Ônus da ponte Aracaju/Barra

0

    O novo governo estadual precisa urgentemente realizar ações para assumir de uma vez o ônus da ponte construtor João Alves, que liga Aracaju a Barra dos Coqueiros. Não adianta ficar lamentando que o governo passado inaugurou a mesma sem condições de trânsito e sem a infra-estrutura necessária ao seu redor. A ponte está lá, é uma realidade e uma via importante para a região Norte do Estado. Um leitor atento, que conhece a área, enumerou algumas considerações interessantes com bases técnicas.

  Está claro que a ponte Aracaju/Barra deixa a desejar na cabeceira do lado de Aracaju. O projeto parece que foi feito “nas coxas”, sem estudo prévio de escoamento e parecendo ter sido elaborado de última hora para encurtar prazo de execução. Causou também um calado aéreo limitando a 27,5 m a altura de qualquer embarcação que queira passar por baixo (o barco dos Schurmann´s não passa).

  O certo e que, os impactos causados pela existência da ponte, que parecem que não foram estudados a contento, caem gratuitamente no colo da nova administração Estadual e Municipal.

Ocupações de áreas de manguezais na cabeceira da Barra vem se concretizando como foi feito no manguezal da Avenida Pedro Valadares e no manguezal da rótula do Terminal Atalaia, sem que os responsáveis pelo meio ambiente no Estado intercedam. Quem será que invadiu estas valiosas áreas de mangue? Quem lucra com isso ?

  Outro impacto a ser observado, diz respeito a crescente circulação dos veículos de moradores das cidades de Santo Amaro, Maruim, Rosário e Carmópolis. Principalmente de funcionários e empresas implantadas ou que prestam serviços entre Maruim e Propriá. Algumas empresas cujo funcionários trafegam diariamente pela ponte: Petrobrás, CVRD, Grow, Instrutec, Padrão Engenharia, Locavel, Pampa Engenharia, Cemon Engenharia, MWG, Semil, Saraiva, Etinho Guindastes, Neno guinchos, Brain e outras. Algo em torno de oito mil pessoas.

  Como a BR-101 tem um trânsito sempre tumultuado pelo escoamento nacional Norte-Sul e vice versa (apesar das melhorias em implantação pelo DNIT), trafegar em direção ao Norte via ponte tornou-se uma opção “teoricamente” mais tranqüila e com menos tráfego e engarrafamentos.

Porém está clara a necessidade de uma melhoria nas rodovias e na sinalização. A falta de acostamentos, sinalização e deterioração da SE-100 (14 km)  e da SE-226 (19 km) tem causado alguns acidentes preocupantes com estes trabalhadores, que com certeza impactam suas vidas e empresas que trabalham.

Espera-se então que o governo estadual assuma o ônus das conseqüências da existência da ponte Construtor João Alves, e através do DER, tome as providências imediatas e definitivas nas rodovias (não adianta tapa-buracos, sem qualidade) a partir da Barra dos Coqueiros.  É um alerta feito por um leitor da área e respaldado por este colunista, para que em breve não comece a lamentação com a morte de pessoas que ajudam a movimentar a economia sergipana. Como bem escreveu o leitor: “O melhor é prevenir! Sai mais barato e poupa vidas valiosas”.

 

 

Déda satisfeito com repercussão do Fórum das Américas

No último sábado à noite, este colunista conversou por telefone com o governador Marcelo Déda (PT) e os secretários João Gama (Turismo) e Jorge Santana (Desenvolvimento Econômico) que estão em Nova York (EUA). O governador estava alegre com a repercussão da palestra realizada no Fórum das Américas, na presença de diversos investidores internacionais. Já estava com saudades do Brasil e jantava em um restaurante de comidas típicas brasileiras, na rua 46, conhecida como rua dos brasileiros. Marcelo Déda disse que a receptividade no BID e no BIRD, em  Washington, foi excelente. Os projetos apresentados abriram uma grande expectativa de captação de recursos. O governador fez questão de ressaltar que as reuniões tiveram uma característica singular: não se vendeu o que não existia, como no passado. Foram projetos concretos, em busca de investimentos, através da apresentação de oportunidades que Sergipe tem realmente.

 

Déda ficou surpreso com a receptividade em Nova York

Na palestra no Fórum das Américas, em Nova York, para investidores internacionais o governador disse que a receptividade foi surpreendente para um governador do Nordeste com uma pequena comitiva. Ao ser chamado para falar, o nome do Estado, foi pronunciado como “Serigipe”. Déda iniciou o discurso dizendo que sem querer foi prestada uma homenagem aos primeiros habitantes do Estado, os índios tupi-guaranis que chamavam o local de “Serigipe”. Foi bastante aplaudido. O governador falou dez minutos mostrando primeiro o contexto econômico do Nordeste, com os investimentos do governo federal até chegar a Sergipe. Mostrou como o menor Estado brasileiro faz a diferença, com índices sociais elevados e a qualidade de vida. Citou o petróleo e vários pontos turísticos. Brincou até com o tamanho do Estado, lembrando que não é nenhum Texas, mas pode ser comparado com o Arkansas, que vem se destacando em várias áreas. 

 

Instrumento para felicidade dos sergipanos

Ao conversar com os investidores internacionais, o governador deixou claro que o Estado está aberto para o capital externo, através de várias maneiras, como as Parcerias Público Privadas  (PPPs). “Deixei claro que é preciso fazer do meu governo um instrumento para felicidade do meu povo. Não tenho preconceito com investimento internacional, é preciso encontrar um meio termo entre o desejo do lucro e o desejo do povo de ser feliz”, explicou. Um dos mais entusiastas da palestra de Déda foi William Rods, um dos responsáveis pelo Fórum das Américas e que conhece bem o Brasil, já que negociou a divida brasileira na época de Tancredo Neves. Nesta segunda-feira, 30, ainda em Nova York, o governador participa do Fórum de Desenvolvimento Sustentável.

 

Mídia Nacional de grande repercussão de graça

Dois detalhes importantes desta viagem do governador. Na sexta-feira, 27, o Jornal Nacional exibiu uma matéria sobre os governadores no Fórum das Américas, onde Déda apareceu duas vezes, uma no púlpito quando discursava para os investidores. Nos últimos anos foi a menor comitiva governamental enviada ao exterior. Além do governador foram três secretários e um assessor, a primeira-dama, Eliane Aquino, com tudo custeado do próprio bolso do marido. Quem lembra do governo passado, onde das comitivas faziam partes diversos deputados e eram compostas geralmente de cerca de 20 pessoas?

 

Kércio e a divisão dos delegados na SSP

A cúpula da SSP ainda bate cabeça. Os comentários nos bastidores da SSP dão conta de divergências entre o secretário-adjunto, Marcos Passos e o superintendente, Paulo Márcio. A verdade é uma só: alguns delegados antigos não aceitam o comando de Paulo Márcio porque ele é da safra nova. Agora plantam notas na imprensa para desestabilizar a gestão de Paulo Márcio. É lamentável que alguns colocam em primeiro lugar os interesses individuais acima dos interesses coletivos. A coluna vai começar a dar os nomes. A sociedade precisa conhecer quem realmente quer melhorar a segurança pública e quem joga apenas para a platéia. Este espaço já enfrentou briga maior no ano passado.

 

Clóvis Silveira não investirá mais na refinaria?

Algumas colunas políticas de jornais diários publicaram na semana passada que Clóvis Silveira está querendo retomar o comando do PTB em Sergipe. O estranho é que ele apareceu como sócio da futura refinaria que seria implantada em Sergipe, divulgada pelo governo anterior. Não ficará bem para um investidor de uma refinaria tomar conta de um partido político. Pode prejudicar os contatos internacionais para a produção na refinaria. É melhor ser sócio da refinaria do que dono de partido. Ou não?

 

Tem deputado que quis aderir, mas não teve espaço

Tem um deputado que gosta de dizer nas entrevistas que “está na oposição porque foi para isso que o povo o colocou na Assembléia”. Tudo bem se ele, no início do atual governo, não tivesse procurado uma importante autoridade querendo aderir. Mostrou até a lista de lideranças que tem no interior e pediu a manutenção de alguns cargos. Em Sergipe, com diz Albano Franco, todo mundo se conhece. E o pior, se a coluna publicar o nome do deputado sei não…

 

Movimento em defesa do projeto Orquestra Jovem de SE

A coluna recebeu um e-mail do Movimento em defesa do projeto Orquestra Jovem de Sergipe, que foi oficializado pela Secretaria de Estado da Cultura, em abril de 2006, após uma experiência junto à Filarmônica Nossa Senhora da Conceição, em Itabaiana, com o patrocínio do Banese e da Eletrobrás (esta com doação pela Lei Rouanet) e a parceria da Secretaria de Estado do Combate à Pobreza e da Assistência Social. Um trecho do e-mail:  “Apesar do sucesso e do apoio que o Projeto Orquestra Jovem de Sergipe tem da população sergipana e também por parte do corpo político do Estado, o Projeto ainda continua sem uma definição. Mesmo com a declaração do governador pela continuidade do projeto (feita em 18/12/2006) e de reuniões com o secretário de cultura Luiz Alberto e com a secretária Ana Lúcia ,de Inclusão e Ação Social (antiga Secretaria de Estado do Combate à Pobreza e da Assistência Social) estamos sem resposta. Sem resposta, significa que o Projeto está sem condições básicas de funcionamento. A paralisação desse Projeto significa prejudicar o futuro musical de mais de 700 jovens envolvidos e da música erudita do estado de Sergipe e também do Brasil”.

 

Posição de servidor sobre acordo salarial da Deso

“Venho expor minha opinião referente a posição dessa colega por está indignada da aprovação do Acordo Coletivo 2006/2007 em  assembléia da última segunda-feira!!!  Eu particularmente, fui contra a aprovação por não contemplar a todos com a gratificação de férias, pelo motivo de não começar pela data-base do acordo, 1º de novembro de 2006. Mas, também não posso ficar chorando pelo canto pela aprovação, se a maioria decidiu e aceitou o fato, não posso ficar exaltado por isso. Essa história de gravação e entre outros, se tiver vá ao Ministério Público e denuncie, caso tenha sido retaliada. Creio que não devemos ficar guardando nada, a população deve saber o que ocorre na empresa. Se estão oprimido ainda, divulgue para esse colunista e mande para outros jornalistas para a sociedade ficar ciente da situação. Minha posição seria o primeiro acordo firmado pela empresa que recuou, informando que foi um momento de euforia da parte deles de mandarei àquela proposta com o PCCS (Plano de Cargo e Classe Salarial) aos funcionários veteranos e o turno corrido aos concursados. Então a grande maioria acatou em Assembléia a aceitação da gratificação de férias, o reajuste da reposição salarial de 2,71% e mais a alteração da cesta de R$120,00 para R$ 180,00. Não condeno esse colunista de expor sua opinião na coluna intitulada “Primeiros avanços na Deso”, do dia 27/04/2007. Já que ninguém mandou nenhuma declaração a sua pessoa se estavam satisfeitos ou insatisfeitos. Creio que essa leitora assídua da Deso deveria muito bem respeitar a posição de cada um e também por os pés no chão. Nem sempre é bom dar murro em ponta de faca constantemente, é melhor dá dois passo para trás e avançar com um passo”.

 

Assembléia geral nesta segunda-feira na UFS

Nesta segunda, 30, os servidores técnico-administrativos da UFS, através do SINTUFS (Sindicato dos Trabalhadores da Universidade Federal de Sergipe), promoverão Assembléia Geral Extraordinária que terá como pauta, além dos informes gerais, a eleição de delegados para a Plenária da FASUBRA (Federação de Sindicatos de Trabalhadores das Universidades Brasileiras), dias 04 e 05 de maio, e Plenária da  CNESF (Coordenação Nacional das Entidades de Servidores Federais), dia 06 de maio, ambas em Brasília; a discussão e deliberação relativa à reestruturação da tabela salarial da carreira técnico-administrativa das universidades; e a

discussão e deliberação a respeito da data indicativa de greve. Neste momento em campanha salarial, os servidores técnico-administrativos das universidades federais pleiteiam, entre outros, a retirada do PLP nº 01/2007, que diz respeito à limitação de despesas com pessoal incluída no PAC(Programa de Aceleração do Crescimento); definição de política salarial com data-base (maio), isonomia de salários e benefícios; aprimoramento, evolução e consolidação da carreira; negociação coletiva; defesa dos hospitais universitários – contra a sua transformação em

fundação estatal.

 

OAB: Sergipe atingiu um índice de aprovação de 39,37%

Mais uma vez o Estado de Sergipe se destaca em aprovação no Exame de Ordem realizado pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de forma unificada em data e conteúdo em 18 Estados Brasileiros. As provas foram elaboradas e aplicadas pela Fundação Cespe – Centro de Seleção e de Promoção de Eventos da Universidade de Brasília. Neste Exame de Ordem, o primeiro a ser aplicado neste ano, Sergipe atingiu um índice de aprovação de 39,37%. Embora considerado baixo, o índice de aprovação no Exame de Ordem em Sergipe superou os demais Estados participantes da prova. O segundo Estado que mais aprovou no Exame de Ordem foi o Ceará com 38,38%, seguido pelo Estado do Piauí com 35,76%. Os Estados que mais reprovaram foram o Amapá com índice aprovação de apenas 5,71% e o Amazonas com 9,78% de aprovação.

 

 

Frase do Dia

“Quando alguém pergunta a um autor o que este quis dizer, é porque um dos dois é burro”. Mário Quintana em “O trágico dilema”.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários