O que será que vamos ter com a Banda Larga?

0

Pois é, quem é vivo sempre aparece… Depois de uma folga da coluna estou de volta. Mas vamos ao que interessa.

 

Semana passada estava tendo um discussão calorosa (se é que é possível fazer isso no MSN) com alguns amigos, sobre como vai funcionar a banda larga nos próximos anos. Muito foram os pontos discutidos, mas colocarei aqui o que achei mais interessante.

 

O primeiro ponto foi se o acesso seria um dia cobrado baseado no tráfego. A minha opinião, neste caso, nao é SE, é QUANDO. Basta ver os outros serviços básicos (sim, Internet se tornará um serviço básico). Como é que você paga? O “carinha” da Energipe vai lá na sua casa, mede o consumo e no final do mês você paga por ele. Por que não fazer da mesma forma com a nossa conexão da Internet? Outro argumento forte é o seguinte: os predios mais antigos não tem medidor individual de água. O que acontece? Desperdicio! Os prédios mais novos já vem com medidor individual. Por que isso acontece? Economia. O raciocínio é o mesmo… Se eu vou pagar X reais independente do que uso, então vou usar o máximo que eu puder. Conheço amigos que baixam 40Gb por mês, entre filmes, jogos e música. É injusto para com aqueles que “só” olham o seu email e navegam por meia dúzia de páginas.

 

O segundo ponto que entramos em debate foi se a TV Digital vai pegar pra valer ou se a Internet vai ocupar seu espaço de alguma forma. Opiniões bem divididas com relação a esse tema. Embora se fale muita coisa sobre TV Digital, o que mais atrai é a interatividade e, sinceramente, isso já temos na Internet a muito tempo. Seguindo esse raciocínio, a Internet já está tomando certos lugares da TV Digital e, embora a qualidade ainda esteja longe do desejado (justamente pela questão da largura de banda), em pouco tempo teremos muita opções para programas na web. Como se não bastasse o sucesso do YouTube, hoje temos vários seriados que podem ser assistidos legalmente, como Lost e Alias. Além disso, temos vários canais como a Globo News que tem sua programação completa exibida na web. Enfim, acho que a TV Digital terá seu espaço, mas a Internet com certeza vai roubar uma boa quantidade de público. Ainda na linha da TV (filmes, seriados e afins) eu gostaria (mesmo) de saber como vão fazer os estúdios de cinema para diminuir a pirataria. É óbvio que dizer para a população que pirataria é crime não está funcionando.

 

O último ponto discutido é que tipo de aplicações irão rodar quando links de 100Mb forem comuns para nós, os mortais. Alguns acham que as aplicações serão as mesmas, só que muito mais rápidas. Na verdade, acho que é falta de criatividade nossa em não conseguir pensar nas novas aplicações que teremos quando, ao invés de baixar um filme, o assistirmos online. Mas é realmente complicado imaginar produtos que não existem hoje, até porque provavelmente seus donos farão fortunas, assim como fizeram Larry e Sergey do Google. Alguém se habilita a dizer alguma aplicação do futuro? 

 

É isso!!!

 

Antes de terminar… 

Dois fatos me chamaram a atenção semana passada. Primeiro foi o discurso do ministro do STF, o sergipano Carlos Britto, sobre o uso de células tronco em pesquisas. Não é todo dia que um advogado merece palmas de toda a comunidade cientifica. Parabéns para ele!

O outro fato foi ver o lamentável discurso do Hugo Chavez. Quem ele acha que é? Membro da Sala da Justiça? Bem fez o rei da Espanha quando mandou ele calar a boca. Por falar em Espanha… Que falta de diplomacia, heim? Como diz meu amigo Zé Maria: Espanha 30 x 8 Brasil.

 

Até a próxima semana.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários