Pai responsável tem atitude!

0

Aproveitando a semana de comemorações do Dia dos Pais, a Secretaria de Estado da Saúde de Sergipe, faz um alerta para os futuros pais: a saúde do futuro bebê depende também da saúde do pai.
A iniciativa pretende estimular a população masculina a fazer exames quando a parceira estiver grávida. A campanha, que está sendo difundida nas redes sociais e nos municípios que possuem maior número de casos de AIDS e de sífilis em crianças, quer motivar os futuros pais a fazerem o "pré-natal masculino", ou seja, um conjunto exames preventivos durante o pré-natal da parceira.

A ideia é que os profissionais de saúde aproveitem o momento em que o homem está mais sensível – às vésperas de ser pai – para incentivá-lo não só a acompanhar as consultas durante os nove meses de gestação da parceira como também a fazerem uma avaliação da sua saúde, principalmente em relação às infecções sexualmente transmissíveis. Essa iniciativa parte do princípio de que o homem precisa se cuidar para cuidar da família.
A campanha, que será difundida entre as secretarias municipais de Saúde, tem a seguinte mensagem: “PAI RESPONSÁVEL TEM ATITUDE! USA CAMISINHA QUANDO A PARCEIRA ESTIVER GRÁVIDA E FAZ OS EXAMES DO PRÉ-NATAL JUNTO COM ELA”. O principal objetivo é incentivar a realização dos exames de sífilis, HIV e, quando possível, de hepatites virais.

Homens são mais resistentes

Segundo estudos do Ministério da Saúde, a população masculina geralmente procura quando o problema de saúde já foi detectado e está em estágio de evolução. Por motivos culturais, considera-se que os homens têm mais resistência a procurarem cuidados médicos e a se prevenirem.
Muitos deles também não seguem os tratamentos recomendados. Além disso, indicadores mostram que os homens têm hábitos de vida menos saudáveis e estão mais suscetíveis a fatores de risco para doenças crônicas. O Pré-natal do Parceiro pode contribuir ainda para reduzir a transmissão vertical da sífilis e do HIV. A realização de testes rápidos para detecção destas doenças e a consequente adesão ao tratamento por parte do parceiro infectado pode diminuir consideravelmente o risco de transmissão da mãe para a criança, isto porque a mulher, mesmo com a devida atenção ao longo da gravidez, se mantiver relações sexuais com o parceiro infectado pode ser no caso da sífilis reinfectada e ter a carga viral aumentada no caso do HIV.

Municípios podem aderir à campanha

A campanha pretende alcançar os homens jovens e adultos, entre 20 e 59 anos, sexualmente ativos. Os municípios sergipanos que aderirem à nova campanha no período de comemorações do dia dos pais receberão folhetos educativos, camisas, cartazes e porta-camisinha. As ações devem ser realizadas nos locais estratégicos de atividades masculinas, como em fábricas, construção civil, futebol, junto aos motoristas em geral , taxistas, caminhoneiros e  motoboy. Podem ser feitas palestras educativas e até mobilizações de oferta dos testes rápidos para sífilis, HIV e hepatites virais.

Comentários