O Herói Cotidiano

0

“Os heróis surgem sob todas as formas e dimensões, fazendo em suas vidas sacrifícios especiais pelo próximo. Ninguém lhes dá medalhas; o mundo não sabe os seus nomes. Mas, aos olhos de alguém são assim mesmo, heróis.”

Paul Overstreet

 

Se observarmos bem o mundo atual parece que estamos correndo um violento risco. E, para interrompermos essa caminhada louca rumo a uma possível catástrofe universal seria necessário que acontecesse algo que abalasse, acordasse e mobilizasse a humanidade.

 

Por mais que não queiramos enxergar percebemos que a humanidade inteira está passando por uma violenta crise de abandono dos valores humanos universais e que cada ano rasga-se e destrói-se tudo o que construímos há milênios. Principalmente, na maioria dos países do chamado Terceiro Mundo a moral e os bons costumes vêm sendo jogados por terra, desmoralizados e esquecidos. A justiça é lenta e pouco eficaz, a população, em sua maioria, pouco esclarecida e ignorante; portanto não compreende que está sendo enganada com alguns pequenos artifícios e, cada vez mais, a riqueza se concentrando.

 

Ao invés de vivermos nossas vidas como heróis e donos do nosso destino delegamos para heróis invisíveis e, na maioria das vezes, inexistentes ou até mesmo sagazes vilões para que decidem sobre nossas vidas, sobre o nosso futuro e dos nossos filhos.

 

Acreditamos que os heróis verdadeiros estão nos contos de fadas, nas estórias da TV ou nos filmes de Holywood e, ao mesmo tempo, esperamos que um deles venha nos ajudar a resolver os problemas que enfrentamos no nosso cotidiano; ou que o sinal do morcego apareça no firmamento e o Batman e Robin nos libertem dessa teia de vergonha que nos assusta a todos.

 

Muitas vezes, mesmo com uma vida muito bem sucedida somos pegos por um sentimento de que há algo faltando para que possamos nos sentir felizes e realizados como seres humanos. Muitas vezes, a maioria de nós ainda não parou para pensar: “O que vim fazer na minha existência?” Que legado preciso e devo deixar para a Humanidade que me sensibilize a acreditar que valeu a pena viver e que a minha vida não foi vivida em vão? Acredito que até hoje poucas pessoas se deram ao luxo de perguntar, pesquisar e analisar a razão de ser da sua própria existência.

 

Para uma maioria expressiva a sua função é gerar filhos e deixar uma boa quantidade de dinheiro para garantir a sua sobrevivência; são poucos, muito poucos mesmo aqueles que enxergarem que o sentido da vida é muito mais amplo e profundo do que imaginam.

 

Todos nós, na realidade, somos os heróis e os guardiões das nossas vidas. O que acontece na maioria dos casos é que não sabemos disto e paramos muito pouco para pensar e analisar a nossa trajetória de vida. Muitas vezes, nem sabemos mesmo toda a nossa história pessoal. Esquecemos trechos, fantasiamos realidades.

 

A palavra herói foi banalizada pelas estórias em quadrinhos, pelos mitos do cinema, pelas lutas de capa e espada, todavia herói[1] cotidiano é todo aquele ser humano, homem ou mulher, que desempenha o papel principal em qualquer acontecimento ou ação importante. E segundo Catford e Ray, viver como um herói significa simplesmente a capacidade de invocar o nosso espírito criativo para que ele nos guie pela vida.

 

Embora para a maioria das pessoas viverem como um herói significa ter uma vida repleta de pompa e circunstância, a vida de um herói de verdade é repleta de altos e baixos, justamente porque isso faz parte da natureza do caminho do herói cotidiano. É justamente para saber e poder administrar esses altos e baixos que o herói precisa saber invocar o seu espírito criativo.

 

Mas, como fazer isso? È possível? Os grandes cientistas e estudiosos do potencial humano dizem que é preciso simplesmente adotar uma atitude heróica para solucionar os desafios que se apresentam na sua vida. Assim que o indivíduo entende que tudo que aparece na sua vida servirá para testar a sua fimbria de herói, aprenderá a compreender que tudo é uma lição para guiá-lo com maior profundidade para a fonte da criatividade e consequentemente todos os seus benefícios.

 

Na verdade o herói cotidiano enfrenta os desafios da vida de uma forma especial; uma vez que, para ele, ser herói é estar apaixonado e comprometido com a evolução de alguma ação na qual acredita e luta por ela.

 

Na realidade o herói cotidiano é um indivíduo que está inteiramente comprometido, no mais amplo sentido possível com a jornada da vida. Trata-se de um indivíduo que tem plena noção que conseguir encontrar os caminhos que o levarão a atingir o objetivo desejado e esse alvo irá ajudar a transformar a vida de muitas pessoas e não apenas a sua.

 

Não significa com isso que o herói cotidiano está em conflitos com outras pessoas ou competindo com outros, muito ao contrário, esse tipo de herói é um guerreiro pacífico, lutador, ético, honesto e sobretudo um ser humano inigualável.

 

Agora, que tipo de herói você acredita que se enquadra? Cada um de nós precisa saber disto, para que possamos obter o verdadeiro norte para a nossa vida. E… Sem esse norte apenas vivemos…Não significa que existimos.

 

 (*) Fernando Viana

Presidente da Fundação Brasil Criativo

fbcriativo@fbcriativo.org.br



[1] The path of Everybody Hero – Lorna Catford e Michael Ray, 1991

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais