PARTICIPAR É NECESSÁRIO

0

O que falta para vivermos num país onde todos, ou pelo menos, a grande maioria possa sentir a grandeza de sua economia, viver uma menor desigualdade social e confiar na profissão de fé, nos princípios éticos e no patriotismo de nossos dirigentes políticos?

Na economia, o caminho mais difícil já trilhamos. A continuidade do que está sendo feito é condição para que, num futuro não muito distante, nós alcancemos o patamar desejado.

Do ponto de vista social, este estágio será alcançado quando: a) A educação, a saúde e a segurança estiverem ao alcance de todos; b) a moradia for acessível a todos e c) houver garantia de que todos os brasileiros possam, de fato, exercerem sua cidadania.

Finalmente, no campo político, nossos representantes angariarão confiança quando os partidos realmente representarem as diversas correntes de pensamento político e em seus quadros somente militarem aqueles que, além de comungarem deste pensamento, demonstrarem fidelidade aos princípios dos partidos a que pertencem.

Por outro lado, quais serão os fatores que impedem transformar o Brasil de hoje, no país sonhado e desejado por todos?

Do ponto de vista técnico, não será difícil indicar os caminhos que deverão ser percorridos para transpor os obstáculos políticos, sociais e econômicos que se apresentam. Algumas providências como as que a seguir relacionamos, serão naturalmente sugeridas por todos aqueles que tenham algum plano para fazer com que o Brasil seja mais justo para com todos os brasileiros.

Estas medidas são: a) Redução da carga tributária incidente sobre a produção; b) maior investimento em tecnologia; c) transformar terras improdutivas em produtivas; d) garantir assistência técnica e financeira ao pequeno e médio produtor e agricultor; e) tornar o estado menos empresário e mais condutor de políticas e regulador de ações que envolvam o mercado e as camadas de menor poder de negociação; f) adotar uma reforma política em que partidos sejam formados a base de pensamentos políticos e tenham uma representação mínima, em que os políticos sejam obrigados a ter fidelidade partidária e em que as eleições sejam através do voto distrital mixto; g) tornar a educação, prioridade nacional; h) fazer com os que ganham mais paguem mais impostos; h) os empresários deverão investir em produtividade, tornando as empresas mais competitivas para participarem de um mercado cada vez mais globalizado; i) os sindicatos deverão lutar para dar ao trabalhador brasileiro mais conhecimento, treinamento e especialização.

Estas são medidas indispensáveis de serem adotadas e, se não são motivos de controvérsia, por que não são adotadas?

Porque são medidas, que apesar de serem reconhecidas como necessárias, mister será mudar o “status quo” de muitos segmentos de nossa sociedade, começando aí as reais dificuldades para que sejam implementadas, ou seja, concorda-se com qualquer proposta de mudança desde que esta não contrarie um privilégio existente.

Por isto mesmo, a implementação das medidas necessárias para permitir um crescimento auto-sustentado exige a participação de toda a sociedade.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários