O rio agradece

0

A vazão do rio São Francisco não será reduzida como pretende o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS). A garantia foi dada ao governador Marcelo Déda (PT) pelo ministro das Minas e Energia, Edson Lobão. O ministro assegurou que a posição de sua pasta é pela manutenção dos atuais parâmetros, ou seja, 1.300 m³/s como vazão média e 1.100 m³/s como vazão mínima. Esta última hipótese, no entanto, acontecerá somente quando houver risco à geração de energia elétrica para o Nordeste em períodos de seca. Caso fique abaixo dos que os 1.100 m³/s estipulados, a navegabilidade será afetada e os perímetros irrigáveis da Codevasf destruídos. Além disso, uma eventual diminuição da vazão inviabiliza a rizicultura e afetara o abastecimento de água da Grande Aracaju, do Alto Sertão e do Agreste, causando danos também à piscicultura.

Cheira a censura

O projeto de reforma eleitoral aprovado em duas comissões no Senado restringe a cobertura jornalística de campanhas na internet. Sites teriam de seguir as regras das emissoras de rádio e TV, mas alguns senadores protestaram. Acórdão do Supremo sobre o fim da lei de imprensa publicado ontem deixa claro o caráter livre da internet. Com a polêmica, a votação final foi adiada para terça-feira. Até lá, os líderes partidários tentarão encontrar uma fórmula para acabar com o que alguns senadores já classificam de censura.

Poluição menor

Carros movidos a gasolina e álcool terão de sair das fábricas emitindo 33% em média menos poluentes a partir de janeiro de 2014. A determinação é do Conselho Nacional do Meio Ambiente. Para veículos a diesel, o prazo é janeiro de 2013. Elementos contidos nos combustíveis, como o monóxido de carbono, são os principais responsáveis pela poluição nos grandes centros urbanos e causadores de doenças cardíacas e respiratórias.

O programa de controle de poluentes por veículos existe no Brasil desde 1986.

Nanicos vetados

Projeto de lei eleitoral aprovado por duas comissões do Senado acaba com a possibilidade do segundo colocado numa eleição assumir em caso de cassação do vitorioso. Haverá nova eleição ou o sucessor será escolhido pelo Congresso, pelas Assembléias estaduais ou Câmaras Municipais. Outra medida restringe o acesso de candidatos nanicos aos debates em TV, rádio e, possivelmente, internet. Determina que só serão convidados candidatos de partidos ou coligações com no mínimo dez congressistas. Para magistrados, o projeto fere a Constituição.

Farc em Sergipe

Foi preso ontem em Socorro um amazonense suspeito de ter integrado as Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia). Joan Pinheiro, 29, foi engaiolado após uma ordem judicial, sob a suspeita de tráfico de drogas. Ele já foi condenado por tráfico de drogas na Colômbia, onde ficou preso por cinco anos. Em 2001, de acordo com a Polícia sergipana, Joan atuou em “garimpos das Farc” e foi preso. Na casa de Pinheiro, a polícia apreendeu uma pistola do Exército, um revólver, uma farda da Polícia Militar e uma balança de precisão, além de cerca de 300 gramas de cocaína.

Verba para Socorro

O governador Marcelo Déda e o ministro das Cidades, Marcio Fortes, assinaram ontem um convênio que assegura R$ 33,3 milhões para a implantação de sistema de esgotamento sanitário Socorro. O investimento chegará a R$ 37 milhões, já que haverá contrapartida do Estado de R$ 3,7 milhões. “Trata-se da consolidação do compromisso do governo Lula com investimentos em saneamento”, comemorou Déda. O prefeito de Socorro, Fábio Henrique (PDT), comemorou: “Estes recursos vão atender à população mais pobre de um dos municípios mais necessitados de Sergipe”. Legal!

Sobre Frei Tito

O holandês Ben Strik Opwez, apontado na Europa como um dos símbolos da resistência ao nazismo e um dos denunciadores dos abusos da ditadura instalada no Brasil em 1964, chega amanhã em Aracaju para lançar um livro sobre a vida e a obra de Frei Tito, um religioso brasileiro que desafiou os militares, foi torturado e depois exilado na França, onde cometeu o suicídio. Nos anos 80, quando a Diocese de Propriá era comandada pelo bispo José Brandão de Castro, Strik Opwez andava muito em Sergipe. O lançamento está marcado para as 8h30 da próxima terça-feira, no espaço Cultural da Rádio Cultura, em Aracaju.

Quem tem plano

Cerca de um terço dos idosos brasileiros tem plano de saúde, revelou pesquisa do IBGE. A cobertura atinge 29,4% das pessoas com 60 anos de idade ou mais. 42,8% dos idosos com plano privado têm renda acima de três salários mínimos per capita. Outros 42,4% têm renda entre um e dois salários mínimos per capita. Dentre os usuários idosos do sistema público de saúde, apenas 5,8% têm renda acima de três salários mínimos per capita.

Cesáreas em excesso

Estudo do IBGE revela que o número de cesarianas no Brasil representa 43 % dos partos no país, índice considerado alto e distante do ideal recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que aponta o parto normal como opção mais saudável para a mãe e o bebê. Os partos cesáreos são mais comuns entre as mulheres mais instruídas, alcançando 70% entre as mães com mais de 12 anos de estudo e 80% dos partos feitos pelos planos de saúde. No sistema público de saúde, as cesáreas são 26% dos partos, ainda acima da recomendação da OMS, que defende o percentual de 15% para este procedimento entre o total de partos.

Bronze maligno

A Anvisa pretende proibir a utilização de câmaras artificiais de bronzeamento para uso estético. O motivo são os indícios apontados por pesquisas científicas de que o uso destes equipamentos em excesso também pode provocar câncer de pele – assim como a exposição excessiva ao Sol. Segundo estudo recente, uma sessão de 45 minutos do aparelho submete o consumidor a uma radiação ultravioleta (UV) equivalente a oito horas sob sol forte.

Justiça em baixa

Metade da população tem percepção negativa da Justiça. O resultado foi revelado em pesquisa realizada pela Escola de Direito da Fundação Getúlio Vargas (FGV). Apesar da percepção negativa, 80% dos entrevistados afirmaram que recorreriam à Justiça. Baseada nesses porcentuais, a FGV criou o Índice de Confiança na Justiça, pelo qual 65% da população dizem confiar na Justiça. Questões da área penal não foram abordadas na entrevista porque, na opinião dos pesquisadores, a atuação do Estado independe da vontade dos cidadãos.


 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais