O Descarrego dos Descarregos

0

Lisboa, 10 de setembro de 2004

Caros amigos de Sergipe:

Quase não acreditei, ‘misifi’!  Me disseram que a coisa pegou fogo lá pelas bandas do Batistão. É que o pessoal da Igreja Universal promoveu no último dia sete, o já afamado ‘Descarrego dos Descarregos’, um ebó de proporções gigantescas visando tirar as ziquiziras de quem quer que aparecesse por lá. Coisa pra mais de duas mil cabeças de bode.

A coisa foi tão grande que prometeram um plantão de mil iluminados para dar conta de tantas demandas acumuladas. Um grupo desses, meus amigos, dava pra acender Saco das Varas inteirinha, por dois dias num eventual apagão.

E parece que o tal negócio funcionou mesmo. Tanto que o que tinha de figurinhas
carimbadas saindo do estádio, com sorrisos de um canto a outro da boca não estava no gibi.

Susana Azevedo mesmo, grande apreciadora de cultos ecumênicos, melhorou muito o seu astral depois que foi levada à tiracolo pela pastora Cláudia. Está até mais sorridente quando aparece no horário gratuito do TRE.Também pudera, a moça dos girassóis levou pra casa, nada menos que 72 garrafas com o “Sal de Jericó”. E ainda dizem que a contribuição dos afro-descendentes é pequena, hein?  

Dedinha Paz e Amor foi outro que esteve por lá na tentativa de se livrar das empolgadas declarações de apoio do amigo Jackson Barreto e do olho gordo dos pefelistas. Porém, interpelado por um membro da imprensa escrota e falida, digo escrita e falada, saiu-se pela tangente: “Não meu companheirinho, eu vim aqui apenas trazer o meu apoio ao Pastor Jony”, disse o alcaide.

Por outro lado, o big boss também apareceu, à guisa de fechar o corpo contra os barbudinhos do PT. Consta que ele foi disfarçado com uma bela capa preta e um par de óculos escuros. Ficou a cara do Mancha Negra e passeou anônimo pela gentalha ensandecida. Donde se conclui que ou o disfarce era mito bom ou aquela outrora portentosa iluminação do Batistão já anda a precisar de reparos.

A única coisa que se sabe é que um dos iluminados mandou o big tomar uns banhos de sal grosso e trocar toda a água da fonte cibernética e luminosa que ele inaugurou na sexta feira por uma tal ‘água benta do Rio Jordão’, que está chegando essa semana, assim que a nota de empenho for liberada. Templo é dinheiro, meus queridos!

Mas nem só de políticos viveu o descarrego dos descarregos. Os laboriosos pastores tiveram também que cuidar de socialites, empresários e mais um meio mundo de gente. Madames com cachorros para serem ‘descarregados’, jóias e chaves de carros para serem bentas, retratos de loiras estonteantes para serem induzidas à paixão pelo poder da oração, tudo era motivo para a tresloucada turba requerer a ajuda dos rapazes da Universal. Foi uma beleza.      

E agora, como se não bastasse o “Descarrego Universal”, são as garotas de programa da cidade de Lagarto que prometem fazer um trabalho contra o povo do Juizado da Infância e da Juventude. O ato será em protesto ao fechamento das chamadas “casas de tolerância” das terras de Joel Silveira.  

O motivo da impenetrável medida foi a alegação de que haviam menores fazendo aquele trabalho nada infantil dentro dos referidos bordéis. As meninas se defendem dizendo que a única coisa que fazem é chupar pirulito e brincar de picula como qualquer criança inocente. As autoridades lagartenses também juram que é tudo mentira, futricas da oposição, coisas do Cabo Zé.

É, decididamente, a terrinha anda deveras animada nos dias que correm.

Até semana que vem.

Um abraço do,

Apolônio Lisboa

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais