatos, para que tudo corresse da melhor maneira possível.Resultado, mais de 100 karatecas participantes de Sergipe, Alagoas, Pernambuco, Bahia e Rio de Janeiro. Mais que qualquer outra coisa, nosso desejo ao aceitar esse projeto foi oportunizar aos karatecas o contato mais próximo com a fonte do karatê Shotokan, já que o Kancho Nobuaki é atualmente o responsável pela Shotokan Karatê Internacional Federation.

Agradecimento “Foi muito gratificante perceber a satisfação dele em estar na nossa cidade, demonstrada no tratamento afetivo e cuidadoso com cada pessoa que o solicitava, relatou-nos também a satisfação de ter a oportunidade de trabalhar com karatecas portadores de necessidades especiais. Só tenho a agradecer aos amigos que se somaram conosco para realizar mais essa conquista, em especial o amigo Marcelo Gerard pela recepção e acolhimento ao mestre e toda a equipe e também aos parceiros Trimídia, Indaiá, Probiótica, Colégio Master, SESI, gráfica DIOGO, Óticas CAROL e KATCHI Artigos Esportivos que tornaram esse evento possível”, disse o sensei Yoacan Jócelis.

O sofrimento de Seu Caçulo.  Por Antônio Samarone: Postei um relato sobre a maneira como o Seu Caçulo está cuidando da esposa, em estado avançado de Alzheimer. Tenho recebido várias mensagens de gente amiga, que está passando pela mesma provação. Suprimindo a identidade, uma experiência eu vou repassar… Referindo-se a uma passagem do meu texto anterior (Os Mistérios da Ciência) – Imagine, a pessoa esquece de tudo, até mesmo de quem seja? Assustador! Seu Caçulo acha que não. Ele acredita que o sofrimento é para quem toma conta. A pessoa com demência apenas não consegue se comunicar, dizer o que pensa. A alma, o espírito dela sabe de tudo o que está se passando, disse ele com muita certeza. A minha amiga, que está cuidando da mãe com Alzheimer, me contou a sua experiência. A leitura continua aqui.

Atenção! Toda sexta-feira o blog irá publicar o quadro “Vida Longa” do programa Entre Amigos O Programa Entre Amigos tem trazido ao longo de uma década um vasto conteúdo que é de interesse daqueles que têm buscado uma qualidade de vida desejável, abrange as mais variadas área e  por isso  foi  criado o quadro o quadro  “Vida Longa” com o Médico Geriatra/Gerontólogo Dr. Cláudio Neves.Hoje o blog publica o quadro da última sexta-feira, 06,, com o tema: Sofrer pode ser bom!

 

 

Campo do Brito Espírita – Eu vou! Evento gratuito O Campo do Brito Espírita é um evento bienal realizado pelo “Centro Espírita Unidos na Fé” e sua 7ª edição acontecerá nos dias 23 e 24 de novembro de 2019, na cidade de Campo do Brito/SE, com o tema central “Viva a Vida” e a participação de diversos palestrantes e artistas espíritas: palestra – Marcel Mariano/BA, Frederico Menezes/PE e Júlio César Góes/SE; música – Moacyr Camargo/SP e Ítalo Lima/SE; poesia – Edgar Diniz/PE; teatro – Cia de Teatro Espírita Hariboll/RS e Teatro Móvel Cornélio Pires/PR, cinema – Claiton Freitas/DF

 

PELO E-MAIL E FACEBOOK

ARTIGO

O Pastel de Vento*

“§1º Os Oficiais do QOAPM e do QOABM somente poderão exercer cargos de chefia, comando ou direção quando os oficiais diretamente subordinados forem todos desses quadros.”

Apartheid legislado, é isso mesmo?_

Sou Oficial QOAPM. Sim, igualzinho a esses que o sombrio rascunho de Lei designa como Oficiais da Administração. Para chegar até aqui, passamos por todas as graduações, cursos de formação e aperfeiçoamento até frequentarmos o Curso de Habilitação de Oficiais.

Se somos habilitados a conduzir automóveis, desde que tenhamos a chance, tanto faz dirigir um fusquinha ou um Camaro. A lógica é bem simples. Mas na PMSE, pelo que se percebe, essa lógica é mais complexa: eu te habilito a ser Oficial da Administração, mas você não é habilitado a exercer funções de administração (comando, chefia ou direção).

Não entendeu? Explico, senhor Major QOA: caso aquele Aspirante (Praça Especial) que hoje trabalha sob a sua gestão, seja promovido na próxima semana ao Posto de 2º Tenente, vamos ter que removê-lo da sua chefia, ou retirar o sangue azul da sua gestão militar. Afinal, você é oriundo do universo mediano das Praças, entendeu?

Momento crucial de aprendizado para os Cadetes recentemente incorporados! Belíssima lição sobre os nossos pilares básicos: hierarquia e disciplina.

É o seguinte, Cadete: – Sabe aqueles Oficiais oriundos do quadro das Praças? Vocês nunca, jamais, por conta de uma Lei de salvação que instituímos, serão submetidos aos aprendizados de vida deles em relação a chefia, liderança, comando ou direção. Mesmo tendo eles a experiência de anos de trabalho, submetidos a três cursos de formação, um de aperfeiçoamento, além da própria Habilitação para o Oficialato (que, curiosamente, nós mesmos, Oficiais QOPM, atestamos)._

Possivelmente, alguns Cadetes não vão entender facilmente como a mesma escola que os está formando emite certificados de Habilitação para Oficiais da Administração, mas que essa habilitação não é bem assim_. Em resumo, a nomeação de um gestor/administrador está condicionada ao perfil do administrado, e não à sua habilitação para chefiar, em algum nível da administração militar. Sim, aquela historinha do poste, do cãozinho e do xixi.

O Planejamento estratégico é uma das disciplinas que os Alunos do Curso de Habilitação de Oficiais da Administração têm que ser aprovados.

Ora, quando tratamos de planejamento, sabemos que devemos apreciar sempre a maneira como a nossa Instituição vai se ligar ao futuro. Como estarão as relações interpessoais e a qualidade do serviço prestado à sociedade? Enfim, precisa-se estabelecer um programa de objetivos direcionados para que as coisas fluam bem. E essas reflexões sobre o futuro (já projetado em Lei) me inquietam sobremodo. Fazendo um exercício de cognição, consigo projetar aglomerados administrativos de (sub) Oficiais nos quartéis, com receio de se dirigir àqueles (a) jovens Oficiais (totalmente imunizados ao mal que é a nossa origem funcional) pois que, em nenhuma hipótese, eles podem serão submeter à sua chefia ou comando. Como se isso não fosse algo normal em qualquer mecanismo empresarial.

Refletindo ainda mais, penso que esse belíssimo projeto almeja criar uma superclasse de Oficiais, ou seria normatizar uma subclasse de Oficiais? As duas coisas, sei lá.

Quer saber, meu exercício de pensar não é tão prolixo. Concluí que se está oficializando o que já era subjacente: Oficial oriundo da Carreira de Praças passa ao longe da nossa competência azul de comandar. Não são iguais a nós e ponto final.

Quais seriam os próximos “avanços”? Praça Combatente não se submeter operacionalmente à gestão e comando, por exemplo, de uma Praça graduada da banda de música? Isso é gestão, é planejamento mesmo? Avanço, retrocesso?

Temos graduações, postos, círculos hierárquicos e agora avançamos mais ainda: inauguramos a era dos meio-Oficiais. Aqueles oficiais que, por Lei, estão sendo esvaziados de prestígio. Não por conta da sua competência, atestada ao longo das suas espinhosas carreiras, mas por conta da sua origem. Determinismo legislado.

“§2º Ressalvadas as restrições expressas nesta lei, os oficiais administrativos e especialistas têm os mesmos deveres, direitos, prerrogativas, vencimentos e vantagens dos demais oficiais da CME de igual posto.”

Bem, nem preciso comentar muito sobre o fato de os Oficiais da Administração já assumirem, há anos, diversas trincheiras operacionais do nosso Estado, as quais seriam, em tese, atribuições dos nossos Jovens Oficiais de Academias (sem demérito ou ironias). Coisas da PMSE: você é um Oficial Administrativo que tem a obrigação de ir para a frente de batalha, mesmo cansado pelos efeitos do tempo, mas, curiosamente, tem restrições para administrar/chefiar. Tudo a depender da coloração sanguínea dos seus subordinados.

Oficiais oriundos da carreira de Praças não podem ser diminuídos por uma legislação do tipo moonwalker. Retroagir, não.

Assina, (sub)Tenente QOAPM*

 

ARTIGO

 

O meu bisavô Bernardino ferreiro…  Por Antônio Samarone

Aos 17 de setembro de 1926, terça-feira, às 9:40 horas, o trem M-72 da Este Brasileira, guiado pelo maquinista Caetano Antônio de Jesus, atropelou e matou Bernardino José de Oliveira (59 anos), ferreiro, residente no povoado Sambaíba, em Itabaiana Grande.

Bernardino ia de Itabaiana com destino a cidade de Maruim, para comprar ferro, matéria prima do seu ofício. Montado num burro. Ao chegar nas proximidades do povoado Caititu, um trem passava no momento. Bernardino viajava seguindo a linha do trem.

O animal assustou-se com o apito do trem e saiu em disparada. A 500 metro da estação do Caititu a linha faz uma curva (KM – 337), em seguida existe um alto pontilhão. O animal ficou sem alternativa, assustado, não conseguiu sair da linha, sendo esmagado pelo trem em cima do pontilhão. Bernardino não conseguiu nem controlar o animal nem saltar antes, sendo despedaçado pelo trem, junto com o animal.

Essa história continua na lembrança dos mais velhos do Caititu, que ouviram contar essa tragédia.

Os corpos foram apanhados num saco, gente e animal misturados, colocados na estação ferroviária do Caititu, à espera do destino legal. No mesmo dia, os cadáveres foram transferidos para Aracaju, e periciados pelos doutores Carlos Tavares de Menezes e Mário de Macedo Costa, na Chefatura de Polícia. Segue o resumo do laudo pericial, emitido pelos médicos:

 “Bernardino de Oliveira, brasileiro, residente em Itabaiana, de cor branca, ferreiro, aparentando sessenta e cinco anos de idade, apresenta fratura do crânio e esmagamento de tronco e membros, literalmente separados, que provocaram a morte instantânea.” Bernardino José de Oliveira foi sepultado em Aracaju, no Cemitério de Santa Izabel.

 Ontem, 07 de setembro de 2019, fui ao Caititu, local do trágico acidente que vitimou o meu Bisavô Bernardinho ferreiro. O propósito era construir no local uma “Santa Cruz”, tradição dos ferreiros, meus ascendentes. Visitei a mata, para sentir o sopro quente do ferreiro Bernardino.

Só que a mata cobriu parte da estrada de ferro. Por coincidência, no local do acidente cresceu uma linda jurema, exatamente uma jurema. Como se sabe, os ferreiros de Itabaiana preferiam o carvão de jurema em suas forjas, pois permitem elevadas temperatura. Desisti da “Santa Cruz”, a natureza ofereceu uma jurema.

A Bigorna que foi de João José, Bernardino, Totonho, Zé, Homero, agora é de Arnaldo meu primo, tá no povoado flechas, resistindo há mais de 150 anos. O som da bigorna ainda é reconhecido pelos antigos.

Gente dos Ferreiros, Bernardino não foi abandonado. Espero estar vivo, para comemorar o centenário de sua morte.

 

PELO TWITTER

www.twiitter.com/AntonioSamarone  O retrocesso não decorre do despreparo de Bolsonaro. Pelo contrário! Reflete o desejo de uma parte da sociedade. É a barbárie!

 www.twiitter.com/ayres_britto A clientela dos otorrinos sociais certamente está crescendo. É que tem aumentado muito o número dos surdos a este grito apartidário do País: quero o meu coração de volta.

www.twiitter.com/minc_rj Imortal José Saramago: ” não é a pornografia que é obscena. Obscena  é a fome! “

 

Siga Blog Cláudio Nunes:

 Instragram

 Facebook

 Twitter

 

Frase do Dia

“Não nos cansemos de denunciar a idolatria da riqueza, que faz consistir a grandeza da pessoa humana no ter e esquece que a verdadeira grandeza é ser. A pessoa humana não vale pelo que tem, mas pelo que é e faz.” Dom Oscar Romero (04/11/1979).

 

 

Comentários